PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CENTRO DE REFERÊNCIA A SAÚDE DO HOMEM NO MUNICIPIO DE SANTOS
 
PROJETO PARA IMPLANTAÇÃO DO CENTRO DE REFERÊNCIA A SAÚDE DO HOMEM NO MUNICIPIO DE SANTOS
 


INTRODUÇÃO

SAÚDE DO HOMEM

O Brasil é o segundo país das Américas, a elaborar Política Nacional da Saúde do Homem.

A maioria dos Homens quando buscam atendimento, já o procuram quando sua condição de saúde está a nível secundário, ou seja, necessitando de especialistas, pois já estão com morbidades instaladas.

Desta forma, torna-se importantíssimo serem dadas orientações a essa população, visando à consciência do mesmo, a buscarem atendimento a nível primário, evitando assim transtornos biopsicossociais, atingindo com isto, uma adequada qualidade de vida.

JUSTIFICATIVA

É necessário uma política voltada para a saúde do homem, para desmistificar o estereótipo de masculinidade que compromete o acesso aos serviços de saúde e a adesão ao tratamento, sobretudo devido à crença na invulnerabilidade do homem.

Devido altos índices de morbimortalidade masculina sobre tudo quando se faz uma comparação com a morbimortalidade feminina.

A taxa de mortalidade por homicídios entre homens é 12 vezes maior que a feminina, chegando a 15 vezes entre 20 e 29 anos ( dados da Comissão Nacional sobre Determinantes Sociais da Saúde).

Pela necessidade do SUS em estabelecer princípios, diretrizes e depois planos de ação para diminuir os agravos à saúde masculina e melhorar a qualidade de vida desta população. Sendo notado à necessidade de qualificar a atenção integral à saúde da população masculina na perspectiva de linhas de cuidado que resguardem a integralidade da atenção.

Conforme dados do Ministério da Saúde, em 2007 enquanto as mulheres somaram 16 milhões de consultas ao ginecologista, as consultas com os urologistas somaram 2 milhões, entre homens, mulheres e adolescentes, o que nos leva a perceber o quanto é menor a procura do público masculino a esse especialista.

Em função das doenças crônicas como, diabetes, hipertensão, insuficiência cardíaca, tumores malignos e benignos, infarto do miocárdio, acidente vascular encefálico, enfisema pulmonar etc., a diferença dos números de atendimento ao serviço de saúde entre homens e mulheres é alarmante.

São somados agravantes como o tabagismo,alcoolismo,ingestão de alimentação baseada em gorduras trans e carnes,vida sedentária, violência,DST, que acometem de maneira mais geral a população masculina.

O Programa de Saúde do Homem vem a contribuir na ruptura da cultura da invulnerabilidade, da força do sexo "forte" e do machismo, efetivando a atenção especial com adolescência, pois essa é uma fase fundamental para formação de identidades pessoais e sociais.

PROBLEMAS/HIPÓTESE

A falta de um programa que incentive o público masculino a fazer um acompanhamento profilático à sua saúde, e a devidas instruções necessário, a fim de desmistificar tabus existentes em relação a sua masculinidade e à sua saúde.

Este projeto almeja a implantação a Atenção à saúde do Homem, através do Centro de Referencia a Saúde do Homem  C.R.S.H, conforme outros programas, já implementados pelo MS.

Contribuindo como base ao atendimento diferenciado ao público masculino, no município de Santos-SP.

RESULTADO DA PESQUISA

Prevenção de doenças em homens

Os exames de rastreamento fazem parte da medicina preventiva básica e podem ser solicitados pelo médico. O homem deve ter uma postura ativa em relação à saúde e conversar com o seu médico sobre esses exames. A seguir, encontra-se uma lista de doenças e uma descrição dos exames recomendados. Em geral, são exames simples e seguros que podem ajudar a diagnosticar muitas doenças antes de suas complicações.

Check-up do homem

Exames recomendados a partir dos 20 anos, para os homens .

IDADES

PSA E TOQUE DE PRÓSTATA

DST

PRESÃO

ARTERIAL

COLES-TEROL E TRIGLI-CEREDES

RASTREA-MENTO CARDIACO

HOMOCIS- TEINA

DIA-BETES

20À 30 ANOS

NÃO

SIM

SIM

SIM

NÃO

SIM

NÃO

30Á 50 ANOS

SIM

SIM

SIM

SIM

SIM

SIM

SIM

50Á 70 ANOS

SIM

SIM

SIM

SIM

SIM

SIM

SIM

+ DE 70 ANOS

SIM

SIM

SIM

SIM

SIM

SIM

SIM

Exames cardíacos

Os principais inimigos do coração são:

  • Colesterol e triglicérides em níveis altos no sangue.
  • Hipertensão arterial.
  • Dieta alimentar inadequada e falta de exercícios físicos.

Teste de colesterol e triglicérides

Como taxas elevadas de Colesterol e Triglicérides não apresentam sintomas, aos 20 anos de idade o homem deve fazer os primeiros exames. Testes considerados normais devem ser repetidos a cada 5 anos e os anormais, devem ser realizados com maior freqüência, a critério do médico. Entre 40-60 anos, os intervalos entre os exames devem ser diminuídos, pois esse é um período crítico, quando aumentam abruptamente os níveis de Colesterol e Triglicérides, que podem causar derrame cerebral ou ataque cardíaco. (1)

Colesterol

O colesterol é um membro da família dos lipídios esteróides e, na sua forma pura, é um sólido cristalino, branco, insípido e inodoro. Apesar da má fama, o colesterol é um composto essencial para a vida, estando presente nos tecidos de todos os animais.

Além de fazer parte da estrutura das membranas celulares, é também um reagente de partida para a biossíntese de vários hormônios (cortisol, aldosterona, testosterona, progesterona, estradiol), dos sais biliares e da vitamina D. É obtido por meio de síntese celular (colesterol endógeno -70%) e da dieta (colesterol exógeno- 30%). Exceto em pessoas com alterações genéticas do metabolismo do colesterol, o excesso dele no sangue resulta dos péssimos hábitos alimentares que possuímos (que são adquiridos desde a infância) e que nos levam a grande ingestão de colesterol e gorduras saturadas (geralmente de origem animal).

O colesterol endógeno é sintetizado pelo fígado, em um processo regulado por um sistema compensatório: quanto maior for a ingestão de colesterol vindo dos alimentos, menor é a quantidade sintetizada pelo fígado.(2)

O LDLs é lipoproteínas de baixa densidade, quando presentes em quantidades excessivas, as LDLs depositam o colesterol no interior e ao redor das fibras musculares lisas das artérias, formando as placas de gorduras (placas ateroscleróticas) que aumentam o risco de doença arterial coronária. Por esse motivo, o colesterol contido nas LDLs, denominados colesterol da LDL, é conhecido como o "mau colesterol". A ingestão de uma dieta rica em gorduras aumenta a produção de VLDLs, que eleva o nível de LDL e aumenta a formação das placas ateroscleróticas. Uma vez que as HDLs impedem o acúmulo de colesterol no sangue, em nível alto de HDL está associado ao risco reduzido de doença arterial coronariana. Por essa razão, o colesterol da HDL é conhecido como o "o bom colesterol"

Os níveis desejáveis de colesterol no sangue, em adultos, são: colesterol total abaixo de 200mg/dL, LDL abaixo de 100mg/dL e HDL acima de 40mg/dL.

A proporção de colesterol total para o colesterol da HDL prediz o risco de desenvolver doença arterial coronariana. Uma pessoa com um colesterol total de 180mg/dL e HDL de 60mg/dL tem um índice de risco igual a 3. Índices acima de 4 são considerados indesejáveis;quanto mais alto esse índice, maior o risco de apresentar a doença arterial coronariana.(3)

Valores numéricos

Colesterol

Níveis perigosos: acima de 160 Limite: 130-160 Meta para pessoas de alto risco: abaixo de 95

Triglicérides

Níveis perigosos: acima de 200 Limite: até 200Meta para pessoas de alto risco: abaixo de 70

Prevenção

  • Exercícios físicos adequados para cada idade.
  • Baixa ingestão de gorduras e carboidratos refinados (álcool, doces, massas, pão branco).
  • Alto consumo de verduras e frutas. Exames médicos periódicos.

Aferição da pressão arterial

A hipertensão arterial logo detectada ocorre muito antes de suas complicações, como ataque cardíaco e derrame. Se houver história familiar de hipertensão arterial, doenças cardíacas ou renais, derrame, diabetes ou se estiver com sobrepeso, checar anualmente.

A medida da pressão arterial é um teste muito simples e rápido.

Deve ser feito em toda visita ao médico ou sempre que houver oportunidade.

Pressão arterial acima de 140/90 indica hipertensão.

Rastreamento de doenças cardíacas

São exames complementares, mais específicos, que o médico cardiologista pode requisitar:

  • Eletrocardiograma: Mede a atividade elétrica do coração.
  • Eletrocardiograma de esforço: Registra aceleração das batidas do coração durante exercício do paciente sobre esteira e sua posterior desaceleração.
  • Rastreamento nuclear: Detecta áreas danificadas do coração.
  • Angiocoronariografia: Examina as artérias coronárias. (1)

Diabetes Mellitus

O Diabetes Mellitus é uma síndrome de etiologia múltipla decorrente da falta de insulina e/ou da incapacidade de insulina exercer adequadamente seus efeitos.O diabetes ocorre quando o organismo não produz ou produz pouca insulina, hormônio do pâncreas que ajuda as células a usarem açúcar para produzir energia.Caracteriza-se por hiperglicemia crônica com distúrbios do metabolismo dos carboidratos, lipídeos e proteínas.

Os sinais e sintomas da DM são: poliúria, nictúria, polidpisia, boca seca, polifagia, emagrecimento rápido, fraqueza, astenia, letargia, prurido vulvar ou balanospostite, diminuição brusca de acuidade visual, achados de hiperglicemia ou glicosúria em exames de rotina. As conseqüências do DM, em longo prazo, incluem disfunção e falência de vários órgãos, especialmente nefropatia, retinopatia, neuropatia, cardiopatia, complicações nos vasos sanguíneos, úlceras nos pés.

Um simples exame de sangue pode detectar a doença. Também é recomendável um exame de urina, pois é através dela que o rim elimina o excesso de açúcar no sangue.

Dos 30 aos 50 anos é conveniente realizar esses exames, pelo menos, a cada 3 anos. (4)

Exame de próstata

A próstata é uma glândula que se localiza abaixo da bexiga, sendo responsável pela produção do líquido seminal. Com a idade, ela pode aumentar de volume, tornar-se rígida e pressionar a uretra, causando desconforto urinário, isto é, jato fraco, sensação de não esvaziamento da bexiga. Como, a partir dos 50 anos aumenta a probabilidade de funcionamento celular anormal, os homens devem fazer, periodicamente, exames de toque retal e dosagem de PSA (Antígeno Prostático Específico) total e livre. Esse teste é feito com coleta de uma amostra de sangue analisado em laboratório. Níveis elevados de PSA podem indicar existência de câncer na próstata. (5)

Exame de PSA

O antígeno específico da próstata é uma substância produzida apenas pela glândula prostática e é parte do fluido que a próstata adiciona ao sêmen. Certa quantidade de PSA vai para o sangue e essa pode ser medida. A presença de PSA no sangue é normal para o homem. Quando um médico faz exame de PSA, ele quer saber quanto da substância existe no sangue. Pense no PSA do sangue como se ele estivesse "vazando" da próstata. Uma próstata grande vai produzir mais PSA do que uma próstata pequena, assim, na medida em que você envelhece e sua próstata aumenta, também vai aumentar a quantidade de PSA. Algumas doenças da próstata fazem com que ela "vaze" mais e, nesses casos, a quantidade de PSA aumenta ainda mais. Isto acontece com o câncer da próstata e é a razão pela qual o exame é usado para se detectar câncer. Outras doenças da próstata, como infecções, também aumentam seu "vazamento". O PSA também aumenta depois de uma operação da próstata ou simplesmente após um exame cistoscópico ou mesmo após a passagem de um cateter.

Os homens mais idosos têm próstatas maiores e também mais doenças não-cancerosas da próstata como a prostatite, a média do PSA em homens de 75 anos é maior do que a dos homens de 55 anos. Assim, se PSA é mais elevado do que o "normal" isso não significa que o homem tenha câncer. O homem pode ter, o que é mais provável uma HBP ou qualquer outra situação que elevou a quantidade de PSA do seu sangue. Como uma teste para o câncer o PSA é útil, mas os resultados devem ser interpretados com muito cuidado.

Usando uma linguagem técnica, ele não é específico e dá muitos falsos-positivos-resultados que parecem indicar câncer, mas são descartados numa investigação mais completa. Se o PSA é muito alto, isto geralmente significa que é câncer. Se estiver apenas um pouco aumentado, o tamanho e qualquer outra condição afetando a próstata devem ser levados em consideração. Certamente será necessário fazer mais exames para que o câncer seja diagnosticado. A confirmação do diagnóstico usualmente é feita tirando pequenos pedaços da próstata (biópsias) com o auxílio de uma agulha durante a realização de um ultra-som transretal. Algumas vezes isso pode causar infecção na urina ou mesmo na corrente sanguínea. Porém, a biópsia pode não pegar o tumor e, nesse caso, uma biópsia negativa pode dar um resultado falso. Isto significa que, mesmo que a biópsia seja negativa, é necessário fazer outros exames de PSA e mesmo outra biópsia. Pode ser muito difícil estar certo que um PSA aumentado não seja devido a um câncer.

Esfregaços do colo do útero são usados para investigar o câncer no colo do útero de mulheres. Poderia da mesma forma, o PSA ser usado para investigar o câncer da próstata?

Esta é uma questão difícil de ser respondida por que não há uma diferença clara entre a quantidade de PSA encontrada no sangue de homens com câncer e homens com HBP ou outras condições benignas.

Nos Estados Unidos atualmente é muito popular entre os homens verificar o seus PSAs uma vez por ano e não há duvida que isso detecta um grande número de cânceres que não estavam causando nenhum sintoma. Esses homens geralmente vão sofrer uma prostectomia radical, e assim esta cirurgia está se tornando umas das mais comuns nos Estados Unidos.

Em primeiro lugar, para cada pessoa que tiver um câncer diagnosticado dessa maneira, muitos outros terão de se submeter a exames e um monte de preocupações desnecessárias esperando pelos resultados. Se um câncer é encontrado, para livrar-se dele, será necessária uma postatectomia radical (ou radioterapia) e essa é uma operação muito grave. Tudo isso valeria a pena se reduzisse o número de homens que morrem de câncer de próstata. Entretanto, alguns cânceres crescem muito lentamente e em muitos casos não vão causar nenhum dano, assim não ficam claro quantas vidas seriam salvas. Este é especialmente o caso dos homens idosos, assim, embora possa ser uma boa idéia verificar o PSA em homens acima de 55 anos de idade, já não acontece o mesmo com homens acima de 75 anos.

Pontos centrais

O exame do antígeno específico da próstata (PSA) é um recurso recente para investigar a doença da próstata. Muitos outros fatores, além do câncer, podem aumentar o PSA no sangue. O uso do exame do PSA tem levado um maior número de homens a tratar o câncer de próstata

Recomendações para o exame de PSA

  • O Homem com menos de 40 anos: se apresentar algum sintoma ou por recomendação médica.
  • O Homem a partir dos 40 anos: anualmente, se tiver história de câncer de próstata na família.
  • O Homem a partir dos 50 anos: anualmente.

Observação

O câncer de próstata não é fatal se detectado no início. Os exames de toques retais e testes de PSA são as melhores maneiras de diagnosticá-lo. (5)

 

Exame de toque retal

Nesse exame, o médico introduz o dedo no reto (estrutura localizada logo atrás da próstata) do paciente. Tendo em vista que, a maioria dos tumores ocorre na região posterior da glândula, é possível detectá-los através desse exame. Embora o exame de toque retal seja menos eficaz que a dosagem sérica do PSA no diagnóstico do câncer de próstata, é capaz de identificar a doença em pacientes com níveis de PSA normais. Por esse motivo, a mais recente recomendação é a associação de ambos os exames para o diagnóstico precoce da doença.

Além disso, em pacientes com diagnóstico de câncer de próstata, o toque retal é empregado para avaliar se existe disseminação da doença para outras estruturas e pesquisar a recidiva da doença após o tratamento. A radiografia convencional e outros métodos de imagem - como a tomografia computadorizada (TC), ressonância magnética (RM) e ultra-sonografia - também podem ser utilizados para determinar a extensão e o grau de disseminação da doença. (5)

Sintomas prostáticos

Embora se fale em "sintomas prostáticos" os distúrbios da micção podem ser devidos a uma variedade de causas e essa é a razão pela qual os clínico-gerais e os especialistas dos hospitais precisam realizar exames específicos para confirmar se é a próstata a causa desses distúrbios, antes de aconselhar qualquer tipo de tratamento.(5)

Obstrução

Homens que sofrem de estreitamento uretral, pedras na bexiga ou tumores de bexiga podem experimentar sintomas semelhantes àqueles que têm problemas com a próstata. (5)

Estreitamento uretral

À parte da hiperplasia benigna da próstata (HBP), a condição mais provável de causar em bloqueio é um estreitamento da uretra devido a uma cicatriz que pode estar em qualquer lugar, desde junto à próstata até no interior do pênis.

Os estreitamentos podem ser o resultado de uma lesão mecânica  uma pancada direta como numa queda sobre uma cerca ou galho de árvore ou uma fratura do pênis. Também podem ser causados por infecções, incluindo as doenças sexualmente transmissíveis. Uma causa comum é quando se tem um cateter passado até a bexiga  isto é feito como parte de uma cirurgia, inclusive cardíaca. Os estreitamentos podem acontecer também após operações na própria próstata.

Como um estreitamento pode ocorrer em qualquer idade, ele é suspeito quando o paciente tem sintomas prostáticos em uma idade mais jovem do que a usual. (5)

Pedras na bexiga e tumores

Uma pedra na bexiga poderia causar um bloqueio repentino com retenção de urina ou sintomas graves e intermitentes. Contudo, uma pedra, pode ser uma complicação da HBP.

Muito raramente, um tumor da bexiga pode crescer em direção à próstata, mas, de modo geral, isto sempre está associado a outros sintomas como, por exemplo, sangramento. (5)

Sintomas não-obstrutivos

Sintomas prostáticos reais não deveriam ser simplesmente tolerados como "velhice", mas alguns deles podem ser devidos a outras causas. Ao longo do envelhecimento, todos os órgãos deterioram e isso inclui a bexiga. Sintomas irritativos como a freqüência e a urgência decorrem disso.

Um problema comum é a necessidade de urinar à noite. Isto afeta tanto homens como mulheres de idade avançada e muitos homens sentem-se frustrados por permanecerem com a necessidade de urinar durante a noite, mesmo após uma operação da próstata. Pessoas idosas tendem a não dormir bem; elas urinam por estarem acordadas e não porque são acordadas pela vontade de urinar. Às vezes os rins já não restringem a quantidade de urina produzida durante a noite e alguns medicamentos aumentam a produção de urina.

Algumas doenças, como é o caso do diabetes, que podem iniciar-se em idade avançada, aumenta a produção de urina, o que vai afetar o número de vezes em que a bexiga tem de ser esvaziada. Algumas doenças do sistema nervoso como acidente vascular cerebral e moléstia de Parkinson, podem afetar a bexiga.Uma mudança no estilo de vida também pode causar problema. Uma vez aposentados, os homens tendem a beber mais chá ou café do que antes ou freqüentar a padaria na hora do almoço. Quanto mais se bebe, mais se tem de botar para fora  daí o aumento da freqüência.

Problemas com a bexiga não têm de ser uma conseqüência inevitável do envelhecimento. Entretanto, quando o problema é a próstata, uma operação não é a cura infalível para todos os sintomas urinários. Algumas vezes ela tem mesmo de ser evitada para não piorar o problema. Antes de se decidir por qualquer tratamento, a condição tem de ser cuidadosamente investigada. (5)

Diagnóstico

A história do paciente e os achados de exame físico fazem facilmente o diagnóstico.

Em alguns casos mais complexos, há necessidade de outras informações, tais como:

·A extensão da ruptura

·Presença de envolvimento dos dois corpos cavernosos,

·Se a uretra foi atingida

Nesses casos, exames radiológicos  cavernosografia, uretrocistografia  podem ser solicitados. (10)

Tratamento

O tratamento da fratura peniana foi controverso durante muito tempo. Alguns autores propunham tratamento conservador e não cirúrgico através de analgesia, antiinflamatórios, antibióticos, supressão da ereção e curativos compressivos.

Entretanto, era alta a ocorrência de complicações, tais como fibrose deformante do pênis, formação de abscessos, placas de corpos cavernosos.

Atualmente, o tratamento cirúrgico é o mais utilizado, realizando-se

·Drenagem do hematoma,

·Controle da hemorragia

·Sutura da ruptura dos corpos cavernosos e da uretra - quando esta ocorrer.

O tratamento conservador está indicado em fraturas pequenas com hematomas pequenos e rupturas mínimas de corpos cavernosos.

Qual é o prognóstico?

Quando tratada precocemente, a fratura peniana tem bom prognóstico. O tratamento conservador e o cirúrgico, quando indicados corretamente, fazem com que o pênis volte ao seu estado natural. Há casos em que o paciente fica constrangido com a situação, não procurando o médico. Nessas situações, pode haver aumento da hemorragia com conseqüente formação de um hematoma ainda maior, deformidades importantes do pênis, formação de abscesso, coleção anormal de urina extravasada da uretra, piorando o prognóstico.

A fratura pode causar impotência sexual (disfunção erétil). Se o tratamento for mal conduzido, pode ocorrer fibrose de corpos cavernosos com formação de placas no seu interior.

O tecido erétil, portanto, é substituído por tecido não erétil, levando a uma

incapacidade de se conseguir ereção. (10)

Ejaculação precoce

São inúmeras as hipóteses levantadas para as causas da ejaculação precoce. Sabemos que a ejaculação precoce é a dificuldade que o homem possui em perceber as sensações que antecedem o orgasmo, mas o que o leva a não aprender essa sensação é uma incógnita.

Apesar de muitos estudiosos acreditarem na hipótese da ansiedade, o uso de medicamentos isolados para este fim não têm apresentado resultados satisfatórios. É muito mais importante descobrirmos a origem da ansiedade e tratá-la do que encobri-la com drogas, tendo em vista que ela interfere no mecanismo da percepção.

A hipótese de um comportamento condicionado por masturbação e coitos rápidos também não são totalmente descartadas, tendo em vista que o comportamento sexual é aprendido.

A ejaculação precoce é inconfundível. Em essência, é a condição na qual o homem torna-se incapaz de exercer um controle adequado sobre o seu reflexo ejaculatório, resultando que, uma vez excitado, atinge o orgasmo rapidamente, antes, durante ou logo após a penetração, sem que deseje. (11)

Causas orgânicas

Se a história sexual do paciente indica que ele sempre teve dificuldade para exercer o controle ejaculatório, e é fisicamente sadio, é muito pouco provável a existência de uma causa orgânica para a queixa.

Por outro lado, é indicado um exame urológico e neurológico quando um paciente com histórico de bom controle ejaculatório tornar-se um ejaculador prematuro. Neste caso, a incontinência ejaculatória pode ser indicativa de outras complicações, o que é extremamente raro. (11)

Disfunção Erétil

A disfunção erétil (DE), também chamada impotência, representa a incapacidade de alcançar ou manter a ereção necessária para a relação sexual. Trata-se de uma doença comum e que pode ser tratada. Alguns dados sugerem que apenas 10% dos indivíduos acometidos procuram tratamento. Acredita-se que esse número está relacionado à relutância de muitos pacientes em discutir o assunto com o médico. Além disso, muitos médicos não se sentem à vontade para conversar sobre o assunto com os seus pacientes.

A maioria dos indivíduos do sexo masculino apresenta episódios ocasionais de disfunção erétil durante a vida, geralmente relacionado ao estresse ou ao consumo excessivo de álcool. A disfunção erétil transitória não deve ser motivo de preocupação. Entretanto, em casos persistentes ou quando interfere na vida sexual normal do paciente, o médico deve ser consultado.

Até recentemente, muitos profissionais da saúde acreditavam que a disfunção erétil resultava de distúrbios mentais ou emocionais. Em geral, os pacientes ouviam "que o problema estava todo na cabeça". Atualmente, os especialistas consideram que até 70% dos casos podem estar relacionados a fatores físicos, enquanto apenas 30% devem estar associados a fatores psicológicos. Em muitos casos, entretanto, existem fatores físicos e psicológicos contribuindo para o problema.

Geralmente, os pacientes com origem física, relatam um aparecimento gradual dos sintomas. (12)

As causas físicas para a disfunção erétil incluem:

  • Aterosclerose
  • Diabetes
  • Doenças neurológicas
  • Doenças que comprometem o tecido erétil do pênis
  • Cirurgias pélvicas e/ou trauma
  • Efeitos colaterais de medicamentos
  • Doenças crônicas (como a insuficiência renal ou hepática)
  • Alterações hormonais
  • Alcoolismo e uso de outras drogas
  • Tabagismo

Os indivíduos com perda súbita da capacidade de ereção, geralmente, apresentam fatores psicológicos que justificam a condição. Assim como é possível obter a ereção com pensamentos relacionados ao sexo, algumas situações podem impedir ou dificultar a ereção. Os pacientes com DE de natureza psicológica, em geral, apresentam ereções durante o sono ou quando acordam pela manhã.(12)

As causas psicológicas para a impotência incluem:

  • Estresse e ansiedade em casa ou no trabalho
  • Preocupações com o desempenho sexual
  • Problemas de relacionamento
  • Problemas de orientação sexual
  • Depressão

A dúvida em relação à origem da disfunção sexual seja por fatores psicológicos, físicos ou uma associação dos dois, pode se tornar motivo de estresse físico e emocional. Além disso, a DE também pode ser um sintoma de doenças mais graves, como o diabetes ou doenças cardíacas.(12)

Possíveis causas da impotência

A disfunção erétil no sexo masculino  também chamada impotência -, pode ser causada por condições físicas ou psicológicas. Quando se trata de disfunção erétil, não parecem existir diferenças significativas entre os vários grupos raciais ou étnicos. Entretanto, existem más notícias: segundo a primeira pesquisa nacional, mais de 20% dos indivíduos acima de 40 anos sofrem de alguma forma de disfunção erétil, mesmo que esporadicamente. Os pesquisadores da University of Norh Carolina em Chapel Hill coordenaram um estudo para a Pfizer, laboratório responsável pela fabricação do Viagra, o medicamento mais popular para o tratamento da impotência.

Eles demonstraram que a doença é mais comum entre os indivíduos negros, identificando que 24% eram capazes de manter uma ereção satisfatória apenas em "alguns casos" ou "nunca", em comparação com 22% dos brancos e 20% dos hispânicos, respectivamente. O estudo incluiu 676 hispânicos, 901 brancos e 596 negros. Além disso, demonstrou que a impotência ou disfunção erétil está associada com algumas condições clínicas, como doenças cardiovasculares (incluindo a hipertensão arterial e a doença cardíaca isquêmica) e o diabetes.(12)

Viagra

Desde o seu lançamento, em 1998, o citrato de sildenafil (Viagra) foi aprovado por mais de 7 milhões de homens e suas parceiras sexuais, trazendo o problema da disfunção erétil do quarto para o consultório médico. Com o Viagra, os homens com disfunção erétil estão conseguindo ter uma vida sexual que não acaba quando os anos dourados estão apenas começando.

Para esses pacientes, o Viagra trouxe muitos benefícios. E os homens de idade avançada, que já aceitavam viver a vida sem os prazeres do sexo, estão descobrindo que podem desfrutar melhor a vida - mesmo após cirurgias da próstata. O medicamento permite a muitos pacientes manter a vida sexual ativa, embora se acreditasse que a impotência fosse uma parte inevitável do envelhecimento.

Apesar de sua popularidade, o Viagra não é afrodisíaco. Para que ocorra a ereção, é necessário aguardar um intervalo de tempo e ocorrer estímulo sexual. A droga começa a atuar em 30 minutos e pode se estender até 4 horas de duração.

Não é o fato de tomar Viagra que promove a ereção; ele permite que a ereção ocorra após estímulos físicos e psicológicos. Além disso, o Viagra não aumenta o apetite sexual; no entanto, uma melhor ereção pode despertar maior interesse sexual. Embora o Viagra tenha se tornado um medicamento popular, ainda existem dúvidas sobre o modo de usar e a sua eficácia.

O Viagra é eficaz no tratamento de todos os tipos de disfunção erétil. A maior taxa de resposta é observada em pacientes com lesões medulares ou na disfunção erétil psicogênica. Os homens com idade igual ou maior que 65 anos respondem tão bem quanto aqueles mais jovens.

Taxas menores de resposta são observadas em pacientes diabéticos, que apresentam maior risco de distúrbios neurológicos e alterações vasculares. Os pacientes submetidos a cirurgias da próstata também podem apresentar lesões neurológicas e não responderem ao medicamento.(13)

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns incluem dor de cabeça, indigestão e rubor, além de barramento visual.

Se você tiver doenças cardíacas e utilizar drogas chamadas nitratos, não deve usar o Viagra. Um estudo publicado na revista médica Circulation, apontou que a associação de Viagra e nitratos podem causar diminuição grave e prolongada do fluxo sangüíneo para o coração em pacientes com doença coronariana grave.

Em pacientes com problemas cardíacos que não tomam nitratos, alguns médicos mostram preocupação com a redução nos níveis de pressão arterial.

No entanto, segundo estudo publicado no Journal of the American Medical Association, o Viagra não apresenta maiores riscos em pacientes com doença coronariana estável que não utilizam nitratos.

Alguns pacientes com doenças cardíacas, portanto, podem tomar Viagra com segurança.

Se você apresentar pressão arterial elevada ou reduzida, ou uma doença ocular chamada retinite pigmentosa, converse com seu médico. Nesses pacientes, os efeitos colaterais do Viagra ainda não são bem conhecidos.

Muitos homens esperam que o Viagra resolva instantaneamente os seus problemas, o que nem sempre acontece.Muitas vezes, é necessário ajustar a dose.

Em alguns pacientes o medicamento não funciona muito bem. Métodos alternativos de tratamento podem ser utilizados, e o médico é quem deve orientar quanto às outras opções de tratamento.

Embora seja fácil de usar e os pacientes procurem o médico para pedir receitas, não devemos nos esquecer que o Viagra é um medicamento. Muitas vezes é lembrado como motivo de piada, e não como uma droga que pode provocar efeitos colaterais graves.

O Viagra é uma droga que deve ser vendida sob prescrição médica e que pode ter efeitos adversos importantes.

A avaliação e orientação médica são imprescindíveis. Se você apresentar impotência, é possível que alguma doença seja a causa do problema. Antes de experimentar o Viagra, procure o médico para uma avaliação (que incluirá a dosagem dos níveis de testosterona). Esta dosagem pode descartar causas hormonais de impotência antes de iniciar o tratamento com o Viagra.

Viagra para ela. Baseados na teoria de que se funciona com homens pode funcionar com as mulheres, pesquisadores estão testando se o Viagra é capaz de aumentar o fluxo sangüíneo para os órgãos genitais femininos. Embora os resultados sejam inconclusivos, algumas pacientes referem maior estimulação sexual com o uso do medicamento. .(13)

Vasectomia

Método cirúrgico que encerra permanentemente a fertilidade em homens.

Mecanismo de ação

Pelo bloqueio dos condutos deferentes (ducto ejaculatório) impede a presença de espermatozóide na ejaculação. É obtida pelo seccionamento dos canis deferentes, de modo que os espermatozóides são impedidos de chegar à uretra. O homem pode ejacular e ter orgasmo normalmente, com a diferença de que seus espermas não contêm espermatozóides, apresentando apenas secreções das glândulas acessórias.

Vantagens

Altamente eficaz (taxa de gravidez 0,15 a 1 por 100 mulheres durante o primeiro ano de uso);permanente; pequena cirurgia realizada sob anestesia local; menor risco cirúrgico do que a esterilização feminina; sem efeitos colaterais a longo prazo; não interfere com as relações sexuais ou função sexual (sem efeito na produção de hormônio ou espermatozóides pelos testículos).

Desvantagens

O homem pode se arrepender mais tarde ( a reversão requer cirurgia especial, é cara e frequentemente com disponibilidade limitada); não é imediatamente efetivo (requer tempo e até 20 ejaculações) risco e efeitos colaterais da pequena cirurgia; dor/desconforto de curta duração após o procedimento; requer provedor treinado; a vasectomia não indica prevenção para DSTs/AIDS.(14)

Infertilidade Masculina

Diante da suspeita de infertilidade masculina, a principal arma de investigação é o espermograma

A cada ejaculação, cerca de 50 milhões de espermatozóides enfrentam uma maratona para atingir uma única meta: fecundar um óvulo no prazo máximo de 24 horas. Mais do que espírito competitivo, cada célula sexual masculina precisa nascer sadia, com o formato oval, além de ter muito fôlego e persistência para superar os adversários. Quando um casal tenta promover o encontro entre o óvulo e o espermatozóide por um ano e não obtém sucesso, pode ser sinal de que nenhum dos gametas masculinos está conseguindo cruzar a linha de chegada. Segundo Agnaldo Cedenho, chefe do setor de Reprodução Humana da Universidade Federal de São Paulo, passados doze meses 85% dos casais que querem ter filhos alcançam um final feliz. O restante em geral procura ajuda para investigar os motivos do insucesso. É ai que entra em cena o espermograma - análise de uma amostra do sêmen.

Apesar dos mitos sobre a coleta desse líquido, vale dizer que ela é feita pelo próprio homem, em um ambiente isolado. "O estado emocional conta muito. O indivíduo deve evitar o teste em dias estressantes", aconselha Cedenho. O médico recomenda que sejam feitos dois ou mais exames, com intervalo de três meses - tempo necessário de uma nova geração de espermatozóides. Só então um especialista poderá dar o diagnóstico com total segurança.(15)

Ginecomastia

Consiste no aumento das glândulas mamárias no homem, podendo ser glandular, gordurosa e glandular mais gordurosa.

Apresentam-se de forma unilateral ou bilateral, oriunda de vários fatores, entre eles fisiológicos, patológicos, indução química, desequilíbrio hormonal ou causas idiopáticas.

Na puberdade, em virtude de uma disfunção hormonal, incide em cerca de 40% nos jovens de 13 a 15 anos, devendo ser tratada caso não desapareça.

Muitos fisiculturistas, no afã de aumentar a massa muscular, aderem ao uso de anabolizantes, não sabendo que tais substâncias químicas podem ter efeitos colaterais como o aparecimento de espinhas e cravos, maior oleosidade da pele, e o aumento da glândula mamária.

Outras situações também podem ocasionar o desenvolvimento da ginecomastia como o uso de medicamentos para combater a hipertensão, a presença de gorduras localizadas (ginecomastia gordurosa), doença no fígado, etc.

O tratamento da patologia em questão é cirúrgico, realizado mediante a incisão periaureolar (incisão de WEBSTER) onde será retirada a glândula ou tecido adiposo.

A sutura é intradérmica, não deixando marcas na pele capazes de identificar a intervenção cirúrgica.

Em relação à ginecomastia gordurosa a incisão é feita na axila, através de uma cânula, submetendo o paciente à lipoaspiração onde será retirada toda a gordura ali acumulada, obtendo-se um excelente resultado.

O pós- operatório geralmente é indolor restabelecendo o convívio social em poucos dias.

É importante que a ginecomastia seja diagnosticada a fim de evitar distúrbios psicológicos, constringindo ou afastando o indivíduo da sociedade e razão do complexo gerado pelo aumento do peito.

Uma avaliação correta certamente evitará tais dissabores, recuperando a auto-estima e conseqüente qualidade de vida tão almejada pelo ser humano.(16)

CÂNCER DE MAMA NO HOMEM

Para cada 100 casos de câncer de mama em mulheres, existe um em homem. Embora seja bem mais raro entre o sexo masculino, a doença é um risco para pacientes menos preocupados com a qualidade de vida e histórico familiar. O maior motivo de detecção da doença em estágio avançado é o preconceito e a falta de conscientização sobre a importância da realização dos exames de rotina. A demora no diagnóstico também dificulta o tratamento do câncer de mama em homens. A princípio, o que parece um caroçinho pequeno pode ser interpretado por médicos como um caso de ginecomastia, ou seja, crescimento benigno das mamas. O principal sintoma do câncer de mama no homem é o aparecimento de nódulo indolor na região da auréola, (bico do peito), onde o tecido mamário se concentra, podendo provocar coceira e irritação.

Geralmente o tumor é percebido pelo próprio paciente ou sua parceira. Junto com o aparecimento do nódulo, é comum haver queixas de descarga mamilar e sinais de disseminação local como retração do mamilo e ulcerações.

A incidência do câncer de mama é maior em homens acima dos 35 anos de idade e o risco aumenta com o avanço da idade. O surgimento da doença está relacionado a fatores de risco recorrentes nas mulheres como: histórico familiar correspondente aos pais, irmã ou filha, surgimento de alguma tumoração pré-maligna no passado, excesso de peso e dieta rica em gorduras.

Como em ambos os sexos, a obesidade está ligada ao estrogênio, já que as células gordurosas produzem este hormônio. Por isso, é bom controlar o peso. O consumo reduzido de calorias pode aumentar as enzimas antioxidantes, prevenir a formação de compostos pré-cancerígenos e melhorar a capacidade de reparação das células sadias. É bom lembrar que o diagnóstico de câncer de mama no homem não pode ser excluído por qualquer achado isolado na história do paciente. As formas mais eficazes para detecção precoce do câncer de mama são o auto-exame mensal das mamas, o exameclínico (a partir dos 40 anos) e a mamografia (em caso de suspeita). (8)

Andropausa

As opiniões divergem quando se trata de afirmar ou negar a existência de uma "menopausa masculina". Diferente do que ocorre com a produção feminina de estrógeno, a secreção de hormônios masculinos não cai repentinamente, mas sofre uma redução gradual a partir dos quarenta anos de idade, só se extinguindo uns vinte a trinta anos depois.

A produção do hormônio testosterona costuma diminuir, de forma discreta, quando os homens ultrapassam os 50 anos. Isso é fisiológico e natural.Depois dos 40 anos, a testosterona começa a diminuircerca de 1% ao ano, entretanto, quando essa queda é mais acentuada, o fenômeno leva o nome de Andropausa e alguns homens podem apresentar problemas.

Portanto, a andropausa seria o resultado das disfunções sexuais e os problemas pela diminuição do nível de testosterona que atinge homens com mais de 50 anos.

A Andropausa é a versão masculina da menopausa na mulher, e, neste período do envelhecimento, o homem é marcado por mudanças fisiológicas e psicológicas. Mas, por maior que seja a queda da testosterona no homem, ela não se compara à queda dos hormônios femininos na mulher na menopausa. No homem os sintomas se instalam lenta e progressivamente, diferentemente da menopausa na mulher.

Seja como for , a andropausa provavelmente tem natureza tanto biológica como psicológica. Mesmo assim, os sintomas da menopausa masculina são muitas vezes semelhantes aos das mulheres.

Também nesses casos, os homens de meia idade que levam a vida ativa e têm muitos interesses estão melhorprotegidos contra a perda de vigor físico, ansiedades e angustias presentes nessa fase da existência.

Entre os sintomas mais comuns da andropausa destacam-se dores musculares e nas articulações, fadiga, insônia, falta de concentração, redução da autoconfiança, súbitas crises de sudorese e diminuição da resistência ás infecções.

O medo de enfrentar desafios, seja na vida particular ou profissional, é um dos sintomas mais comum.

Em torno dos 55 anos, ás vezes até mesmo antes, começa a perda do libido e o interesse sexual diminui ou desaparece. Apesar do homem ainda ter ereção peniana sua vontade de sexo está prejudicada. Mas tarde surge também a dificuldade em ter ou manter a ereção, juntamente com alteração do humor, irritabilidade, sintomas depressivos e alterações da memória, entre outros.

Tal como acontece nas mulheres, por volta dos 35-40 anos o homem também passa a ter maior propensão para engordar e, com a andropausa, essa tendência se agrava. Mas o aumento de peso na andropausa se deve ao aumento da gordura corporal, havendo simultaneamente uma maior perda de massa muscular. Essa perda muscular se agrava ainda mais pela falta de atividade física.

Além da diminuição do desejo sexual também sofre da diminuição a disposição mental e disposição para o trabalho. O déficit depressivo, dando a sensação de que a vitalidade se reduz a cada dia que passa.

A andropausa ao contrário da menopausa, não traz o fim da fertilidade para o homem, apenas uma redução dela devido à menor produção de espermatozóide. (14)

Sintomas da Andropausa

  • Aumento da proporção de gordura corporal;
  • Diminuição da massa muscular;
  • Tendência à anemia;
  • Tendência à osteoporose;
  • Perda do interesse sexual;
  • Dificuldade de ereção;
  • Dificuldade de concentração;
  • Problemas de memória;
  • Apatia e depressão;
  • Queda de pêlos;
  • Aumento de peso;
  • Irritabilidade;
  • Insônia.

Tanto para os homens que ainda apresentam os sintomas, quanto para aqueles que desejam fazer a prevenção da Andropausa, atualmente pode ser utilizada a Terapia de Reposição Hormonal Masculina. Esta tem sido mais segura com a forma de aplicação trasndérmica, através de gel, cremes ou adesivos cutâneos.

Antes de iniciar a Terapia de Reposição Hormonal é necessário fazer uma suplementação de vitaminas, sais minerais e oligoelementos, para ajudar atividade mental, de aminoácidos e antioxidantes que ajudarão a liberar neurotransmissores cerebrais, melhorando o interesse sexual e o prazer em geral pela vida.

Através da Terapia de Reposição Hormonal Masculina os níveis hormonais podem ser restabelecidos melhorando a irritabilidade, a depressão e proporcionando a vontade de ser novamente produtivo.

O homem que faz o tratamento volta a ter mais energia, força física e mental e vida sexual mais satisfatória.

As contra indicações para Terapia Hormonal Masculina seriam a suspeita ou casos confirmados de câncer de próstata ou de mama , níveis de testosterona normais e insuficiência hepática.

A reposição hormonal masculina e a abordagem da Andropausa, tem sido um tema polêmico e controverso nos últimos anos.Vários parâmetros têm sido analisados para definir a necessidade de reposição hormonal e os reais benefícios da terapia. (14)

Níveis de testosterona ao longo da vida do homem.

  • O nascimento à puberdade, as taxas de testosterona, o hormônio sexual masculino por excelência cresce lentamente.
  • Na puberdade, os níveis sobem vertiginosamente, os pêlos crescem, a voz engrossa, os órgãos sexuais se desenvolvem e os mesmos se tornam aptos para a reprodução.
  • Ao redor dos 20 anos, a produção de testosterona atinge o pico máximo, o desejo sexual manifesta-se mais intensamente, até os cinqüenta anos, as taxas se mantém estabilizadas, ou seja, lá no alto.
  • Aos 50 anos há uma discreta baixa na produção hormonal.

Na andropausa, essa queda é acentuada, alguns homens sofrem de falta de libido, distúrbios eréteis, irritação, lapso de memória, insônia, depressão, entre outros problemas. (14)

Hormônios masculinos e idade

Em modo geral, homens mais idosos apresentam níveis menores de testosterona. Após os 50 anos, esses valores começam a diminuir. A incapacidade reprodutiva encontrada no sexo feminino após a menopausa, no entanto, não ocorre no sexo masculino com a andropausa.

Enquanto todas as mulheres passam pela menopausa, nem todos os homens apresentam níveis reduzidos de testosterona na idade avançada. A andropausa não está relacionada com a deficiência completa da função das gônadas (órgãos reprodutivos).

A redução nos níveis de testosterona é lenta e progressiva. E no homem, ao contrário do que ocorre com o estrógeno na mulher, os valores permanecem dentro dos limites da normalidade. Em geral, os homens mantêm a capacidade reprodutiva até por volta dos 70 anos de idade.

A velocidade com a qual os níveis de testosterona diminuem também varia bastante entre os indivíduos. Apenas cerca de 5% dos homens de idade avançada apresentam valores abaixo do normal para os jovens.

Independente da idade, doenças testiculares ou da hipófise (glândula que controla os testículos) também podem provocar redução nos níveis de testosterona.

O hipogonadismo, como é chamado essa condição clínica, pode ser responsável pelo enfraquecimento dos ossos, disfunção sexual e perda de massa muscular. Nesses pacientes, a reposição hormonal traz benefícios. No entanto, ainda não está claro se esses benefícios também ocorrem nos pacientes mais idosos.

Estudos sobre a terapia de reposição da testosterona (TRT) e o envelhecimento normal não demonstraram benefícios consistentes. (17)

As desvantagens incluem:

  • Estimular o crescimento não neoplásico (benigno) da próstata;
  • Agravar o câncer de próstata  pacientes com a doença não devem realizar a TRT;
  • Piorar a apnéia do sono  uma interrupção repetitiva e rápida da respiração durante o sono;
  • Estimular a produção excessiva das células sangüíneas (policitemia).(17)

Doenças sexualmente transmissíveis em homens.

As DSTs são infecções transmitidas durante qualquer exposição sexual, incluindo a relação sexual (vaginal ou anal), sexo oral e o uso de acessórios eróticos (vibra dores, por exemplo). Algumas delas são transmitidas pelo contato cutâneo íntimo e prolongado. Embora exista tratamento para a maioria delas, algumas são incuráveis (como a infecção pelo HIV e HPV, hepatite B e C, VHH-8). Em alguns casos, podem ser transmitidas por pacientes sem sintomas.

O uso correto de preservativos durante as relações vaginais ou anais e no contato oral-genital também evita muitas dessas infecções. Entretanto, esse método é sujeito a falhas. Na verdade, a prevenção de DSTs depende da educação dos indivíduos de risco elevado e do diagnóstico e tratamento precoce dos pacientes infectados. (18)

Vírus da imunodeficiência humana (HIV)

A infecção pelo HIV é transmitida principalmente pelo contato sexual e o uso de seringas contaminadas, bem como durante a gravidez (da mãe para o recém-nascido). A maioria dos indivíduos infectados apresenta anticorpos anti-HIV ,12 semanas após a exposição. O vírus promove a supressão do sistema imunológico (de defesa) do organismo. Em média, o tempo entre a infecção e o aparecimento dos sintomas, causados pelas complicações decorrentes da imunossupressão, é de 10 anos. Essas complicações incluem infecções ou tumores pouco comuns, perda de peso e déficit cognitivo (demência). Quando os sintomas são mais graves, a doença é denominada síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS, em inglês). Várias opções terapêuticas disponíveis atualmente permitem que muitos pacientes controlem a infecção e retardem a progressão da doença. Outros detalhes sobre a infecção pelo HIV, a AIDS e as alternativas terapêuticas podem ser encontrados no fórum sobre a abordagem de pacientes infectados pelo HIV. (18)

Hepatite B

A hepatite B é uma inflamação do fígado (hepatite) causada pelo vírus da hepatite B (VHB). O VHB é um entre vários vírus que podem causar hepatite viral.

A maior parte dos indivíduos infectados pelo VHB se recupera da fase aguda da infecção e desenvolvem imunidade contra a infecção, protegendo-os de infecções posteriores pelo vírus. Cerca de 5% desses pacientes desenvolvem hepatite crônica (de longa duração) e podem transmitir a doença para outras pessoas. Após alguns anos, os pacientes com hepatite crônica têm maior risco de desenvolver insuficiência hepática e tumores do fígado, podendo ser submetidos ao transplante hepático.

O VHB é transmitido de modo semelhante ao HIV, ou seja, na maioria dos casos por exposição sexual ou a sangue contaminado (como em agulhas reutilizadas), durante a gestação (da mãe para o recém-nascido).

Uma vacina bastante eficaz na prevenção da hepatite B encontra-se disponível atualmente, sendo recomendada para

(1) homens e mulheres sexualmente ativos,

(2) usuários de drogas ilícitas,

(3) profissionais da saúde,

(4) receptores de sangue ou hemoderivados,

(5) contactantes de indivíduos com hepatite B crônica,

(6) pacientes com insuficiência renal crônica que realizam hemodiálise.

A vacina é administrada sob a forma de três injeções intramusculares .

A segunda dose é administrada um mês após a dose inicial, e a última é aplicada 5 meses após a segunda. Em casos de indivíduos não imunizados (que não apresentam anticorpos contra o VHB) expostos a secreções ou sangue de pessoas infectadas, deve-se empregar imunoglobulina humana contra a hepatite B (HBIG, em inglês) e iniciar o esquema de vacinação.

O diagnóstico é baseado em exames de sangue que identificam o antígeno de superfície do VHB (AgHBs, sigla em inglês), o anticorpo contra o AgHBs (anti-HBs), e o anticorpo contra a porção central (core) do VHB (anti-HBc, sigla em inglês). Em pacientes anti-HBs positivos, a presença de anticorpos indica que a pessoa foi exposta ao vírus e está imunizada contra infecções posteriores. Além disso, esses indivíduos não transmitem o vírus e não desenvolvem doença hepática crônica. O anti-HBc identifica a infecção pregressa e atual pelo VHB. Os pacientes AgHBs positivos podem transmitir o vírus para outras pessoas. Existem outras duas possibilidades em pacientes AgHBs positivos. O paciente pode apresentar hepatite B aguda, desenvolvendo imunidade nos meses seguintes, ou pode apresentar infecção crônica pelo VHB (hepatite crônica), com risco elevado de desenvolver complicações decorrentes da doença hepática crônica. (18)

Hepatite C

A hepatite C é uma inflamação do fígado (hepatite) causado pelo vírus da hepatite C (VHC). O VHC pode causar hepatite C aguda e crônica. Ao contrário do VHB, entretanto, poucas vezes é transmitido sexualmente. É mais comumente transmitido por sangue contaminado, como em agulhas reutilizadas por usuários de drogas, piercing, tatuagens e, ocasionalmente, através da reutilização de dispositivos nasais para a inalação de cocaína. Também ao contrário da hepatite B, na qual a forma crônica da doença é pouco comum, a maioria dos pacientes com hepatite C desenvolvem hepatite crônica. Como na infecção pelo vírus B, os pacientes com hepatite crônica têm maior risco de desenvolver insuficiência hepática e suas complicações.

A infecção pelo VHC é diagnosticada através da pesquisa de anticorpos anti-VHC. A presença de anticorpos indica a exposição ao vírus. Dessa forma, esses anticorpos são encontrados no sangue durante a hepatite C aguda, após a fase de recuperação, e durante a forma crônica da doença. Indivíduos com pesquisa de anticorpos positiva podem fazer exames para identificar o vírus na circulação (exame conhecido por PCR, sigla em inglês de reação da polimerase em cadeia), que detecta o material genético do vírus. Raramente esse teste é necessário para realizar o diagnóstico de hepatite C aguda, mas em alguns casos pode ser útil para confirmar o diagnóstico de hepatite C crônica. (18)

Vírus do Herpes Humano 8 (VHH-8)

O VHH-8 é um vírus identificado recentemente que foi associado ao sarcoma de Kaposi e possivelmente a um tipo de câncer denominado linfoma cavitário (um tumor que tem origem no tecido linfóide). O sarcoma de Kaposi é um tumor cutâneo raro observado principalmente em homens infectados pelo HIV. O VHH-8 também foi identificado no sêmen de pacientes infectados pelo HIV. Por esse motivo, alguns acreditam que o VHH-8 é responsável por uma doença sexualmente transmissível. Muitos fatores importantes sobre o VHH-8, entretanto, ainda não foram determinados, como o modo de transmissão, o quadro clínico da infecção e o tratamento. (18)

Exame do intestino

Para detectar pólipos e lesões cancerígenas. Deve ser feito examestrato gastrointestinal ,a partir dos 50 anos e se o resultado for normal, a cada 3 ou 5 anos. Se houver história familiar de pólipos, câncer de intestino ou colite ulcerativa, esta freqüência deve ser maior.

Exame de sangue oculto nas fezes: retossigmoidoscopia e colonoscopia

O câncer de cólon e reto é uma das principais causas de morte por neoplasias no Brasil. Um exame simples e barato, a pesquisa de sangue oculto nas fezes, pode detectá-lo precocemente. Se o resultado der positivo, o médico deve procurar a causa do sangramento, que pode ser ou não câncer do intestino. Há outras doenças que provoca aparecimento de sangue, por isso, quando necessário, o médico poderá solicitar a retossigmoidoscopia ou a colonoscopia, exame em que se introduz um tipo de sonda no ânus para visualizar o intestino por dentro.

A pesquisa de sangue oculto nas fezes deve ser feita a partir dos 50 anos ou, se houver caso de câncer de intestino na família, a partir dos 40 anos.

 

Hemorróidas

As hemorróidas são constituídas pela dilatação excessiva de veias normalmente existentes em volta do ânus existem hemorróidas externas  e no interior do canal anal.(19)

As hemorróidas internas.

São causadas por alterações estruturais de suas paredes como diminuição das fibras musculares, em que se acredita haver influência hereditária, tornando-as mais fracas e susceptíveis de se dilatarem, quando condições que aumentam a pressão hidrostática em seu interior se fizerem presentes como esforços repetidos e a gravidez.

Sua manifestação mais importante é o sangramento durante a evacuação que, em geral, é de pequena monta e de sangue "vivo". Contrariamente ao conceito popular, é um processo indolor, salvo em situações de trombose, complicação em que o sangue coagula dentro de suas veias. Na grande maioria das vezes, a dor na região anal não é causada por hemorróidas, mas devida a outras causasNão existem hemorróidas em crianças. Suas manifestações começam na adolescência. Nos indivíduos mais velhos, a grande preocupação deve ser sempre com o diagnóstico diferencial com tumores do intestino, uma vez que ambas as situações transcorrem, em geral, com sangramentos e sem dor.

Nos indivíduos pertencentes a grupos de risco para tumores, a constatação de hemorróidas não deve encerrar o processo de investigação pela possibilidade da existência concomitante de ambas as patologias.

O tratamento das hemorróidas começa sempre pela regularização do hábito intestinal, com evacuações fáceis, de pouco esforço, associadamente a uma higiene rigorosa com lavagem com água e sabonete. Medidas clínicas como pomadas podem ajudar a reduzir o desconforto de inflamações locais, quando associadas à antiinflamatórios sistêmicos. Todavia, tais medidas não retiram as hemorróidas, para o que são necessárias atitudes terapêuticas mais efetivas, selecionadas após avaliação do especialista, e que se resumem nas seguintes opções:

  • Coagulação com "infra-red", aparelho tipo laser, que utiliza a luz como fonte de calor para obstruir os vasos sanguíneos que alimentam os mamilos hemorroidários. É o processo que veio substituir a antiga esclerose com injeções. É feita em consultório, em procedimento que dura alguns minutos.
  • Ligadura elástica, também feita em consultório e extremamente rápida, consiste em amarrar os mamilos hemorroidários com um pequeno elástico, que terá como conseqüência sua necrose e queda em dois a três dias.
  • Tratamento cirúrgico convencional, realizado em hospital, é o tratamento mais completo e definitivo.

Uma vez operada a hemorróida não volta. Pode ocorrer que, às vezes, o cirurgião seja obrigado a deixar pequenas hemorróidas após retirar as principais, sob pena de comprometer a cicatrização após a cirurgia. No futuro, estas pequenas hemorróidas podem crescer um pouco, jamais chegando a atingir o tamanho e os inconvenientes das principais, já retiradas.

Toda a operação se acompanha de desconforto. Em geral, não é como as pessoas falam. Este desconforto acontece nos primeiros dias, maior para uns e menor para outros, sendo decrescente com o passar do tempo. Neste intervalo, o paciente estará protegido com analgésicos e outras medidas de pós-operatório.

O tempo de recuperação também é variável. Aconselha-se não assumir compromissos formais nos primeiros sete a dez dias após a operação. A cicatrização total acontece em média em trinta dias, podendo o paciente exercer suas atividades normais, com um pequeno curativo, depois de mais ou menos quinze dias. (19)

Exame oftalmológico

Se o paciente não usa óculos e tem menos de 50 anos, deve ser feito a cada 3 a 5 anos. Se o paciente usa óculos ou tem mais de 50, a cada 2 anos. Homens com diabetes, hipertensão arterial ou história familiar de doenças oculares devem ser examinados 1 vez por ano. O exame irá checar glaucoma (aumento da pressão intra-ocular), degeneração macular (alteração da área central da retina devido à idade) e catarata (opacificação da lente intra-ocular, ou cristalino). (20)

Exame odontológico

Deve ser realizado 1 vez por ano para checar a saúde dos dentes, gengiva, língua e boca e para checar câncer bucal. Fumantes e pessoas que mascam tabaco devem visitar o dentista com maior freqüência. (20)

Exame de ácido úrico

O ácido úrico é um produto do metabolismo das purinas (proteínas). Ele é um ácido fraco e geralmente se acumula na sinóvia, o líquido viscoso que se acumula nas cavidades articulares. Diversas doenças podem ocorrer relacionadas às alterações do ácido úrico:

  • Gota
  • Artrite úrica
  • Insuficiência renal aguda e/ou crônica
  • Calculos renal, etc

As pessoas com aumento do ácido úrico têm dificuldade de eliminá-lo. Geralmente desenvolve a gota úrica, doença que lembra a artrite, pela ocorrência de dores nas articulações. (21)

Sintomas da Gota

Na maioria das vezes, o primeiro sintoma é um inchaço do dedo do pé acompanhado de dor forte. A primeira crise pode durar de 3 a 10 dias, e após este período o paciente volta a levar uma vida normal, o que geralmente faz com que ele não procure ajuda médica imediata. Uma nova crise pode surgir em meses ou anos e comprometer a mesma ou outras articulações.

O melhor controle para pacientes que possuem níveis elevados de ácido úrico no sangue (após avaliação médica) é feita através da dieta e em alguns casos há a necessidade do uso de medicamentos que inibem sua síntese ou aumentam sua excreção através dos rins.(21)

Recomendações Importantes

  • Desprezar a água em que cozinhar as carnes
  • Carnes assadas não devem ser tostadas
  • Não utilizar preparações ou alimentos ricos em gorduras
  • Não ingerir bebidas alcoólicas
  • Ingerir 2 a 3 litros de água por dia.(21)

Calcanhar doloroso

As Talalgias (Calcanhar Doloroso), como são chamadas pelos ortopedistas, são bastante freqüentes. A principal causa deste tipo de dor no calcanhar é o "esporão de calcâneo", chamado pelo ortopedista de fasceíte plantar.

A fascia plantar é uma estrutura do pé que serve para manter, juntamente com outras, o arco longitudinal medial do pé.

Como esta área está em constante tensão, ela pode inflamar caracterizando a dor da planta do pé. Na verdade não é apenas uma inflamação que ocorre, mas, mais provavelmente, micro lacerações e degenerações císticas no local.

A fasceíte acomete mais homens, entre 40 e 70 anos, ativos e o excesso de peso é um fator predisponente. Esta dor no calcanhar é pior ao se levantar pela manhã quando pisamos no chão ou após ficar sentado por um longo tempo, iniciamos os primeiros passos. A dor diminuiu após certo período de caminhada.

O portador do esporão pode apresentar um edema leve no local. Nas radiografias, em 50% dos casos, se observa a presença de um esporão no calcanhar e por isso, popularmente, esta doença foi chamada de "esporão do calcâneo".

O tratamento na maior parte dos casos é conservador, mas pode levar até um ano para cura completa do quadro. Em trabalho realizado nos EUA, observou-se que 75% dos pacientes apresentaram melhora com 6 meses de tratamento. Basicamente, indicamos analgesia com medicamentos , mudanças de calçados, por vezes palmilhas, e fisioterapia. Raros casos, onde não se observa melhora, há a necessidade de tratamento cirúrgico que nem sempre se mostram satisfatórios.(22)

O estresse do homem em seu ambiente de trabalho

O que e como você pensa no trabalho têm um papel importante no estresse. O homem pode escolher uma melhor maneira de ver os acontecimentos, e decidir o que fazer em relação a eles. (23)

Sinais comuns de estresse no ambiente de trabalho.

  • Nariz congestionado, tossindo ou com dores.
  • Não consegue se concentrar.
  • Está sempre sonolento.
  • Tornou-se nervoso e aborrecido.
  • Está menos eficiente no trabalho.
  • Sair da cama para trabalhar é uma tarefa árdua.
  • O seu senso de humor desapareceu.
  • A sua posição frente ao trabalho é "quem quer saber?"
  • Você entra em conflito com os colegas de trabalho.
  • Até mesmo as brincadeiras não parecem mais interessantes. (23)

Eis aqui algumas dicas, para aliviar ou sanar esses sinais.

Aceite que o mundo não é justo - Algumas vezes, o seu trabalho duro não será percebido, outra pessoa será escolhida para um cargo melhor, ou aumentarão a sua jornada de trabalho. Em vez de entrar em desespero nessas situações, aceite-as como parte do seu projeto. Não vale a pena ficar chateado e reclamar que não é justo, o que fariam você parecer um "resmungão". Não se esqueça de que a injustiça do mundo pode, em seguida, atuar a seu favor!

Você não será transformado numa abóbora se cometer um erro - Erros no trabalho certamente são motivo de embaraço e frustração. No entanto, raramente levam a algo mais sério que uma repreensão. Na maioria das vezes, os erros são fonte de aprendizado e nos tornam mais compreensivos com as imperfeições dos outros.

Resista ao desejo de estar certo - Insistir que você está correto é altamente estressante. Em primeiro lugar, geralmente há mais de uma resposta certa. Segundo, a menos que você seja o dono da empresa, você não está com essa bola toda. Se você discorda muito do seu chefe ou dos colegas de trabalho, talvez deva procurar outro lugar para trabalhar!

Tente aprender algo com cada pessoa e situação - Você sempre pode aprender algumas coisas ou um novo ponto de vista. Com uma mente aberta para essa possibilidade, é possível transformar situações desagradáveis em grandes descobertas.

Ajude os outros no trabalho - Quando alguém lhe pedir ajuda, em vez de deixá-lo de lado e resolver o problema, ajude a pessoa a encontrar uma solução própria para o problema. Isso aumentará a confiança dela e diminuirá o peso nas suas costas!

Concentre-se em procurar soluções - Determine quais problemas podem ser resolvidos, e faça-o. Esqueça as tarefas impossíveis - elas representam um desperdício de tempo e energia.

No começo, pode ocorrer algum desconforto e o seu ego e as emoções podem dificultar a implementação dessas mudanças. Mas se você conseguir, verá como vai se sentir bem melhor! Logo essas mudanças se tornarão hábitos, e o local de trabalho será mais alegre e saudável. Você se surpreenderá feliz enquanto trabalha.(23)

A influência da dieta no desejo sexual do homem.

Uma alimentação adequada, associada a condições que exigem menos estresses, é útil para se proteger de doenças e carências nutricionais, além de aumentar a longevidade graças à redução do risco de doenças degenerativas crônicas, os indivíduos precisam de um bom programa alimentar.

A energia e vitalidade sexual também são aspectos importantes da vida do homem, especialmente para a manutenção dos relacionamentos. O sexo seguro é um assunto em pauta atualmente, mas, sem energia, pode esquecer. A função sexual é assegurada pela alimentação adequada e a ingestão de nutrientes.

A dieta saudável deve fornecer uma quantidade suficiente de proteínas e ácidos graxos essenciais, bem como de colesterol (ovos, derivados do leite) ou gorduras vegetais (encontradas, por exemplo, no azeite de oliva); esses alimentos contêm precursores de alguns hormônios sexuais. Vários órgãos do sistema endócrino participam da função sexual. A tireóide, uma glândula que regula a produção de energia e o metabolismo, depende do iodo e de vitaminas do complexo B, particularmente a tiamina e o ácido pantotênico. A função testicular é fundamental para a produção de testosterona, o hormônio mais importante para o desejo sexual nos homens. Os hormônios androgênicos produzidos pelas adrenais mantêm a atividade testicular e participam do desenvolvimento sexual masculino. A vitamina E e o zinco podem ser dois elementos fundamentais quando se fala em energia sexual. As vitaminas A, E e o ácido fólico, assim como os ácidos graxos essenciais, são importantes para a produção do sêmen. Os minerais cálcios, magnésio, zinco e enxofre, além da vitamina B12, inositol e vitamina C, são encontrados no esperma de pessoas saudáveis e podem desempenhar papel importante na fertilidade.

As glândulas adrenais são importantes para a função sexual, tanto do ponto de vista fisiológico quanto em termos de produção de energia. Muitos elementos participam do seu funcionamento normal - vitaminas A, C, E, complexo B (especialmente o ácido pantotênico) e ácidos graxos essenciais. Determinados fatores, como o estresse, o excesso de atividade mental e o uso regular de cafeína e açúcar, podem diminuir o funcionamento dessas glândulas.

Em homens com diminuição da libido, a suplementação de zinco, magnésio e vitamina B6 pode ser útil. Nos casos de impotência, as vitaminas C e E, o complexo B, cálcio e o aconselhamento psicológico podem ajudar. Alguns produtos vegetais, como a raiz do ginseng, que apresenta ação estimulante, podem melhorar a disposição e aumentar a energia. Além disso, reduzir o estresse e diminuir a ingestão de drogas sedativas, como o álcool, e que interferem com a circulação, como a nicotina, também pode trazer benefícios. Uma grande parte dos transtornos da sexualidade está relacionada com o estresse mental e problemas de relacionamento. A prática de massagens e terapias corporais, assim como a atividade física regular, contribui para um melhor equilíbrio em indivíduos sobrecarregados. Tudo isso pode ajudar a melhorar a energia e a disposição relacionadas à vida sexual.

Nos homens com ejaculação precoce, muitos fatores podem estar envolvidos. Destacam-se a inexperiência ou a ausência de vida sexual regular, alterações circulatórias, e até mesmo alergias. A histamina, uma substância produzida por células do organismo e que pode ser encontrada no sangue, controla a ejaculação. Em concentrações elevadas, como nas reações alérgicas, a ejaculação pode ser acelerada. Níveis reduzidos podem prolongar o tempo para a ejaculação e, em alguns casos, impedi-la. A niacina e os ácidos graxos tendem a aumentar, enquanto o cálcio e o aminoácido metionina diminuem a liberação dos estoques de histamina. Dessa forma, a ingestão de maiores quantidades de cálcio e metionina podem ser úteis para alguns indivíduos com ejaculação precoce.

Os homens, como as mulheres, têm necessidades nutricionais particulares para preservar a energia e a sexualidade. Para o sexo masculino, geralmente, são necessárias pelo menos as quantidades mínimas recomendadas de todos os nutrientes, com menos ferro e mais magnésio e vitaminas do complexo B que as mulheres. De qualquer forma, as exigências não são muito diferentes entre homens e mulheres. Os homens podem precisar de um pouco mais de ferro, particularmente quando apresentam algum distúrbio que cursa com sangramento, anemia, ou quando são vegetarianos (alguns estudos recentes, entretanto, sugerem que a ingestão excessiva de ferro aumenta o risco de doenças cardiovasculares nos homens, através de lesões oxidativas dos vasos e células hepáticas). Obviamente, os homens também precisam de mais calorias e proteínas, tendo em vista que geralmente apresentam maior massa muscular e atividade física mais intensa. A quantidade de calorias necessárias varia de acordo com o peso desejado e a prática de exercícios físicos. Aqueles que não largam a televisão podem precisar diminuir a ingestão calórica, comendo menos e bebendo menos cerveja, além de evitar alimentos ricos em açúcar e gorduras.

O Programa Alimentar mostrado na tabela abaixo mostra as recomendações para indivíduos ativos entre 19 e 65 anos de idade. Os valores descritos variam entre as quantidades mínimas e os valores ideais. Em alguns casos, como nas calorias, gorduras, ferro e sódio, os valores inferiores podem ser mais adequados. Esses valores representam uma associação da dieta e suplementos adicionais, e determinados elementos, como o sódio, cloreto, fluoreto, fósforo e a vitamina K não costumam ser ingeridos em quantidades superiores àquelas encontradas na alimentação. Quando a dieta contém quantidades adequadas de ferro, cálcio, cobre iodo e potássio, não é necessário adquirir suplementos, a não ser que existam distúrbios da digestão e/ou absorção. Alguns elementos que devem ser suplementados incluem as vitaminas C e E, o complexo B, beta-caroteno, magnésio, manganês, selênio e zinco. (24)

Valores referentes à alimentação de adultos do sexo masculino (QDRs a valores ideais)

Calorias

2.100-3.500

Fibras

8-20 g.

Proteínas

50-75 g.

Gorduras

50-75 g.

Vitamina A

5.000-10.000 UIs

Beta-caroteno

5.000-20.000 UIs

Vitamina D

200-600 UIs

Vitamina E

30-800 UIs

Vitamina K*

150-600 mcg.

Tiamina (B1)

1,4-50,0 mg.

Riboflavina (B2)

1,6-50,0 mg.

Niacina (B3)**

20-200 mg.

Ácidopantotênico (B5)

7-250 mg.

Piridoxina (B6)

2,5-100 mg.

Cobalamina (B12)

3-200 mcg.

Ácido fólico

400-800 mcg.

Biotina

150-500 mcg.

Colina

50-500 mg.

Inositol

50-500 mg.

PABA

10-50 mg.

Vitamina C

60-2000 mg.

Bioflavonóides

100-500 mg.

Cálcio*

800-1.200 mg.

Cloreto*

2-5 g.

Cromo

200-500 mcg.

Cobre

2-3 mg.

Fluoreto*

1,5-4,0 mg.

Iodo*

150-300 mcg.

Ferro*

10-15 mg.

Magnésio

400-800 mg.

Manganês

3,0-10,0 mg.

Molibdênio

150-500 mcg.

Fósforo*

800-1.200 mg.

Potássio*

2-6 g.

Selênio

200-400 mcg.

Sódio*

1,0-3,5 g.

Zinco

15-60 mg.

QDR: quantidade diária recomendada (24)

Insônia

A insônia é o distúrbio do sono mais comum, incluindo as dificuldades para iniciar a dormir, manter-se dormindo, ou voltar a dormir quando acorda cedo. Pode ser temporária ou crônica.

Quase todas as pessoas têm noites com dificuldade para dormir, muitas vezes devido ao estresse, sensação de queimação gástrica ou ingestão excessiva de cafeína ou álcool. A insônia é um distúrbio que ocorre com certa freqüência, em geral sem motivo aparente. As horas normais de sono são muito variáveis. Embora 7 horas e meia representem mais ou menos a média, algumas pessoas se sentem bem com 4 ou 5 horas de sono, enquanto outras necessitam de 9 ou 10 horas por noite.

Com o passar dos anos, ocorrem alterações no estilo de vida, com conseqüência nos padrões do sono, que podem interferir numa boa noite de descanso. Isso pode afetar não apenas a disposição, mas também a saúde, tendo em vista que o sono ajuda a reforçar o sistema imunológico, responsável pelo combate às infecções.

Cerca de 1/3 da população sofre de insônia em algum momento da vida. Mas você não precisa passar as noites em claro. Algumas mudanças simples nos seus hábitos e no cotidiano podem facilitar o sono. (25)

As causas mais comuns de insônia incluem:

  • Estresse. Preocupações com o trabalho, escola, saúde e a família mantém a mente muito ativa, impedindo-a de relaxar e dormir. O mesmo ocorre em pessoas entediadas, como após a aposentadoria ou em doenças prolongadas, causando estresse e mantendo o indivíduo acordado.
  • Ansiedade. A ansiedade do dia-a-dia, bem como os distúrbios ansiosos graves, pode manter a mente alerta, atrapalhando o sono no começo ou no meio da noite.
  • Depressão. Quando a pessoa sofre de depressão, pode dormir demais ou ter dificuldade para dormir, problemas que podem resultar de um desequilíbrio bioquímico no cérebro ou de fatores que acompanham a depressão e impedem o sono.
  • Mudanças ambientais ou nos horários de trabalho. Mudanças relacionadas a viagens ou diferentes horários de trabalho podem alterar o ritmo circadiano do organismo, impedindo-o de dormir quando deseja. O termo circadiano origina-se de duas palavras em latim: circa (cerca de) e dia (dia). Os ritmos circadianos atuam como relógios biológicos, coordenando o ciclo de sono-vigília, o metabolismo e a temperatura corporal.
  • Insônia comportamental. Pode ocorrer quando você se preocupa muito por não conseguir dormir e tenta dormir a qualquer custo. A maioria das pessoas com essa condição dorme melhor quando está longe do ambiente habitual de sono ou quando não tenta dormir, como, por exemplo, quando assiste à televisão.
  • Comer em excesso à noite. Não há problema em fazer um pequeno lanche antes de dormir, mas comer demais pode causar desconforto ao deitar e dificultar o sono. Muitas pessoas apresentam queimação, decorrente do refluxo alimentar do estômago para o esôfago após a alimentação. A sensação de desconforto também dificultam o sono.(25)

A insônia torna-se mais comum em idades mais avançadas. Na medida em que envelhecemos, três alterações que interferem com o sono podem ocorrer. Você pode apresentar:

  • Uma mudança nos padrões de sono. Entre 50 e 70 anos de idade, o sono geralmente torna-se menos repousante. Gasta-se mais tempo nos estágios 1 e 2 do sono NREM (sigla em inglês de non-rapid eye movement) e menos nos estágios 3 e 4. O estágio 1 representa o sono transicional, a fase 2 é o sono leve, e os estágios 3 e 4 são o sono profundo (delta), o tipo mais repousante. Por apresentar um sono mais superficial, é mais fácil acordar. Com a idade, o relógio interno do organismo acelera. Você fica cansado mais cedo durante a noite e, conseqüentemente, acorda mais cedo no outro dia.
  • Uma mudança de atividade. Você pode ficar menos ativo do ponto de vista físico e social. A atividade ajuda a promover uma boa noite de sono. Você também tem mais tempo livre e, por esse motivo, ingere mais café e álcool ou tira uns cochilos durante o dia. Isso também pode interferir com o sono à noite.
  • Uma mudança na saúde. A dor crônica - encontrada em condições como a artrite e os problemas lombares -, depressão, ansiedade e o estresse podem atrapalhar o sono. Os indivíduos do sexo masculino costumam apresentar um aumento de volume não-neoplásico da próstata (hiperplasia prostática benigna), que está associado com a micção freqüente, dificultando o sono. Em mulheres, as ondas de calor que acompanham a menopausa podem atrapalhar o sono. Outros distúrbios relacionados ao sono, como a apnéia do sono e a síndrome das pernas inquietas, também são mais comuns em idades mais avançadas. A apnéia do sono é caracterizada pela interrupção periódica da respiração durante a noite, com o despertar noturno. A síndrome das pernas inquietas causa uma sensação de desconforto nas pernas e um desejo de movimentá-las, impedindo-o de dormir. (25)

Estratégias de combate à insônia

Independente da idade, em geral, a insônia é passível de tratamento. O ponto-chave geralmente está em mudanças na rotina durante o dia e quando você vai para a cama. Experimente esses conselhos:

  • Respeite os horários. Mantenha a hora de dormir e acordar constante, sempre que possível.
  • Limite o tempo em que permanece na cama. Muito tempo deitado pode levar a um sono pouco repousante e superficial. Tente acordar no mesmo horário todas as manhãs, independente de quando você foi dormir.
  • Evite "tentar" dormir. Quanto mais tentar, mais acordado ficará. Leia ou assista televisão até ficar com sono e dormir naturalmente.
  • Pratique atividade física. Pratique pelo menos 20 a 30 minutos de exercícios físicos intensos por dia, de preferência 5 a 6 horas antes de ir para a cama.
  • Evite ou tenha moderação no café, álcool e nicotina. A cafeína e a nicotina podem impedi-lo de dormir. Com o álcool, ocorre um sono pouco repousante e no qual se acorda freqüentemente.
  • Encontre maneiras de relaxar. Um banho quente ou um lanche leve antes de deitar pode ajudá-lo a dormir. Uma massagem, feita pelo seu companheiro, também ajuda a relaxar e dormir.(25)

Medicina alternativa e complementar

A melatonina é amplamente comercializada, sob a forma de suplementos vendidos sem receita médica, como uma forma de tratar a insônia, prevenir a fadiga e irritabilidade após mudanças de fusos horários em vôos prolongados (jet lag), combater o câncer, melhorar o desempenho sexual e diminuir o envelhecimento.

Algumas vezes, ocorrem exageros em relação aos seus benefícios. O organismo produz a melatonina, um hormônio, liberando-a na circulação em quantidades crescentes após o anoitecer e menores pela manhã.

Os pesquisadores não conhecem todas as funções desse hormônio, mas acreditam que ele pode ser responsável pelas mudanças no organismo que fazem você se sentir pronto para dormir. Alguns médicos sugerem a ingestão de suplementos de melatonina como um remédio para dormir.

Os estudos indicam que a melatonina é útil apenas para um pequeno número de portadores de insônia, que apresentam quantidades insuficientes desse hormônio. Novas pesquisas são necessárias para avaliar melhor a sua eficácia e os riscos potenciais do uso em longo prazo. (25)

Alcoolismo

O álcool é uma das poucas drogas psicotrópicas que têm seu consumo admitido legalmente e, às vezes, incentivado pela sociedade. Esse é um dos motivos pelo qual é encarado de forma diferenciada, quando comparado com as demais drogas.

Embora a aceitação social seja grande, o consumo de bebidas alcoólicas, quando excessivo, passa a ser um problema. Além dos inúmeros acidentes de trânsito e da violência associados a episódios de embriaguez, o consumo de álcool, a longo prazo, dependendo da dose, freqüência e circunstâncias, pode provocar um quadro de dependência conhecido como alcoolismo.

Segundo a legislação brasileira, todo o motorista que apresentar mais de 0,6 gramas de álcool por litro de sangue deverá ser penalizado. A quantidade de álcool necessária para atingir essa concentração no sangue equivale a 2 latas de cerveja ou 3 copos de chopp, 2 taças de vinho ou 2 doses de bebida destilada (uísque, vodca, pinga).

A ingestão contínua do álcool desgasta o organismo ao mesmo tempo em que altera a mente. Surgem, então, sintomas que comprometem a disposição para trabalhar e viver com bem-estar. Essa indisposição prejudica o relacionamento com a família e diminui a produtividade no trabalho, podendo levar ao desentendimento familiar e ao desemprego. Os efeitos poderão ser diversos e variam desde seu consumo, dependência química e abstinência (falta de álcool), sendo até estimulantes ou depressores. (26)

  • Consumo: euforia, desinibição, alterações na fala e ao andar; falta de atenção e memória.
  • Dependência: forte desejo pela bebida, consumo de álcool em freqüência e quantidade exageradas, abandono das atividades sociais e profissionais, problemas psicológicos e físicos.
  • Abstinência: delírio visual, auditivo e tátil; tremor; insônia; vômito, ansiedade e convulsão.

Sinais de alerta da doença

Na fase de dependência psicológica, o indivíduo não se considera um alcoólatra, pois acredita que consegue interromper o hábito quando quiser. Como nessa fase não se deseja largar a bebida, o indivíduo prossegue até que comece a se prejudicar. Os sinais que indicam a existência de algum problema são:

  • Beber logo de manhã.
  • Ficar de "pileque" em toda festa que freqüenta.
  • Tomar cinco ou mais drinques de uma vez, ficando embriagado pelo menos uma vez por semana.
  • Colocar o álcool como prioridade nos seus interesses.

Os fatores que podem levar ao alcoolismo são variados, podendo ser de origem biológica, psicológica, sociocultural ou todos juntos. A dependência do álcool é uma condição freqüente, atingindo cerca de 5 a 10% da população adulta brasileira.(26)

O álcool e suas conseqüências no Trânsito

A ingestão de álcool, mesmo em pequenas quantidades, diminui a coordenação motora e os reflexos, comprometendo a capacidade de dirigir automóveis, ou operar máquinas. Pesquisas revelam que grande parte dos acidentes é provocada por motoristas que beberam antes de dirigir.

Medicamentos

A mistura álcool e tranqüilizantes gera depressão do Sistema Nervoso Central e traz efeitos prejudiciais na maioria dos casos.

Câncer

O índice de câncer entre os consumidores de álcool é alarmante, quer por ação do próprio álcool, quer por conta dos aditivos químicos, de ação cancerígena, que entram no processo de fabricação das bebidas.

Adolescência

É cada vez maior o número de adolescentes que consomem bebidas alcoólicas. Em geral, os motivos do abuso são devido à pressão do grupo de amigos, delinqüência, baixa auto-estima, desentendimento com os pais e mudanças estressantes da vida. No caso dos jovens com tendência para o alcoolismo, torna-se difícil saber quando parar ou mesmo perceber quando a pessoa deixa de ser um bebedor de fim de semana para se tornar um bebedor habitual.

Os efeitos do álcool variam de intensidade, de acordo com as características pessoais. Por exemplo, uma pessoa acostumada a consumir bebidas alcoólicas sentirá os efeitos do álcool com menor intensidade, quando comparada com uma outra pessoa que não está acostumada a beber. Um outro exemplo está relacionado à estrutura física; uma pessoa de grande porte terá uma maior resistência aos efeitos do álcool.

Quem está acostumado a beber geralmente afirma que está em boas condições, logo, julga não estar alcoolizado. Embora os efeitos não se manifestem tão rapidamente, isto não significa que se pode beber um copo a mais.(26)

Prevenção: Caminho certo para a saúde

A forma mais fácil de prevenir o alcoolismo é simplesmente não consumir bebidas alcoólicas ou, pelo menos, consumi-las moderadamente. Lembre-se que você pode controlar a quantidade que consome!

  • Beba socialmente, sem ultrapassar seu limite de tolerância. Dois copos da bebida de sua escolha já são o suficiente. Não associe o hábito de fumar com a bebida, pois neste caso, os danos à saúde serão duplicados.
  • Faça uma dieta bem balanceada, com frutas, verduras e legumes. Não consuma bebidas alcoólicas com o estômago vazio.
  • Pratique esportes e escolha atividades prazerosas que você possa compartilhar com amigos e familiares. O lazer é uma ótima opção para se manter longe do estresse - um dos responsáveis pelo alcoolismo.
  • Não abuse das bebidas durante as festas. Mantenha-se sempre no seu limite. Se você aprecia vinhos, tome-os com moderação, pois, embora seja bom para o coração, o abuso pode levar à embriaguez.
  • Procure conversar com seus filhos adolescentes a respeito dessa droga, orientado-os sobre o prejuízo que ela pode causar à saúde e a sua vida social.
  • Não tome bebidas alcoólicas na frente de crianças. Elas podem querer imitá-los.
  • Procure aconselhamento médico se houver história familiar de alcoolismo ou outros fatores de risco.
  • Verifique em seu bairro se existe alguma associação de moradores. Lá você pode encontrar mais informações sobre qualidade de vida e apoio no combate ao alcoolismo. ·
  • Fique de olho também nas Campanhas do Ministério da Saúde. Essas informações podem ser muito úteis a você e sua família. (26)

Tabagismo

A grande maioria das pessoas que fuma deseja parar de fumar, mas não consegue. O tabaco é considerado uma droga lícita, comercializada legalmente, incluindo o charuto, cachimbo e, principalmente, além do mais comum de todos, o cigarro. Este é utilizado em quantidades maiores ou por um tempo contínuo pelos fumantes, que mantêm o seu uso embora conheçam os danos físicos e psicológicos que esse hábito provoca à saúde. Os efeitos do hábito de fumar ultrapassam a ação da nicotina e dizem respeito a diversas substâncias tóxicas resultantes da combustão do tabaco. Cerca de 90% dos casos de câncer do pulmão, 80% de bronquite crônica e entre 20 e 25% dos infartos estão relacionados ao tabagismo, além de ocorrência de câncer de boca e esôfago, com possível desenvolvimento também de câncer no pâncreas, bexiga, rim e estômago. O coração é especialmente prejudicado pelo hábito de fumar. A nicotina torna-se prejudicial ao aparelho cardiovascular à medida que propicia a liberação de determinadas substâncias que, conseqüentemente, aumentam a freqüência cardíaca e a pressão arterial. No caso dos cardíacos, todos estes efeitos são multiplicados. (27)

Dados importantes

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), morrem atualmente 3 milhões de pessoas por ano em função do cigarro. Se a tendência continuar a mesma, em 2020, este número saltará para 10 milhões de mortes anuais. No Brasil, a avaliação do custo social do tabagismo é precária, mas sabe-se que 35% dos homens são fumantes. Os fumantes passivos (aqueles expostos à fumaça do cigarro) também são os grandes prejudicados. Dependendo da ventilação do local e da concentração de fumaça, uma pessoa que fique ao lado de outra que fuma, por um período de 8 horas seguidas, pode aspirar o equivalente a 1 a 4 cigarros fumados.(27)

Cigarro por esporte é uma troca justa

O objetivo é reforçar o conceito de que a vida sem cigarro tem melhor qualidade, e que, com a prática de algum esporte, ela pode ser ainda melhor. Os exercícios aeróbicos (caminhada, corrida, bicicleta) são aliados importantes para quem deseja parar de fumar. Qualquer pessoa que resolva praticar alguma modalidade esportiva precisa, antes de começar, fazer uma avaliação médica e verificar suas reais condições físicas. A freqüência da prática de atividade física precisa ser de, no mínimo, 3 vezes por semana, com duração mínima de 30 minutos.

O resultado só será satisfatório e adequado se o indivíduo apresentar boas condições físicas, clínicas e psicológicas.

O fumante libera altas doses de "dopamina" e "endorfina" no cérebro, hormônios que proporcionam sensação de prazer e reduzem a ansiedade e o estresse. Ao praticar esportes, o indivíduo também estimula a produção de endorfina, porém, de forma natural.(27)

A reposição da nicotina é eficaz no combate ao fumo

Pode ser feita por meio de um adesivo ou goma de mascar. O primeiro método permite a absorção da nicotina pela pele e, o segundo, pela boca. Isso evita que o fumante faça o uso do cigarro para obter a sensação de bem-estar que tanto deseja. Os resultados variam para cada caso, sendo que para a adoção desse método, são importantes a opinião e a orientação de um especialista. As pessoas que mais se beneficiam dessa terapia de reposição são os fumantes pesados, os quais fumam mais de 15 cigarros por dia; até uma hora depois de acordar; e que já apresentaram sintomas de síndrome de abstinência (falta de nicotina) em outras tentativas de abandonar o hábito. Há aquelas pessoas que decidem parar repentinamente, não fumando mais nenhum cigarro, outras vão interrompendo o hábito de forma gradual, ou seja, diminuindo o número de cigarros por dia, até zerar a quantidade, lembrando que cada método adotado pode ou não funcionar para diferentes pessoas. Um conselho importante para as pessoas pararem de fumar é que elas deixem de associar o fumo com o período após uma refeição, ou seja, fumar após o almoço, jantar. Se esse hábito for abandonado, certamente será uma maneira fácil de começar a largar o hábito.

Use sua criatividade e força de vontade para começar a parar de fumar

  • Beba bastante água.
  • Mastigue gomas de mascar e balas.
  • Pratique atividade física.
  • Evite bebidas alcoólicas.
  • Alimente-se bem e saudavelmente, prepare o seu "prato preferido".
  • Escolha um "hobby", por exemplo, ler um livro.
  • Saia para caminhar, passear, dançar.
  • Tome um banho refrescante.
  • Cante uma música.
  • Brinque com seus filhos. (27)

Conclusão

É preciso alcançar novos paradigmas a respeito da desmistificação relacionados à saúde do homem.

Nos dias de hoje, o homem não é mais o único arreio da família, com o avanço dos tempos e das tecnologias, mudaram-se os conceitos, participando a mulher de forma expressiva na manutenção da prole. Contudo, várias ações foram desenvolvidas ao decorrer dos anos, visando proporcionar uma assistência profilática à mulher, o mesmo não ocorreu com o homem, que continua envolver-se com seus conceitos errôneos, só procurando atendimento de saúde quando já estão a nível secundário ou terciário, de forma que asseqüelas mórbidas já estão instaladas ,sendo na maioria das vezes "levados pelas mulheres".

Diante da realidade levantada pela pesquisa desenvolvida, cada vez mais, homens em idade produtiva, são acometidos de seqüelas permanentes, quando não a perda de sua vida por não terem se precavido de suas morbidades de forma profilática adequada.

Baseado no princípio da Universalidade do SUS, que garante o acesso aos serviços de saúde para toda a população, em todos os níveis de complexidade do sistema, e de Igualdade, que visa saúde igualitária, livre de preconceitos ou qualquer tipo de privilégio, o MS lança o Programa de Saúde do Homem, visando uma quebra de "estereótipos masculinos", que não acrescentam em nada, muito pelo contrario só atrapalham, assim como da instrução e assistência profilática de vida,na expectativa de uma redução expressiva da morbimortalidade masculina, garantido aos mesmos a expectativa de uma vida mais saudável.

Considerações finais

Tenho a convicção que o Centro de Referência da Saúde do Homem vai acrescentar de forma consistente, um adequado atendimento aos munícipes masculinos da cidade de Santos.

Uma vez que o município por lei tem que proporcionar atendimento digno e qualitativo à população.

O CRSH vem a somar aos programas de saúde já inseridos pelo município, almejando sempre, um bem comum de seus munícipes, proporcionando com certeza, uma melhor qualidade de vida.

É sabido a existência da Semana Voltada à Saúde do Homem inserida no calendário Secretária de Saúde do município, no entanto, tenho o conceito que é realizado de forma ineficaz, digo isto, baseada na problemática citada pelo próprio Ministério da Saúde.

Mediante extensas relevâncias citadas pelo MS, fica clara a necessidade constante de medidas profiláticas contínuas, no âmbito de reduzirem tantas intercorrências acometidas com a população masculina.

É necessário que a Prefeitura de Santos faça um trabalho conforme o preceito do SUS de Integralidade, visando ações de saúde voltadas prevenção e cura, baseada em ações de promoção, proteção e recuperação.

Diante de pontuações citadas pelo MS, fica expressiva a importância de uma política de saúde mais abrangente e operante a esta população, a fim de se obter uma redução no percentil de mobimortalidade masculina.

O CRSH terá ênfase em passar informações, de forma clara e simplificada, sobre as doenças que acometem a população masculina, incentivando-os a consulta anual ao urologista, para que sejam orientados e detectado a doenças cuja maior incidência ocorre no homem, os sintomas dessas moléstias, formas de prevenção, terapias existentes e orientação quanto aos exames necessários, e tudo que seja útil para esclarecer e elucidar a ignorância e o preconceito sobre ditas doenças, e também os conceitos, instruir de forma clara e simplificada sobre, planejamento familiar, métodos contraceptivos, inclusive sobre a cirurgia de vasectomia, e suas características.

Desenvolver programas de informação e educação para, conscientização acerca do problema de ser pai precocemente (gravidez na adolência), e doenças sexualmente transmissíveis  DST's/AIDS, a fim de reduzir suas incidências, proporcionar orientações decorrentes do uso de bebidas alcoólicas, da prática do tabagismo, bem como por uso de quaisquer outros tipos de drogas, para a saúde corporal, mental e para as relações familiares, sociais e do trabalho, realizar exames clínicos de resultado imediato, tais como verificação de pressão arterial, glicemia, colesterol, dentre outros.

Com estas propostas em prática, tenho a convicção de estarmos prestando serviços satisfatórioe eficaz, a Saúde dos munícipes masculino da cidade de Santos.

BIBLIOGRAFIA

1-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/checkup.asp

2-Vilela ALM. Colesterol. Site: www.afh.bio.br/

3-Tortora Gerard J, Grabowsk,Sandra Reynolds- Corpo Humano, Fundamentos da anatomia e Fisiologia Ed.Artmed 6° ed.- S.Paulo.

4-Apostila Manual de Hipertensão e Diabetes Mellitus, Ministério da Saúde, Brasília- 2002

5-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/prostata.asp Dra. Elisabete Almeida

6-Revista ISTOÉ - Guia da Saúde Familiar - Volume 17 - 06/2002

7-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/irritacao.asp

8-www.inca.gov.br

9-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/peyronie_evolucao.asp-Dr. Paulo Egydio

10-www.abcdasaude.com.br

11-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/ejaculacao.asp

12-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/disfuncao.asp-Dra. Elisabete Almeida

13-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/viagra.asp- Dra. Elisabete Almeida

14-Roveratti,Dagmar  Guia da Sexualidade Ed.Inst.Prev.Saúde e Sexualidade  3º Ed- S.C.Sul  SP- 2008

15-Revista Saúde - março de 2001

16-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/ginecomastia.asp- Dr. Luiz Brasil da Costa Faggiano - Cirurgião Plástico

17-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/hormonio_idade.asp Drª Elisabete Almeida

18-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/dst.asp- Drª Elisabete Almeida

19-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/hemorroidas_2.asp-Osório Parra Doutor em Clínica Cirúrgica pela Fac. Méd. da Univ. São Paulo

20-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/exames_preventivos.asp

21-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/acido_urico.asp-

Drª Elisabete Almeida

22-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/calcanhar_doloroso.asp Fr. Flavio Murachovsky

1-23-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/ambiente_trabalho.asp-Drª Elisabete Almeida

24-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/dieta_desejo.Drª Elisabete Almeida

25-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/insonia.asp- Drª Elisabete Almeida

26-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/alcoolismo.asp-

Drª Elisabete Almeida

27-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/tabagismo.asp-

Drª Elisabete Almeida

28-www.lincx.com.br/lincx/saude_a_z/saude_homem/cancer_test.

 
Avalie este artigo:
(1 de 5)
7 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Andréia Rosas Rodrigues
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Graduada em Enfermagem pela Universidade Paulista Campus Rangel - Santos SP e o Pós Graduada em Saúde Publica pela UNIMES Formada em Auxiliar e Técnica de Enfermagem, exercendo a Profissão desde 1995, em UTI Geral e UTI Cardiológica e Renal, Hemodiálise, Pré-Parto e C.O, PS Adulto e Clínica Médi...
Membro desde dezembro de 2008
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: