Possibilidades e limites na atuação do asssitente social no creas de dom expedito lopes frente ...
 
Possibilidades e limites na atuação do asssitente social no creas de dom expedito lopes frente à violência sexual contra crianças e adolescentes
 


Ana Raquel de Sousa Brito[1]

Layane Sousa Pio[2]

Luciana Luz Soares[3]

 Prof. Ms. Marcos Antonio Rodrigues Barros (Orientador)[4]

 

RESUMO:

Esse trabalho objetiva discutir possibilidades e limites da atuação do Assistente Social no CREAS de Dom Expedito Lopes – PI, frente à violência sexual contra crianças e adolescentes e é fruto de um projeto de pesquisa realizado em 2011. O mesmo localiza-se na microrregião de Picos, mesorregião do Sudeste Piauiense. Tendo como objetivo central a compreensão do trabalho do Assistente Social frente à demanda de violência sexual contra crianças e adolescentes uma vez que é notória a problemática desse tipo de violência no referido município, principalmente pela falta de denuncias e pelo grande numero de casos omissos. Buscamos embasamento em teóricos como Azevedo e Guerra (2001), Áries (1991), Iamamoto (2007), Sanderson (2008), tendo como subsídio a Constituição Federal, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e o Guia CREAS. Os instrumentos de coleta usados na pesquisa constituem-se de observação, entrevista semiestruturada com a Assistente Social, analisando os resultados dentro de uma abordagem qualitativa com o aporte do método dialético. É imprescindível à atuação do Assistente Social no CREAS do município estudado, porém se faz necessário o enfrentamento de algumas barreiras na atualidade, entre elas, a falta de denúncia e de uma articulação contínua das redes sociais, no intuito de obter uma maior participação da sociedade em prol do combate a violência sexual. 

PALAVRAS-CHAVES: Assistente social. Violência sexual. CREAS. Proteção social. Criança e adolescente.

 
Download do artigo
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também