O aluno do século XXI, desafios e perspectivas para o ensino de ciências e biologia.
 
O aluno do século XXI, desafios e perspectivas para o ensino de ciências e biologia.
 


CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LETO SENSU EM METODOLOGIA DO ENSINO DA BIOLOGIA ? Universidade Gama Filho-UGF/CETEB
DISCIPLINA: Objetos Educacionais em Ciências e Biologia e o Livro Didático
Tutor: Moisés Esmeraldo Nogueira
Aluna: Márcia Amélia Gaspar Matos
Cidade/UF: São Luís / MA
Telefones: (98) 3223-9213 / 9604-1464 Data: 10/11/2009
Atividade nº. 03 ? Produza um texto argumentativo/dissertativo desenvolvendo a seguinte idéia: O aluno do século XXI, desafios e perspectivas para o ensino de ciências e biologia. O texto deve apresentar no mínimo 1 e no máximo 3 páginas, e focar os assuntos discutidos na Unidade II.

De acordo com Fourez, 2003, a perspectiva de alfabetização científica pode-se expressar em termos de finalidades humanistas, sociais e econômicas. Os objetivos humanistas visam ao mesmo tempo manter a autonomia crítica da sociedade e familiarizarem-se com as grandes idéias provenientes das ciências, os sociais visam manter uma autonomia na nossa sociedade técnico-científica e uma diminuição das desigualdades e já os objetivos econômicos visam à promoção de vocações científicas e tecnológicas, necessárias à produção de riquezas.
Diante disso, verificamos as diversas visões das perspectivas e desafios para o ensino de ciências e biologia. Devemos proporcionar uma educação que saiba distinguir a alfabetização científica, a técnica individual e a coletiva, contribuindo aos alunos a terem a competência de saber participar de um debate com todas essas vertentes.
A educação não tem sido alheia aos movimentos de mudanças, ao desenvolvimento científico-tecnológico nem aos movimentos sociais, políticos e econômicos em curso na nova sociedade. Atualmente não entendemos que a escola seja considerada de forma apartada de sua comunidade e da realidade que a cerca, ela está imersa na cultura, na comunidade, na representação social e política, em contínua interação com o seu contexto e os professores precisam comandar as mudanças, em vez de serem levados por elas. Quem sabe aonde quer chegar pode contribuir mais no processo ensino-aprendizagem.
A Escola de hoje requer um professor mais crítico, criativo, que participe e que empreenda. Um professor mais inteiro e com mais consciência profissional. Nesse sentido, é importante a formação de um profissional da educação capaz de resolver e tratar tudo o que é imprevisível, tudo que não pode ser reduzido a um processo de decisão e atuação regulado por um sistema de raciocínio infalível, a partir de um conjunto de premissas. (PEREIRA, 2008).
Dessa forma, o professor de Ciências e Biologia hoje, deve ser desafiado a ensinar de uma maneira diferente, aumentando os conhecimentos dos alunos de forma dinâmica e interessante, fugindo do tradicionalismo que nos foram passados. Já que o século XXI ficará marcado pelas presenças cada vez maior da Ciência e de novas tecnologias na vida dos alunos.
Dentre os principais agentes que vêem provocando o repensar da educação e explicam a necessidade de mudanças em seus espaços, tempos e modos de trabalho não só no ensino de Ciência, mas de todas as disciplinas, desponta à rede mundial de computadores ? a Internet que vem possibilitando a ampliação e a rapidez no acesso à informação. O vídeo, a televisão, o jornal, os experimentos, os materiais impressos, as visitas e saídas de campo, também são agentes de suma importância para o professor de Biologia de integrar o que há de mais avançado com as técnicas já conhecidas, dentro de uma visão pedagógica nova, criativa e aberta.
É importante também a formação contínua de professores, através do apoio a cursos e oficinas, fazer uma revisão dos currículos de ciências e biologia, em particular, com o objetivo de melhorar, de uma forma prática, o programa curricular do Ministério da Educação. Finalmente, é de extrema importância a continuidade do Programa Nacional do Livro Didático, que ajuda e muito o trabalho do professor em sala de aula. É necessário fornecer instrumentos de ensino para os professores, tais como o material didático, a linguagem, e o tempo disponível em sala de aula para lidar com a disciplina.
Cada vez faz-se mais presente nos meios educacionais a convicção de que temos de avançar para que as vivências e opiniões que os estudantes trazem para a sala de aula, ou seja, os conhecimentos provenientes do "senso comum", ou da sua realidade social, sejam empregados para a compreensão dos conceitos científicos. "Não importa que esses conceitos (do cotidiano) sejam diferentes daqueles (científicos) que a escola ensina. Ambos são importantes no trabalho pedagógico, pois nele se enriquecem mutuamente, conforme pressupostos de Vigotski" (MALDANER; ZANON, 2004: 52).
Em toda a história da escolarização, nunca se exigiu tanto da escola e dos professores quanto nos últimos anos. Essa pressão é decorrente, em primeiro lugar, do desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação e, em segundo lugar, das rápidas transformações do processo de trabalho e de produção da cultura. A educação e o trabalho docente passaram então a ser considerados peças-chave na formação do novo profissional do mundo informatizado e globalizado." (FREITAS, 2005).





















BIBLIOGRAFIA


ARAÚJO et. al. Situações de Estudo como forma de inovação curricular em Ciências Naturais. In: Sifod - III Simpósio de Formación Docente, Oberá, 2005.
FREITAS, M.T.M. et alii. O Desafio de ser Professor de Matemática Hoje no Brasil. In FIORENTINI, D. NARACATO, A.M. (org). Cultura, Formação e Desenvolvimento Profissional de Professores que Ensinam Matemática. Campinas: Editora Gráfica FE/UNICAMP, 2005.
MALDANER, Otavio Aloisio; ZANON, Lenir Basso. Situação de Estudo - Uma organização do ensino que extrapola a formação disciplinar em Ciências. In: MORAES, Roque; MANCUSO, Ronaldo. Educação em Ciências-Produção de currículos e formação de professores. Ijuí/RS: Ed. Unijuí, 2004, p.43-64.
PEREIRA, K. A. B. A pesquisa na reconstrução da prática docente. Disponível em: Acesso em: 23 de mar. de 2009.


 
Avalie este artigo:
2 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Marcia Gaspar Matos
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Formada em Engenharia Agronômica e Licenciatura em Biologia, professora com duas matrículas no Estado do Maranhão com a disciplina de Biologia.
Membro desde maio de 2010
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: