O Cuidado Em Saude Pública
 
O Cuidado Em Saude Pública
 


Quando falamos em cuidado em saúde consideramos a promoção, a proteção, a prevenção a recuperação a reabilitação a manutenção o diagnóstico e tratamento como ações primordiais para o processo saúde - doença. Considerando o usuário na sua totalidade proporcionando-o o cuidado da atenção integral a saúde. Cuidar é a magia da enfermagem, está entranhado em sua missão visão e valores enquanto profissão.

Talvez a enfermagem necessite de maior participação na reconstrução das políticas de saúde, uma vez que, esta, apresenta perfil gestor, crítico, norteador, ético, reflexivo, técnico - científico e com responsabilidade social e compromisso com a cidadania. Falando em cidadania, onde esta está sendo praticada, quando falamos em atendimento individual, ao invés do coletivo? Refletindo sobre sobre a preferência do comportamento hospitalocêntrico da população em geral, justifica-se a história comportamental da saúde brasileira, porém, a justificativa é pouco explicativa a meu ver, não desmerecendo o poder que a historia tem para a nossa formação de valores, mas, haja vista, que o Brasil atualmente tem o melhor modelo de política de saúde publica do mundo.O que está elaborado o que se discute pouco se avança pouco se constrói, envolvidos por uma dialética de valores, onde, de um lado esta a saúde como ela é, a saúde com profissionais especializados, tecnologicamente e farmalogicamente evoluídos, são renomados utilizando suas competências como espetáculo e vitrine de suas vaidades e empoderamento.

Por outro lado, temos a saúde como direito publico o coletivo, voltada para o atendimento primário que considera o "individuo" inserido em seu ambiente político sócio-cultural, no seu contexto biológico que luta por uma garantia a saúde integral, humanizada, resolutiva e participativa, garantido por atendimento e acolhimento multidisciplinar e multiprofissional. Porem lado este, pouco valorizado, pouco praticado.

Contudo, precisamos de uma readequação da formação dos profissionais de saúde, preparando-os para uma visão coletiva, ética e que acredita na atenção básica  primária.

Atualmente o sistema de saúde publica esta pouco resolutiva, talvez pelo uso inadequado da oferta de serviços de saúde de média e alta complexidade, que faz do SUS uma grande "pai" de sustentação hospitalar, seja ele publico ou privado. Essa rede de oferta de serviços tornou-se uma grande rede de favorecimentos as instituições, locompletando alguns profissionais de saúde que em primeiro lugar são grandes empresários interessados em vender pacotes de serviços especializados ao SUS. Observa-se que a garantia do atendimento ofertado, esta vencida no papel, uma vez que, a "regulação em saúde", não controla, não avalia e não audita os serviços pactuados pelas instituições, serviços esses que, muitas vezes não são efetivamente ofertados, daí o grande interesse em estar sócio do que é "publico", deixando evidente que o Sistema de Saúde, em sua pratica é dominado por uma educação pouco sanitarista direcionando o usuário (cliente) a preferência ao atendimento hospitalizado e privado. Visto que, este comportamento esta diretamente relacionado à oferta e demanda dos serviços de saúde da rede publica.

Defendo aqui a importância do serviço humanizado, de gente cuidando de gente. Precisamos cuidar mais da saúde da alma para que possamos acreditar na transformação dos serviços de saúde e da educação.

Obrigada!

CATIANE EPRON

ENFERMEIRA

ESP. EM AUDITORIA DOS SISTEMAS PUBLICOS DE SAUDE - PELA ESCOLA DE SAUDE PUBLICA - ESP.

E DOCENTE DA UNIVERSIDADE DE CUIABA  UNIC

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Catiane Peron
Talvez você goste destes artigos também