Hoje em dia é difícil descrever um bandido. Você pode ser abordado por qualquer tipo de pessoa nas ruas. Tornou-se comum ouvir casos de muitos cidadãos que foram assaltados por indivíduos bem vestidos, inclusive de terno e gravata por exemplo. O bandido hoje em dia saiu daquele biotipo de boné, chapéu, bermuda e chinelo.

A realidade é que vivemos numa sociedade onde os padrões estéticos são extremamente valorizados. Então, para a maioria das pessoas, a aparência acaba sendo um fator importante para “definir” o perfil de um criminoso. O que preocupa é quando esses critérios passam a influenciar no julgamento.

O problema da sociedade em manter o estereótipo é de cometer injustiça. Nem todo negro morador de comunidade carente é criminoso! Não se pode “fincar na mente” este pensamento. Isto acaba sendo preconceituoso! A frase “não julgue pela aparência” acaba se encaixando bem neste contexto.

Em contrapartida, no rol de vítimas, você raramente verá algum homem negro ser citado. Muito pelo contrário, as pessoas tidas como bonitas e brancas, em uma maioria esmagadora, são apontadas como as vítimas.

Muito mais do que as características pessoais, basicamente o que deve contar para análise do indivíduo mal intencionado devem ser as atitudes e o comportamento do mesmo. Isso sim que ajuda a revelar o perfil criminoso.

Não pense como a maioria, pois, dessa forma, você estará fadado ao grande grupo de vítimas. Seja diferenciado e esteja atento aos detalhes. Assim você terá uma probabilidade maior de evitar um possível furto ou um assalto.

Revisado por Editor do Webartigos.com