O que se Comemora no Natal?
 
O que se Comemora no Natal?
 


O QUE SE COMEMORA NO NATAL?

O Natal, como conhecemos, é uma comemoração essencialmente cristã, pois celebra o nascimento de Jesus Cristo.

Todos os anos, em dezembro, falam muito no Natal e pouco no aniversariante, embora se comemore no dia 25 de dezembro, não se pode precisar o dia, o mês ou o ano em que ele nasceu. Muitos estudiosos acreditam que tenha ocorrido entre março e novembro, quando o clima no Oriente Médio é mais ameno. O inverno, em dezembro, é muito rigoroso e seria muito difícil algum bebê ter nascido em uma estrebaria nesse período.

A data foi decretada pela Igreja no ano 525, pelo papa João I, para coincidir a data com festas pagãs do Oriente e de Roma e, assim, atrair pagãos ao cristianismo. Na verdade, o importante não é o dia certo em que Ele nasceu, mas sim o fato dEle ter nascido.

O Filho do Homem nada fez daquilo que entre os homens garante a imortalidade, porque o que NELE havia de maior era ele mesmo. Ele não foi médico  e cura todas as enfermidades. Não foi advogado  e explica os princípios básicos de toda lei. Não foi poeta nem músico  e é a alma de todos os poemas e de toda a música da vida. Não foi orador  e é o intérprete de todos os corações. Não foi literato  e escreveu no livro dos séculos a mais bela página. Não foi artista  e enche de luz os gênios de todos os tempos. Não foi estadista - e fundou as mais sólidas instituições da sociedade. Não foi general  e conquistou milhões de almas e países inteiros. Não foi inventor  e inventou o elixir (vinho) de perene felicidade. Não foi descobridor  e descortinou aos mortais mundos encantados de imortalidade.

Ele não repudiava madalenas nem apedrejava adúlteras, mas lançava às penitentes palavras de perdão e de vida. Não abandonava ovelhas desgarradas nem filhos pródigos, mas cingia (pegava) nos braços a estes e levava aos ombros aquelas. Estamos a dois dias da data em que nasceu Aquele que ocupou toda sua vida levando palavras e gestos de paz à humanidade. Em sua trajetória, revelada nas páginas da Bíblia, Jesus Cristo, o filho de Deus, sempre se mostrou decidido, pronto para lutar contra as injustiças sociais.

Como pessoa, Jesus passou seus dias pregando a paz e a compreensão entre os homens e morreu para depois se eternizar como o maior símbolo de humildade entre os seres humanos, no seu mais digno exemplo de fé e religiosidade. Neste Natal, ao se comemorar o dia de Seu nascimento, todos deverão estar mais próximos de si na mais grata missão de disseminar o bem e a comunhão entre as pessoas, gestos resumidos pelas palavras de Jesus quando falou a seus discípulos que é preciso amar ao próximo como a si mesmo e amar o próximo acima de tudo.

E POR QUE O NATAL É LEMBRADO COMO A VINDA DO PAPAI NOEL A NOSSAS CASAS, NOS TRAZENDO PRESENTES?

Mais um Natal e ano novo se aproximam. Mais caixas de cerveja estão sendo estocadas nos freezers. Mais dinheiro sendo gasto com fogos de artifício. Mais pessoas apinham as lojas em busca da roupa ideal para o réveillon e de presentes para a família.

Mas, e o aniversariante? Quantas pessoas realmente se lembram de que toda essa celebração só existe porque escolheram o dia 25 para lembrar-se do maior de todos os nascimentos: o de Jesus? Se as pessoas, em lugar de se encher de comida e bebida, procurassem pensar no verdadeiro sentido do Natal, ficariam profundamente comovidas com a constatação de que Deus, o Criador do Universo, decidiu vir a este mundo infectado pelo pecado e assumir a forma de um frágil bebezinho.

O verdadeiro sentido do Natal consiste no fato de que Deus Se identificou conosco, calçou nossas sandálias, sofreu, sentiu sede, fome e frio. Por isso mesmo, quando Ele diz que compreende nossa luta e nossas dores, está falando com a autoridade de quem as viveu ao extremo.

Os fatos exemplificados acima, nos levam a pensar que o Natal agora é uma festa universal, onde todos compartilham o mesmo espírito natalino (ou consumista) povoado por presentes e outros símbolos típicos; importação norte-americana nos simbolismos: neve, Papai Noel vestido com roupa de lã e botas, castanhas, trenós, renas.

O Natal traz o "papai noel", figura lendária que foi inspirada em São Nicolau, ou Santa Claus, bispo de Mira. Era uma pessoa muito caridosa que gostava de ajudar as pessoas. Um dia, foi preso por não renegar a ser cristão. Quando o imperador Constantino se converteu e mandou liberar todos os cristãos, Nicolau havia envelhecido. Quando saiu do cárcere, tinha a barba crescida e branca e tinha as roupas vermelhas que o distinguiam como bispo; contudo, os longos anos de cárcere não conseguiram tirar sua bondade e seu bom humor.

Mas antes de ser preso, Nicolau descobriu que o chefe da guarda romana, chamado Marco, queria apoderar-se de umas jovenzinhas se seu pai não lhe pagasse uma dívida. Logo, Nicolau se inteirou do problema e decidiu ajudá-las. Tomou três sacos cheios de ouro e na noite de Natal, em plena escuridão, chegou até a casa e colocou os sacos pela chaminé, salvando, assim, as meninas.

Os cristãos da Alemanha tomaram a história dos três sacos de ouro deixados pela chaminé no dia de Natal e a imagem de Nicolau ao sair do cárcere, para tecer a história de Papai Noel, velhinho sorridente vestido de vermelho, que entra pela chaminé no dia de Natal para deixar presentes para as crianças boas.

Mas nenhum destes personagens expressa o real significado dessas festas, pelo contrário, trazem a corrupção e a inversão dos valores expressos pelas mesmas. O verdadeiro Natal nos apresenta Jesus Cristo como o Salvador do mundo. Como disse o anjo aos pastores naquela noite: "Eis que vos trago boas novas que serão de grande alegria para todo o povo. É que hoje vos nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor."

O Natal aproxima pessoas, não as afasta. O Natal promove o respeito à vida e não aos bens materiais, pois Natal é vida, é Cristo que veio ao mundo, é alegria da vida nova.

O verdadeiro sentido do Natal reside na revelação de que Jesus pagou o preço da desobediência humana; Ele deixou os "noventa e nove" mundos e veio até este pequeno planeta, a "ovelha desgarrada" a fim de nos oferecer a oportunidade de fazer parte da família universal de Deus.

Antes de entregar o presente a vossos filhos, lembrem a eles que neste dia nasceu um irmão muito importante e o sentido desta comemoração, é lembrar que Jesus Cristo morreu por nós e que nós devemos pedir desculpas por essa ganância, corrupção que corroe o ser humano, mas não toma nenhuma atitude sensata para retornar a situação e continua repassar esta idéia a seus filhos.

Pensem nestas palavras e orientem bem seus filhos para a vida que Deus nos deu.

Feliz Natal...

 
Avalie este artigo:
(4 de 5)
26 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Junior Miranda Scheuer
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Formado no curso Superior de Tecnologia em Produção Sucroalcooleira, na Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, campus São Luiz Gonzaga. Pós-graduando em Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, Uninter. Professor no Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - Senac-RS...
Membro desde outubro de 2008
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: