Pedagogia contemporânea: uma abordagem sobre as práticas educativas
 
Pedagogia contemporânea: uma abordagem sobre as práticas educativas
 


Joselita Marques Santos

Resumo: Este artigo pretende apresentar algumas reflexões sobre a pedagogia nos dias atuais. Tomando como base a própria historicidade dessa ciência, ele abordará as contribuições quesignificativos pensadores e suas idéias legaram à concepção de prática educativa, e a repercussão que essas práticas tiveram no decorrer do tempo.

Palavras-chave: teoria, história, contemporâneo, pedagogia.

A prática pedagógica é resultante de uma longa história, tão velha quanto à própria humanidade. Não se pode datar quando teve início, mas se pode presumir que provavelmente tem suas raízes nas histórias contadas de pai para filho ou pelos mais experientes há muito tempo, em rodas de conversas dentro das comunidades.

O conceito de pedagogia tal qual concebemos hoje, enquanto saber constituído a partir de elaborações práticas e abstratas, só foi construído com o surgimento da escrita. No entanto, os períodos anteriores e os posteriores a este são tão relevantes para entendermos como surgiu e desenvolveu-se o pensamento pedagógico ao longo da história, que mereceu, da parte de expressivos pesquisadores da educação  como Moacir Gadotti, Walter Esteves Garcia, entre outros  estudos que são verdadeiros manuais para os cursos de educação.

O surgimento de teorias educacionais, [...] ocorre, quando há uma certa insatisfação com relação ao presente e um estado latente de crise ronda todos os horizontes dos educadores. Pressionados entre as necessidades de responder aos desafios da realidade : e, às vezes, não encontrando como superá-los : e as exigências de transcendência, inerentes ao próprio ato educativo, os educadores lançam-se à formulação de teorias que conciliem as divergências e restabeleçam o equilíbrio humano.[1]

Embora os estudiosos tenham desenvolvido suas pesquisas com bastante propriedade, não pretenderam apontar uma prática como sendo a ideal no processo de ensino- aprendizagem.

O que se percebe, na atualidade, é que há uma pluralidade de idéias pedagógicas sendo concomitantemente aplicadas em pesquisas e instituições de ensino. Isso porque muitas idéias pedagógicas modernas têm suas raízes entrelaçadas nas primeiras teorias. Maria Montessori, inspirada no pensamento oriental, mais especificamente em Lao-Tsé, o qual constatou que "o fraco e flexível é mais forte e rígido" ou ainda "que ao sábio não interessa a força", declarou que

A criança não pode levar uma vida normal no mundo complicado dos adultos. Todavia é evidente que o adulto, com a vigilância contínua, com as admoestações ininterruptas, com suas ordens arbitrárias, perturba e impede o desenvolvimento da criança. Dessa forma, todas as forças positivas que estão prestes a germinar são sufocadas; e a criança conta com uma só coisa: o desejo intenso de livrar-se, o mais rápido que lhe for possível, de tudo e de todos. [2]

Percebemos nessas linhas apenas um pouco daquilo que podemos considerar como mística oriental, pois logicamente Montessori construiu seu próprio conceito de pedagogia ao apresentar para o mundo sua metodologia a qual celebrada com sabedoria e simplicidade.

A história das idéias pedagógicas foi forjada por relevantes contribuições teóricas que indistintamente alimentou o pensamento atual. Numa breve consideração sobre algumas dessas idéias, poderemos perceber a relevância já comentada.

Notamos, por exemplo, o quanto os gregos, com seus sábios filósofos Sócrates, Aristóteles e Platão legaram o conhecimento basilar que funda praticamente toda a nossa tradição ocidental. A Grécia se tornou soberana no imaginário cultural e também, especificamente, no pedagógico.

O legado dos romanos não é menos importante que o dos gregos. Foram aqueles que estabeleceram através do estudo da cultura geral, por eles chamada de humanitas, práticas escolares como o ditado de fragmentos de texto, análise de frases e palavras ou ainda a composição literária.

Na Idade Média, a educação ficou a cargo da Igreja Católica. De acordo com Gadotti, Cristo, com "seus ensinamentos" que se "ligavam essencialmente à vida", torna-se o grande educador e estabelecia, através dos pensadores medievais, uma pedagogia mais concreta a partir de suas parábolas.

Nos períodos que se seguiram, a produção cultural e educacional européia do Renascimento e do Iluminismo abre espaço, bem como a Modernidade através de pensadores como Spinoza e Descartes que combateram os rigores do catolicismo.

Os pensadores mais contemporâneos como Rosseau, Durkheim ou Gramci apresentaram valiosas contribuições à pedagogia. Esses nomes e outros não menos importantes, como o sueco Jean Piaget, o americano Carl Rogers e brasileiros como Anísio Teixeira, Paulo Freire e Dermeval Saviane, ampliaram ainda mais a galeria dos que tem como paixão a pedagogia.

A soma desses pensares resultou no que hoje chamamos pedagogia contemporânea. As idéias pedagógicas hoje são o que poderíamos denominar de multifárias  apresentam traços diversificados de todas as épocas. É importante salientar que não há aqui nenhuma pretensão em sublimar as características impares de cada teoria da educação. Essas idéias não foram desenvolvidas por lampejo. Como bem observou Walter Esteves Garcia,

[...] as questões referentes às teorias educacionais não são tão fáceis como parecem. Alguns preferem atribuir as dificuldades à própria complexidade das "ciências do comportamento", ao formularem teorias que levem em conta os múltiplos fatores que interferem na explicação de algo.[3]

A pedagogia é a prática mais humana que existe, pois mexe com todo o homem em sua plenitude. Nenhuma prática pôde ser esquecida até hoje, porque conhecimento gera conhecimento. As práticas só podem ser entendidas à luz da ciência.

É nessa paixão pelo humano que habita, de forma convulsiva, a tensão articulada entre o epistemológico e político, onde se dá o encontro do sonho de um Conhecimento como ferramenta da Liberdade e de um Poder como amálgama da convivência igualitária.[4]

Referências bibliográficas:

GARCIA, Walter Esteves. Educação: visão teórica e prática pedagógica. São Paulo. McGraw-Hill do Brasil

Machado, João Luis Almeida. www. Planetaeducação.com.br

CORTELLA, Mário Sérgio. A escola e o conhecimento.: fundamentos epistemológicos e políticos. São Paulo. SP: 1998 (Instituto Paulo Freire,


[1] GARCIA, Walter Esteves. Educação: visão teórica e prática pedagógica. São Paulo. McGraw-Hill do Brasil,p.124.

[2] citação retirada do artigo de João Luis Almeida Machado no portal Planetaeducação

[3] GARCIA, Walter Esteves. op cit p.120.

[4] CORTELLA, Mário Sérgio. A escola e o conhecimento.: fundamentos epistemológicos e políticos. São Paulo. SP: 1998 (Instituto Paulo Freire, p.159.

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Joselita Marques
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
possui graduação em Letras/Português pela Universidade Federal de Sergipe e especialista em Didática e Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade Amadeus. Atualmente é professora pela Secretaria de Educação do Estado de Sergipe. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Português. Particip...
Membro desde março de 2009
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: