O uso das tic’s no processo de ensino-aprendizagem da matemática
 
O uso das tic’s no processo de ensino-aprendizagem da matemática
 


Resumo

Atualmente nos encontramos numa época conceituada como “era do computador”, acontecimentos que contribuem para isso juntamente com o avanço imensurável da tecnologia tem causado um grande impacto na sociedade. Dessa forma a sociedade acompanha essa evolução, no entanto no campo educacional é responsabilidade do professor não deixar a sua práxi alheia desse avanço, como particularidade de sua responsabilidade o professor deve inserir a cada dia as TIC no contexto de suas aulas. A partir desses pressupostos esse artigo tem como objetivo analisar a importância do uso das novas tecnologias de comunicação e informação no processo de ensino-aprendizagem da matemática, procurando evidenciar isso mediante uma experiência com o uso do software educativo “Labirinto da Tabuada”.

Palavras-chave: TIC, Ensino de Matemática, Software educativo.

 

 

Abstract
Currently we are in a time defined as the "computer age", events that contribute to it immeasurably along with the advancement of technology has caused a great impact on society. Thus the company follows this trend, however in the field of education is the teacher's responsibility not to let your praxi others of this advance, the peculiarities of their responsibility the teacher must enter each day ICT in the context of their classes. From these assumptions this article aims to analyze the importance of using new information and communication technologies in teaching and learning of mathematics in order to show this through an experience with the use of educational software "Tabuada Labyrinth."

Keywords: ICT, Mathematics Teaching, Educational software.

 

 

 

 

 

 

  1. 1.      Introdução

As investigações sobre o ensino de matemática evidenciam, no âmbito da sala de aula, que o ensino desta disciplina atualmente é marcado pela dificuldade dos professores em desvencilhar-se do método tradicional. A presença do método tradicional no ensino de matemática na maioria das vezes está ligada à formação e caracteriza-se pela carência de pressupostos técnicos e científicos e favorece a permanência de um ensino baseado na transmissão de conhecimentos já prontos, que resulta na construção de um saber matemático fragmentado e descontextualizado da realidade dos estudantes.

Dessa forma, o objetivo desse trabalho é analisar a importância das TIC no Ensino de Matemática, utilizando para isso o software educacional Labirinto da Tabuada. Salientando a importância da modificação do trabalho docente, Kenski (2003) diz:

 

Uma das soluções para esse impasse está na possibilidade de educadores também participarem das equipes produtoras dessas novas tecnologias educativas. Para isso é preciso que os cursos de formação de professores se preocupem em lhes garantir essas novas competências. Que ao lado do saber científico e do saber pedagógico, sejam oferecidas ao professor as condições para ser agente, produtor, operador e crítico dessas novas educações mediadas pelas tecnologias eletrônicas de comunicação e informação (KENSKI, 2003, p. 49-50).

 

Alguns estudiosos, já há algum tempo, analisam as possíveis causas das dificuldades de aprendizagem no ensino em geral; particularmente no ensino de matemática algumas dessas dificuldades são bastantes conhecidas. De acordo com Oliveira (2007):

 

Na contemporaneidade, as tecnologias digitais de informação e comunicação estão presentes de forma intensa no cotidiano das pessoas. Permeiam a maior parte dos processos, de maneira condicionante, tendo a informação como elemento básico. Estruturam-se em termos lógicos na forma de redes, mantendo a possibilidade de resgate dos dados dos processos, das articulações, sem a necessidade de refazê-los. Contam com uma crescente convergência em direção de sistemas integrados (OLIVEIRA, 2007, p. 81).

 

As tecnologias estão cada dia mais presentes na vida das pessoas. Dessa forma, professores e alunos se deparam frequentemente com situações que necessitam da utilização de artefatos tecnológicos. No entanto, ainda existem grandes dificuldades em inserir a tecnologia no contexto escolar.

Por meio dessa visão significativa a respeito da importância das tecnologias de informação e comunicação (TIC), que se iniciou essa pesquisa, na qual busca-se investigar o software “Labirinto da Tabuada” como uma ferramenta de auxílio à aprendizagem e desenvolvimento de raciocínio-lógico ao ensino da disciplina de matemática.

O público-alvo desta pesquisa foi uma turma de 6ª série do ensino fundamental, de uma escola pública da rede estadual de ensino em Rorainópolis, RR. Com a realização de um estágio supervisionado, oportunizou-se a iniciação dessa pesquisa, que tinha como objetivo analisar em que maneiras o software educativo poderia trazer contribuições para o ensino de matemática naquela turma. Tendo em vista que a turma supracitada apresentava dificuldades notáveis no domínio das quatro operações, verificou-se que todas as tentativas por parte do professor colaborador em sanar essas dificuldades não surtiam resultados positivos.

 

  1. 2.      As TIC e o Ensino de Matemática

Atualmente, a evolução dos computadores tornou-se um elo entre as infinitas áreas de conhecimentos. Os computadores estão inseridos profundamente no desenvolvimento de diversas etapas da vida do homem e, como esperado, a tecnologia computacional faz uso da matemática teórica e experimental, ficando cada dia mais evidente que nossa vida é regida e composta por diversas facetas formadoras da matemática.

Mediante a essas constantes modificações e desenvolvimentos que a população está inserida, é inconcebível que a escola se afugente dessa realidade, existe a total necessidade da escola formar cidadãos atuantes e bem treinados para a convivência com uma sociedade totalmente globalizada. Nesse sentido os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN’s) dizem:

 

É indiscutível a necessidade crescente do uso de computadores pelos alunos como instrumento de aprendizagem escolar, para que possam estar atualizados em relação às novas tecnologias da informação e se instrumentalizarem para as demandas sociais presentes e futuras (BRASIL, 1998, p. 96).

 

Alguns pesquisadores na área da Educação Matemática ressaltam que o uso de tecnologias como auxílio nas aulas de matemática, contribui para um melhor aprendizado por parte dos alunos, tornando cada vez melhor a interação professor-aluno.

No entanto, é válido ressaltar as possíveis dificuldades com que se deparam algumas profissionais e instituições, visto que em algumas escolas é completamente inexistente o acesso a recursos tecnológicos; outras vezes depara-se com outro fator intrigante que é a falta de capacitação de professores no manuseio dos artefatos tecnológicos, comprometendo dessa forma a implantação da tecnologia no meio escolar.  

Os autores Frota e Borges (2008) atestam a importância de implantar as tecnologias, modificando o fazer e o pensar matemático, acreditando dessa forma que estes recursos podem ser excelentes ferramentas de ensino de Matemática. Denominam de “matematizar a tecnologia”.

 

  1. 3.      Dificuldades no Ensino de Matemática e o uso do Software Educativo

Apesar de vivenciarmos uma sociedade totalmente globalizada e em extrema ascensão tecnológica, a realidade em algumas escolas é que o ensino de matemática está estagnado em um modelo tradicional, no qual os conteúdos “repassados” para os alunos são totalmente incompatíveis com o contexto no qual os mesmos estão inseridos; há poucas aplicações da matemática no ambiente escolar.

Sobre o baixo desempenho dos alunos em matemática  SADOVSKY (2007, p. 15) esclarece que isso é um fator existente em muitos países.  Atualmente o ensino de matemática possui características do método tradicional, a também conhecida como pedagogia bancária, na qual o professor deposita bases nos alunos, para que estas sejam usadas subsequentemente em outras séries. 

Atualmente uma das maiores disparidades da Educação Matemática é a pequena aceitação da inserção de recursos tecnológicos na sala de aula, a utilização de recursos como a calculadora e computadores nas aulas, faz parte do processo de renovação do ensino de matemática, conforme D’Ambrósio (2010).

De acordo com Ponte (2000, p.2) enfatiza que o processo que viabiliza o uso das TIC longo, e acima de tudo existe duas questões envolvidas nisso: a tecnológica e a pedagógica. Devido a isso ainda é possivel notar as atitudes controvérsias de alguns professores, destacando issoo autor enfatiza:

 

Alguns olham-nas com desconfiança, procurando adiar o máximo possível o momento do encontro indesejado. Outros usam-nas na sua vida diária, mas não sabem muito bem como as integrar na sua prática profissional. Outros, ainda, procuram usá-las nas suas aulas sem, contudo, alterar as suas práticas. Uma minoria entusiasta desbrava caminho, explorando incessantemente novos produtos e idéias, porém defronta-se com muitas dificuldades como também perplexidades. (PONTE, 2000, p.2)

 

Destacando as finalidades e a importância da utilização de recursos tecnológicos no ensino de matemática, Gladcheff, Zuffi e Silva (2001):

 

Os computadores têm-se apresentado de forma cada vez mais frequente em todos os níveis da educação. Sua utilização nas aulas de Matemática do Ensino Fundamental pode ter várias finalidades, tais como: fonte de informação; auxílio no processo de construção de conhecimento; um meio para desenvolver autonomia pelo uso de softwares que possibilitem pensar, refletir e criar soluções. O computador também pode ser considerado um grande aliado do desenvolvimento cognitivo dos alunos, principalmente na medida em que possibilita o desenvolvimento de um trabalho que se adapta a distintos ritmos de aprendizagem e favorece a que o aluno aprenda com seus erros. (GLADCHEFF; ZUFFI; SILVA, 2001, p. 1).

 

Torna-se relevante a questão da utilização dos recursos corretos em sala de aula; cabe  ao professor analisar o contexto dos alunos e, a partir daí, escolher o recurso mais adequado para a utilização. Os softwares educativos tem desempenhado um importante papel no que se refere a ferramentas de auxílio para o desenvolvimento de propriedades cognitivas nas aulas de matemáticas, visto que os mesmos possibilitam ao aluno fazer experimentos utilizando modelos matemáticos.

Software educacional é todo software que contempla quaisquer objetivos educacionais utilizados por professores e alunos. É relevante ressaltar que a qualidade, interface e importância pedagógica  do software devem ser previamente  analisadas para que o mesmo venha a contemplar seus objetivos educacionais, pois apenas dessa forma será possível  atender às áreas de aplicação a que se destina e, principalmente, permitir que os seus usuários tenham o melhor aproveitamento possível no momento da utilização, conforme Lucena (2008).

 

  1. 4.      Aprendizagem significativa

É relevante ressaltar que quando trabalhamos com quaisquer recursos no âmbito da sala de aula, sendo ela computacional ou não, torna-se importante analisar de que maneiras o aluno relaciona e compreende os novos conceitos e objetivos trabalhados por essa ferramenta, com os conhecimentos prévios já existentes.

David Ausubel, citado por (DORNELES et al, 2006) aponta a Aprendizagem Significativa como sendo a incorporação de um novo conteúdo compreendido pelo aluno através da relação do novo conteúdo com o conhecimento prévio já existente.

No âmbito da sala de aula, quando o professor, por meio de seus objetivos de ensino, não consegue fazer a ligação do conteúdo a ser aprendido com algo já conhecido, acontece uma aprendizagem mecânica, no qual os novos conhecimentos não apresentam relação alguma com os existentes na estrutura cognitiva do aluno.

De acordo com (PELIZZARI et al, 2002), quando o aprendizado do aluno caracteriza-se pelo decoração de conceitos e não pela aprendizagem significativa, a aplicação dos novos conhecimentos se limitará a resolução de problemas de “papel e lápis”.

Com base na teoria da Aprendizagem Significativa de Ausubel, (PELIZZARI ET al, 2002) enumera duas questões essenciais para que venha a ocorrer a aprendizagem significativa: primeiramente  o aluno apresentar  a motivação positiva para aprender, e segundo, o conteúdo apresentado deve ter características significativas para o aluno, tanto na sua compreensão como aplicação. No entanto, é relevante ressaltar que para ocorrer a aprendizagem significativa, os indivíduos envolvidos (alunos) são fatores decisivos nesse processo, visto que um novo conhecimento pode ser relevante para uma pessoa e já para outra, não.

O processo gerador da aprendizagem significativa defendida por Ausubel se dá de duas formas, relatadas como por repetição e descoberta. Partindo dessas concepções o conhecimento obtido de forma significativa é concebido de maneira mais simples e sua aplicação torna-se um processo natural no cotidiano do aluno.

Mediante essas considerações, pode-se constatar que os recursos e métodos utilizados pelo software “Labirinto da Tabuada”, podem ser encaradas como possíveis mediadores de uma aprendizagem significativa dos conceitos matemáticos, visto que este software em sua interface de utilização requer como fator impulsionador que o aluno se utilize de modelos matemáticos, ou modelação matemática para o desenvolvimento das atividades.  Defendendo essa ideia Burak & Barbiere (1994), fala sobre uma relação existente entre a modelação matemática e a teoria de Ausubel, visto que por meio da modelação matemática podem-se contemplar fatores determinantes da aprendizagem significativa, no qual o aluno modela situações e problemas do cotidiano para melhor compreensão de conceitos matemáticos, tornando-se dessa forma um indivíduo atuante e participativo no meio no em qual está inserido.

 

  1. 5.      Metodologia: Público-alvo, observação e teste escrito.

Com o objetivo da intervenção didática  na turma, no primeiro momento realizou-se uma observação não-participante de caráter qualitativo das aulas de matemática durante 5 dias, para analisar como se davam as dificuldades da turma na aplicação dos conceitos das quatro operações fundamentais.

Participaram da pesquisa 25 (vinte e cinco) alunos do Ensino Fundamental da Escola Estadual Antonia Tavares da Silva, localizada no Município de Rorainópolis, Estado de Roraima. Durante os cinco dias de observação durante as aulas de matemática, observou-se que os alunos demonstravam bastante dificuldades na realização de quaisquer atividades que envolvessem o uso de conceitos das quatro operações fundamentais;  isso pôde ser constatado por meio das observações e das avaliações feitas pelo professor colaborador da turma.

No segundo momento, objetivando analisar de perto essas supostas dificuldades dos alunos, elaborou-se um teste escrito contendo 8 questões que envolviam as  operações fundamentais, conforme encontrado abaixo:

Responda as seguintes operações:

  1. 180 x 4 =                                               5.    81 : 9 =         
  2. 235 x 2 =                                               6.    75 : 5 =
  3. 450 x 5 =                                               7.    42 : 7 =
  4. 700 x 2 =                                               8.    32 : 4 =

Após o término da aplicação do teste escrito, verificou-se que 75% da turma não conseguiram resolver a maioria das questões corretamente, e que os 25% que conseguiram demonstraram dificuldades e na resolução das questões.

O terceiro momento da intervenção didática seu deu com a utilização do software educativo “Labirinto da tabuada”.

 

5.1   O software

O software “Labirinto da Tabuada” foi desenvolvido numa linguagem muito simples, o que permite que os alunos manipulem rapidamente seus recursos, também possibilita que os alunos se utilizem de conceitos cognitivos (no caso da tabuada), utilizando modelos matemáticos por meio do computador. Este software possibilita ao professor ajuda para trabalhar o desenvolvimento do raciocínio-lógico, como também uma aprendizagem mais significativa dos conceitos das quatro operações fundamentais.

Este jogo baseia-se em um jogo de futebol onde o jogador deve conhecer os múltiplos de um número. Este jogo foi desenvolvido pelo professor Antônio Carlos Bigode e está nos livros didáticos que ele escreve. A “Nova Escola” fez esta versão eletrônica, e pretende-se utilizar este jogo de domínio público no Ensino Fundamental.

Abaixo, temos a tela inicial do software “Labirinto da Tabuada”.

 

Figura 1 Página inicial do software.

 

5.2  Aplicação software “Labirinto da Tabuada”

Um dia após a análise do teste escrito aplicado aos alunos da turma, os alunos foram levados até o laboratório de informática da escola, onde ali tiveram o primeiro contato com o software. Após uma breve explicação, devido tratar-se de um software de linguagem simples, se deu início a uma competição na qual dividiu-se a turma em duas equipes, com o objetivo de quem percorresse o caminho pelas casas formadas por tabuadas, até o gol cometendo menos penalidades, seriam os campeões.

Após o término da atividade obteve-se uma equipe campeã, a qual ficou eufórica pela conquista. Com isso, baseando-nos nas observações durante a aplicação e conversação com os alunos após a atividade aplicada, pôde-se constatar a melhor aceitação dos conceitos matemáticos a partir de um software. Visto que as questões abordadas no teste escrito faziam justamente referência às questões encontradas no software. No entanto, os alunos foram mais rápidos e tiveram muito mais facilidades para resolver as questões propostas posteriormente por meio do software.

 

Reflexões acerca dos resultados

Mediante as experiências vivenciadas por meio dessa pequisa, pôde-se analisar experiências baseadas nos relatos de Pimentel e Paula (2007) que por meio de pesquisas realizadas na área da Educação Matemática puderam concluir que o aluno quando torna-se usuário de um software educacional orientado por bons objetivos de ensino, desenvolve bem mais rápido inferências sobre os conteúdos de que numa sala de aula caracterizada pelos métodos tradicionais de ensino.

Com base nisso, evidenciou-se por meio da pesquisa a relevância do uso do software educativo, não como uma metodologia radical e substituta, mas como um auxílio no processo educativo. Cumprindo as admoestações dos PCN’s sobre o papel da escola de formar cidadãos críticos e reflexivos, o professor deve desempenhar um papel de incentivador no que se refere a utilização das TIC’s, visto que elas quando bem utilizadas podem fazer o aluno além de ter um melhor aprendizado, efetuar uma ligação entre o resultado da apredizagem no ambiente escolar com o do seu cotidiano, tornando-o atuante na sociedade. Por meio da experiência obtida pela utilização do “Labirinto da Tabuada”, verificou-se uma motivação surpreendente por parte dos alunos, houveram até mesmo relatos dos alunos  comentando:

“o jogo é muito legal fica bem mais divertido estudar matemática assim e ainda tinha futebol.”

Dessa forma envidenciou-se características da aprendizagem significativa defendida por Ausubel, que consiste na relação entre os conhecimentos prévios com os concetios específicos ou científicos, é relevante ressaltar que sempre essas ações devem ser mediadas pro professores bem preparados e planejados para eventuais mudanças de estratégias.

De acordo com Burak & Barbiere (1994), métodos didáticos baseados em simulação e a tendência investigativa modelagem matemática possibilitam o processo da  aprendizagem significativa, visto que ambos se caracterizam como uma ferramenta capaz e eficaz para a compreensão e interpretação da realidade, fazendo com que surjam resultados benéficos no que se refere ao desenvolvimento da congnição e do pensamento lógicomatemático, contribuindo dessa forma para um melhor processo de ensino-aprendizagem. A utilização desses métodos na sala de aula, faz com que o aluno aprenda participando, tornando-se um sujeito ativo e participativo, sendo capaz de escolher os caminhos para alcançar seus objetivos, absorvendo mais significamente os conhecimentos.

É digno de nota que o uso do software educativo de simulação e modelagem  computacional, deve ser visto como uma ferramenta de auxílio no processo de ensino-aprendizagem e nunca como o todo do método. Para efetivação de todo esse processo e contribuições enfocadas nesse estudo o professor no âmbito da sala de aula de exercitar a capacidade do aluno opinar, debater e questionar os resultados encontrados no processo de ensino-aprendizagem.

Quando afirmamos que estamos vivenciando uma época na qual as novas tecnologias constituem as relações socias e interacionais, devemos ter em mente que no campo educacional é impossível o professor “num estalo de dedo”, modificar toda a sua práxi inserindo as TIC no contexto das aulas.

È relevante ressaltar que para a utilização dessas tecnologias em suas aulas, os professores necessitam ter tido conhecimentos referente a isso na sua formação, visto que o processo de formação de professores tem a responsabilidade de fornecer as bases dos saberes e  das técnicas pedagógica.

Outro fator importante é o fornecimento não só de infraestrutura necessária para a utilização das TIC como também de ofertas de cursos de formação continuada  que compreendam instruções a respeito do desenvolvimento dos programas escolares, que envolvem os saberes curriculares, a saber objetivos, conteúdos e métodos. Na grande maioria das vezes o que se ver é que nem os cursos de formação inicial, nem a possível formação continuada fornecida, têm sanado as deficiências dos educadores, tornando mais difícil a inserção das TIC no cotidiano das aulas.

Todos esses fatores gera reflexões acerca dos cursos de formação inicial e de cursos cronologicamente curtos  de formação continuada, visto que para a obtenção de habilidades necessárias para o uso das TIC necessita-se de tempo, sem essas particularidades é impossível uma renovação na prática docente.

Referências Bibliográficas

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais:

terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares

nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BURAK & BARBIERE. Artigo sobre: Modelagem Matemática e suas implicações para uma “Aprendizagem significativa”, 1994. Disponível em . Acesso em 17/04/11.

DORNELES, et al. Simulação e modelagem computacionais no auxilio a aprendizagem significativa de conceitos básicos de eletricidade: parte I – circuitos elétricos simples. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 28, n.4, 2006, disponível em . Acesso em 11/09/11.

D´AMBRÓSIO, U. Informática, Ciências e Matemática. In: . Acesso em em 04 de março de 2012.

FROTA, Maria Clara Rezende; BORGES, Otto. Perfis de entendimento sobre o uso de tecnologia na educação Matemática. GT: Educação Matemática, n.19, CNPQ, 2008. Disponível em . Acesso em 04 jan. 2011.

 

GLADCHEFF, A. P., ZUFFI, E. M., SILVA, D. M. Um Instrumento para Avaliação da Qualidade de Softwares Educacionais de Matemática para o Ensino Fundamental. In: VII Workshop de Informática na Escola, 2001, Fortaleza – CE. Anais. Disponível em: www.ime.usp.br/dcc/posgrad/teses/anapaula/artigoWIE.PDF. Acesso em maio/2012.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e a distância. Campinas, SP:

Papirus, 2003.

LUCENA, M. Diretrizes para a capacitação do professor na área de tecnologia educacional: critérios para a avaliação de software educacional. Disponível em:. Acesso em: 15 julh. 2011.

OLIVEIRA, G. P. Avaliação em cursos on – line colaborativos: uma abordagem multidimensional. Tese de doutorad o– Educação. São Paulo: USP, 2007.

PELIZZARI et al. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Revista PEC, bomjesus. BR, Curitiba, v.2, n.1, p.3742, jul. 2002. Disponível em . Acesso em 23/04/12.

PIMENTEL, Ronaldo Abraão; PAULA, Maria José. A dinâmica dos processos de aprendizagem em uma atividade de investigação. Encontro Nacional de Educação

Matemática, IX, Belo Horizonte. Anais. Recife: SBEM, p.1-10, 2007.

PONTE, João Pedro da. Tecnologias de informação e comunicação na formação de

professores: Que desafios? Revista Ibero-Americana de Educación. OEI. N. 24, septiembre/diciembre, 2000. Disponível em http://www.oei.es/revista.htm. Acesso em

23/11/06.

SADOVSKY, P. Falta Fundamentação Didática no Ensino da Matemática. Nova

Escola. São Paulo, Ed. Abril, Jan./Fev. 2007.

 

 
Download do artigo
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também