Morfologia da Língua Inglesa

Paulo Ricardo dos santos souza

 

Morfologia da Língua Inglesa

 

A morfologia dos verbos em inglês pode ser bastante complexa. No entanto, os verbos podem ser marcados pelo tempo, pessoa ou em seus aspectos por meio de sufixos inflexionais, mudanças de vogais, mudanças de consoantes ou até mesmo de uma mistura na raiz desse léxico. Apenas alguns verbos não sofrem como podemos nos referir dessas mudanças linguísticas o fator que nós chamamos de alomorfe zero/ɸ/, enquanto que alguns outros sofrem uma completa mudança de forma e realização morfológica designado de supressão linguística. Ou seja, pode-se haver uma diminuição no referido léxico abordado.

No tempo presente, os verbos em inglês são mais flexionados para a terceira pessoa do singular. Na maioria dos casos isto é alcançado simplesmente adicionando um –‘s’ ou –‘es’ ao final de sua forma base: Exemplo:

like – likes;  

run - runs;  

miss - misses.

No entanto, esses sufixos flexionais sofrem mudanças fonológicas que são lançados na forma básica dos verbos. “Já para os verbos em sua forma básica” tais como: likes /-s/, runs /-z/ and misses /-iz/. Estas diferenças estão a ser chamados de  alomorfes fonologicamente condicionados. Dois exemplos de “terceira pessoa do singular que apresentar em suas formas de tempo verbais as respectivas mudanças em seu terminação são os verbos ‘ be ‘ e ‘have’ exemplo: have – has = mudança de consoante na raiz final /v/ para /z/; be – is = supressão linguística. As outras marcas linguísticas registradas nas pessoas dos tempos verbais em sua maioria ocorre sempre casos de alomorfes zero.

As formas dos verbos no pretérito frequentemente embora nem sempre usem formas fonologicamente condicionadas e nem flexionadas, são representadas pelo o adicionamento de sufixos ‘-d’ or ‘-ed’ . Alguns exemplos típicos dessas áreas. Exemplo:

kick – kicked;

live – lived;

need – needed.

Fonologicamente resultam em alomorfes. Exemplo: kicked /-t/, lived / -d/ needed /-id/. No entanto, nas terceiras pessoas do singular, a forma de pretérito também tem um bom número de outras mudanças linguísticas alomórficas. O verbo ‘ to find’ é um bom exemplo de um caso de mudança de vogal. Exemplo: find – found = uma mudança de vogal /ai/ para /aƱ/; enquanto que “Bend” representa uma mudança de consoante em sua raiz final. Exemplo: bend – bent = uma mudança de consoante em sua raiz final  de /d/ para  /t/. Uma mistura destes é também possível, como pode ser visto em ‘ leave’. Exemplo:

leave – left = mudança de vogal /i:/ para /e/, mudança de consoante na raiz final /v/ para /f/, e o adicionamento do /-t/.

 

Outros verbos tais como ‘put’ and ‘cut’ não sofrem nenhum tipo de alteração e são considerados alomorfes nulos: put – put /ɸ/; cut – cut /ɸ/. E os verbos como ‘go’ and ‘ be’ tem uma mudança completa na forma e realização fonológica, resultando um caso de ‘supressão linguística’ Exemplo:

go – went = supressão;

be – was-were = supressão.

O particípio passado, como a forma do passado simples, sofrem várias alterações diferentes em seus alomórficos condicionados fonologicamente. Como também, em muitos casos, a forma do particípio passado de verbos em inglês é o mesmo que a forma de seus respectivos tempo anteriores. Exemplo: love – loved – loved. Em casos como estes, as mudanças são as mesmas quanto ao do tempo passado. Entretanto, são muitos casos em que eles são diferentes: exemplo:

 sing – sang – sung = mudança de vogal /i/ para /ʌ/;

see – saw – seen = acréscimo de sufixo /-n/;

break – broke – broken = mudança de vogal   / ei/ para  /əƱ/ ae acráscimo de sufixo/-en/; run – ran – run = /ɸ/.

 

 

 

 

 

 

Referência

 

Jackson,H.Analyzing English. New York: pergamon press inc.,1980.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Revisado por Editor do Webartigos.com
Leia outros artigos de Rpm
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)

Membro desde fevereiro de 2011