O DETERMINISMO AMBIENTAL
 
O DETERMINISMO AMBIENTAL
 



A geografia emerge como uma disciplina acadêmica a partir de 1870. ate então, e desde a Antiguidade, a geografia compunha um saber totalizante, não desvinculado da filosofia, das ciências da natureza e da matemática.
As ultimas décadas do século IX caracterizavam-se por dois processos que são extremamente importantes para a historia do homem e da geografia. De um lado, o capitalismo passa a apresentar uma progressiva concentração de capitais, gerando poderosas corporações monopolistas e de uma nova expressão territorial.
O outro processo, que se vincula ao primeiro é o da fragmentação do saber universal em varias disciplinas.
Foi o determinismo ambiental o primeiro paradigma a caracterizar a geografia que emerge no final do século XIX, com a passagem do capitalismo concorrencial para uma fase monopolista e imperialista.
Cresciam aqueles paises ou povos que estivessem localizados em áreas meteorológicas mais propicias.
Fundamentando a tese do determinismo ambiental, estavam as teorias naturalistas de Lamarck sobre a hereditariedade dos caracteres adquiridos e as de Darwin sobre a sobrevivência e a adaptação dos indivíduos mais bem dotados em face do meio natural.
Foi Herbert Spencer, filosofo inglês do século XIX, o grande defensor das idéias naturalistas nas ciências sociais. Ainda que ele não tivesse sido o expoente maximo.
O determinismo imprimiu-se profundamente no nascimento da geografia, se justificava o progresso através das riquezas naturais.
A Inglaterra torna-se nesse momento, a grande metrópole imperialista. O determinismo ambiental justificava a expansão territorial através da criação de colônias de exploração no continente africano, e de povoamento em regiões temperadas, a serem ocupadas pelo excedente demográfico britânico e europeu.
O determismo ambiental configura uma ideologia, a das classes sociais, paises ou povos vencedores, que incorporam as pretensas virtudes e efetivam as admitidas potencialidades do meio natural onde vivem.
Não é de estranhar, pois, que na Grécia da Antiguidade se atribuíssem às características do clima mediterrâneo o progresso e o poderio de seu povo em face dos asiáticos que viviam em áreas caracterizadas pela inviabilidade anual das temperaturas.]o espaço vital esta implicitamente contido na organização espacial, delimitando, no campo do capitalismo, parte da superfície da terra organizada pelo capital e pelo Estado Capitalista, em linguagem organicista, espaço vital equivale a expressão espaço do capital.


O POSSIBILISMO

A semelhança do determinismo ambiental, a visão possibilista focaliza as relações entre o homem e o meio natural, mas não o faz considerando a natureza determinante do comportamento humano.
A reação ao determinismo ambiental, mais forte na França, tem com motivação externa a situação de confronto entre ela e a Alemanha.
Ao contrario da Alemanha, unificada em 1871, a França há muito tempo. Lá a revolução burguesa tinha se dado de modo mais completo, extirpando os requisitos feudais, enquanto a França dispunha então de um vasto império; acrescente-se ao quadro a luta de classes, que assumia formas mais acirrada na França, e exemplo da comuna de Paris.
Neste contexto a geografia francesa teria de cumprir simultaneamente vário papeis:
Desmarcar o expansionismo germânico
Abolir qualquer forma de determinação
Enfatizar a fixidez das obras do homem criadas através de um longo processo de transformação da natureza.
No plano interno à geografia, havia a reação a ela ter sido definida por uma relação de causa e efeito pensou-se, então, na paisagem como uma criação humana, elaborada ao longo do tempo, sendo a paisagem natural transformando em natural ou geográfica.
A natureza foi considerada como fornecedora de possibilidades para que o homem a modificasse: o homem é o principal agente geográfico. Trata-se não mais de uma conseqüência inevitável da natureza, mas de um acervo de técnicas, hábitos, usos e costumes, que lhe permitiram utilizar os recursos naturais disponíveis.
A paisagem geográfica tem ainda uma extensão territorial e limitem razoavelmente identificáveis.
O objeto da geografia possibilista é, portanto, a região, e a geografia confu

aba
 
Avalie este artigo:
(3 de 5)
14 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Marilene Barbosa Da Silva
Talvez você goste destes artigos também