O REALISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL
 
O REALISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL
 


O REALISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL

10.1.REALISMO EM PORTUGAL (1865-1890):

Não resta dúvida de que o Realismo em Portugal nasceu com a chamada Questão Coimbrã. Em Lisboa a geração Romântica foi comandada por Feliciano de Castilho, sempre fiel à corrente.

Em Coimbra um grupo se mantinha ligado ao Realismo de Antero de Quental.

Os partidários de Antero de Quental, aguardavam a oportunidade de atacar os partidários de Castilho. Cada grupo defendia o seu estilo.

Em l865 Castilho, num pósfácio, colocou no Poema da Mocidade de Pinheiro Chagas,
uma pequena referência a Coimbra, afirmando lhe faltar "bom senso e bom gosto", falando nominalmente os nomes de Teófilo Braga e Antero de Quental.

O fato é que Antero de Quental se achou ofendido e foi o quanto bastou para inflamar
um ardor revolucionário da mocidade, que aguardava um momento para publicar seus ideais.

Em resposta a Castilho, Antero escreve em termos agressivos em uma carta aberta: "Bom senso e bom gosto".

A questão continuou. As palestras públicas de l87l foram expostas e debatidas várias questões tendentes à definição das diretrizes da nova literatura.

A geração Realista, também conhecida por geração de l870, inaugurou em Portugal o primado da ciência e do Positivismo e aceitou e difundiu as teorias revolucionárias acerca
da história e da cultura.

A época foi cruzada por 3 escolas literárias: A Realista, a Naturalista e a Parnasiana. Em Portugal não houve uma separação nítida entre estas três escolas.

O Realismo em Portugal atendeu mais os desígnios da revolução social e política.

10.2.POESIA REALISTA - POETAS E OBRAS

A poesia é pragmática, servindo o verso de arma de combate, de reforma social e política. O sentido revolucionário era o traço característico da poesia Realista. A bandeira da revolução social e artística empunhada pela geração de 1870, levará a poesia portuguesa à exaltação do ideário realista, deixando à sombra as vozes tímidas do Parnasianismo com seus relicários ."A poesia realista é a voz da revolução"- proclamava Antero de Quental.
Guerra Junqueiro afirmava - "A poesia realista deve ter um caráter científico" e mais "A poesia é a verdade transformada em sentimento".

A lei de Newton tanto pode ser explicada num livro de Física como cantada em verso.
O poeta transforma-a numa análise sentimental. "A nossa época é uma época de análise, de crítica, de observação e a poesia há de obedecer a essa tendência irresistível. Quase todos os poetas da época seguiram esse ideal.

O lirismo realista é bastante variado e complexo, aparecendo ao lado da poesia social, comprometida com a revolução, a metafísica, aproximando-se do quotidiano. Os principais poetas são:

1.João de Deus - "Campo de flor".

2.Antero de Quental -1a. fase-"Raios de extinta luz", "Primaveras Românticas", "Harpa do Crente", 2a. fase: "Odes Modernas", 3a. fase: "Sonetos completos".

3.Guerra Junqueiro-"A morte de D. João", "A velhice do Pe. Eterno"," Oração ao pão e Pátria;

4.Gomes Leal - "Claridades do sul", "História de Jesus", "A senhora da melancolia".

5.Cesário Verde - "Horas mortas", "O sentimento dum Ocidental".

10.3.A PROSA DE FICÇÃO - AUTORES E OBRAS:

É uma prosa de combate, de ataque à mentalidade romântica e burguesia. Eles procuravam mostrar os erros básicos da mentalidade romântica. Os romances realistas propõe-se a revelar que os alicerces dos românticos estavam profundamente abalados. O estilo de vida não se apoiava mais na moda romântica, não tinham mais forças para resistir devido às novas descobertas científicas e filosóficas da 2a. metade do séc. XIX. A burguesia como classe social dominante, a monarquia como classe imperante e reinante, o clero como força ideológica, não eram mais capazes de se transformar aos novos tempos. Era preciso abatê-los, destituí-los e substituí-los. Daí surge o caráter antiburguês, antimonárquico e autoclerical no romance realista. Precisava-se criar uma obra artística. O romance precisava receber o tratamento estético na nova corrente, sendo dirigido nas novas mentalidades. Entre os autores temos:

1.Eça de Queirós - 1a.fase: "Uma campanha alegre", "O mistério da estrada de Sintra"
2a.fase: "O crime do Pe.Amaro", "O primo Basílio", "Os maias".
3a.fase: "A ilustre casa dos Ramires", "A cidade e as serras".

2.Fialho de Almeida: "O país das uvas", "A cidade do vício".

3.Abel Botelho: "O senhor deputado", "O bastardo", "O livro de Alda".

10.4.ÉPOCA DE TRANSFORMAÇÃO:

Os exageros provocados pelo Romantismo e as grandes transformações operadas na época, fizeram com que o estilo literário fosse tomando novos rumos. Acabava o tempo do sonho, da fantasia e aparecia um mundo real, para ser visto, sentido e apalpado. A sociedade européia estava completamente mudada e novos princípios foram adotados. A classe média passou a ter acesso ao poder, orientada pelo manifesto de Karl Marx e Engels. Nota-se também o enorme avanço científico, novas descobertas e novas teorias. O comércio, a indústria tomaram um grande impulso. Também na Filosofia tivemos grandes progressos. O Positivismo estava em franco apogeu. As artes desenvolveram-se estrondosamente, refletindo caracteres da nova corrente.

O Realismo originou-se na França e teve como precursores vários elementos como Darwin com a "Teoria das espécies", Balzac, criador do romance moderno, Stendhal e Dostoievsky. Todos contribuíram para a expansão da corrente.

O francês Gustave Coubert pintou dois quadros: "Um enterro em Órleans ( l85l), e "As Banhistas (l853), mostrando as características na pintura. Na Filosofia Positivista vamos encontrar Augusto Comte. São também difundidas as idéias de Shopenhawer que não acreditava nas utopias.

O estilo iria firmar-se com Gustave Flaubert que escreveu "Madame Bovary"(l857) lançando de uma vez por todas as bases do Realismo.

10.5.CARACTERÍSTICAS DO REALISMO:

As características realistas têm como base o "real", a "razão" e a "ciência". Enumeraremos algumas características do Realismo:
1.Cientificismo (tudo se baseia na ciência)
2.Filosofia (Positivismo);
3.Uso de nomes e lugares vulgares;
4.Variados detalhes
5.Personagens simples da vida real;
6.Fatos da realidade, do cotidiano;
7.Temas atuais;
8.Materialismo;
9.Estilo simples, claro, objetivo;
10.Narrativa lenta;
11.Apoio à razão, à ciência, à inteligência;
12.Observação, análise, crítica;
13.Coisas e fatos reais.

10.6.REALISMO NO BRASIL (1881-1893):

O Realismo foi introduzido no Brasil em meio a intensas agitações. Estas vão, de uma
maneira a outra, influir na nova estética. Entre as agitações, podemos destacar: A guerra do Paraguai, Abolição da escravatura; Idéias republicanas; Avanço da técnica e da ciência; Questão religiosa (Expulsão dos maçons dos grupos religiosos); Questão militar (imperador pune oficiais por discutirem assuntos militares publicamente).

Houve um desenvolvimento geral no país e uma grande mudança na mentalidade do povo. Começou o trabalho assalariado, desenvolveu muito o comércio internacional, expandiu a Filosofia (Positivismo), a pintura e a arquitetura. A economia do país cresce, a sociedade rural domina.

Surge no país dois grupos de intelectuais, o de Recife liderado por Tobias Barreto e o
do sul liderado por José Bonifácio, o moço.

Em l88l Machado de Assis publica:"Memórias Póstumas de Brás Cubas" traçando as
bases do Realismo brasileiro.

10.7.ROMANCE REALISTA:

O romance Realista vai focalizar o homem brasileiro, sua vida, seus anseios, sua luta e a vontade de vencer, como se fosse sua própria biografia. O autor usa para isto uma linguagem clara e objetiva, analisando, observando e fazendo a crítica sobre o que foi visto, às vezes uma autocrítica. A narrativa é muito lenta e há uma grande quantidade de detalhes,tentando aproximar o objeto o mais próximo da realidade. O homem comum passa a ser o centro da narrativa. Os principais autores são:

1.José Maria Machado de Assis (Rio 1839-1908) Órfão, tímido, epiléptico, mestiço, teve um começo de vida muito difícil. Como era pobre não frequentou escolas regularmente, estudou sozinho. Foi um autodidata. Aos dezesseis anos encontrou Paula Brito, dono de uma tipografia e que muito ajudou Machado de Assis. No jornal de Paula Brito "Marmota
Fluminense" Machado publica "Ela", um poema ruim, mas seu primeiro trabalho.
Mais tarde foi funcionário público do ministério de viação. Casa-se com Carolina a quem dedica um soneto. Esta senhora muito ajuda Machado de Assis. Não fosse ela e, talvez, teríamos perdido muito do grande autor.
A vida difícil de Machado de Assis, vendedor de doces, operário de Gráfica, revisor, vendedor de livros, escriturário, jornalista, fez com que ele escrevesse sobre temas variados. Assim os críticos dividem sua obra em duas fases:

PRIMEIRA FASE: O autor mostra-se preso à escola Romântica. Em suas obras há o predomínio do amor (não exagerado), um leve toque de humor. Escreveu romance, teatro,
poesia.Obras: Romance - "Ressurreição", "A mão e a luva", "Helena", "Iaiá Garcia", Contos: "Contos Fluminenses", "Histórias da meia noite", Poesias -"Crisálidas", "Falenas", "Americanas", Teatro - "Os deuses de Casaca", "O protocolo", "Queda que as mulheres tem para os tolos", "Quase ministro", "Desencantos", "Tu, só tu puro amor", "Caminho da porta".
SEGUNDA FASE: Machado de Assis introduz o Realismo no Brasil através de "Memórias póstumas de Brás Cubas". É a maioridade do autor. Escreve verdadeiras obras primas. Nesta fase ele rompe definitivamente com o Romantismo. Segue o modelo inglês: períodos curtos, uso de reticências, domínio da razão, porém usa inúmeros detalhes. Obras: Romance: "Memórias póstumas de Brás Cubas", "Dom Casmurro", "Quincas Borba", "Esaú e Jacó", "Memorial de Aires" Contos: "Papéis Avulsos", "Histórias sem data","Várias histórias", "Relíquias da casa velha", "Páginas Recolhidas", "O alienista", Poesias - "Ocidentais", "Criticas teatrais e literárias". Machado de Assis foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras e seu primeiro presidente.

2.Raul D'Ávila Pompéia (Angra dos Reis RJ 1863-Rio 1895) Formado em Direito. Foi republicano e participou de lutas abolicionistas. Exerceu o jornalismo e foi diretor da Biblioteca nacional. Teve uma vida bastante agitada. Sua melhor obra é "O Ateneu", que descreve as experiências vividas no colégio Abílio. O livro fala da vida dos alunos internos: amizade interesseira, sexualidade, homossexualismo, educação arbitrária no colégio. "O Ateneu é considerado um romance psicológico. O autor, porém, se afasta um pouco da realidade vivida, uma vez que se deixa levar pelo ódio e quase tudo, principalmente pela severidade de Aristarco (Diretor do colégio no livro). Obras: "O Ateneu", "Uma tragédia no Amazonas", " Canções sem metro", "As jóias da Coroa".

3.Rui Barbosa de Oliveira (Salvador Ba.1849-1923)- Advogado, homem inteligentíssimo.Escreveu muito, porém quase todas as suas obras estão dentro da jurisprudência. No entanto algumas se destacam na literatura. Entre elas temos: "Saudação a Anatole France", "Páginas Literárias", "Oração aos moços", "Elogio de Castro Alves".
 
Avalie este artigo:
(4 de 5)
26 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Henrique Araújo
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Henrique Pompilio de Araújo - Paranaense, formado em Letras, Direito e Teologia. Professor aposentado. Escritor com alguns livros publicados e muitos artigos distribuidos por jornais e revistas. Atualmente dirigindo o Lar Espirita Caminheiros da Luz. Residente e domiciliado em Cuiabá, casado, pai de...
Membro desde maio de 2009
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: