Fracasso Escolar: De Quem é a Culpa?
 
Fracasso Escolar: De Quem é a Culpa?
 


Para a elaboração deste artigo, entrevistei duas professoras da rede Municipal de Nova Iguaçu que com seus relatos me auxiliaram e muito e através dos mesmos pude ter outra percepção sobre alfabetização das crianças e sobre o fracasso que hodiernamente se faz presente no cenário educacional.

A primeira entrevistada foi à professora Vanesa da Costa Cruz, que trabalha na Escola Municipal Menino de Deus há 12 anos, mas esta no magistério há 22 anos, atualmente trabalha com turma de alfabetização e ao ser perguntada sobre a questão do fracasso escolar, a mesma foi bem clara ao responder que o fracasso acontece devido a diversos fatores, dentre eles o método que o professor utiliza com as crianças, pois o professor deve observar e experimentar diversos métodos e verificar qual se adequa melhor a realidade do seu aluno e qual vai facilitar á aprendizagem dos mesmos.Segundo ela, quando percebeu que o método que utilizava para alfabetizar,poderia ser um dos fatores determinantes para o fracasso da sua turma ( ou seja, nem todos estavam conseguindo ser alfabetizados) ela resolveu pesquisar e experimentar outros métodos, saindo da cartilha e buscando informações do cotidiano das crianças, levando para sala livros, revistas e gibis e deixando que as crianças manuseassem á vontade estes materiais, verificando uma melhora no processo de alfabetização depois que mudou o método de alfabetizar.

A segunda entrevistada é a professora Elisangela Moreira, que também trabalha na Escola Municipal Menino de Deus com turma de alfabetização e esta no magistério há 3 anos, sendo que desde sua entrada na escola, sempre lecionou em turma de alfabetização. Ao ser perguntada sobre as causas do fracasso escolar, a mesma respondeu que isto acontece devido a falta de oportunidade que muitas crianças sofrem, ou seja, muitas crianças não tem acesso á leitura, alguns pais não incentivam os filhos a lerem e também não lêem com eles.A professora acredita que os alunos que tem acesso a algum tipo de leitura (gibis, revistas,estórias infantis,etc.) conseguem se alfabetizados bem mais rápido do que os alunos que não tem acesso a nenhum tipo de leitura.Ela informou que no ano passado de 30 crianças em sua turma, somente 18 conseguiram ser alfabetizadas plenamente, é quanto ao fracasso a mesma diz que poderia ser evitado, se os pais colaborassem mais na educação dos filhos,incentivando-os a ler e dedicando mais tempo as crianças, pois" o professor tenta semprefazer o melhor", mas sem a ajuda dos pais, isto se torna quase impossível.

Centrando o olhar sobre as respostas das professoras, pode-se constatar que a professora Vanesa, não culpa nem ela nem os alunos quanto ao fracasso, pois a mesma acredita que ele pode ocorrer devido a uma não variação de métodos, ou seja, quando ela resolveu inserir em sua aula livros de estórias infantis, gibis, revistas e deixando que as crianças manuseassem, notou uma melhora na alfabetização das mesmas. Segundo o autor Sírio Possenti:

"Não se aprende por exercícios, mas por praticas significativas".

Ao deixar de utilizar somente a repetição de exercícios da cartilha, a professora conseguiu obter uma melhora na alfabetização de seus alunos. Com base no relato da professora Elisangela,o fracassoescolar é culpa dos pais que não incentivam os filhos, que não se fazem presentes na educação dos mesmos, "que jogam" esta responsabilidade nas costas do professor, ela acredita que as crianças que tem oportunidade de manusear outros livros além da cartilha, tem o seu desenvolvimento bem mais avançado, do que as crianças que não temum contato diário com a leitura.Segundo o autor João Wanderley Geraldi:

"A Democratização da escola, ainda que falsa, trouxe em seu bojo outra clientela e com ela, diferenças dialetais bastante acentuadas."

Entende-se que o fracasso das crianças é atribuído a falta de atenção dos pais, a falta de leitura "extra" e de incentivo. Em nenhum momento a professora Elisangela pensou que o fracasso poderia também estar vindo dela, e do seu modo de pensar sobre esta questão.

Referencia Bibliográfica:

GERALDI,J.W;O Texto na Sala de Aula (org.). Ed: Ática

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Tatiane Andrade
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Sou pós-graduanda (lato sensu) em: Educação e Relação Etnicorracial(2010) pelo CEFET: Centro Federal Tecnológico Celso Suckow da Fonseca. Tenho Licenciatura Plena em Pedagogia, formada pela UERJ (2009), com as seguintes habilitações: docência da educação infantil, dos anos iniciais do ensino fundame...
Membro desde setembro de 2009
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: