O DIREITO E A REPRESENTAÇÃO SOCIAL
 
O DIREITO E A REPRESENTAÇÃO SOCIAL
 


O DIREITO E A REPRESENTAÇÃO SOCIAL:

Muitos se fala sobre o direito pertencer a área social aplicada outros à área de humanas, mas,  o que realmente deve ser analisado e que tanto no campo das ciências, como em outros espaços da vida, como a arte, a religião, a política e até as tecnologias, as questões de como o indivíduo é representado  no mundo vem fazendo parte de grandes discussões desde a antiguidade. As construções do imaginário humano sobre o real exigem repensar constante sobre o caráter atribuído à relação entre o mundo material e simbólico, entre o objetivo e o subjetivo, entre os fatos e a respectivas compreensão desses valores, que  possam contribuir para a aplicação do direito em sua essência como ciência social jurídica, para que o operador do direito constitua de forma mais humana valores para instaurar uma ordem que  o possibilite  uma orientação mas assertiva na aplicação das leis no ambiente social, material e formal.

Desde os clássicos na sociologia, as discussões realizadas no campo das ciências jurídicas, enfatizam as representações sociais para maior compreensão do comportamento humano. Atualmente no campo das ciências humanas, o fenômeno das representações é um dos temas que mais tem sido estudado. Diversas correntes têm buscado compreender como se elabora as características humanas, mas o conceito de representação não é simples e nem encontra consenso entre as diversas teorias, pois cada teoria vai buscar entender a representação a partir dos seus pressupostos teóricos particulares.

A noção de representação Social foi inaugurada por Serge Moscovici, ele acredita que ela (a representação social) surge de um campo de estudo interdisciplinar, que vem se consolidando especialmente dentro da perspectiva da Psicologia Social, com o objetivo de apontar uma concepção para a psicologia e para as ciências humanas em geral e jurídicas. Neste sentido as Representações Sociais, são as apreensões e apropriações do real pelo indivíduo, que ocorrem nas interações sociais e possibilitam uma internalização de conceitos, favorecendo a sua compreensão do mundo, ou seja, a análise da ação para a construção da realidade de certo indivíduo.

Para as ciências jurídicas, compreender as Representações Sociais é de suma importância, pois contribuem para construção do decurso da vida cotidiana do homem, as maneiras de pensar e de sentir, partilhadas pelos membros de um grupo, auxiliando para uma análise jurídica para elaboração de uma defesa jurídica, sobretudo dentro de uma perspectiva de direitos humanos. Desta forma, a aplicação do direito pode ser pensada como expressão da cultura nas mudanças sociais ancoradas nas Representações Sociais.

Enfim, o direito e as Representações Sociais, tornam-se expressivos quando agrupados ao social, em que há uma diversidade de representações e um universo imenso e espetacular a ser explorado na tentativa de acrescentar, à ciência, à cultura, à sociedade, manifestações do indivíduo no coletivo e do coletivo no indivíduo, então se pode afirmar que o direito pertence às ciências sociais aplicadas, não descartando  as questões humanas, as redes de ideias, imagens e metáforas, fluidos que circulam no viés do descompromisso científico justificadora que permite legitimar, a posteriori, as tomadas de posição jurídicas e sobretudo comportamentais.

 
Avalie este artigo:
3 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Lair Ayres De Lima Filho
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Bacharel em direito, Assistente Jurídico no Escritório Essencial Advocacia e Consultoria.Publicou artigos no Estado de Minas,Web Artigos,etc.
Membro desde setembro de 2011
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: