Andar pelas calçadas, pelas ruas,
Mãos entrelaçadas a se apaixonar,
Coisas singelas como olhar a lua,
O anoitecer e o balanço do mar.

Andar pelas praças, pelas vielas,
Abraçados falando só de amor.
Dou-te flores brancas tão belas
Nos seduzimos de paixão e ardor.

Nos amamos como fizemos outrora,
Olhando o pôr-do-sol colorido,
Vai-se a noite, nasce bela a aurora,
O que somos jamais será esquecido.
Revisado por Editor do Webartigos.com