Gravidez na Adolescência ? um problema de saúde pública do mundo "globalizado"?
 
Gravidez na Adolescência ? um problema de saúde pública do mundo "globalizado"?
 


Gravidez na Adolescência alt
alt
Ao se abordar a questão da gravidez na adolescência vale ressaltar a importância das várias emoções sofridas neste período. A adolescência é uma etapa do ciclo da vida em que ocorrem diversas modificações nos aspectos anatomofisiológicos,  emocionais e culturais. Frente à necessidade de se adaptar a tais transformações este é um momento conflituoso para adolescente.

Diante de tal problemática que compreende a adolescência, é difícil imaginá-la diante da maternidade e/ou paternidade. Tudo isso nós faz perguntar o como deve ser difícil para essa adolescente lidar com a realidade da grávidez.

A realidade hoje a cerca da gravidez na adolescência é muito desastrosa se levarmos em conta o fato de que essa mãe é claramente inexperiente para cuidar desse recém-nascido. Diante da grande e crescente influência sexual imposta pela mídia de forma indiscriminada e desordenada, na maioria das vezes crianças que estão em uma fase de transição da infância para a adolescência se vêem atentados a uma forte e desumana exposição por parte dos mais variados meios de comunicação. Essa exposição na maioria das vezes leva esse indivíduo a construção de falsos valores e ideais, gerando a valorização de condutas não adequadas a sua idade.

Diante da visão deturpada do mundo ainda novo, faz-se necessário a inserção deste adolescente em algum grupo social. Na tentativa de encontrar uma identidade mais própria, há a construção de uma mascara falsa como defesa, como uma forma de fugir da realidade que pode ser justificada em parte pela não estruturação familiar hereditária. Nesse contexto o adolescente acaba se tornando um indivíduo triste, tendente ao desenvolvimento de vários agravos como:

  • Doenças Sexualmente Transmissíveis
  • Sexualidade Precoce
  • Gravidez na Adolescência
  • Violência Física e Psicológica
  • Estresse
  • Prostituição
  • Envolvimento com Drogas
  • Depressão

Ainda se pode abordar como fatores contribuintes para o estabelecimento da gravidez na adolescência a questão da:

  • não orientação sexual nas escolas (sob justificativa de que essa prática seria um incentivo a iniciação sexual e não um método de prevenção).

Segundo Frizzo colaboradores (2005) Apud Papalia e cols. (1998), quanto maior a informação, mais tarde se inicia a vida sexual.

No contexto gravidez, o pai adolescente pode encarar tal momento de forma distintas, sendo mais evidente duas:

  • Alguns manifestam a tendência de não assumir a paternidade em virtude do medo de perder a sua liberdade.
  • Outros assumem a paternidade, no entanto pelo despreparo, não conseguem desempenhar sua função de pai de forma efetiva, tornando-se ausente no desenvolvimento do filho (a).

A recusa do pai ao bebê traz influências negativas no que se refere ao desenvolvimento e crescimento do concepto. Isto se justifica pelo alto grau de estress durante a gestação, o que vai incidir diretamente na saúde do feto.

Por outro lado, quando há a aceitação por parte do pai, a mulher se sente mais segura, mais amparada, deixando-a mais disposta a cuidar de si própia e conseqüentemente do bebê. Esta situação proporciona uma adesão mais precoce ao acompanhamento pré-natal o que é de vital importância no que se refere à prevenção de possíveis intercorrências gestacionais.

Na opinião de Frizzo colaboradores (2005) Apud Papalia e cols. (1998); Machado e cols. (1996), que os riscos diminuem se o pré-natal começar cedo, o que hoje é cada vez mais não acontece.

Diante da paternidade precoce a adolescente apresenta uma probabilidade maior de não conseguir completar os estudos o que interfere em seu futuro sonhado e em sua expectativa sócio-econômica.

Cloncluindo

É de claro conhecimeto das autoridades e dos estudiosos a situação vergonhosa da sexualidade no Brasil. Já e feito hoje trabalhos sociais para se tentar resolver o problema, mais os trabalhos feitos são pucos diante dos problemas enfrentados. A dificuldade de resolução de tais problemas se da devido aos fatores desencadeadores que além de serem muitos, são interligados.

A gravidez precoce não é o único problema social do Brasil é  apenas mais um em meio a outros como:

  • Saúde
  • Violência
  • Desemprego

Sugestão de Leitura:

T.C.C  Trabalho de Pesquisa  Parte Pré-Textual

T.C.C  Trabalho de Pesquisa  Parte Textual

T.C.C  Trabalho de Pesquisa  Instrumento de Pesquisa

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Alessandro Barros Viveiros
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Olá! Me chamo Alessandro Barros Viveiros, Sou Carioca, 30 anos, Enfermeiro formado pela Universidade Salgado de Oliveira.
Membro desde novembro de 2009
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: