O COTIDIANO ESCOLAR SOB O OLHAR PSICOPEDAGÓGICO
 
O COTIDIANO ESCOLAR SOB O OLHAR PSICOPEDAGÓGICO
 


O COTIDIANO ESCOLAR SOB O OLHAR PSICOPEDAGÓGICO

Ana Cristina de Arruda
Celiane dos Santos Rocha
Maria Alzinéa da Silva

RESUMO
O presente estudo é uma contribuição para o entendimento de uma prática pedagógica sob o olhar da Psicopedagogia, onde toda a comunidade educativa sejam sujeitos participantes no processo ensino-aprendizagem, abordando sua dimensão histórica e cultural, uma vez que articula prática versus conhecimento. O foco principal da pesquisa é conhecer para assim compreender o papel desempenhado pelo psicopedagogo em prol da construção do conhecimento no ambiente escolar, abordando questões relacionadas ao contexto histórico da Psicopedagogia, verificando como se estabelece o trabalho deste profissional no cotidiano escolar e identificando como o mesmo procede na busca de melhorias do mesmo. A partir de uma análise contextual baseada em pesquisa de campo e em idéias de autores como: Bossa (2000), Fernandez (1991), Lomonico (2005), Rubstein (1999) e outros, buscaram-se subsídios através de procedimentos metodológicos baseados numa abordagem de caráter qualitativa, utilizando a técnica de observação sistemática, relatórios, entrevistas e conversas informais, possibilitando assim alternativas que apontem para um melhor esclarecimento do tema em questão. De acordo com a pesquisa realizada, foi possível compreender que a presença de um psicopedagogo no ambiente escolar, contribui bastante para o desenvolvimento do mesmo, reconhecendo que este profissional faz realmente a diferença para que a educação consiga evoluir de forma significante.
Palavras-chave: Cotidiano escolar. Intervenção Psicopedagógica. Prática pedagógica.

ABSTRACT
The present study it is a contribution for the practical agreement of one pedagogical one under the look of the Psycopedagogya, where all the educative community is participant citizens in the process teach-learning, approaching its historical and cultural dimension, a time that articulates practical versus knowledge. The main focus of the research is to know thus to understand the role played for psiycopedagogo in favor of the construction of the knowledge in the pertaining to school environment, approaching questions related to the historical context of the Psycopedagogya, verifying as if it establishes the work of this professional in the daily pertaining to school and identifying as the same it proceeds in the search of improvements from the same. From a based contextual analysis in research of field and ideas of authors as: Bossa (2000), Fernandez (1991), Lomonico (2005), Rubstein (1999) and others, had searched subsidies through based metodológicos procedures in a qualitative boarding of character, using the informal technique of systematic comment, reports, interviews and colloquies, thus making possible alternative that point with respect to one better clarification of the subject in question. In accordance with the carried through research, was possible to understand that the one presence psycopedagogo in the pertaining to school environment, contributes sufficiently for the development of the same, recognizing that this professional really makes the difference so that the education obtains to evolve of significant form.
Word-key: Daily pertaining to school. Psycopedagógique intervention. Practical pedagogical.

INTRODUÇÃO:

Sabemos que a educação no Brasil tem dado passos significantes, buscando novas alternativas e propostas em prol de indivíduos que usufruam seus direitos e deveres de forma consciente e igualitária, desempenhando uma ação transformadora na construção de um mundo mais humanizado, ético e solidário, e devido aos momentos de angústias e incertezas pelo qual a sociedade se depara, os quais fazem com que a mesma busque através da educação uma vida mais justa, isto por ser uma das áreas da ciência através da qual o ser humano almeja um futuro melhor.
Sabemos que a construção de um mundo digno não é somente papel dos governantes, e sim de cada um de nós, e que não se trata apenas de uma construção, mas de uma desconstrução do que não está agradando para depois reconstruir o que se acredita ser o melhor e mais eficaz para essa sociedade que sofre os males do momento.
Muito se debate hoje em dia sobre estratégias que possam contribuir para o exercício de uma prática pedagógica que trabalhe não só o aluno, mas todos envolvidos no processo, e na busca de contribuir apontando possíveis alternativas e sabendo também das dificuldades enfrentadas pelos profissionais da educação para alcançar tais resultados, o presente artigo discorrerá sobre o papel que desempenha o psicopedagogo no ambiente escolar em prol de uma educação que vise à construção do conhecimento como forma de libertação, transformação e formação de autonomia.
Por ser um ideal almejado por todos, a presente pesquisa se desenvolverá de forma sistemática, nas quais abordará questões referentes ao contexto histórico da Psicopedagogia, o trabalho do psicopedagogo no ambiente escolar e os processos e estratégias psicopedagógicas na busca de soluções.
Tomando como base o trabalho psicopedagógico, o tema em debate procura entender como a Psicopedagogia pode contribuir para a melhoria do ambiente escolar, onde o ser humano seja trabalhado como um todo sempre visando sua estabilidade motora, cognitiva e emocional, buscando meios a partir de pesquisa de campo realizada em uma escola particular de educação infantil da zona sul da cidade de Manaus e de uma análise contextual norteada por autores que trabalham muito bem esta questão como: Lomonico (2005) que aborda a Psicopedagogia comentando sobre sua teoria e prática, fazendo um resgate histórico numa visão ampla focando os principais norteadores da ação psicopedagógica, abordando também o fenômeno da não-aprendizagem, aspectos conceituais, diagnósticos e atendimento. Apresentando projetos e propostas desenvolvidos pelos profissionais desta área no campo de atuação.
Já Bossa (2000), trata desta questão discorrendo sobre os fundamentos e as indagações da psicopedagogia na visão de vários autores, comentando sobre seu objeto de estudo, controvérsias e campo de atuação no Brasil e Argentina, fazendo um percurso sobre os instrumentos utilizados pelo profissional em sua atuação. A autora faz um resgate histórico e explica de forma muito clara como surgiu, para que surgiu e como pode ser desenvolvido de forma construtiva e eficaz o trabalho psicopedagógico.
Fernández (1991) aborda esta questão num enfoque clínico da criança e da família, nesta obra, a autora discute sobre as teorias, do olhar clínico sobre a aprendizagem, a importância da escuta, o papel do corpo no aprender, o papel da família, ou seja, descreve a dinâmica dos aspectos institucionais, familiares e subjetivos que permeiam o processo terapêutico eficaz dos problemas de aprendizagem mediante exemplos concretos e instigantes.
Ainda nesta linha, a pesquisa contou côa as idéias de Rubinstein(1999) que trabalha o tema Psicopedagogia concebido a partir de uma práxis dinâmica com diferentes estilos enfatizando seu percurso histórico, a relação terapêutica na clínica, atendimento e análises na visão de estilos cognitivos diferentes, finalizando com relatos de caso nos quais aborda os vários estilos do fazer psicopedagógico.
No decorrer deste estudo, procurou-se esclarecer e compreender o papel desempenhado pelo psicopedagogo diante desta problemática, apontando alternativas que respondam as dúvidas mais freqüentes, tanto educacionais quanto familiares, esclarecendo questões referentes a visão da Psicopedagogia do ponto de vista dos autores estudados, o papel que desempenha o psicopedagogo no ambiente escolar, e as estratégias usadas pelo mesmo na realização de sua intervenção.

OS MÚLTIPLOS OLHARES DIANTE DA PSICOPEDAGOGIA:

Sabe-se que todo e qualquer assunto abordado, para que seja bem compreendido e interpretado necessita que alguns pressupostos sejam esclarecidos, por isso, antes de falarmos sobre o trabalho do psicopedagogo, faremos uma abordagem sobre o termo "Psicopedagogia" na visão de alguns autores, contribuindo assim para um melhor esclarecimento do mesmo.
Segundo Lomonico (2005, p.15), o termo psicopedagógico é comumente usado em Português, Francês e Espanhol para referir-se à psicologia dos processos ligados à aprendizagem e ensino ou seja, na visão da autora a Psicopedagogia vem entender e contribuir para um aprendizado satisfatório onde docente e discente estejam integrados e bem assessorados. Lomonico (2005, p.15) vai mais além quando fala que,

Originalmente, esta área surgiu das vinculações entre Psicologia e a Pedagogia, tendo como objeto de estudo a pessoa a ser educada, seus processos de desenvolvimento e as alterações de tais processos, visando resolver os problemas de aprendizagem, mediante atendimento individual e terapêutico. Hoje, ela tende a ampliar-se para uma realidade institucional, que seja escolar, hospitalar ou outra, atingindo faixas mais diversas.

A autora fala do surgimento da Psicopedagogia como uma junção da Psicologia e Pedagogia e ressalta uma grande importância da mesma, que é o compromisso com o desenvolvimento humano visando sempre a estabilização do mesmo. Já Bossa (2000, p.17) fala que O termo psicopedagogia apresenta-se, hoje, com uma característica especial. Quanto mais tentamos elucidá-lo, menos ele nos parece. Nadia Bossa relata aqui as indagações que o termo nos remete, por si tratar de uma ambigüidade tanto no significado da palavra, quanto ao que ela se propõe, salientando que a principio o termo sugere que se trata de uma aplicação da Psicologia à Pedagogia, mas que essa definição não reflete ao real significado que rege seu surgimento. Acerca disso, Macedo (1992) apud Bossa (2000, p.17) afirma que, o termo já foi inventado e assinala de forma simples e direta uma das mais profundas e importantes razões da produção de um conhecimento científico: o de ser meio, o de ser instrumento, para um outro, tanto em uma perspectiva teórica ou aplicada.
Assim, o autor acima enfatiza que a Psicopedagogia não é somente uma mera aplicação da Psicologia à Pedagogia, isto devido ao fato do seu surgimento nascer da necessidade de compreender melhor o processo de aprendizagem, mostrando dessa forma que possui seu próprio objeto de estudo, desmistificando essa idéia de somente aplicação desses métodos, ao contrario, a Psicopedagogia busca respostas através da contribuição dessas áreas e não simples reprodução das mesmas.
A esse respeito, Bossa (2000, p.17) afirma que vê na Psicopedagogia um caráter interdisciplinar, isto pelo fato da mesma buscar em outros campos, conhecimentos que lhes proporcionam criar seu próprio objeto, sendo assim, descarta a idéia de que a Psicopedagogia seja apenas uma aplicação da Psicologia à Pedagogia, mas sim a constituição de uma nova área que junta os conhecimentos de ambas para constituir seu objeto de estudo a partir de um corpo teórico próprio, e que para isso não busca somente à Psicologia e à Pedagogia, mas recorre à Psicanálise, Lingüística, Fonoaudiologia, Medicina e outros.
Como foi relatado acima, o termo Psicopedagogia é muito complexo, porém ao mesmo tempo encantador, isto pelo fato de trabalhar com o desenvolvimento do ser humano como um todo, buscando sempre igualar as partes.
Neves (1992) apud Bossa (2000, p.18) ressalta que inicialmente a Psicopedagogia foi utilizada como adjetivo, isto pelo fato de sua atuação apontar para a interseção dos campos do conhecimento da Psicologia e da Pedagogia, ou seja, puro psicologismo, somente anos mais tarde se passou a adotar uma conotação substantiva, o que acarretou inúmeras dúvidas tanto ao que se refere à questão conceitual como à prática. Neves (1992) apud Bossa (2000, p.19) diz que

A Psicopedagogia estuda o ato de aprender e ensinar, levando sempre em conta as realidades interna e externa da aprendizagem, tomadas em conjunto. E mais, procurando estudar a construção do conhecimento em toda a sua complexidade, procurando colocar em pé de igualdade os aspectos cognitivos, afetivos e sociais que lhe estão implícitos.

Como assinala a autora, a Psicopedagogia não se remete apenas ao ato de aprender, ou seja, somente tratar os problemas de aprendizagem, ela é muito abrangente, e engloba também o ato de ensinar, até porque, ela trabalha o ser humano sua totalidade levando em consideração os padrões evolutivos normais e patológicos, assim como a influência do meio familiar, social e escolares, buscando sempre a estabilização dos mesmos, ultrapassando a velha idéia de que ela apenas trata os problemas de aprendizagem dos alunos. Do ponto de vista de Rubinstein (1999, p.103)

[...] num primeiro momento a Psicopedagogia esteve voltada para a busca e o desenvolvimento de metodologias que melhor atendessem aos portadores de dificuldades, tendo como objetivo fazer a reeducação ou a remediação e desta forma promover o desaparecimento do sintoma [...] a partir do momento em que o foco de atenção passa a ser a compreensão do processo de aprendizagem e a relação que o aprendiz estabelece com a mesma, o objeto da Psicopedagogia passa a ser mais abrangente: a metodologia é apenas um aspecto no processo terapêutico, e o principal objetivo é a investigação de etiologia da dificuldade de aprendizagem, bem como a compreensão do processamento da aprendizagem considerando todas as variáveis que intervêm neste processo.

O autor comenta a questão que antes se via a Psicopedagogia como uma busca de metodologias para tratar as dificuldades de aprendizagem e que esta idéia passou a mudar quando se desviou o olhar dessa concepção para uma mais abrangente na qual entra a discussão de não somente tratar, mas compreender e investigar o surgimento da mesma levando em consideração todos os fatores existentes que interferem no objeto estudado.

O AMBIENTE ESCOLAR E O FAZER PSICOPEDAGÓGICO:

Falar sobre o trabalho psicopedagógico significa pensar em uma educação que se preocupe com o crescimento do ser humano, ate porque, é isso que a Psicopedagogia prioriza a evolução humana de forma saudável, procurando desenvolver o autocontrole, intervindo diante das dificuldades, para que desta forma soluções sejam concretizadas.
A intervenção psicopedagógica, procura orientar alunos, pais e professores proporcionando meios para que os mesmos superem suas dificuldades, pois quando alguém se encontra em dificuldades, necessita de algo e alguém que o eleve, precisando ser estimulado para se sentir capaz, e neste quesito, o psicopedagogo assume um papel muito importante, procurando meios para que os mesmos se sintam motivados.
Sabemos que o ambiente escolar desafia a todo instante os sujeitos envolvidos em seu cotidiano, por ser um lugar onde se constrói conhecimento, necessita de um olhar cauteloso e compromissado em prol de uma formação para a vida.
Os desafios são muitos, mas muito já se tem avançado no tocante a mudança de postura das práticas pedagógicas desenvolvidas no espaço escolar, o foco mudou, antes era uma educação conteúdista, onde o objetivo principal era fazer com que o aluno absorvesse todo o conteúdo não importando se era significante para ele ou não, hoje, se lançou um olhar mais abrangente, onde o ser humano é trabalhado na sua plenitude e totalidade respeitando seus limites e conhecimentos prévios.
Este ambiente escolar, onde cada aluno é singular e por isso necessita de um olhar específico, passou por muitas reformulações e evoluções, pois para que algo prossiga, necessita de bons condutores e intermediadores para fazê-lo caminhar com êxito, e é neste contexto que aparece o psicopedagogo, profissional este que veio somar forças ao ambiente escolar visando sempre a estabilização do mesmo. Mery (1985) apud Bossa (2000, p.32) relata muito bem esta questão quando fala que

O psicopedagogo respeita a escola tal como ela é, apesar de suas imperfeições. Este fato não impedirá que o psicopedagogo colabore para a melhoria das condições de trabalho numa determinada escola ou na conquista de seus objetivos. Mas, em seu trabalho, ele deverá fazer com que a criança enfrente a escola de hoje e não a de amanhã. Esse enfrentamento, no entanto, não significa impor à criança normas arbitrárias ou sufocar-lhe a individualidade. Busca-se sempre desenvolver e expandir a personalidade do individuo, favorecendo as suas iniciativas pessoais, suscitando os seus interesses, respeitando os seus gostos, propondo e não impondo atividades, procurando sugerir pelo menos duas vias para a escolha do rumo a ser tomado, permitindo a opção.

Como se percebe, a autora aborda muito bem qual é o papel que desenvolve o psicopedagogo no ambiente escolar para que o mesmo caminhe de forma satisfatória e significativa, priorizando sempre a formação integral do ser humano.
Referente à pesquisa de campo, pudemos observar que na prática ocorre realmente o que a autora acima afirma, pois se verificou na realidade como é importante a presença de um psicopedagogo para que o ambiente escolar caminhe satisfatoriamente, isto pelo fato do mesmo procurar sempre mediar e trabalhar em prol da harmonia deste espaço. Ainda sobre esta questão, Bossa (2000, p.31) fala que a proposta da Psicopedagogia, numa ação preventiva, é adotar uma postura crítica frente ao fracasso escolar, numa concepção mais totalizante, visando propor novas alternativas de ação voltadas para a melhoria da prática pedagógica nas escolas.
Na entrevista com a psicopedagoga da escola investigada, a mesma comentou que a Psicopedagogia refere-se a um saber e a um saber-fazer, se preocupando com o todo, buscando sempre igualar as partes para desta forma equilibra-las. Bossa (2000, p.29) reforça esta idéia argumentando que o conhecimento psicopedagógico não se cristaliza numa delimitação fixa, nem nos déficits e alterações subjetivas do aprender, mas avalia a possibilidade do sujeito, a disponibilidade afetiva de saber e de fazer, reconhecendo que o saber é próprio do sujeito.
Com isso, podemos constatar que o trabalho psicopedagógico no ambiente escolar não prioriza somente tratar a dificuldade isolada do aluno, mas cuidar do ambiente como um todo, por isso, se torna muito significante, pois busca alternativas para um melhor andamento, levando em consideração que este profissional trabalha coletivamente com os demais profissionais envolvidos, buscando sempre o bem estar de todos.

CAMINHOS PERCORRIDOS PELA PESQUISA:

Este artigo é fruto de uma pesquisa de campo, e como requer uma investigação para assim possibilitar o olhar abrangente, o método utilizado foi o dialético, isto devido ao fato de trabalhar o objeto de estudo como um todo levando em consideração todas as partes envolvidas. Como ressalta Lakatos ((2005, p.1001)), ao contrário da metafísica, que concebe o mundo como um conjunto de coisas estáticas, a dialética o compreende como um conjunto de processo. Foi uma pesquisa exploratória, com levantamento bibliográfico em autores que abordam esta temática, adotando-se procedimento documental e de campo, sendo constituída de uma abordagem qualitativa, devido ao enfoque reflexivo a partir da prática.
A referida pesquisa foi desenvolvida em uma Escola de Educação Infantil da rede particular de ensino localizada na zona sul da cidade de Manaus, tendo como participantes o psicopedagogo, professores e alunos.
O tema escolhido partiu de interesse pessoal, por considerar o assunto relevante e favorecedor de ambos no processo de ensino aprendizagem. Os procedimentos da pesquisa se deram através de coleta de dados, com observação sistemática, relatórios, entrevista padronizada e conversa informal. Assim foram encontradas as análises da pesquisa, comparando com as teorias científicas, as quais contribuiriam de forma clara e objetiva em todas as questões abordadas do tema investigado.
Com isso, pode-se obter dados satisfatórios, os quais resultaram em dados que nos fizeram compreender que realmente o psicopedagogo é essencial no ambiente escolar, pois trabalha em conjunto buscando sempre a melhoria do ensino como um todo.

ANÁLISE DOS DADOS:

Do universo de várias questões abordadas nesta pesquisa, se verificou a partir de análises fundamentadas na observação do ambiente escolar e em autores estudados neste artigo, algumas orientações que auxiliam e enriquecem o espaço escolar com o intuito de equilibrar todas as partes envolvidas em prol de uma educação prazerosa, envolvente, humanizadora e significante, e o psicopedagogo, que trabalha em parceria com os demais profissionais em busca dessa educação emancipadora, aparece como o elo de ligação favorecendo a construção do conhecimento, e buscando novas alternativas sempre com o intuito de estabilizar os sujeitos envolvidos com a aprendizagem humana.
Assim, podemos afirmar que este profissional contribui e é essencial no ambiente escolar, pelo fato do mesmo ajudar no desenvolvimento e crescimento de todos os envolvidos. Precisamos ousar, buscar novas alternativas, e a escola necessita mudar, estar preparada para as modificações instantâneas pelas quais a sociedade passa, e a presença do psicopedagogo neste ambiente, faz com que o mesmo esteja mais apto a conviver com tais mudanças, onde cada criança seja tratada conforme sua especificidade, sem se sentir tolhida.

CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Em virtude do que foi mencionado, se pode portanto dizer que dispomos hoje, de profissionais de diversas áreas, que muito podem contribuir no processo da construção do conhecimento, dentre eles, está o psicopedagogo, profissional este que atua em torno do processo da aprendizagem humana, bem como seus padrões evolutivos influenciados pelo meio (família, escola, sociedade) no processo de seu desenvolvimento.
Além disso, numa tentativa de análise mais cuidadosa, se pôde perceber algumas questões extremamente significantes que não poderiam ter passado despercebidas, como o fato de esclarecer o papel desempenhado pelo psicopedagogo no ambiente escolar, considerando que o trabalho do mesmo, vai muito além de somente tratar e prevenir as dificuldades de aprendizagem, ou seja, a atuação deste profissional se estrutura e estuda o ato de aprender e ensinar, sem desprezar as realidades internas e externas da aprendizagem, ajudando assim na construção do conhecimento em toda a sua complexidade, sempre com o intuito de manter igualitários os aspectos cognitivos, afetivos e sociais.
Dessa forma, a presente pesquisa de campo, com tema "O cotidiano escolar sob o olhar psicopedagógico", cujo objetivo maior foi entender como a Psicopedagogia pode intervir de forma positiva para uma melhoria do ambiente escolar, orientando pais, alunos e professores no intuito de encontrar caminhos satisfatórios para a solução dos problemas, foi norteada por autores que trabalham muito bem esta questão.
Assim, se conclui que a Psicopedagogia apresenta e desenvolve diversas tendências de atuação, reconhecendo sua própria subjetividade na relação com o outro, pois se trata de uma pessoa estudando outras, foi o que pudemos observar, tanto nas pesquisas bibliográficas, quanto na observação de campo, a qual nos possibilitou vivenciar na prática como o psicopedagogo interage no ambiente escolar em prol de uma educação satisfatória que trabalhe todos os sujeitos envolvidos a partir de sua essência, servindo de ponte entre o conhecimento e a formação para a vida. Este profissional é um ser dinâmico e vive em constante formação, recorrendo a todo instante a outras áreas para assim desenvolver um trabalho satisfatório.

REFERÊNCIAS:

ANDRADE, Maria Margarida. Introdução a Metodologia do Trabalho Cientifico. São Paulo. Atlas, 2000.

BOSSA, Nadia A. A Psicopedagogia no Brasil: contribuições a partir da prática. 2º Ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

FERNÁNDEZ, Alicia. A Inteligência Aprisionada: abordagem psicopedagógica clínica da criança e da família. Porto Alegra: Artes Médicas, 1991.

LOMONICO, Circe. Psicopedagogia: teoria e prática. 2ª Ed. São Paulo: Edicon, 2005.
MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de Metodologia Científica. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2005.

RUBSTEIN, Edith (org). Psicopedagogia: uma prática, diferentes estilos. São Paulo: Casa do Psicóloga, 1999.
 
Avalie este artigo:
1 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Maria Alzinea Da Silva
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
OLÁ, MEU NOME É MARIA ALZINÉA DA SILVA, GRADUADA EM PEDAGOGIA, PÓS-GRADUADA EM PSICOPEDAGOGIA E PROFESSORA DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE MANAUS (SEMED). A ÁREA DA EDUCAÇÃO É A MINHA PAIXÃO, POIS ACREDITO SER O ALICERCE PARA A TRANSFORMAÇÃO DA SOCIEDADE EM BUSCA DA HUMANIZAÇÃO.
Membro desde julho de 2011
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: