O que Fazer para um Depto de PCP Funcionar??? ? parte I
 
O que Fazer para um Depto de PCP Funcionar??? ? parte I
 



Planejar é uma das atividades mais importantes dentro de uma organização e portanto deve ocupar um lugar de destaque dentro dela. Na verdade, mesmo planejando tudo muito direitinho, anda assim acontecem um monte de problemas, imagine, pois, sem faze-lo? Seria o masoquismo levado às últimas conseqüências. Para que sejam obtidos melhores resultados e aumento da competitividade no mercado, as empresas em geral tem como metas maximizar a produtividade, minimizar os custos e aumentar constantemente a qualidade final dos seus produtos, atendendo as demandas e cumprindo com os prazos de entrega estabelecidos. Nas empresas industriais o depto de planejamento e controle de produção, o nosso PCP, tem importância relativamente grande. Relativamente porque varia conforme o tipo de produção; numa indústria de produção seriada e automática, onde a matéria-prima entra de um lado e o produto acabado sai prontinho do outro, a rotina é tranquila e o peso do PCP é pequeno e praticamente se transforma em PCM (planejamento e controle de materiais). Inclusive os sistemas e softwares existentes (mrp/erp/mrp II), imaginam que todas as empresas são de produção seriada e focam toda a sua plataforma em controle de estoques, controles de custos e outras perfumarias, passando batido pelas necessidades das empresas de produção manufaturada e sob encomenda, que precisam automatizar o planejamento da fabricação, lá no caldeirão do diabo, no chão de fábrica. Aliás, nenhum destes sistemas mrp/erp/mrp II existentes no mercado atendem totalmente as necessidade de planejamento de manufatura de uma indústria de produção não seriada ou sob encomenda. Nenhum!
Numa empresa de produção por manufatura não seriada e/ou sob encomenda o buraco é mais embaixo, bem mais embaixo, na verdade muito mais embaixo ainda, e a importância e responsabilidades do PCP aumentam enormemente, uma vez que o cumprimento dos prazos, mais do que ser o objetivo da empresa em satisfazer as necessidades do cliente, é responsável também pela materialização da previsão de faturamento do mês. Portanto, dentro deste processo de busca dos objetivos a serem atingidos, o planejamento e controle da produção é o depto responsável pelo gerenciamento da produção, dos processos de fabricação, da logística, dos materiais, da disponibilidade de máquinas e mão-de-obra, do acompanhamento da fabricação, etc, etc e etc e inclusive se chover a culpa será do PCP. Então, a partir destes pontos de vista, a pergunta que não quer calar é: o que é necessário para um depto destes funcionar bem? O que é necessário para que tudo aconteça bonitinho como estão nos mapas de produção ou nas telas dos terminais? Bem, no ponto de vista do pessoal da empresa Elemaq ? Elementos de Máquinas, de Curitiba, deverá ter como fonte, um bom departamento de engenharia e projetos, altamente organizado e estruturado em termos de informações (listas ou estruturas de engenharia) dos produtos a serem fabricados. Sem um projeto de engenharia de produção bem detalhado e correto, com os respectivos delineamentos, tempos-padrão, especificação do processo de fabricação, e etc, as chances de um bom planejamento são praticamente nulas.
Observa-se ainda que indiferentemente da perfeição ou não do planejamento e controle da produção de uma indústria, os acontecimentos nem sempre ocorrem conforme o que foi planejado; na verdade quase nunca, por conta das imponderabilidades, erros de previsões e simulações, não-qualidade, entre outros fatores. Gargalos em processos de fabricação ou quebras de máquinas podem acontecer, fazendo com que a produção perda em produtividade. Há ainda o fato de que todas as indústrias, por mais que trabalhem em um mesmo segmento, possuem particularidades. Assim sendo, as empresas planejam e controlam sua produção de maneira totalmente ajustada e adaptada para sua realidade de trabalho; de acordo com o tamanho da indústria, do estilo de produção e da diversidade e quantidade de produtos fabricados, cada uma delas necessitará de um modelo particular de pcp totalmente estruturado de acordo com as suas necessidades e possibilidades. Tudo bem. Podemos de fato concordar que um bom depto de engenharia é forte garantia de sucesso de um depto de pcp, que ajuda e muito, mas ainda não é garantia de sucesso por si só.
Na verdade, várias ferramentas podem ser utilizadas dentro do contexto do planejamento e controle da produção; todas com o objetivo principal de auxiliar a gerência do pcp na tomada de decisões em casos de acontecimento de imprevistos e na análise do estudo comparativo entre o planejamento inicial e a realização efetiva dos processos de fabricação. Podemos ainda acrescentar os modelos e algoritmos usados pelos exegetas e puristas da infomatematicolândia, que possuem lindas equações e gráficos irados que convenceriam os mais incrédulos dos Tomés de que a encomenda daquela estatal de energia enorme seria entregue dentro dos prazos, porque a interseção da abcissa ki com a ordenada mn define o ponto de convergência polar superior, garantidor de que tudo dará certo, sem nenhuma dúvida. É, pode ser, mas ainda não é suficiente para garantir que o pcp vai funcionar. Ainda falta alguma coisa, como veremos na segunda parte deste artigo.
 
Avalie este artigo:
(3 de 5)
13 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Mauricio De Oliveira
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Mauricio de Oliveira é engenheiro industrial mecânico e consultor em sistemas de manufaturas, gestão industrial e gestão de qualidade (email: mauricio@ka[email protected]).
Membro desde agosto de 2010
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: