MOVIMENTOS OPERÁRIOS NA REPÚBLICA VELHA (1889 A 1930)
 
MOVIMENTOS OPERÁRIOS NA REPÚBLICA VELHA (1889 A 1930)
 


Os movimentos Sociais na república velha
A República velha foi o período entre 1889 há 1930, quando o movimento depôs o presidente Washington Luís do poder. Durante este período as oligarquias consolidaram-se no poder apoiadas em sua riqueza, mas também em uma estrutura política típica desenvolvida pelas elites .Na constituição de 1891 pouco regulamentava sobre questões sociais. Por isso ,o destino dos mais pobres permaneceu nas mãos da classe dominante. Sem desfrutar dos benefícios da República,camponeses e operários declararam movimentos rurais e urbanos que contestaram o modelo político vigente.
Para compreendermos um pouco mais sobre os movimentos sociais que ocorreram no Brasil da república velha e até nos nossos tempos de hoje, temos que saber que os movimentos sociais começaram muito antes dos grandes movimentos sociais que ocorreram no mundo,como a revolução Francesa,o Iluminismo,o Renascimento e outros mais. Os primeiros movimentos sociais começaram na antiga Roma antes de Cristo no século 494, quando as desigualdades políticas entre patrícios e plebeus geraram grandes conflitos,centenas de plebeus rebelados se retiraram para o Monte Sagrado (o Monte Aventino ) e ameaçaram a não lutar no exército caso suas reivindicações não fossem atendidas. Entre diversas exigência os plebeus conseguiram eleger seus próprios magistrados, os Tribunos da Plebe,conseguiram em 450 a.C a publicação das leis escritas,que asseguravam a igualdade jurídica dos patrícios e plebeus, e a questão da reforma agrária que os políticos romanos tinham como seus principal problema,e os irmãos Tibério e Caio Graco realizaram reformas a fim de solucionar os problemas da desigualdade social fazendo uma lei agrária que limitou a extensão das propriedades fundiárias da nobreza e autorizando a distribuição de terras públicas para os plebeus, mas este projeto não foi aceito em 132 a.C ,Tibério Graco e mais de 500 partidários da lei agrária foram assassinados,pelos grandes proprietários de terra que se opuseram contra a lei. Este fato citado da reforma agrária Romana como movimento social rural não é indiferente aos dias de hoje que os nossos grandes latifundiários não cedem parte de suas terras para os sem terras(MST).
Na república velha houve grandes movimentos sociais Rurais,Urbanos,e os Operários. O Historiador Boris fausto divide os movimentos rurais em três grupos: "os que combinaram conteúdo religioso com carência social; os que combinaram conteúdo religioso com reivindicação social; os que expressam reivindicação sociais sem conteúdo.Dentre os movimentos sociais rurais mais expressivos foram : O Cangaço(1900-1938), O Contestado( 1912-1916)e A Guerra de Canudos (1893-1897) A Guerra de Canudos foi relatada por Euclides da cunha no seu livro Os Sertões e tema constante do escritor Machado de Assis em suas crônicas semanais na gazeta de notícias ,sendo na minha opinião o exemplo trágico das manifestações que associaram o conteúdo religioso e carência social que foi protagonizado e liderado pelo beato Antonio Vicente Mendes Maciel conhecido como Antonio conselheiro e logrado no Arraial Belo Monte ,cidade próxima do Rio Vaza-Barris no estado da Bahia.Antonio Conselheiro nasceu em quixeramobim, no Ceára, em 13 de março de 1830, que desde 1870 já pregava pelo sertão do nordeste; este movimento é visto pela historiografia como de fanáticos,loucos e criminosos,baseado na visão originária dos contemporâneos que registraram os fatos. Antonio Conselheiro ele protestava contra a república,mas não era monarquista,aconselha as pessoas a não pagarem impostos para o governo,pregava a religião católica,transformou Canudos em uma comunidade onde a terra ,os rebanhos eo produto do trabalho coletivo eram propriedade comum;apenas os bens móveis e as residências constituíam propriedade pessoal. Aos olhos do governo e do clero tudo isso fazia da vila um péssimo exemplo e por isso o governo promoveu 4 expedições de soldados fortemente armados para massacrarem Canudos .
Sobre a Guerra do contestado que se deu entre os rios ,Uruguai, Iguaçu, e Negro e da fronteira da Argentina; Contestado era uma região disputada por Santa Catarina e Paraná decorrente a sua rica floresta e extensa plantação de erva-marte.o movimento foi liderado pelo monge João Maria,cujo nome era Atanás Mercaf, desprezava as coisas matérias,criticava fielmente o regime republicano e fazia terríveis profecias como "Jesus disse a São Pedro que o mundo havia de existir mil anos,mas não outros mil" João Maria pregava uma sociedade igualitária,seu propósito era resistir aos que pretendiam expulsar a população cabocla ,que o seguia confiante das promessas de justiça divina.Ocorreram vários choques armados entre os caboclos que seguiam João Maria intitularam-se de pelados lutando contra os peludos que eram os jagunços contratados pelas empresas,policiais e soldados do Exército, em 1915,o general Setembrino de Carvalho,á frente de sete mil soldados forçou os caboclos a se renderem.assim dando fim a guerra do Contestado.
O Cangaço foi mais um movimento rural social que existiu na república velha, e foi o mais prolongado começou no final do século XIX,estendendo-se até 1938,eram grupo de cangaceiros fortemente armados,o termo cangaço vem de "canga"(pau que carregadores põem aos ombros para suspender fardos)devido ao peso das armas e equipamentos que os cangaceiros carregavam . O Cangaço tinha como sua principal característica o engajamento de mulheres e de homens para fugir da miséria ou vingar-se de alguém poderoso, eles agiam muitas vezes em conflitos que envolviam brigas entre famílias, rivalidades entre as oligarquias locais. No final do século XIX, os cangaceiros formaram bandos independente que não se subordinavam a nenhum chefe local . O mais conhecido cangaceiro foi Virgulino Ferreira da Silva, conhecido como Lampião, também rotulado por escritores de Robin Hood da caatinga ele representava as pessoas pobres e corajosas que farta de ser humilhada, atacava e roubava os fazendeiros. O bando de Lampião foi perseguido por patrulhas volantes da policia estadual, agindo com muita brutalidade quanto aos cangaceiros. Lampião morreu em uma emboscada em 1938 juntamente com sua companheira e seus jagunços terminando a saga dos cangaceiros no Sertão do país.no livro de Eric Hobsbawn intitulado Bandidos ele ressalta: "É Verdade que ele fizera uma romaria ao famoso Messias de Juazeiro,o padre Cícero,pedindo sua benção antes de abraçar o cangaço....contudo,a balada de onde extrair a maior parte deste relato não menciona qualquer desagravo de ofensas(exceto no seio do próprio bando) nenhum ato de tirar dos ricos para dar aos pobres,nenhuma dispersão de justiça. Registra batalhas,ferimentos,ataques a cidade(ou contra o que passava nas cidades dos sertões brasileiros), seqüestro,assaltos a ricos,combates com o soldado aventuras com mulheres,episódio de fome e de sede mas nada que lembre Robin Hood. Pelo contrário ,registra"horrores?:como Lampião assassinou um prisioneiro,embora sua mulher o tenha resgatado,como ele massacrava trabalhadores,como torturou uma velha que o almadiçoara (sem saber de quem se tratava),fazendo-a dançar com o Pé de mandacaru até morrer,como matou sadicamente um de seus homens,que o ofendera obrigando a comer um quilo de sal,e incidentes semelhantes causar terrore ser impiedoso é um atributo mais importante para esse bandido de que ser amigo dos pobres"
Dando continuação ao nosso assunto; os movimentos sociais urbanos na república velha tem tudo haver com o crescimento desordenados das cidades , sem deixar de frisar que a estrutura econômica do país nesta época era essencialmente rural,contando com o crescimento industrial que contribuía para a urbanização tendo como exemplo a cidade do Rio de Janeiro,que era a capital do país. Aconteceram vários movimentos sociais urbanos levando em conta a grande pobreza acentuada que foi a grande válvula para a explosão dos movimentos e os principais foram: A revolta da Vacina, A revolta da chibata, O Tenentismo.
A insatisfação popular no meio de tantas dificuldades as cidades mostravam uma composição social bastante diversificada, a cidade do Rio de Janeiro,São Paulo e Porto Alegre tiveram um crescimento populacional muito elevado por conseqüência da industrialização acelerada ,principalmente na região sudeste,por todo esse contexto os serviços públicos e urbanos eram muito precário e a falta de higiene contribuíam para a disseminação de doenças (varíola e peste bubônica)e toda as melhorias que o governo fazia era para privilegiar só os melhores bairros e centro comerciais deixando a classe menos favorecidas. Em 1904 o saneamento e a modernização do Rio de Janeiro eram prioridade porque era a capital do Brasil,mais o prefeito do Rio, Pereira Passos mandou derrubar casebres e cortiços para abrir avenidas, expulsando a população pobre para os morros. E institui visitas sanitárias a toda população tornando-a obrigatória, a população se revoltava com as vistorias nas casas feitas sem nenhum esclarecimento e a obrigatoriedade da vacinação contra a varíola que o médico sanitarista Oswaldo Cruz era o responsável ,esta ultima medida foi o estopim da Revolta da Vacina, fazendo com que a população organizasse barricadas nas ruas e lutas corporais e quebradeiras, mas não obtiveram sucesso,o governo tomou o controle da situação prendeu mais de mil pessoas e deportou outras para o Acre.
A Revolta da Chibata foi um movimento social urbano que iniciou-se em 22 de novembro de 1910 ,no navio Minas Gerais,com a rebelião dos marinheiros revoltados com os maus tratos comuns na marinha brasileira que foi abolida desde a proclamação da República,que na prática ,continuava a vigorar na frota de guerra brasileira.teve como seu líder o gaúcho João Cândido Felisberto,apelidado Almirante Negro.O grande marco da revolta foi o castigo brutal que o marinheiro Marcelino Rodrigues recebeu 250 chibatadas.os Marinheiros apontaram canhões para a cidade do Rio de Janeiro com isto o Congresso atendeu as reivindicações dos marinheiros e anistiou os lideres do movimento. Entretanto o decreto foi descumprido e o governo passou a perseguir e prender os marujos. Mas apesar de eliminar a chibatada,os lideres acabaram presos e muitos morreram torturados,sendo que seu principal líder Almirante Negro foi absolvido em 1912.
O Tenentismo foi a oposição mais direta ao sistema oligárquico ,foi o primeiro movimento urbano armado iniciando-se em 1921 com a insatisfação militar contra o governo oligárquico representado pelos grandes cafeicultores que haviam criado uma política baseada no coronelismo e controle dos currais eleitoras. O movimento tenentista era integrado por jovens do exército, destacando-se o jovem Luís Carlos Preste, Juarez Távora, Eduardo Gomes, Siqueira Campos ,Cordeiro de Farias e Juracy Magalhães. Em 1922 ano de eleição presidencial os tenentes exigiam o voto secreto e o fim da corrupção oligárquica, defendiam um governo forte e centralizado, esse espírito de corpo percebidos nos discursos dos tenentes,que se consideravam os únicos capazes de salvar a república das mãos das elites atrasadas.Este movimento foi considerado como elitizado pois ele ficou isolado do restante da sociedade nem os camponeses ficaram a favor desse movimento. Ocorreram outras rebeliões Tenentista no Rio Grande do Sul (1923) e em São Paulo (1924).durante este movimento,os tenentes reformularam suas proposta transformando-as em apelos mais concretos e próximos dos grupos médios urbanos.
Como já foi citado no primeiro parágrafo que a constituição de 1891 pouco se preocupou com questões sociais. Por isso as relações de trabalho ,nas cidades eram definidas pela emergente burguesia,industrial,mercantil e financeira. As primitivas modalidades de organização operária obedeceram, portanto á iniciativa espontânea e ás necessidades imediatas dos trabalhadores. Os primeiros movimentos operários surgiram como ligas operárias e as sociedades resistentes, reivindicando principalmente melhores salários,menor jornada de trabalho,assistência ao trabalhador doente ou acidentado e regulamentação do trabalho feminino e infantil
O movimento operário sofreu influências do Socialismo e do Anarquismo sendo este o principal movimento operário do início da república velha tinha como ideais a mudança da estrutura da sociedade transformando o estado burguês por uma forma cooperação entre os indivíduos livres. O socialismo por sua vez via o movimento de luta da classe como o motor da história fundando o partido socialista brasileiro (PSB) no ano de 1902 com o programa marxista.
Na formação da classe operária dois fatores estruturais podem ser considerados: os econômicos e a composição étnica,os fatores econômicos estão ligados á Industrialização brasileira .a acumulação de capital proveniente do café e da imigração estrangeira formando a mão ?de- obra que veio trabalhar na cafeicultura,a composição étnica pesava devido á grande pluralidade de etnias existentes no país.o Rio de Janeiro era uma cidade portuguesa,São Paulo se formou como o italiano sendo seu principal elemento predominante. A diversidade levava á importação de ideologias, as diferenças culturais eram grande e existiam as rivalidades étnicas,mas a classe suplantou a etnia devido á consciência de classe que se formou. O movimento operário começou no século XIX, e teve ascensão entre 1905 -1908, quando aconteceu a primeira onda de greves,principalmente em São Paulo .em 1906 foi realizado o primeiro congresso Operário que decidiu criar a confederação Operária brasileira posição defendida pelos anarco-sindicalista (acreditavam ser o sindicato a organização natural das massas), que prevaleceu sobre a posição dos socialista que queriam fundar um partido político.
O movimento operário na república velha entre 1909-1912 foi de depressões vividas principalmente pela oscilações da economia,entre 1912-1917 foi um período de grandes greves principalmente a de 1917 em São Paulo. No Rio de Janeiro em 1917 a FORJ (Federação Operária do Rio de Janeiro) estava empenhada na campanha contra a carestia de vida e a partir de fevereiro de 1917 cresceram os números de comícios para uma articulação de uma grande organização sindical. Em 1918 foi criada a UGT (União Nacional dos Trabalhadores) que substituía a FORJ, que foi fechada pela polícia. Poucos meses depois da greve de 1917, mobilizações de impacto incomparavelmente maior derrubaram a ordem burguesa na Rússia e levaram os operários ao poder nos anos seguintes a influência da revolução Russa se estendeu ao movimento operário internacional vários grupos começaram a se organizar para formar um partido semelhante ao partido de Bolchevique. A década de 20 foi simbolizada como o momento de auge e declínio do anarquismo,sendo criado o PC (Partido Comunista)em 1922 aqui no Brasil já existiam grupos comunistas nas cidades do Rio de Janeiro,Recife,Juiz de Fora e São Paulo.
Complementando o assunto no decorrer de todos os acontecimentos das revoltas,das lutas operárias que aconteciam na década de 20,não posso deixar de explanar sobre o movimento da Ruptura cultural,literária que se realizou no ano do Centenário da Independência do Brasil no mesmo ano que se deu a revolta Tenentista e formação do partido comunista acontecia entre os dias 13-17/02/1922 A Semana de Arte Moderna,tendo como articuladores do evento Di Cavalcanti e o empresário Paulo Prado que visavam divulgar a renovação da arte e temática Nativista, tendo como participação vários atores de áreas diferentes como: pintores,escultores,literatos, arquitetos e intelectuais. O impacto foi intenso junto ao público que reagiu com incompreensão as novas tendências.muitas apresentações foram vaiadas principalmente o poema de Manuel Bandeira Os Sapos ,lido por seu amigo Ronald Carvalho,foi um marco para a nossa literatura pois foi um dos primeiros poemas Moderno da época já que bandeira seguia outras linhas literárias. O ponto maior desse movimento modernista foi de conciliar uma linguagem importada da vanguarda européia e de exprimir, o que estava dentro da alma brasileira de cada participante resgatando as nossas raízes culturais com seu conteúdo nativista.
 
Avalie este artigo:
(3 de 5)
33 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Sandra Cristina Dias Bittencourt
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
SOU GRADUADA EM TURISMO E ESPECIALISTA EM HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA DO BRASIL PELA FUNESO. ATUALMENTE ESTUDO A CULTURA POPULAR TENTAREI UMA VAGA NO MESTRADO NA UFPE ,TENHO UM BLOG INTITULADO HISTÓRIA COM SANDRA.
Membro desde junho de 2011
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: