O papel do teatro no contexto educativo e social
 
O papel do teatro no contexto educativo e social
 


O papel do teatro no contexto educativo e social

 

 

                                                                                                                                               

 

 

RESUMO

 

O texto tem por principal função revelar a importância do teatro no âmbito social. Visto que a sociedade é um espaço privilegiado para as diferentes manifestações da expressividade do ser humano, na busca da construção de novos conhecimentos para seu desenvolvimento e redução das injustiças. Além disso, se constitui como um espaço excepcional de permanente interação dos indivíduos com o mundo e com os outros, porém não tem dado respostas suficientes e adequadas aos desafios impostos pelo acelerado ritmo do universo atual.

 

Palavras chave: teatro// sociedade// arte// educação.

 

 

O papel do teatro no contexto educativo e social

 

Durante muito tempo a disciplina de Educação Artística foi vista como uma “atividade menor” dentro do currículo escolar. Somente por meio da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, promulgada em dezembro de 1996 (Lei 9394/96), a área de Artes tornou-se obrigatória na Educação Básica. Com isso, ela começa a construir-se na estrutura curricular como área, com conteúdos próprios, ligados à cultura artística.

Embora as manifestações artísticas estivessem presentes na vida humana desde o início da civilização, sabemos que os governos ditatoriais no mundo inteiro preocuparam-se em reprimir qualquer tipo de expressão que fizesse o homem se reconhecer, construir identidades e, enfim, libertar-se da opressão. Ainda hoje, vivemos um processo de construção de uma sociedade democrática, enfrentando e tentando se adaptar aos modernismos, pilar do sistema capitalista, que vislumbra prioritariamente a formação de um indivíduo reprodutor dos interesses do mesmo.

Fazer de conta, fingir, imaginar ser outro, criar situações imaginárias são atitudes essencialmente dramáticas que são criadas pelo homem para desenvolver habilidades, capacidades e provir sua existência. A atuação é o meio pelo qual nos relacionamos com o outro, ou seja, estabelecemos um jogo. O indivíduo ao deparar-se com signos e situações novas, joga com esses até compreender e internalizar essa situação.

 O processo dramático é considerado um dos mais vitais para os seres humanos. Visto que este “pode ser observado em cada sociedade civilizada, variando de acordo com o desenvolvimento da civilização” COURTNEY, 2003.p.135). Sabemos então, que a característica essencial do homem é a imaginação criativa, esta o capacita para dominar o meio onde vive, superar suas limitações físicas e mentais distinguindo-o dos outros animais.

Nessa arte, o ideal é a verdade, e a realidade, uma cópia (ou imitação) dela. O teatro está ainda mais longe da verdade, porque imita a realidade. O ator também imita um personagem – imitar, porém, é transgredir. O teatro apresenta um grande perigo para uma platéia: pode levá-la a sucumbir a emoções que deveriam ser subjugadas.

Para a sociedade o movimento lúdico deveria ser encorajado para prevenir a indolência, enquanto que o jogo, em geral, conviria não ser nem liberal nem muito árduo, nem muito ocioso,fazendo distinção entre atividades que têm fim em si e podem ser desfrutadas por seus próprios objetivos (que é felicidade) e aquelas que são recursos para um fim. Como a educação deve preparar para a vida prática na sociedade e ao mesmo tempo proporcionar lazer, o jogo do teatro é de máxima importância.

Na atualidade as propostas de teatro na sociedade, apresentam argumentos diversos sobre sua contribuição para o desenvolvimento humano e aquisição de conhecimento estético e cultural. Aspectos do desenvolvimento são destacados especialmente no que se refere ao exercício teatral, que possibilita um distanciamento das atitudes e uma reflexão sobre o seu próprio comportamento, contribuindo para o acúmulo de conhecimento capaz de fazê-lo adaptar-se em qualquer ambiente através da razão. O pensamento dramático deve ser auxiliado e assistido por todos os métodos modernos de educação, visto que, os métodos educativos geralmente se realizam por metáforas, principalmente nos primeiros anos da escolaridade, por isso é essencial o entendimento e compreensão desta linguagem e produção de sentidos na criança.

O universo da arte caracteriza um tipo particular de conhecimento que o ser humano produz a partir das perguntas fundamentais que desde sempre (não só na infância), se fez com relação ao seu lugar no mundo. A manifestação artística tem em comum com o conhecimento científico, técnico ou filosófico seu caráter de criação e inovação, essencialmente, o ato criador.

O teatro situa-se no ponto de encontro entre o particular e o universal da experiência humana. Cada obra teatral é, ao mesmo tempo, um produto cultural de uma determinada época e uma criação singular da imaginação humana, cujo valor deveria ser universal.

As formas artísticas apresentam uma síntese subjetiva de significações construídas por meio de imagens poéticas (visuais, sonoras, corporais, ou de palavras, como no texto literário ou teatral). O que distingue essencialmente a criação artística das outras modalidades de conhecimento humano é a qualidade da comunicação entre os seres humanos que a obra de arte propicia, por uma utilização particular das formas de linguagem.

A emoção é movimento, a imaginação dá forma e densidade à experiência de perceber, sentir e pensar, criando imagens internas que se combinam, para representar essa experiência. A faculdade imaginativa está na raiz de qualquer processo de conhecimento, seja científico, artístico ou técnico.

Além do conhecimento artístico como experiência estética direta da obra de arte, o universo da arte contém também um outro tipo de conhecimento, gerado pela necessidade de investigar o campo artístico como atividade humana. Tal conhecimento delimita o fenômeno artístico: como produto das culturas e como parte da História.

A educação dramática, iniciada com a criança, tem motivado estudos de principia pelo que a criança é, e a deixa evoluir, complexa e inteira; reconhece que o jogo da criança é uma entidade em si mesma, com seu valor próprio.

Reconhece que a imaginação dramática capacita a criança (o adulto e toda a sociedade de uma outra maneira) a ver a relação entre idéias e sua interação, e que, através da personificação e identificação, possa compreender e apreender o mundo que a rodeia.

A utilização do teatro no processo de ensino e a dramaticidade na sociedade sempre foi uma necessidade como rituais religiosos ou ações sociais. O ato de dramatizar para auxiliar no processo de aprendizagem e de doutrinação, foi sempre utilizado, muitas vezes até como única metodologia, como é o relato da ação dos jesuítas e sua prática de ensino, talvez esse caminho tenha sido adotado por ser uma linguagem universal.

O teatro na escola, contribui com o objetivo geral da educação escolar, ou seja, valoriza o processo da formação consciente, organizada e uma atitude reflexiva diante das situações apresentadas ao aluno.

A participação do processo criativo do teatro na escola representa condições de ampliar a visão e o conhecimento o que contribuirá para realização da obra como um todo e para o reconhecimento individual do aluno na produção coletiva. Ao participar de um processo coletivo, mesmo não estando no palco como ator, o aluno reconhece sua obra: no cenário, na iluminação etc.

O teatro como atividade institucionalizada, ou a forma como se estabelece a manifestação teatral na sociedade atual, resultou de um processo de desenvolvimento através dos tempos, onde cada clã possuía paradigmas dramáticos intrínsecos e estes eram passados de geração a geração.

De acordo com COURTNEY (2003,p.207) “atualmente, a estrutura de nossa sociedade afeta materialmente a natureza do público, e, consequentemente, as peças e encenações em nossos teatros.” Podemos constatar isso diariamente em nosso meio.

Portanto se faz necessário, a proposta de realização, nas instituições de ensino, de estudos sobre as significações históricas do teatro e das suas diferentes funções sociais: como o homem utilizou o teatro para organizar o pensamento e promover a reflexão sobre as suas atitudes e comportamentos, assim como o surgimento das técnicas e o desenvolvimento da sociedade – pode contribuir para  ajudar o aluno a compreender a importância da atividade teatral e ampliar sua capacidade de estudo e reflexão sobre a produção de sentido, raciocínio e arte no teatro.

 

 

 

 

REFERÊNCIAS:

 

BRASIL. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros

Curriculares Nacionais – Arte. Brasília: MEC/SEF, 1997.

 

 

COURTNEY, Richard. Jogo, Teatro & Pensamento. São Paulo: Perspectiva,2003.

 

ROCHA, Ruth. Minidicionário da Língua Portuguesa. São Paulo: Scipione, 1998.

 

 
Avalie este artigo:
1 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Augusta Magnolia
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Pedagoga formada pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB - com Área de Aprofundamento em Supervisão e Orientação Escolar. Especialista em Gestão Escolar com ênfase em Direção, Supervisão e Orientação Educacional.
Membro desde fevereiro de 2010
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: