Projeto de pesquisa - Estudo de caso Frigorífico Cotriel
 
Projeto de pesquisa - Estudo de caso Frigorífico Cotriel
 


UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS, ADMINISTRATIVAS E CONTÁBEIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Aércio Fernando Bocolli ESTUDO DE CASO NO FRIGORIFICO COTRIEL SOLEDADE 2009 AÉRCIO FERNANDO BOCOLLI ESTUDO DE CASO NO FRIGORIFICO COTRIEL Trabalho de conclusão, apresentado ao curso de Ciências Contábeis da Universidade de Passo Fundo, Campus Soledade, como parte dos requisitos para obtenção do título de Bacharel em Ciências Contábeis. SOLEDADE 2009 RESUMO O presente estudo tem por finalidade analisar a aplicação de um Método de Custeio no Frigorífico da Cotriel (Cooperativa Tritícola de Espumoso Ltda). Devido à grande quantidade de métodos disponíveis e a impossibilidade de analisarem-se todos neste trabalho, optou-se pelo Método de Custeio Variável, por ser avaliado como eficaz para os objetivos propostos nesta pesquisa. Para a realização desta análise, far-se-á primeiramente, uma breve apresentação de algumas noções da Contabilidade de Custos, e num segundo momento, elucidar-se-á algumas noções sobre o Método de Custo Variável. A hipótese é de que a escolha e a utilização de um método trarão benefícios e novos resultados para a empresa, considerando-se que, até o momento, o Frigorífico não aplica um sistema específico de custos. Palavras-chave: Método de Custeio. Custeio Variável. Custos. Frigorífico. ABSTRACT This study aims to examine the application of a method of costing in the Frigorífico Cotriel (Coopetativa Tritícola de Espumoso Ltda. Due to the large number of methods available and the inability to look up all this work, chosen by the Method of Variable Costing, being evaluated as effective for the objectives proposed in this research. To achieve this analysis, will be first, a brief presentation of some notions of cost-accounting, and second, it will clarify some notions about the method of Variable Cost. The hypothesis is that the choice and use of a method will bring new benefits and results for the company, considering that, until now, the Frigorífico does not apply to a specific system costs. Key-Words: Costing method. Variable cost. Costs. Frfigorífico. INTRODUÇÃO Com a concorrência gerada pela ascensão da globalização e as dificuldades impostas pelo mercado, as empresas são obrigadas a tomar decisões relacionadas aos seus produtos, de modo a garantir sua continuidade. Diante dessas constatações, percebe-se que a elevada competição entre as empresas faz com que seja necessária a utilização de instrumentos precisos para a tomada das decisões. Nesse sentido, as informações geradas pela Contabilidade de Custos podem ser muito benéficas, podendo fornecer informações econômico-financeiras aos administradores das empresas, no auxílio de suas atribuições gerenciais e na melhor utilização dos recursos disponíveis. A Cotriel (Cooperativa Tritícola de Espumoso Ltda) é uma cooperativa que atua no mercado, em diversos ramos. Apesar de ser uma empresa de grande porte e uma das maiores da região, ainda não possui um método de custeio específico, em algumas divisões. Assim, o presente estudo tem por finalidade analisar a aplicação do Método de Custeio Variável, no Frigorífico da Cotriel. Optou-se por esse método dada a característica de proporcionar margens de contribuição unitária, além dos pontos de equilíbrio, em termos financeiros e físicos. Para a realização desta análise, far-se-á primeiramente, uma breve apresentação acerca da Teoria de Custos, e num segundo momento, elucidar-se-á algumas noções sobre o Método de Custo Variável. 1. JUSTIFICATIVA As informações geradas pela Contabilidade de Custos podem ser muito benéficas, podendo fornecer informações econômico-financeiras aos administradores das empresas, no auxilio de suas atribuições gerenciais e na melhor utilização dos recursos disponíveis. Nesse sentido, a realização de um projeto envolvendo o Frigorífico da Cotriel, justifica-se pela necessidade de a empresa adotar um Sistema de Custos que forneça informações necessárias para que se possa alcançar resultados confiáveis e seguros para a empresa. Assim, procurar-se-á responder a seguinte questão: qual o custo real por produto, utilizando-se o Método de Custeio Variável, no 1° semestre de 2009, no Frigorífico Cotriel? 2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Um dos maiores desafios das empresas é manter a produtividade e elevar o seu lucro. Reconhece-se a importância do diálogo e da ação entre contabilistas e administradores, no sentido de encontrarem soluções para os problemas que surgem no dia a dia das corporações. Nos três capítulos a seguir, far-se-á, primeiramente, uma exposição do estudo de caso, depois uma breve apresentação de algumas noções da Contabilidade de Custos, e por fim, elucidar-se-á algumas noções sobre o Método de Custo Variável. 2.1. ESTUDO DE CASO Segundo Yin (2001), o estudo de caso tem por característica uma unidade de análise e a não interferência do pesquisador no fenômeno a ser estudado. Diante dos objetivos propostos, optou-se por uma pesquisa do tipo estudo de caso. 2.1.1 OBJETIVO CENTRAL Aplicar o método de custeio variável no Frigorífico da Cotriel. 2.1.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS 2.1.2.1 Coletar os dados de custos e despesas no resultado da empresa. 2.1.2.2 Segregar os custos em fixos e variáveis. 2.1.2.3 Calcular as margens de contribuição por produto. 2.1.2.4 Calcular os pontos de equilíbrio. 2.1.2.5 Calcular o resultado do período por produto. 2.1.2.6 Descrever o processo produtivo do Frigorífico. 2.1.2.7 Analisar a relação custo versus volume versus lucro do Frigorífico Cotriel. 2.2 CONTABILIDADE DE CUSTOS E O MÉTODO DE CUSTEIO A Contabilidade de Custos emprega diversos sistemas que representam critérios, convenções, procedimentos e registros que interagem, de modo coordenado, para atender a determinados objetivos. Assim, para que se possa produzir informações que auxiliam a gerência a medir os resultados e a avaliar o patrimônio, o contador acumula e organiza os dados reais como: históricos, desembolsados, registrados contabilmente. Isso é realizado através de dois sistemas básicos de custeamento, chamados de apuração de custos, que são o sistema de custeamento por ordem de produção e o sistema de custeamento por processo. O uso de um ou de outro meio dependerá principalmente do tipo de produto ou do processo de fabricação. Para Leone (2000) a Contabilidade de Custos pertence à área de comando e supervisão do controller ou gerente financeiro. Ele considera que mesmo ocorrendo mudanças, o papel do contador de custos é o de ser um especialista do quadro técnico e auxiliar do controlador. Para o pesquisador, A Atividade de Custos evoluiu muito. Hoje envolve mais objetos, seu campo de aplicação alargou-se, suas finalidades cresceram, seus instrumentos de trabalho não são mais apenas monetários e financeiros: a Contabilidade de Custos está, isto sim, manipulando dados quantitativos relacionados às operações, sobretudo às operações industriais e comerciais. (LEONE, 2000, p. 41) Leone apresenta essas afirmações, ressaltando que os resultados obtidos são operacionais e aponta assim para a necessidade de alargar as ligações entre os setores da área financeira e contábil. Considerando-se que a empresa é um grande sistema que possui vários subsistemas que se completam no sentido de atingir seus objetivos, é de fundamental importância que cada empresa tenha um método de custeio que sirva para apropriação real do custo para cada produto acabado. Apesar de todo desenvolvimento tecnológico, de todo estudo e pesquisa envolvendo esse tema, várias empresas (talvez a maioria), não utilizam nenhum tipo de método de custo especializado. Empiricamente, consideramos que entre os motivos, predominam a falta de conhecimento, de orientação e até mesmo de interesse. No entanto, não conseguimos desvincular o alcance das metas da empresa, da utilização de um método de custo adequado. Nesse sentido, far-se-á uma breve síntese dos métodos de custeio mais aplicados, sendo que nos deteremos no Método de Custeio Variável, por considerá-lo o mais adequado para o alcance dos objetivos dessa pesquisa. Para isso, utilizar-se-á um quadro em que se comparam três métodos: Absorção, ABC e Variável: Métodos de Custeio ABSORÇÃO VARIÁVEL ABC 1. Obrigatoriedade Exigido pela Contabilidade Financeira. Não aceito pela Contabilidade Financeira. Não aceito pela Contabilidade Financeira. 2. Formas de apropriação do gastos 2 .1 Custos Diretos Diretamente por requisição e apontamento. Diretamente por requisição e apontamento os custos diretos que sejam variáveis. Diretamente por requisição e apontamento. 2.2 Custos Indiretos Através de critérios e bases de alocação. Através de critérios e bases de alocação apenas os custos indiretos que sejam variáveis. Inclusão mediante rastreamento e até rateio quando necessário ou desejável. 2.3 Despesas Não apropriado aos objetos de custeio. Apropriação apenas das despesas que sejam variáveis. Inclusão mediante rastreamento e até rateio quando necessário ou desejável. 3. Classificação dos custos Diretos e indiretos Fixos e variáveis Rastreáveis e não rastreáveis 4. Filosofia Rateio apenas dos custos quando necessário. Propõe-se nenhum rateio. Rateio de gastos não rastreáveis, quando necessário ou desejável. 5. Objetivo Societário, Fiscal e também Gerencial. Gerencial. Essencialmente gerencial com enfoque estratégicos. 6. Ênfase Enfatiza a figura do Lucro Bruto Enfatiza a figura da Margem de Contribuição Enfatiza o Lucro Líquido 7. Comportamento do lucro O lucro líquido será maior quando a produção exceder as vendas. O lucro líquido será maior quando as vendas excederem a produção. O lucro líquido será maio quando a produção exceder as vendas. Fonte: Adaptado de Vartanian (2000: 121). Como pode-se observar, o quadro apresenta distinções de cada custeio. Para este trabalho, interessa salientar que muitos autores convergem na ideia de que não existe um método mais eficaz, pois cada um atende necessidades empresarias diferentes e importantes. A proposta que se pretende desenvolver partindo-se desse projeto considera como apropriado o Método de Custeio Variável, por essa razão traçar-se-á a seguir algumas considerações chaves, para o estudo envolvendo esse método. 2.2.1 MÉTODO DE CUSTEIO VARIÁVEL: APROPRIAÇÃO DOS CUSTOS AOS PRODUTOS O Custeio Variável, no sentido decisório, tem condições de proporcionar muito mais rapidamente informações vitais à empresa, assim como o resultado medido dentro do seu critério parece ser mais informativo à administração. Isso acontece, porque se abandona os custos fixos e estes são tratados contabilmente, como se fossem despesas, já que são muitas vezes repetitivos e independentes dos diferentes produtos e unidades. Quanto ao conceito de Custeio Variável, encontramos diferentes concepções e diferentes autores, para situarmos nossos estudos, utilizaremos dois desses conceitos. Para Koliver (2000), o Custeio Variável tem sua base na apropriação de todos os custos variáveis  diretos ou indiretos  aos portadores finais dos custos, fundamentado, no arrolamento entre esses e o grau de ocupação da empresa. Já para Horngren, Foster e Datar, Custeio Variável é o método de custeio de estoque em que todos os custos de fabricação variáveis são considerados custos inventariáveis. Todos os custos de fabricação fixos são excluídos dos custos inventariáveis: eles são custos do período em que ocorreram (2000, p. 211). Cabe-nos inferir que este método não é aceito pela Contabilidade Financeira porque se defende que se deve apropriar as receitas e delas deduzir todos os sacrifícios envolvidos para sua obtenção. Assim, caso se fabrique hoje, incorre-se hoje em custos que são sacrifícios para a obtenção das receitas derivadas das vendas dos produtos feitos, e essas vendas poderão, em parte, vir amanhã. Essa não-aceitação do Custeio Variável não impede que a empresa o utilize para efeito interno, como é o caso do pretendido neste projeto. Para esclarecermos mais sobre o tipo de custeio aqui apresentado, vejamos um exemplo: No exemplo, podemos perceber que o resultado total é calculado a partir da consideração dos gastos, impostos e custos variados. Uma empresa que não utiliza um método de custeio poderá apresentar um saldo diferente, porque os resultados são calculados sem, muitas vezes, ser apropriado todos os custos, que envolvem a produção, aos valores dos produtos. Apresentado o exemplo, gostaríamos de finalizar as considerações acerca do Custeio Variável elucidando três características desse método, que nos ajuda a justificar nossa escolha: o Método de Custeio Variável permite apurar a margem de contribuição de cada produto, sendo basicamente orientado para o aspecto gerencial; ao manter isolados os gastos fixos do custo das vendas, permite maior controle sobre eles; e por fim, com maior grau de precisão, prevê os resultados de decisões de se descontinuar a comercialização de produtos, por facilitar o cálculo da margem de contribuição e do ponto de equilíbrio. 3. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Será feita uma análise de custo do Frigorífico da Cotriel. Primeiramente, serão analisados os dados (balanço e DRE) referente ao 1º semestre de 2009. Depois, calcularemos os novos custos dos produtos pelo Método de Custeio Variável e analisaremos a importância da implantação desse método para a empresa. 4. CRONOGRAMA ETAPAS/MESES Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Redação, bibliografia:seleção e organização X Redação, revisão bibliográfica X X X Coleta de dados X Pesquisa de campo X X Análise dos dados X X X Redação parte prática X X Revisão e ajustes X Entrega à banca X Apresentação X Ajustes finais X 5. ORÇAMENTO Descrição Quantidade Valores em R$ Folhas de ofício 500 15,00 CD 1 2,00 Encadernação 3 25,00 Fotocópias 20 2,00 Tinta impressora 1 45,00 TOTAL 89,00 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BACKER, M. & JACOBSEN, L. E. Contabilidade de custos: uma abordagem gerencial. Trad. E adaptação e José Carlos Marion, Mussolini Orru. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1984). HORNGREN, Charles T. Contabilidade de Custos. São Paulo, CTC Editora, 2000. HORNGREN, C; FOSTER, G; DATAR, S. Contabilidade de Custos. 9. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2000. IUDÍCIBUS, Sérgio de. Teoria da Contabilidade, 6ª Edição, Editora Atlas, 2000. KOLIVER, O. Os Custos dos Portadores Finais e os Sistemas de Custeio. [ S. I.: s.n.], 2000. LEONE, George S. Guerra. A contabilidade de custos e os seus desafios. Revista do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul, V. 27, Nº. 94, pp. 49-51, julho/setembro de 1998. LEONE, Geroge S. G. Custos: planejamento, implantação e controle. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2000. MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos. 9 ed. São Paulo: Atlas, 2003. MOURA, Herval da Silva. O custeio por absorção e o custeio variável: qual seria o método mais apropriado para sua empresa? Sitientibus, Feira de Santana, n.32, p.129-142, jan./jun. 2005 PADOVEZE, Clovis Luis. O paradoxo da utilização do método de Custeio: Custeio Variável versus Custeio por Absorção. Revista do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul, Nº. 12, pp. 43-56, junho de 2000. VARTANIAN, Grigor Haig. O método de custeio pleno: uma análise conceitual e empírica. 2000. Dissertação (Mestrado em Controladoria e contabilidade). Faculdade de Economia, Administração e contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo. 4. YIN, Robert K. Estudo de Caso Planejamento e Métodos, 2ª ed. São Paulo, Bookman, 2001.

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Aércio Fernando Bocolli
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Aércio Fernando Bocolli é formado em Ciências Contábeis, pela Universidade de Passo Fundo (2009), possui MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria pela FGV, atualmente esta cursando Pós MBA em Inteligência Empresarial pela FGV/Passo fundo. É sócio da Empresa AgriSul (Ramo Agricola) de Espu...
Membro desde julho de 2009
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: