MENINAS: NOVAS VITIMAS DOS TRAFICANTES DE DROGAS
 
MENINAS: NOVAS VITIMAS DOS TRAFICANTES DE DROGAS
 


MENINAS: NOVAS VITIMAS DOS TRÁFICANTES DE DROGAS
Eduardo Veronese da Silva

Não é novidade de que o submundo das drogas tem levado muitos jovens a interromperem precocemente seus planos para o futuro, resultando em um número elevado de óbitos na faixa etária compreendida entre os 14 e 25 anos. Entre estas mortes, até pouco tempo, havia o predomínio total de jovens do sexo masculino, mas, têm surgido novas vítimas do trafico de entorpecentes ? as meninas adolescentes.
Muitas são as circunstâncias ou razões que podem levar uma pessoa a usar drogas, principalmente, quando elas estão na fase da adolescência. Fase esta, onde se concentram pela busca incessante de auto-afirmação. Este período evolutivo é caracterizado por uma transição para a fase adulta. No entanto, alguns impulsos ou acontecimentos ocorrem com maior intensidade no transcorrer desta faixa etária; cita-se entre eles: a curiosidade, a pressão dos colegas, o desejo de pertencimento (fazer parte de um grupo ou classe social), a desestrutura familiar, o desequilíbrio emocional, a falta de perspectiva futura (insegurança e instabilidade de emprego) e a influência da mídia ou do interesse do mercado.
Estes, entre outros fatores, têm proporcionado um aumento significativo e cada vez maior do ingresso de adolescentes no universo da droga, ora como agente, ora como vítima desse fenômeno em ascensão social.
Pedro Maia, cronista da coluna Cidade Aberta, do jornal A Tribuna/ES, escreveu um artigo intitulado "Uma história de amor contra o uso de drogas". Nesse texto, apresentou um dado divulgado pelo relatório mundial sobre drogas no ano de 2008, mostrando que no mundo, cerca de 200 (duzentos) milhões de pessoas entre 15 e 64 anos são usuárias de drogas lícitas ou ilícitas.
Matéria divulgada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo ? FIESP confirma os dados apresentados no relatório mundial, assegurando de que 10% a 15% (dez a quinze por cento) da população empregada no Brasil possuem algum tipo de dependência química. Outras pesquisas realizadas sobre o uso e abuso de drogas no território brasileiro, apontam que as vítimas alcançadas por esse grande mal, são, em sua maioria, de jovens.
Relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas ? ONU trouxe como enfoque principal de que a qualquer tempo cerca de 2,5 (dois virgula cinco) milhões de pessoas no mundo são fisgadas pela rede criminosa do trafico de drogas. Frisa-se que aliada a esta atividade ilegal, tem-se outro braço forte da criminalidade - o trafico de seres humanos. Esta rede criminosa prefere como clientela meninas adolescente, com a idade variando entre 15 e 28 anos, principalmente para empregá-las no turismo sexual. Essas duas atividades ilícitas, aliada ao tráfico de armas, são as três atividades ilegais que trazem maior lucratividade para seus agenciadores, movimentando bilhões de dólares por ano.
Conforme estatística divulgada pela Policia Militar do Estado de São Paulo ? PMESP, 80% (oitenta por cento) dos crimes urbanos têm alguma ligação com o uso ou o tráfico de entorpecentes. Entretanto, nos últimos anos, as mulheres têm sido as vítimas preferidas dos traficantes.
Uma de suas atuações e emprego dentro da estrutura organizacional do comercio ilegal de drogas, está relacionada a atuar na função de "mulas", ou seja, responsáveis pelo transporte de quantidades de drogas para outras localidades. Isso ocorre devido a dois fatores principais: não terem passagem pela polícia ou não despertarem tanta suspeita por parte dos agentes de segurança publica.
Devido a esses dois aspectos, tornou-se comum a apreensão de grande quantidade de drogas ilícitas em posse de mulheres. Cotidianamente inúmeras operações são realizadas em várias localidades do território brasileiro, e porque não dizer, em várias partes do mundo.

Esses flagrantes, geralmente são desencadeados por intermédio de denúncias anônimas. Nesse sentido, registram-se alguns casos:

Garotas são presas por tráfico de drogas em Criciúma:
Duas jovens de 19 anos foram presas na manhã desta quarta-feira pela Polícia Civil, no Sul de Santa Catarina. As garotas foram detidas no bairro Paraíso, em Criciúma. Na casa delas, os agentes encontraram três torrões de crack ? que, segundo a polícia, poderia gerar cerca de 420 pedras da droga ? e uma balança de precisão digital. As jovens afirmaram que estavam guardando a droga e a balança para outra traficante, ex-vizinha delas, que já foi identificada. As duas devem responder por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Garotas são presas com meio quilo de crack de traficante em João Monlevade:
Traficante de João Monlevade usa meninas para transportar drogas para Itabira. As garotas de 17 e 19 anos, foram presas com 518 pedras de crack que seriam entregues a dois moradores do aglomerado do Marajó. O traficante, identificado como "Denilson" aliciou as duas garotas, chamando-as para dar um passeio em Itabira, quando percebeu a presença da polícia conseguiu fugir correndo para dentro de um matagal.

Policiais do 26º Batalhão de Polícia Militar de Mogi Guaçu, prenderam três moças por tráfico de drogas:
As estudantes M. L. V., 21 anos, I. R. O. 20 anos, e D. M. M., 23 anos ? todas moradoras em Itapira (SP), estavam entre as passageiras de um ônibus que se dirigia de Itapira para uma Festa Rave em Itu. Elas estavam transportando em seus órgãos genitais porções de cocaína e comprimidos de ecstasy, embalados em preservativos (camisinhas).
Elas foram revistadas por policiais femininas e foram encontrados pelo menos 12 compridos provavelmente de ecstasy e 13 bolsinhas de cocaína. Um terceiro pacote contendo drogas em seu interior foi encontrado com uma das acusadas, mas não foi aberto no local. M.L.V., I.R.O. e D.M.M. foram apresentadas ao Plantão da Polícia Civil de Mogi Mirim, onde foram autuadas por tráfico e encaminhadas à Cadeia Feminina de Santo Antônio de Posse (SP).

Modelo presa por tráfico posa ao lado da droga em delegacia de Amambai:
Uma modelo de 19 anos, residente em Vitória (ES), foi presa em Amambai na manhã dessa sexta-feira (30) por uma equipe do Departamento de Operações de Fronteira (Dof) transportando maconha e haxixe na bagagem. Segundo os policiais, Elisângela de Matos Santos foi abordada enquanto aguardava um ônibus interestadual. Na vistoria de sua bagagem, os agentes encontraram 27 tabletes de maconha e 795 gramas de haxixe.
De acordo com a polícia, Elisângela afirmou ter participado de desfiles de moda na região do Espírito Santo e possuir cadastro em uma renomada agência de modelos do Rio de Janeiro. Ela teria dito também que receberia a quantia de R$ 1.500 para levar o entorpecente de Coronel Sapucaia, na fronteira com o Paraguai, até São Paulo.
Encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil, ela foi autuada em flagrante e recolhida no Estabelecimento Penal de Amambai, onde permanece à disposição da Justiça. Já na delegacia quando o flagrante foi registrado por uma equipe da Jornal "A Gazeta News", a modelo literalmente posou ao lado da droga que levava. "Mesmo presa por tráfico ela disse que não poderia posar de qualquer jeito para as fotos e fez pose para o registro do flagrante", disse o repórter Vilson Nascimento.

Estima-se que o envolvimento de meninas no comercio e no trafico de drogas, esteja relacionado principalmente a sua condição socioeconômica, isto é, pertencerem a uma classe menos favorecida da sociedade. Assim, por não vislumbrarem uma melhora na qualidade de vida, acabam se envolvendo em relacionamentos amorosos com traficantes. Nesse caso especifico, quando algumas tentam sair deste relacionamento, acabam sendo mortas pelo traficante ou por seus comandados. Configurando-se na linguagem da policia judiciária como crime passional.
Esta tem sido uma das alternativas encontradas pelas meninas "pobres", para tentarem mudar de vida, e, quem sabe, conseguir respeito, status social, freqüentar lugares badalados, usar roupas de marcas e conseguir dinheiro de forma "fácil". Em muitos casos, com a prisão do traficante, elas acabam assumindo o comando da boca de fumo e as demais atividades ilícitas praticadas pelo seu companheiro.
A página policial dos jornais capixabas tem divulgado matérias constantes, trazendo como resultado a apreensão de drogas em posse de meninas nos terminais rodoviários. Outras vezes, matérias com mortes trágicas de meninas adolescentes. No ano passado, duas meninas foram encontradas mortas no município de Vila Velha/ES. Uma de 14 anos, jogada no meio da vegetação do morro do moreno, local muito freqüentado por esportistas que saltam de asa delta. A outra, de 25 anos, as margens de uma estrada que dá acesso ao município vizinho, Cariacica/ES.
Outras duas ocorrências envolvendo a morte de meninas foram realizadas em municípios distintos. Uma no bairro Santa Rita, em Vila Velha, a primeira foi morta no momento em que conversava com uma amiga em frente de sua casa. Foram feitos vários disparos de arma de fogo. A outra se deu no município da Serra/ES, a menina tinha acabado de sair da escola e estava a caminho de sua casa, sendo morta por disparos de arma de fogo.
A Delegacia de Homicídios iniciou a investigação criminal para identificação dos autores e a motivação dos crimes. Entretanto, não se pode descartar a hipótese de que elas poderiam ter algum tipo de envolvimento com usuários de drogas, dividas do consumo da droga, ou, no mínimo, algum relacionamento com traficantes.


EDUARDO VERONESE DA SILVA
Subtenente da PMES
Bacharel em Direito ? FABAVI
Licenciatura Plena em Educação Física ? UFES
Contato: (27) 9863.9443
 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Eduardo Veronese Da Silva
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
- Licenciatura em Educação Física - UFES; - Bacharel em Direito - FABAVI/ES; - Especialista em Direito Militar - Universidade Castelo Branco/RJ; - Palestrante em Dependência Química, Violência e Drogas.
Membro desde abril de 2010
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: