NA CRITICA DA GEOGRAFIA
 
NA CRITICA DA GEOGRAFIA
 


NA CRITICA DA GEOGRAFIA

RESUMO

Este artigo tem como objetivo didático numa obra introdutória dos fundamentos da geografia. Assim, afrontar algumas mediações mais evidentes entre a produção geográfica e o desenvolvimento do modo de produção capitalista. A intenção e é estimular os estudantes de geografia. E quanto a necessidade de repensar o passado ,presente e futuro da geografia.

RESUMEN

Este artículo es un libro introductorio para fines de instrucción de los fundamentos de la geografía. Por lo tanto, la lucha contra algunas mediaciones más obvias entre la producción geográfica y desarrollo del modo de producción capitalista. La intención es animar a los estudiantes y la geografía. ¿Qué hay de la necesidad de repensar el pasado, presente y futuro de la geografía.

RESUMO

This article updates as Didactic target tem name introductory geography gives two foundations work. Assim, mais face algumas mediações evident between geographical produção to eo Desenvolvimento do produção capitalist mode. A intenção é e os stimulate estudantes of geography. E quanto necessidade to rethink or passado, present and future gives geography.RAFIA

-1-

INTRODUÇÃO

Aparentemente é bastante simples, porém refere-se a um campo do conhecimento cientifico, onde reina enorme polêmica. Apesar doa antiguidade do uso do rótulo Geografia. O significado Etimológico da palavra é: Geo. – Terra e Grafia – Descrição, estudo, pesquisa e etc. é uma ciência não exata. Alguns autores definem a Geografia como estudo da superfície terrestre. Assim caberia ao estudo geográfico descrever todos os fenômenos manifestados na superfície dos planetas sendo uma espécie de síntese de todas as ciências. Esta concepção origina-se das formulações  de  Canta respeito do termo superfície terrestre onde se encontra a esfera como a biosfera, hidrosfera, atmosfera litosfera e etc. Que alimenta a corrente majoritária do pensamento geográfico onde o espaço tempo é abstrato, com especulações na razão e empíricas. Neste cenário entra a paisagem em análise geográfica estaria restrita aos aspectos visíveis do real, onde o tempo e o espaço constroem e destroem. A paisagem como objeto da geografia como descrição morfológica e fisiológica (fundamentos da paisagem). feito por HUMBOLDT  e com elementos da biologia e a ecologia . Assim vai surgir na geografia o estudo da individualidade dos lugares esta perspectiva teria suas raízes em autores da antiguidade clássica, como HERÓDOTO ou ESTRABÃO. Surgir à geografia Regional onde a região e feita do espaço enfeita pela natureza a uma determinada porção do espaço terrestre (natureza e sociedade). Então a necessidade de localiza-se no espaço e seus fenômenos então o espaço e objeto da geografia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

-2-

A Geografia entra no estudo das relações entre o homem e o meio, ou, posto de outra forma, entre a sociedade e a natureza surge o Determinismo onde a natureza manda no homem. Isto é também da geografia tradicional .Aparece também a geografia Positivista onde a ação do homem manda  modifica a transforma a natureza

GEOGRAFIA TRADICIONAL

É um dos pensamentos filosóficos e metodológicos que os geógrafos vão buscar bases, devem restringir-se aos aspectos visíveis do real, mensuráveis e palpáveis. Entre o homem e o meio. É  uma ciência de contato entre o domínio da natureza e o da humanidade. Na verdade, a Geografia sempre procurou ser uma ciência  natural dos fenômenos humanos. Isto se expressa, por exemplo, na  colocação de Brunhes de que, para a Geografia ,a casa tem maior importância do que o morador. Assim todas as ciências entra na geografia ou todas as ciências forma a Geografia .Então o objeto de estudo da Geografia é a Terra com seus princípios de:1-unidade terrestre.2-individualidade dos lugares,3-principio da atividade,4-principio da comparação,5-principio da localização. O fenômeno é a palavra chave. Então o pensamento geográfico  tradicional : GEOGRAFIA FISICA –GEOGRAFIA HUMANA,GEOGRAFIA GERAL-GEOGRAFIA REGIONAL,GEOGRAFIA SINTETICA – GEOGRAFIA TOPICA E GEOGRAFIA UNITARIA-GEOGRAFIA ESPECIALIZADAS. Na ciência medica o corpo humano é o objeto de estudo e cada membro do corpo tem sua especialidade só que na geografia tem muitos conflitos ,pois o seu objeto e o planeta terra que tem suas especialidades em vez de unir se separa as especialidades desmembrando a geografia se continuar assim vai fica só o nome Geografia.

Frente a estas razões ,a pergunta – o que é Geografia ?

Para saber tem que pesquisa na historia mais antiga para entender uma disciplina tão antiga quanto o seu rotulo GEOGRAFIA. Ela serve para dominar ou libertar. E atrves dessas,identificar os agentes e as práticas sociais ,referidas ao espaço em jogo na atualidade .Em outras palavras,investigar o estagio da luta ideológica,desenvolvida nesse campo de debate especifica,desenvolvida nesse campo de debate especifico ,que é Geografia .

-3-

A ORIGEM DA GEOGRAFIA

Na Grécia Surgiu O Nome Geografia Na Antiguidade Clássica Uns Dos Pensadores Tales E Anaximandro Nos Seus Escritos Privilegia A Medição Do Espaço E A Discussão Da Forma Da Terra. Herodoto Se Preocupa Com A Descrisão Dos Lugares Numa  Perspectiva Regional.Hipocrates Com As Discusão Dos Homens Com O Meio Nos Seus Escritos Com Titulo “Dos Ares ,Dos Mares E Dos Lugares.” Aristoteles Discute A Concepção De Lugar ,Na Sua Fisica, Sem Articular Com O Homem-Natureza,E Sua Meteorologia Com Descrição Regional Mais Não Uso O Nome Geografia Mais Era Geografia.Temos Tambem Claudio Ptolomeu ,Que Escreve Uma Obra  Sintese  Geografica Que Resgata O Pensamento Grego.Tambem Relatos De Outras Civilizações Mais Antiga Que Relatam Suas Guerras ,Viagem ,Escritos Literarios :Compendios De Curiosidades,Sobre Lugares Exoticos / Aridos Relatórios Estatisticos De Orgãos De Administração :Obras Sinteticas,Agrupando Os Conhecimentos Existentes A Respeito Dos Fenomenos Naturais :Catalogos Sistematicos,Sobre Os Contientes E Os Paises Do Globo Etc.Umas Das Civilizações Mais Antiga Ainda Como O Egito E Suas Construções E Agricultura Milenar E Sus Navegações.

Humboldt  E Ritter “ A Sistematização Da Geografia “

A Geografia Surge Na Alemanha, Onde A Questão Do Espaço Era O Primorial. As Primeiras Colocações, No Sentido De Uma Geografia Sistematizada,Vão Ser Obra De Dois Autores Prussianos Ligados Á Aristocracia.Alexandre Von Humboldt,Conselheiro Do Rei Da Prussia, E Karl Ritter,Tutor De Uma Familia De Banqueiros.Ambos São Contemporâneo E Pertencem Á Geração Que Vivencia A Revolução Francesa:Humboldt Nasce Em 1769 E Ritter Em 1779:Os Dois Morrem Em 1859,Ocupando Altos Cargos

Da Hierarquia Universitária Alemã.A Natureza Manda No Homem Surge O Determinismo.

 

 

 

-4-

Vidal De La Bach

Para Compreender O Processo De Eclosão Do Pensamento Geográfico Na França ,E O Tipo De Reflexão Que Este Engendrou ,É Necessário Enfocar Os Traços Gerais Do Desenvolvimento Histórico Frances No Século Xexé, Em Detalhe, A Conjuntura Da Terceira Republica E O Conflito De Interesses Com Alemanha.

A França Foi O Pais Que Realizou, De Forma Mais Pura, Um Revolução Burguesa. Ali Os Resquícios Feudais Foram Totalmente Varridos, A Burguesia Instalou Seu Governo, Dando Ao Estado A Feição Que Mais Atendia A Seus Interesses. Assim Surgir O Positivismo Onde O Homem Domina E Transforma A Natureza.

A outra grande corrente do pensamento geográfico, que se poderia denominar com certa impropriedade geografia racionalista,vinculou-se aos nomes de AHETTNER E R. HARTSHORNE..O fato de se denominar racionalista esta corrente advem de sua menor carga empiristica,em relação as anteriores .Esta perspectiva ,a  terceira  grande orientação dentro da geografia  tradicional,privilegiou um pouco mais o raciocínio dedutivo, antecipando um dos moveis da renovação geográfica nos anos sessenta.Isto decorreu da diferenciada fundamentação filosófica desses autores. A geografia de Ratzel e a de Vital tiveram sua raiz filosófica no positivismo de Augusto Comte,a qual foi passada acriticamente para seus  seguidores.A geografia  de Hettner e Hartshorne fundamentava-se no neokantismo de Rickert e Windelband.

-5-

CONCLUSÃO

A GEOGRAFIA vivenciada hoje tem muitos fundamentos começando da antiguidade clássica na grecia e outras civilizações antigas deste o antigo egito até a atualidade e um longo caminho.Mais a geografia e uma ciência de síntese de todas as ciências do mundo ,ainda falta muito para ser explorado na geografia pois os tempos estão mudando a cada dia assim surge agora a GEOTECNOLOGIA. A geografia sempre se renova.

-6-

 

 

GILDÁSIO RODRIGUES TEIXEIRA

 

 

 

FILIAÇÃO: JOÃO TEIXEIRA COUTINHO

DALVANIRA RODRIGUES TEIXEIRA

 

 

 

 

 

NA CRITICA DA GEOGRAFIA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

-2013-

 

 

Bibliografia

BERQUE, A. Du geste à la cite. Paris: Éditions Gallimard, 1993.

CLAVAL, Paul. La pensée geographique. Paris: PUF, 1982.

------------- A revolução pós-funcionalista e as concepções atuais da geografia. In Mendonça, F. e Kozel, S. (org.) Epistemologia da Geografia Contemporânea. Curitiba: Editora UFPR, 2002.

-------------- La geographie du XXeme siècle. Paris: PUF, 2004.

CORIOLANO, Luzia Neide M. T. O real e o imaginário nos espaços turísticos. In Rosendahl, Z. e Lobato Correa, R. (Org.) Paisagem, Imaginário e Espaço. Rio de Janeiro: Ed UERJ, 2001.

DINIZ Filho, Luis Lopes. Certa má herança marxista: elementos para repensar a Geografia crítica. In Mendonça, F. e Kozel, S. (org.) Epistemologia da Geografia Contemporânea. Curitiba: Editora UFPR, 2002.

GODOY, Paulo Roberto Teixeira. Teorias e conceitos: uma contribuição para o debate crítico em Geografia. Boletim Paulista de Geografia, n. 83,  AGB, São Paulo, Dezembro de 2005.

GONÇALVES, C. W. P. Os (des)caminhos do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 2004.

HELLER, Agnes. A filosofia radical, São Paulo: Ed. Brasiliense, 1983.

LEFEBVRE, Henri,  De l´Etat. Volume 4. Paris: Union Générale d' Éditions, 1978.

-----------------  Une pensée devenue monde. Paris: Fayard, 1980.

MANÇANO, Bernardo. DATALUTA - banco de dados da luta pela terra: uma experiência de pesquisa e de extensão no estudo da territorialização da luta pela terra. In Terra Livre, volume 1, AGB, São Paulo, 2004.

 

-7-

MARX, Karl, Elementos Fundamentales para la critica de la economia política (borrador). Grundisse, 1857-1858. México: Siglo Vientiuno, 1977.

----------------- A questão Judaica. São Paulo: Editora Moraes, s/d.

MORIN, Edgard,  La méthode 6, Éthique. Paris: Seuil, 2004.

SANCHES, Fernanda. A reinvenção das cidades para o mercado mundial. São Paulo: Departamento de Geografia, FFLCH-USP, 2001. Tese de Doutorado.

VANEIGEN, Raoul. A arte de viver para as novas gerações.  Porto: Afontamento, 1980.

Retornar a Programa de las Sesiones

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

-8-

AUTOR: GILDÁSIO RODRIGUES TEIXEIRA

NA CRITICA DA GEOGRAFIA

RESUMO

Este artigo tem como objetivo didático numa obra introdutória dos fundamentos da geografia. Assim, afrontar algumas mediações mais evidentes entre a produção geográfica e o desenvolvimento do modo de produção capitalista. A intenção e é estimular os estudantes de geografia. E quanto a necessidade de repensar o passado ,presente e futuro da geografia.

RESUMEN

Este artículo es un libro introductorio para fines de instrucción de los fundamentos de la geografía. Por lo tanto, la lucha contra algunas mediaciones más obvias entre la producción geográfica y desarrollo del modo de producción capitalista. La intención es animar a los estudiantes y la geografía. ¿Qué hay de la necesidad de repensar el pasado, presente y futuro de la geografía.

RESUMO

This article updates as Didactic target tem name introductory geography gives two foundations work. Assim, mais face algumas mediações evident between geographical produção to eo Desenvolvimento do produção capitalist mode. A intenção é e os stimulate estudantes of geography. E quanto necessidade to rethink or passado, present and future gives geography.RAFIA

-1-

INTRODUÇÃO

Aparentemente é bastante simples, porém refere-se a um campo do conhecimento cientifico, onde reina enorme polêmica. Apesar doa antiguidade do uso do rótulo Geografia. O significado Etimológico da palavra é: Geo. – Terra e Grafia – Descrição, estudo, pesquisa e etc. é uma ciência não exata. Alguns autores definem a Geografia como estudo da superfície terrestre. Assim caberia ao estudo geográfico descrever todos os fenômenos manifestados na superfície dos planetas sendo uma espécie de síntese de todas as ciências. Esta concepção origina-se das formulações  de  Canta respeito do termo superfície terrestre onde se encontra a esfera como a biosfera, hidrosfera, atmosfera litosfera e etc. Que alimenta a corrente majoritária do pensamento geográfico onde o espaço tempo é abstrato, com especulações na razão e empíricas. Neste cenário entra a paisagem em análise geográfica estaria restrita aos aspectos visíveis do real, onde o tempo e o espaço constroem e destroem. A paisagem como objeto da geografia como descrição morfológica e fisiológica (fundamentos da paisagem). feito por HUMBOLDT  e com elementos da biologia e a ecologia . Assim vai surgir na geografia o estudo da individualidade dos lugares esta perspectiva teria suas raízes em autores da antiguidade clássica, como HERÓDOTO ou ESTRABÃO. Surgir à geografia Regional onde a região e feita do espaço enfeita pela natureza a uma determinada porção do espaço terrestre (natureza e sociedade). Então a necessidade de localiza-se no espaço e seus fenômenos então o espaço e objeto da geografia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

-2-

A Geografia entra no estudo das relações entre o homem e o meio, ou, posto de outra forma, entre a sociedade e a natureza surge o Determinismo onde a natureza manda no homem. Isto é também da geografia tradicional .Aparece também a geografia Positivista onde a ação do homem manda  modifica a transforma a natureza

GEOGRAFIA TRADICIONAL

É um dos pensamentos filosóficos e metodológicos que os geógrafos vão buscar bases, devem restringir-se aos aspectos visíveis do real, mensuráveis e palpáveis. Entre o homem e o meio. É  uma ciência de contato entre o domínio da natureza e o da humanidade. Na verdade, a Geografia sempre procurou ser uma ciência  natural dos fenômenos humanos. Isto se expressa, por exemplo, na  colocação de Brunhes de que, para a Geografia ,a casa tem maior importância do que o morador. Assim todas as ciências entra na geografia ou todas as ciências forma a Geografia .Então o objeto de estudo da Geografia é a Terra com seus princípios de:1-unidade terrestre.2-individualidade dos lugares,3-principio da atividade,4-principio da comparação,5-principio da localização. O fenômeno é a palavra chave. Então o pensamento geográfico  tradicional : GEOGRAFIA FISICA –GEOGRAFIA HUMANA,GEOGRAFIA GERAL-GEOGRAFIA REGIONAL,GEOGRAFIA SINTETICA – GEOGRAFIA TOPICA E GEOGRAFIA UNITARIA-GEOGRAFIA ESPECIALIZADAS. Na ciência medica o corpo humano é o objeto de estudo e cada membro do corpo tem sua especialidade só que na geografia tem muitos conflitos ,pois o seu objeto e o planeta terra que tem suas especialidades em vez de unir se separa as especialidades desmembrando a geografia se continuar assim vai fica só o nome Geografia.

Frente a estas razões ,a pergunta – o que é Geografia ?

Para saber tem que pesquisa na historia mais antiga para entender uma disciplina tão antiga quanto o seu rotulo GEOGRAFIA. Ela serve para dominar ou libertar. E atrves dessas,identificar os agentes e as práticas sociais ,referidas ao espaço em jogo na atualidade .Em outras palavras,investigar o estagio da luta ideológica,desenvolvida nesse campo de debate especifica,desenvolvida nesse campo de debate especifico ,que é Geografia .

-3-

A ORIGEM DA GEOGRAFIA

Na Grécia Surgiu O Nome Geografia Na Antiguidade Clássica Uns Dos Pensadores Tales E Anaximandro Nos Seus Escritos Privilegia A Medição Do Espaço E A Discussão Da Forma Da Terra. Herodoto Se Preocupa Com A Descrisão Dos Lugares Numa  Perspectiva Regional.Hipocrates Com As Discusão Dos Homens Com O Meio Nos Seus Escritos Com Titulo “Dos Ares ,Dos Mares E Dos Lugares.” Aristoteles Discute A Concepção De Lugar ,Na Sua Fisica, Sem Articular Com O Homem-Natureza,E Sua Meteorologia Com Descrição Regional Mais Não Uso O Nome Geografia Mais Era Geografia.Temos Tambem Claudio Ptolomeu ,Que Escreve Uma Obra  Sintese  Geografica Que Resgata O Pensamento Grego.Tambem Relatos De Outras Civilizações Mais Antiga Que Relatam Suas Guerras ,Viagem ,Escritos Literarios :Compendios De Curiosidades,Sobre Lugares Exoticos / Aridos Relatórios Estatisticos De Orgãos De Administração :Obras Sinteticas,Agrupando Os Conhecimentos Existentes A Respeito Dos Fenomenos Naturais :Catalogos Sistematicos,Sobre Os Contientes E Os Paises Do Globo Etc.Umas Das Civilizações Mais Antiga Ainda Como O Egito E Suas Construções E Agricultura Milenar E Sus Navegações.

Humboldt  E Ritter “ A Sistematização Da Geografia “

A Geografia Surge Na Alemanha, Onde A Questão Do Espaço Era O Primorial. As Primeiras Colocações, No Sentido De Uma Geografia Sistematizada,Vão Ser Obra De Dois Autores Prussianos Ligados Á Aristocracia.Alexandre Von Humboldt,Conselheiro Do Rei Da Prussia, E Karl Ritter,Tutor De Uma Familia De Banqueiros.Ambos São Contemporâneo E Pertencem Á Geração Que Vivencia A Revolução Francesa:Humboldt Nasce Em 1769 E Ritter Em 1779:Os Dois Morrem Em 1859,Ocupando Altos Cargos

Da Hierarquia Universitária Alemã.A Natureza Manda No Homem Surge O Determinismo.

 

 

 

-4-

Vidal De La Bach

Para Compreender O Processo De Eclosão Do Pensamento Geográfico Na França ,E O Tipo De Reflexão Que Este Engendrou ,É Necessário Enfocar Os Traços Gerais Do Desenvolvimento Histórico Frances No Século Xexé, Em Detalhe, A Conjuntura Da Terceira Republica E O Conflito De Interesses Com Alemanha.

A França Foi O Pais Que Realizou, De Forma Mais Pura, Um Revolução Burguesa. Ali Os Resquícios Feudais Foram Totalmente Varridos, A Burguesia Instalou Seu Governo, Dando Ao Estado A Feição Que Mais Atendia A Seus Interesses. Assim Surgir O Positivismo Onde O Homem Domina E Transforma A Natureza.

A outra grande corrente do pensamento geográfico, que se poderia denominar com certa impropriedade geografia racionalista,vinculou-se aos nomes de AHETTNER E R. HARTSHORNE..O fato de se denominar racionalista esta corrente advem de sua menor carga empiristica,em relação as anteriores .Esta perspectiva ,a  terceira  grande orientação dentro da geografia  tradicional,privilegiou um pouco mais o raciocínio dedutivo, antecipando um dos moveis da renovação geográfica nos anos sessenta.Isto decorreu da diferenciada fundamentação filosófica desses autores. A geografia de Ratzel e a de Vital tiveram sua raiz filosófica no positivismo de Augusto Comte,a qual foi passada acriticamente para seus  seguidores.A geografia  de Hettner e Hartshorne fundamentava-se no neokantismo de Rickert e Windelband.

-5-

CONCLUSÃO

A GEOGRAFIA vivenciada hoje tem muitos fundamentos começando da antiguidade clássica na grecia e outras civilizações antigas deste o antigo egito até a atualidade e um longo caminho.Mais a geografia e uma ciência de síntese de todas as ciências do mundo ,ainda falta muito para ser explorado na geografia pois os tempos estão mudando a cada dia assim surge agora a GEOTECNOLOGIA. A geografia sempre se renova.

-6-

 

 

GILDÁSIO RODRIGUES TEIXEIRA

 

 

 

FILIAÇÃO: JOÃO TEIXEIRA COUTINHO

DALVANIRA RODRIGUES TEIXEIRA

 

 

 

 

 

NA CRITICA DA GEOGRAFIA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

-2013-

 

 

Bibliografia

BERQUE, A. Du geste à la cite. Paris: Éditions Gallimard, 1993.

CLAVAL, Paul. La pensée geographique. Paris: PUF, 1982.

------------- A revolução pós-funcionalista e as concepções atuais da geografia. In Mendonça, F. e Kozel, S. (org.) Epistemologia da Geografia Contemporânea. Curitiba: Editora UFPR, 2002.

-------------- La geographie du XXeme siècle. Paris: PUF, 2004.

CORIOLANO, Luzia Neide M. T. O real e o imaginário nos espaços turísticos. In Rosendahl, Z. e Lobato Correa, R. (Org.) Paisagem, Imaginário e Espaço. Rio de Janeiro: Ed UERJ, 2001.

DINIZ Filho, Luis Lopes. Certa má herança marxista: elementos para repensar a Geografia crítica. In Mendonça, F. e Kozel, S. (org.) Epistemologia da Geografia Contemporânea. Curitiba: Editora UFPR, 2002.

GODOY, Paulo Roberto Teixeira. Teorias e conceitos: uma contribuição para o debate crítico em Geografia. Boletim Paulista de Geografia, n. 83,  AGB, São Paulo, Dezembro de 2005.

GONÇALVES, C. W. P. Os (des)caminhos do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 2004.

HELLER, Agnes. A filosofia radical, São Paulo: Ed. Brasiliense, 1983.

LEFEBVRE, Henri,  De l´Etat. Volume 4. Paris: Union Générale d' Éditions, 1978.

-----------------  Une pensée devenue monde. Paris: Fayard, 1980.

MANÇANO, Bernardo. DATALUTA - banco de dados da luta pela terra: uma experiência de pesquisa e de extensão no estudo da territorialização da luta pela terra. In Terra Livre, volume 1, AGB, São Paulo, 2004.

 

-7-

MARX, Karl, Elementos Fundamentales para la critica de la economia política (borrador). Grundisse, 1857-1858. México: Siglo Vientiuno, 1977.

----------------- A questão Judaica. São Paulo: Editora Moraes, s/d.

MORIN, Edgard,  La méthode 6, Éthique. Paris: Seuil, 2004.

SANCHES, Fernanda. A reinvenção das cidades para o mercado mundial. São Paulo: Departamento de Geografia, FFLCH-USP, 2001. Tese de Doutorado.

VANEIGEN, Raoul. A arte de viver para as novas gerações.  Porto: Afontamento, 1980.

Retornar a Programa de las Sesiones

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

-8-

AUTOR: GILDÁSIO RODRIGUES TEIXEIRA

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Gildásio Rodrigues Teixeira .
Talvez você goste destes artigos também