Quem foi Barrabás.
 
Quem foi Barrabás.
 


Quem foi Barrabás.

O nome Barrabás vem do antigo aramaico, cuja tradiçao Bar Abbas, o que foi traduzido para Barrabás, do mesmo modo o nome de Joshua de Abar do arameu para Jesus Cristo, que vem da tradução latina e grega.

Barrabás nasceu na cidade de Jopa, ao sul da Judeia, tinha como profissão remador de botes, ele foi contemporâneo de Jesus Cristo.

 Ficou  famoso entrando para história pelo fato de ser personagem citado no Novo testamento, no episódio do julgamento de Jesus por Pôncio Pilatos, caso contrário, seria uma figura desconhecida, como tantos outros lutadores para libertação de Israel.  

Mas quem foi essa pessoa enigmática, Um heroi nacional possivelmente, o que sabemos é que incomodava o governo de Roma, na verdade nunca  fora bandido, ele sempre teve muita credibilidade tanto para com o povo Judeu, como para o governo de Israel. A ponto de o povo escolher que Jesus fosse cruxificado e não Barrabás, diante da imposição imposta por Pilatos.  

Mas por que o povo tomou exatamente esse posicionamento, basicamente por dois motivos: primeiro Barrabás era um grande lider político, pertecente a um grupo revolucionário zelote, cujo objetivo era libertar Israel do domínio opressivo da exploração romana.

A segunda ideia é o que povo não tinha Jesus Cristo como Deus, sendo que posteriormente, quem produziu Jesus como Deus foram os soldados romanos e seus discípulos.

 Tanto  é verdade essa proposição que Jesus nunca foi uma pessoa de relevância para os Judeus, ainda hoje é desconsiderado na história de Israel.

 Como  Jesus não tinha objetivos claros a respeito do império romano, a sua luta voltava com maior afinco as reformas religiosas do templo, com motivações sacerdotais.

Exatamente por essa razão Pilatos defendeu Jesus, porque interessava a ele o estímulo do conflito interno, com a velha lógica a sociedade dividida melhor para ser governada.

A perseguição que Jesus sofreu vinha da elite religiosa, comandada por Caifás o sumo sacerdote, o que significava a autoridade maxima do poder religioso, o que na época,  também  era poder político.

A diferença de Jesus em relação a Barrabás, é que o referido desejava a libertação de Israel do poder romano, mas não estava preocupado com as reformas internas do ponto de vista da religião. Com efeito, ele era popular em setores mais diversificados de Israel.

Então Barrabás, era o comandante de um grupo de revolucionarios, exército popular cujo objetivo era destruir o governo de Roma, agia como estrategia por meios de ataques de guerra fazendo uso das legiões dos seus revolucionários.

O grande finalidade era fustigar as forças invasoras  romanas. Foi preso por um ataque de guerra mal sucedido contra o exército romano, fato que efetivou na cidade de Cafarnaum, onde vários soldados romanos foram mortos, numa ação de heroismo de Barrabás.

 Quando  ele foi preso pelo exército de Roma, apresentado a Pilatos como bandido, pois essa seria a justificativa para uma posterior condenação por parte do governo de Pilatos. Ele e seus amotinados.  Evangelho de Marcos 15.7.

Segundo o texto bíblico, Jesus foi acusado pelos sacerdotes diante de Pôncio Pilatos, o governador de Roma em Israel. Pilatos interrogou Jesus Cristo, sendo o referido muito político, deixou claro para  Pilatos que sua motivação não era política.

 Afirmando   a ele,  o que for de Cezar que seja de Cezar, o que legitimava o poder de Roma sobre Israel, motivo do povo ficar do lado de Barrabás, contrariamente, a defesa de Cristo por ter tido acões dúbias a respeito de Israel.  

Pilatos não encontrou motivo para sua condenação, mas tinha mil razões para condenar Barrabás e levar mesmo a morte, aproveitando que Jesus tembém tinha seu grupo, sendo evidentemente popular, propõe a troca de Jesus por Barrabás, quando o objetivo de Pilatos era eliminar o lider em referência por meio da crucificaçao.  

Diante dessa situação de esperteza por parte de Pilatos, um dos dois seria solto, o outro naturalmente condenado, o povo escolheu que Barrabás fosse libertado, porque depositava nele maior confiabilidade pela luta política com a finalidade de ver Israel livre de Roma.

 Na verdade o tiro acertou a própria cabeça de Pilatos, a ver que que seu grande inimigo teria que ser solto, Pilatos profundamente chateado, voltou a dizer que não via nada que pudesse condenar Jesus. Portanto, que Caifás e Herodes executassem o mesmo.

No entanto, após Barrabás ser solto, Pilatos  resolveu proteger Jesus, não deixando realizar a crucificação, isso num primeiro momento, quando todos pensaram que Jesus teria morrido produzindo com efeito, o fenômeno da ressurreição, refiro ao primeiro momento quando não foi crucificado.

 Posteriormente, o imperador de Roma, condenou Pilatos ao suicídio devido seus erros políticos, em relação suas tentativas de defesa de Jesus Cristo.

 Mais  tarde por diversos motivos o homem que foi condenado por razões tidas como criminolosas em sua época, posteriormente,  transformou-se no verdadeiro Deus da história de roma, ainda hoje no terceiro mundo, fazendo milhões de curas e milagres as pessoas pobres e humildes.  

Edjar Dias de Vasconcelos.  

 
Avalie este artigo:
3 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Edjar Dias De Vasconcelos
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Bacharel em Teologia pela Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção - Arquidiocese de São Paulo com graduação máxima no Exame De Universa Theologia. Licenciado em Filosofia e História pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUC-MG. Experiência na orientação de estudo...
Membro desde junho de 2012
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: