MARIA, IRMÃ DE LÁZARO, ERA UMA MULHER DE MÁ FAMA
 
MARIA, IRMÃ DE LÁZARO, ERA UMA MULHER DE MÁ FAMA
 


MARIA, IRMÃ DE LÁZARO, ERA UMA MULHER DE MÁ FAMA

 

Maria de Betânia, irmã de Lázaro de Marta, é a mesma mulher pecadora referida em  Lucas 7.37,38.

 

E eis que uma mulher da cidade, pecadora, sabendo que ele estava à mesa da casa do fariseu, levou um vaso de alabastro  com ungüento. E, estando por detrás, aos seus pés, chorando, regava-os com suas lágrimas e os enxugava com os próprios cabelos. E beijava-lhes os pés e os ungia com o ungüento.

 

No Evangelho  de Mateus descobrimos que Simão, o fariseu que convidou Jesus para jantar, era leproso e morava em Betânia, a mesma aldeia onde morava a família de Lázaro. (Mateus  26.6).

 

Betânia era uma espécie de subúrbio de Jerusalém, pois ficava a menos de três quilômetros dali.

 

O bálsamo que Maria usou era muito caro. Mateus diz que os discípulos ficaram indignados com aquele desperdício. (Mateus  26.8,9).

 

Ele diz que foram os discípulos que reclamaram, incluindo, assim a todos.

 

Marcos diz que foram alguns entre si que se indignaram e nem chega a dizer se eram ou não discípulos. Podiam ser outros convidados para o jantar.

 

No Quarto Evangelho temos mais detalhes desse memorável jantar. Vemos que toda a família de Lázaro estava presente. Ele estava com Jesus à mesa e Marta, como era de sua índole e costume, estava servindo aos convivas. (12.2).

 

Também descobrimos a quantidade de nardo que ela usou (uma libra) e uma avaliação do preço  (trezentos denários). (12.3).

 

Tendo em vista que um denário pagava a diária de um trabalhador braçal, concluímos que o nardo tinha o valor de 300 dias de trabalho, o que era uma pequena fortuna.

 

No Quarto Evangelho nem há registro da indignação dos discípulos, nem de alguns, mas há uma declaração clara de que foi Judas Iscariotes o que se indignou e calculou o preço do nardo.

 

Podemos concluir três coisas aqui.

 

Judas pode ter influenciado alguns dos convidados (incluindo os discípulos), a se indignarem junto com ele.

 

A família de Lázaro era uma família de grandes posses.

 

Judas valorizou o nardo dez vezes mais do que  a vida do Senhor Jesus, a quem ele vendeu por apenas trinta denários.

 

A Maria  que ungiu  Jesus, foi sem dúvida, a irmã de Lázaro, pois no capítulo 11 do Evangelho de João, lemos.

 

Esta Maria, cujo irmão Lázaro estava enfermo, era A MESMA  que ungiu com bálsamo o Senhor e lhe enxugou os pés com os seus cabelos.  (v.2).

 

Logo, Maria de Betânia, aquela mulher que se assentou, de maneira submissa e piedosa, aos, pés de Jesus, para ouvir suas palavras, e que foi por Ele elogiada, por ter escolhido a melhor parte, era a mesma mulher que foi identificada pelo evangelista Lucas  e pelos convidados do jantar com  uma mulher pecadora.    (Lucas  7.37.39).

 

Que tipo de pecadora seria ela? Dificilmente seria uma meretriz, pois a família parece bem rica para tal artifício. Talvez  fosse uma mulher de vida mundana.

 

Não sabemos exatamente que tipo de pessoa foi Maria, o que sabemos com certeza é que, depois, ela escolheu a melhor parte (Lucas 10.42), ou seja, converteu-se a Cristo e passou a ter uma vida maravilhosa.
 
Avalie este artigo:
(4 de 5)
10 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Paulo De Aragão Lins
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
O Rev. Dr. Paulo de Aragão Lins é autor de vários livros, quase todos versando sobre a Bíblia, seu assunto favorito. É jornalista, conferencista em todos os Estados brasileiros, em vários países das três Américas e em toda a Europa Ocidental. Em 1999 recebeu a ?International Medal of Honor? da Unive...
Membro desde novembro de 2008
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: