Medidas de Controle de Infecção e Biossegurança na vivência Pedagógica em ambiente Hospitalar.
 
Medidas de Controle de Infecção e Biossegurança na vivência Pedagógica em ambiente Hospitalar.
 


Medidas de Controle de Infecção e Biossegurança na vivência Pedagógica em ambiente Hospitalar.
Em se tratando do controle de infecção e biossegurança devemos nos conscientizar da importância da prevenção através da higiênização como um todo. As infecções hospitalares representam um grave problema médico-social e o seu melhor conhecimento, prevenção e controle constituem um desafio a ser enfrentado. A melhor maneira de proteção é a adoção das precauções padrão (uso de óculos de acrílico, máscara, luvas, avental, gorro, pro-pé, etc).A importância do seu uso é inquestionável e têm por objetivo reduzir ao máximo infecções e exposição do profissional da área de saúde. Assim, a higiene e limpeza é fundamental para diminuição das infecções hospitalares.Como educadores devemos ter em mente que cuidar: "é proteger, interagir, acolher, tratar, doar-se, escutar, zelar, levando em conta as necessidades, respeitando as possibilidades e limites do outro, sem julgamentos, levando-o a responsabilizar-se por sua vida". Essas são  importantes noções a serem nutridas e internalizadas no contexto do adoecimento.Com foco na humanização e educação, objetivos a alcançar na atuação do pedagogo hospitalar, as aulas (teórico-vivenciais) sugerem pontos de reflexão do participante na compreensão desse contexto e o capacitam a melhorar as condições de vida e enfrentamento do adoecer.A Pedagogia conta com essas áreas na construção de sua especialização como testemunho desse caminhar interdisciplinar.A atuação hospitalar exige um aprendizado permanente: da ação e reflexão do cotidiano; da responsabilidade com o outro; da busca de atividades que tragam sentido,significado e possibilidades de ressignificações; e do pensar alternativas para um novo modelo de atuação. "O que significa que cada educador aprende por si e de si, como ser educador".  Esta atenção e sensibilidade, para dar conta dos filigramas da rede que acompanham o viver hospitalar, irá retroalimentar os conteúdos e práticas da formação, e exigirá o exercício da troca e partilha desse saber. Mas isto só será possível principalmente a partir da qualidade de presença do professor que atua como suporte e modelo para pais e crianças no enfrentamento das situações difíceis da internação, tais como as oscilações de humor, dor e morte.
A qualidade de presença inclui a característica resiliente que todos da equipe devem desenvolver diante do cotidiano da internação e diante da vida. O pedagogo hospitalar, necessitam de uma formação mais específica que aquela já introduzida no curso de graduação. Com foco na humanização e educação, objetivos a alcançar na atuação do pedagogo hospitalar, as aulas (teórico - vivenciais) sugerem pontos de reflexão do participante na compreensão desse contexto e o capacitam a melhorar as condições de vida e enfrentamento do adoecer.
 
 
Avalie este artigo:
1 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Daniely Lopes De Oliveira
Talvez você goste destes artigos também