Flecha da vitória
 
Flecha da vitória
 


FLECHA DA VITÓRIA

2Rs 13: 14-21


“E Eliseu estava doente da enfermidade de que morreu, e Jeoás, rei de Israel, desceu a ele, e chorou sobre o seu rosto, e disse: Meu pai, meu pai, o carro de Israel, e seus cavaleiros!
E Eliseu lhe disse: Toma um arco e flechas. E tomou um arco e flechas.
Então disse ao rei de Israel: Põe a tua mão sobre o arco. E pós sobre ele a sua mão; e Eliseu pôs as suas mãos sobre as do rei.
E disse: Abre a janela para o oriente. E abriu-a. Então disse Eliseu: Atira. E atirou; e disse: A flecha do livramento do SENHOR é a flecha do livramento contra os sírios; porque ferirás os sírios; em Afeque, até os consumir.
Disse mais: Toma as flechas. E tomou-as. Então disse ao rei de Israel: Fere a terra. E feriu-a três vezes, e cessou.
Então o homem de Deus se indignou muito contra ele, e disse: Cinco ou seis vezes a deverias ter ferido; então feririas os sírios até os consumir; porém agora só três vezes ferirás os sírios.
Depois morreu Eliseu, e o sepultaram. Ora, as tropas dos moabitas invadiram a terra à entrada do ano.
E sucedeu que, enterrando eles um homem, eis que viram uma tropa, e lançaram o homem na sepultura de Eliseu; e, caindo nela o homem, e tocando os ossos de Eliseu, reviveu, e se levantou sobre os seus pés.”

2 Reis 13:1-22

Temos o relato do final da vida do profeta Elizeu, circunstâncias vividas em uma época de declínio em Israel por conta dos reis que reinavam na época. O reinado de Jeoacaz foi um fracasso, pois fez o que  mal diante do Senhor e ao morrer deixou o reinado para seu filho Jeoaz, que assumiu o exército em baixa sem ter forças para lutar contra os sírios que os oprimia.

Este rei vai à casa de Elizeu, pois a missão do profeta estava por acabar, estava enfermo com a enfermidade que daria cabo de sua vida.Mas o profeta enquanto em vida representava o exército de Israel, assim como também o foi Elias.Pois a influências desses homens de Deus e o efeito de suas predições representavam o poder da nação e os reis sabiam disso.

Sem exército preparado, oprimido e sem direção o rei Jeoaz visita o profeta e lhe faz uma saudação dizendo: Meu Pai! carros de Israel e seus cavaleiros! Fazendo uma referência às próprias palavras de Elizeu quando assume o papel de profeta no lugar de Elias.Estavam juntos e foram separados por carros de fogo e cavaleiros e viu Elias ser tomando em um redemoinho, que era o sinal de que o pedido que fizera fora aceito, de ter porção dobrado do espírito de Elias.

Entendendo a necessidade do rei, Elizeu faz seu último ato profético, manda o rei pegar arco e flechas, que representam fé e obras respectivamente. O arco é a arma e as flechas munições, ou possibilidades de acertos. Esse ato profético iria definir as conquistas do rei e a vitória de Israel sobre os sírios. O profeta prossegue mandando o rei retesar o arco e ele o fez, mas o profeta coloca as mãos sobre as mãos do rei e manda que ele abra a janela par ao oriente, que era a direção da Síria, que era na ocasião maior desafio do rei. A flecha é atirada para o oriente e aqui temos vários ensinamentos onde passo a fazer as considerações:

O rei reconhece a autoridade profética de Elizeu. É necessário que tenhamos confiança em Deus. O profeta era o representante de Deus, pois falava em seu nome.

Arco e flecha representam o presságio do futuro. O rei sabia do passado, os dois últimos reis foram um desastre para Israel, e o seu futuro estava indo para a mesma direção, se não fosse através da intervenção divina o futuro estava determinado, mas a vida do rei foi mudada através da visita ao profeta.

O arco sem a flecha era inútil assim como a flecha tem pouca utilidade sem o arco. A Fé sem as obras tem pouca utilidade sem as obras, assim como as obras tem pouca utilidade sem a fé.

Tiago 2:17-18 -  “Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras”.

 

Elizeu ao colocar as mãos sobre as mãos do rei estava lhe ensinando que sem Deus ele não alcançaria sua vitória. Colocar as mãos indicava que as mãos de Deus estavam sobre ele. Assim deve ser a nossa vida com Deus. Tendo suas mãos sobre nós estamos protegidos e somos fortalecidos!

Eles estavam em um ambiente fechado que limitava a visão do rei. Precisamos de um alvo, precisamos abrir a visão para as oportunidades. Ao abrir a janela, o profeta estava mostrando para o rei que ele não deveria recuar, mas deveria reunir as suas forças e ir de encontro ao seu maior desafio.

Não é tempo de correr, é tempo de acreditar e lutar, não é tempo de baixar a guarda, é tempo de empunhar as armas e lutar. Encarar os desafios que a vida traz é característica de quem sabe da grandeza do Deus que está servindo.

Quantas pessoas vivem sem encontrar uma saída, estão oprimidas e sem direção, são reféns dos problemas que assolam e minam a fé, mas é tempo de abrir a janela e enxergar as oportunidades que Deus coloca na sua frente para você prosseguir lutar e vencer.

A flecha foi atirada. Não basta fazer a mira, não basta abrir a janela em direção ao desafio. É preciso fazer pontaria e lançar a flecha. Quando o rei atira o profeta diz: FLECHA DA VITÓRIA!Flecha do livramento, da vitória sobre os sírios. Observe que o profeta lança a palavra após o ato do rei. Ao ver a determinação do rei ele lança a palavra. Há muitas pessoas que ficam esperando uma palavra profética, um chamado, algo sobrenatural em suas vidas para começar a fazer a obra de Deus, muitos ficam aguardando uma palavra de incentivo para começar. Quero te dizer que a ordem é diferente, primeiro você age, e as circunstâncias começam a mover ao seu favor. Primeiro você se coloca de pé, depois as cadeias se quebram; primeiro você se predispõe depois o Espírito de Deus te enche.

Até aqui tudo bem, o rei estava na direção certa, mas faltou ousadia.O Profeta manda que ele pegue flechas, não determinou o número delas, mas deixou ao critério segundo a medida de sua fé.Elizeu prossegui e mandou que ele atirasse contra a terra.Olhe a direção estava determinada, o desafio estava feito, tudo estava indo muito bem até que foi explorada o tamanho da ousadia do rei.Ele atirou três vezes sobre a terra.A princípio você pode dizer, perfeito! Três é o número da completude, da perfeição e de fato é, contudo a nação da Síria precisava de mais invertidas para ser consumida.

O profeta se irritou com a atitude do rei e disse: você deveria atirar cinco ou seis vezes e assim consumiria, mas como atitou três vezes essa será o número de vezes que vencerás os sírios.

Após esse ato o profeta morreu e foi sepultado. Nesses tempos os moabitas invadiam a terra a entrada do ano, era algo contumaz, corriqueiro, e alguns homens levavam um defunto para ser sepultado, e o cortejo fúnebre ao ver os moabitas encerrou a cerimônia e lançou o defunto justamente na sepultura de Elizeu que se encontrava aberta e ao tocar o defunto nos ossos de Elizeu reviveu e levantou sobre os seus pés.

 

Olha não havia um sucessor para Elizeu, mas o Deus de Elizeu estava dando uma mensagem poderosa àquele povo. Primeiro o profeta morrera, mas o Deus do profeta estava vivo. Deus estava dizendo à nação que eles não estava desamparados, talvez vacilantes na fé, pois o profeta havia predito vitória e ele não se encontrava entre os vivos para acompanhar o cumprimento da profecia, e obviamente não seria cobrado se a profecia não se cumprisse, mas Deus estava dizendo eu estou convosco!

A palavra diz que Jeoaz recuperou as cidades que estavam sob o poder da síria ferindo Ben Hadade três vezes.

 

A entrada do ano, a visita indesejada dos moabitas enfraquecia o povo, mas aquele ano foi marcado por milagres, um homem ressuscitou e as cidades foram recuperadas. Foi de fato um início de ano marcante para Israel, pois a palavra de Deus se cumprira e o tempo de livramento chegou para o povo de Deus.

Que o Deus de Elizeu esteja guardando o seu coração e te conceda um ano de muitas vitórias!

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Jezias Ferreira Da Silva
Talvez você goste destes artigos também