Psicopedagogia
 
Psicopedagogia
 


A psicopedagogia tem como ponto inicial o estudo da aprendizagem humana, que nasceu de perguntas sobre as dificuldades de aprendizagem, localizado além dos limites da Pedagogia e da Psicologogia.

De acordo com (BOSSA. 2007. p. 38):

[...] A psicopedagogia não nasceu aqui e tampouco na Argentina, Investigando a literatura sobre o tema, podemos verificar que a preocupação com os problemas de aprendizagem teve origem na Europa, ainda no século XIX.

A psicopedagogia surgiu na Europa, mais precisamente na França, em meados do século XIX , onde a Medicina, a Psicologia e a Psicanálise, começaram a se preocupar com uma opção nos problemas de aprendizagem e suas possíveis retificações. A corrente européia influenciou o começo da psicopedagogia na Argentina, e a mesma influenciou a identidade da psicopedagogia brasileira.

O século XX foi marcado pela expansão dos sistemas educativos das nações industrializadas, sendo a educação básica obrigatória em praticamente todo o mundo. O avanço das ciências da educação levou gradativamente as questões das dificuldades escolares para o sistema educativo regular, já que estas implicam em uma multiplicidade de causas cuja localização pode centrar- se no aluno, na família, no meio social, na escola, assim como nas características da própria criança, sua interação familiar e social, o processo ensino- aprendizagem e o próprio sistema. Também, no século XX, Maria Montessori, educadora e psiquiatra italiana, criou um método de aprendizagem destinado, inicialmente, às crianças com retardo mental, e que ficou notório pela expressão: "o que é bom para o excepcional é excepcionalmente bom para o normal".

A inclusão, ainda que decorrente da integração, se diferencia desta na medida em que preconiza que não são as crianças que devem ajustar- se às exigências da escola, mas sim ela deve reestruturar o sistema da educação, que se torne capaz de efetivamente cuidar de todos os alunos e não faça apenas adaptações para aceitar um grupo de alunos. A premissa maior é que todos têm direito a uma escola de qualidade e esta sim é que tem importante papel facilitador na integração social.

Na busca pelo reconhecimento dos direitos de todas as crianças freqüentarem a escola regular, se estabelece um conceito mais claro de NEE( Necessidades Educativas Especiais), que pode ser definido como: crianças que por razões congênitas ou adquiridas apresentam dificuldades de aprendizagem ao longo da escolaridade, as quais diminuem sua capacidade adaptativa ao meio, e por isso necessitam de atenção específica e de mais recursos educativos paraminimizar desvantagens e otimizar suas reais capacidades. É impossível se falar da inclusão sem lembrar da importância que a Psicopedagogia tem para que esse movimento.

A importância da Psicopedagogia aprimorou-se a delinear as diferenças entre os enfoques da Educação especial, crianças com distúrbios de aprendizageme da Psicopedagogia, já que o manejo psicopedagógico permite a realização do potencial de aprendizagem do sujeito impedido por fatores que desautorizam a apropriação do conhecimento, assim como o diagnóstico e a intervenção psicopedagógica promovem a melhoria das condições de aprendizagem, recuperação da auto-estima e socialização da criança.Diversos estudos mostram que o conhecimento tem grande importância na nossa cultura,o fracasso escolar atinge o indivíduo, a sua família e o meio social e pode gerar ou precipitar o aparecimento de problemas emocionais, comportamentais, familiares e sociais, em diferentes graus de gravidade, comprometendo cada vez mais o processo de aprender.

No Brasil a psicopedagogia surge por volta dos anos 70 , a partir da demanda de atendimento `a crianças com distúrbios de aprendizagem, trouxeram da França para a Argentina os aportes teóricos sobre a psicopedagogia, na qual o distúrbio de aprendizagem que terá ênfase maiornesta pesquisa, será o Transtorno de Déficit de Atenção sem hiperatividade, popularmente conhecido como TDA, distúrbios esses e entre outros, considerados incapazesdentro dos sistemas educacionais convencionais, todavia, oscursos direcionados na área só começam a se multiplicarem na década de 90. Atualmente percebe-se que a procura pelos cursos aumentou muito,porquea psicopedagogia contribui para uma maior reflexão sobre o processo de aprendizagem e o desvio do mesmo.

O termo psicopedagogia distingue-se em três conotações: como uma prática, como um campo de investigação do ato de aprender e como (pretende-se) um saber científico.Não é sinônimo de psicologia escolar ou psicologia educacional. É uma área de estudos recente, resultante de articulação de conhecimentos dessa e de outras disciplinas, apontando com novos caminhos para a solução de problemas antigos. Estende-se além da pedagogia e da psicologia no apreender no fenômeno educativo.

Segundo(Bossa 2007.p,29):

[...] Devido à complexidade do seu objeto de estudo, são importantes à psicopedagogia conhecimentos específicos de diversas outras teorias,as quais incidem sobre os seus objetos de estudos, por exemplo:

*A psicanálise encarrega-se do mundo inconsciente, das representaçõesprofundas, operantes por meio da dinâmica psíquica que se expressa por sintomas e símbolos, permitindo-nos levar em conta a face desejante do homem;

* A psicologia social encarrega-se da constituição dos sujeitos, que responde às relações familiares, grupais e institucionais, em condiçõessocioculturais e econômicas específicas e que contextuam toda a aprendizagem;

*A epistemologia e a psicologia genética encarregam-sede analisar e descrevero processo construtivo do conhecimento pelo sujeito em interação com os outros e com os objetos;

* A lingüística traz a compreensão da linguagem como um dos meios que caracterizam o tipicamente

humano e cultural: a língua enquanto código disponível a todos os membros de uma sociedade, e fala como fenômeno subjetivo, evolutivo e

historiado de acesso à estrutura simbólica;

* A pedagogia contribui com as diversas abordagens do processo ensino- aprendizagem, analisando-o do ponto de vista de quem ensina;

Os fundamentos da neuropsicologia possibilitam a compreensão dos mecanismos cerebrais que subjagem ao aprimoramento das atividades mentais, indicando-nos a que correspondem, do ponto de vista orgânico, todas as evoluções ocorridas no plano psíquico.

Compreende-se queessas áreas fornecem meios para refletir cientificamente e operar no campo psicopedagógico que pode ser preventivo e clínico. Esta pesquisa visa aprofundar-seno enfoque preventivo. Avalia-se que essas áreas, nos fornecem caminhos para refletirmoscientificamente e praticarmos, isto é, intervirmos no campo psicopedagógico de forma clara e objetiva. Resume-se de forma cautelosa as principais metas das demais áreas:

A psicanálise dirige-se aos conhecimentos de SigmundFreud com o principal objetivo de recorrer na compreensão dos diversos sintomas apresentadospela criança, o termo sintoma remete-se ao uso psicanalítico. O problema ou dificuldade de aprendizagem enquanto sintoma compara -se, na sua totalidade como sintoma conversivo, ou seja,observa-se que diante as patologias que surgiam no corpo e que não podiam ser explicadas pela medicina, Freud chega à noção do inconsciente não se manifesta de forma direta, mas aparece através das fraturas: o chiste, o lapso, o ato falho, o sonho e o sintoma. Entende-se a psicanálise como ciênciado inconsciente, permiti-sea compreensão do sintoma enquanto problema de aprendizagem percebendo o como uma manifestação humana carregada de um significado.

Afirma-se que a psicopedagogia converge das outras áreas como pedagogia, medicina, antropologia, sociologia, filosofia, podemos considerar a epistemologia como defensora da certezaque ninguém pode aprender além do que suas estruturas cognitivas o permitem. Estuda-se que tanto a epistemologia quanto a psicologia genética,ambasencarregam-se de descrever o processo construtivo do conhecimento pela interação do sujeito com os outros.

A lingüística enfatiza-se no seu objetivo principal que é o estudo da linguagem, na qual esta é o ponto dematéria de outras áreas do conhecimento, como por exemplo: as que focalizam o comportamento social e psicológico do ser humano, baseia - se nos estudos da psicolingüística, participar, dando a sua contribuição como ciência de todos os estudos voltados para a investigações sobre a linguagem e pensamento.

A pedagogia ergue-se uma ponte primeiramente na psicopedagogia na qual apresenta-se como uma área de confluência do psicólogo( a subjetividade do ser humano enquanto tal) e do educacional ( atividades especificamente humana, social e cultural. Entende-se que essa ciência apresenta limites próprios da vida humana, engloba-se o social, o individual tanto transformadores quanto reprodutores, leva ao psicopedagogo a refletir seu papel perante as dificuldades de aprendizagens, apresentadas como demanda pela escola.

Preocupa-se com o saber e como é transmitido para que ocorra aprendizagem, na qual a verdadeira aprendizagem é aquela que se incorporaa nossa vida. Reflete-se que não aprendemos apenas para saber, mas para melhorar em qualquer sentido, para crescer, seja no físico , na saúde, no intelecto, na vida moral ou social, ou econômica, ou artística surge, então, o novo conceito de aprendizagem: aprender é modificar-se na escola e na vida. Afirma-se queo objeto de estudoprincipal nesta área é aaprendizagem, sabe-se que é um processo contínuo, no qual, há uma absorção gradativa do que vai ser aprendido pelo aluno para o qual são necessárias pré-condições que as favoreçam. Embora esse seja um processo contínuo, estuda-se que podem sofrer alterações ou mesmo apresentar dificuldades e tornar-se flutuante em determinado momento ou situação vivida pelo aluno. Verifica-se que são crescentes os problemas ligados as dificuldades de aprendizagem. A pedagogia embasada em estudiosos conceituados como: Piaget, Vigotsky, Freinet, Ferreiro, Teberosky e outros tem sido insuficiente para prevenir ou intervir nesses casos. A psicopedagogia surge para auxiliar na intervenção e na prevenção dos problemas de aprendizagens.

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Barbara Nice Torres
Talvez você goste destes artigos também