FUTEBOL: PAIXÃO NACIONAL
 
FUTEBOL: PAIXÃO NACIONAL
 


GILVÂNIA APARECIDA DOS SANTOS
E. E. B. FRANCISCO MANFROI
GESTAR - II MATEMÁTICA


FUTEBOL: PAIXÃO NACIONAL

A Região Serrana de santa Catarina é composta de 18 municípios (AMURES), com uma área de 18.417,6 Km e uma população de aproximadamente 322,684 habitantes. Lages tem uma população de 156.406 habitantes. a região é bastante pobre e significativamente a extensão dos problemas sociais ai vivenciados.
Nesse amplo cenário social, cabe destacar a importância da família, da criança e do adolescente, do jovem, enfim de cidadãos que precisam estar e ter um momento de paz e reflexão. É através disso que o desafio de continuarmos buscando alternativas conjuntas para levarmos a paz através da palestra e prática esportiva.
O projeto Futebol uma paixão nacional, objetiva revelar talentos na modalidade esportiva de futebol, tendo a educação e a integração de crianças e adolescentes como prioridade, foi no espaço pedagógico onde buscamos subsídios no sentido de entender os possíveis caminhos que podem ser abertos para afirmação profissional dos jovens, a partir da educação e prática esportiva orientada.

OBJETIVO GERAL

Possibilitar os jovens, empoderamento, para reconquista da autoconfiança e a construção de uma nova cultura de cidadania, a partir do exercício do espírito da imaginação criativa contribuindo sistemática e decisivamente para construção de uma nova cultura de paz e harmonia, através da palavra e do dialogo que vem da esperteza da juventude canalizando as energias no esporte, utilizar o espaço comunitário esportivo do bairro, integrar a comunidade em todos os segmentos, escola, família e comunidade. Provocar nos alunos uma ação mais reflexiva mais racional e menos emocional sobre razões que impulsionaram o futebol a se tornar o esporte mais praticado no país.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Possibilitar a valorização do jovem atleta;
Criar uma ambivalência pedagógica que permita aos jovens se tornarem protagonistas de suas próprias vidas, acreditando neles mesmos, em suas capacidades e no potencial criativo de que são portadores, tornando-se assim "agentes de uma cultura de cidadania e paz";
Contribuir para que eles acreditem na importância da escola formal, perseverem nela e encontrar formas criativas de prosseguir até a universidade;
apostar no despertar cada vez maior da juventude para construção de sua identidade, autonomia, liberdade, iniciativa social, política e mudanças cultural nas relações de gênero.;
Instrumentizar os jovens para que eles se auto conscientizarem e conscientizem a comunidade escolar da prática esportiva.

JUSTIFICATIVAS

São muitas as justificativas que nos levaram a investir intensamente nossos esforços neste projeto dentre elas, destacamos algumas:
pesquisas e observação empírica demonstram que a configuração histórica da região serrana levou nossa gente a solidificar uma cultura de conservação, peculiarmente arredia ao novo, submissa de repetição. Essa realidade vem dificultando muito o surgimento ou desenvolvimento de idéias boas e inovadoras.
o fortalecimento das relações familiares, a revelação de novos talentos, oportunizando o adolescente descobrir sua vocação profissional e seu talento para prática esportiva, a promoção da saúde, incutindo a aquisição e prática de hábitos de higiene saudáveis,
precisamos urgentemente abrir a porta para o desencadear de um novo tempo, promovendo o desenvolvimento integral, com base no potencial de nossos jovens, principalmente daqueles que o sistema econômico vigente despreza,
buscar o desenvolvimento da capacidade de lidar com situações limite e imprevistas, valorizando em qualquer situação a capacidade de escolha e decisão dos jovens,
desafiar jovens a trabalhar em equipe, em espírito de competição, valorizando habilidades em qualquer situação e respeitando a limitação do outro.
Precisamos trabalhar incansavelmente para libertação da energia humana na direção da vida, o fortalecimento das relações familiares e o futebol é uma possibilidade de ascensão social.

PUBLICO ALVO

Nosso público são os jovens dos bairros que pertencem a comunidade Cidade Alta (Caroba, santa Mônica, Santa Cândida, Vista Alegre e Boqueirão ), alunos da E. E. B. Francisco Manfroi.

METODOLOGIA

Iniciamos trabalhando o despertar dos jovens para o gosto pela prática esportiva;
organização de um campeonato de Futebol Escolar, com montagem de tabelas de jogos, regras de duração do evento;
Cálculo do IMC, hábitos de higiene;
Cálculo de áreas e figuras geométricas;
pesquisas bibliográficas (livros, revistas, internet);
É importante que nosso trabalho ajude os educandos a despertar para as emoções, medos, desafios, responsabilidades, o grau de auto estima, de segurança;
Precisamos propor pequenos desafios de inicio, para que os jovens sintam-se vencedores e vão ganhando confiança e atratividade.
Serão valorizadas todas as pequenas e grandes boas idéias, deliniaremos com eles e elas conquista de pequenos sucessos de grande impacto e de grande poder humano-solidário-cidadão. Trabalhar redações com o tema em Matemática: estimativas, porcentagens, probabilidade, chances, gráficos, áreas, medidas, etc; em Ciências: hábitos saudáveis, higiene, alimentação, existência, cardiovascular, preconceitos, pulsação,...,Informática: pesquisas, regras de jogos, quadras. Na verdade trabalhar interdisciplinaridade em todas as áreas.
Para realização deste trabalho, desenvolvemos uma pesquisa de natureza qualitativa, estudo bibliográfico para elaborar um entendimento sobre o futebol, resgatamos o "moleque bom de bola" que existiu até o ano passado em nosso bairro funcionava com o apoio de ex jogadores, professores de Educação Física, alunos e moradores do bairro, acabou se perdendo ficando no esquecimento.
Elaboramos um questionário que foi respondido pelos jovens atletas. Concluída a etapa, passamos a análise do material empírico coletado tomando por base o referencial teórico utilizado.


CONCLUSÃO

O projeto apesar de toda a fundamentação pedagógica de caráter filosófico em torno do desenvolvimento da criança e do jovem com prática esportiva não manifestaram uma preocupação com o futuro. Os educadores não trabalhavam com perspectiva de vida, ainda que receba nas fileiras um número significativo de jovens carentes. no relato de alguns educandos em ascensão social, compreenderem que é um momento mágico de sua vida, entretanto, passageiro.. Consideram que deveriam que deveriam ser melhor orientados, alguns precisam de acompanhamento psicológico para enfrentar o período de transição de conflitos nessa etapa da vida o qual infelizmente o Estado não disponibiliza.
Devido as pesquisas observamos que a grande maioria vem de famílias estruturadas, mães exercem função do lar ou profissões relacionadas como empregadas domésticas 38%, autônomas 29%, professoras 195 e 14% não declarou. Ainda encontramos 15,11% de pais e 12% de mães com formação de nível universitário.
Os jovens são majoritariamente oriundos de escola pública. Levando-se em consideração brasileira, elitizada desde o princípio é com forte ampliação privado é excludente por natureza. Praticamente todos pretendem continuar os estudos prestando vestibular e dando seguimento aos seus projetos de formação escolar.
A família é a principal incentivadora da prática esportiva a motivação da família dos jovens atletas é impulsionada de ascensão social através do futebol, talvez esse seja o motivo de pretenção de jogar profissionalmente.
No meio familiar a deste despertar nos pais e na comunidade o desejo de participar e acompanhar o desempenho de seus filhos, para que possam ir lançando os primeiros passos em direção aos seus objetivos e perspectivas de vida melhor, pelo caráter dinâmico da metodologia aplicada, os participantes passam entender melhor sua vida e a realidade.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS


FREIRE, Paulo. Pedagogia Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

GALLO, Silvio. Ética e Cidadania: caminhos da filosofia . Campinas- SP: Papirus, 1997.

MARTIN, HANS- PETER, SHUMANN, HAROLD. A armadilha da globalização : o assalto a democracia e ao bem estar social. São Paulo: Globo 1998.

SANTA CATARINA. Secretaria do Estado da Educação. Proposta curricular: Florianópolis/SC. IOESC, 1989.
INTERNET:

www.interprensa.com.br

www.casacinepoa.com.br/filmes

www.google.com
 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Gilvânia Aparecida Dos Santos
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Atualmente é civil estatutária - professora - E.E.B.VIDAL RAMOS JUNIOR, efetiva - civil estatutaria - E.E.B.FRANCISCO MANFROI, graduada em Ciências de 1º Grau, Licenciada em Química, Física e Matemática pelas Universidades: Uniplac-Lages/SC e Unisul/Tubarão-SC, docente nas disciplinas de Química, Fí...
Membro desde agosto de 2009
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: