Estrutura e organização da educação brasileira
 
Estrutura e organização da educação brasileira
 


UNIVERSIDADE ANHAGUERA UNIDERP

CURSO PEDAGOGIA EAD

 

 

 

 

 

 

 

 

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

PROFESSOR DJALMA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CUIABÁ-MT

2012

 

Adenir dos Santos Ramos                                                                                RA 365203

Email:[email protected];

Adriana Patrícia de Amorim Silva                                                                   RA 377071

Email:[email protected]

Bárbara Pacheco dos Santos                                                                            RA 368743

Email: [email protected]

Elaine Santos de Oliveira                                                                                RA 371211

Email:[email protected]

Josiane Glória de Morais Alt                                                                          RA 353968

Email:[email protected]

Rosália dos Santos Ramos                                                                              RA 365206

Email:[email protected]

Veronice Maria de Jesus

RA 353726

E-MAIL: [email protected]    

 

 

 

 

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

 

Prof. Djalma

 

CUIABÁ – MT

 2012

RESUMO

Este artigo tem como finalidade a análise do estudo da organização da educação brasileira, dando ênfases a estrutura organizacional da educação básica e educação superior. De acordo com a constituição de 1988 e a Lei de Diretrizes e Bases da educação Brasileira (LDB) 9394/96. Não podemos deixar de analisar as responsabilidades de cada sistema e as problematizações dos níveis de ensino no Brasil. A LDB/96 apresenta três modalidades de educação: Educação de jovens e adultos, educação profissional e educação especial. E a educação a distancia vem expandindo que é preciso de muita disciplina por não ter momentos presenciais que tem fundamento por professores e alunos separados no espaço e ou no tempo. Ter que estar motivado a entender a aula por pesquisa e intercambio, necessidades e habilidades individuais e em grupo trocar experiências, duvidas e ter resultados. A distancia não é fácil, ter que ser maduro ter motivação e ter acesso a recursos tecnológicos.

 

ABSTRACT

This article aims to serve as the study's analysis of the organization of Brazilian education, giving emphasis to the organizational structure of basic education and higher education. According to the 1988 constitution and the Law of Guidelines and databases of Brazilian Education (LDB) 9394/96. We cannot fail to examine the responsibilities of each system and the problematization of the levels of education in Brazil. THE LDB/96 shows three methods of education: education for young people and adults, professional education and special education. AND the education at a distance has been expanding that need a lot of discipline not to have face-moments which have their foundation by teachers and students separated in space and or time. Have to be motivated to understand the classroom by research and conversation, needs and individual skills and group exchange experiences, questions and results.

 

 

 

 

A ESTRUTURA EDUCATIVA DO SISTEMA DE ENSINO DO BRASIL

 

No inicio da alfabetização vários documentos foram elaborados na tentativa de normatizar a estrutura educativa do sistema de ensino no Brasil e nas ultimas décadas intensivou-se um movimento no sentido de criar um sistema  único de ensino. A LDB que definiu os papeis da união, os PCNs que propuseram os conteúdos básicos, desenvolvidos na escola. O plano nacional, planos estaduais e municipais tem como objetivo adequar o PNE. A estrutura educativa do sistema de ensino do país ficou definida em ensino básico que compreende o ensino fundamental e médio e ensino superior. Não é melhor por causa das ações políticas que não da oportunidade a todos, e a situação degradante dos professores. O prof. Armando Boito Junior, o Brasil não possui um sistema escolar único, ao contrario do que ocorre nos países desenvolvidos onde a educação é prioridade.

Uma das consequências do processo de unificação que tem causado polemica foi a mudança na forma de reajuste do salário dos professores. Alguns políticos alegam o valor impagável mesmo com o complemento que a união oferece pagamento altos para vereadores e dos deputados.  A estrutura do sistema educativo do Brasil é definida pela LDB como Educação Básica e Educação Superior. A primeira compreende a educação infantil, o ensino fundamental e o ensino médio.  E a educação superior que é um processo da formação humana que tem como objetivo estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo. A educação básica tem por finalidade assegurar ao educando formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores e pode ser organizada em seriado, ciclos, semestres com liberdade para se fazer adequação ou progressão de alunos vindos do exterior, com base na idade, competência entre outros, sempre que as necessidades educativas exigir. Mas para se entender as peculiaridades de cada fase da formação discente é necessário realizar um estudo de sua organização. 

A educação infantil primeira etapa da educação básica em creches de até 03 anos pré-escolas de 04 a 06 anos desenvolvimento pleno da criança. Ensino fundamental obrigatório tem duração 09 anos oferece ferramentas para desenvolvimento, é ministrado em língua portuguesa. Ensino médio é a etapa final duração de 03 anos a preparação para o mercado de trabalho, respeito a cidadania. O estado deve incentivar a educação de jovens e adultos (EJA) que não tiveram oportunidades. Educação superior prontos para entrar no mercado de trabalho, aperfeiçoamento cultural e profissional abrange graduação, pós graduação, especialização, mestrado, doutorado cursos prosseguidos após a graduação que tenha diplomação.

A normatização do sistema de ensino padronizou as competências pelos alunos, preceitos de cidadania, ética, convivência e preparação para o mercado de trabalho a LDB foi vem sendo modificada, a educação brasileira continua piores do mundo precárias condições de trabalho, remuneração vergonhosa, falta de incentivo principalmente aos da rede publica.

 

RESPONSABILIDADES DOS SISTEMAS:

Os sistemas de ensino dos estados e do distrito federal compreendem as instituições de ensino mantidas, respectivamente, pelo poder público estadual e pelo distrito federal. As instituições de educação superior mantidas pelo poder público estadual,as instituições de ensino fundamental e médio criadas e mantidas pela iniciativa privada.os órgãos de educação estaduais e do distrito federal. No distrito federal, as instituições de educação infantil, criadas e mantidas pela iniciativa privada ,integram seu sistema de ensino. O sistema federal refere-se as instituições, ao órgãos, as leis e as normas que, sob a responsabilidade da união, do governo federal se concretizam nos estados e nos municípios. Sistema estadual  sobre a legislação estadual inclui alem da constituição federal, lei de diretrizes e bases da educação nacional, dos pareceres e resoluções do conselho nacional de educação, a própria constituição estadual. Mantendo unidades do pré-escola, do ensino fundamental, do médio e do superior. Sistema municipal reconheceu a organização de seus sistemas de ensino, a mesma constituição prescreve que os municípios deve manter a cooperação técnica, financeira dos estados. Crianças ate 6 anos a partir de 1988 é responsabilidade pelo atendimento nas creches e nas pré-escolas, ensino fundamental, zona urbana e rural.

 

 

A EDUCAÇÃO A DISTANCIA VALE A PENA

A educação a distancia é uma modalidade de cursos que cresce muito no BRASIL. Deverá levar em conta todos os critérios, valor das mensalidades, o conceito da faculdade e entre outros. Vale a pena sim para quem mora longe ou não pode ir a faculdade  todos os dias, por isso tem conquistado tanto espaço, Devido a conexão com a internet e a televisão, o fato de ser a distancia não significa que elas seja de pior qualidade. É preciso muita disciplina perceber as suas dificuldades, acompanhar bem as aulas acessar o ambiente virtual por lei são exigidos o mesmo grau de rigorosidade em ambos. É também o processo de ensino-aprendizagem, mediado por tecnologias, onde professores e alunos estão separados espacial e/ou temporalmente.

É ensino aprendizagem onde professores e alunos não estão normalmente juntos, fisicamente, mas podem estar conectados, interligados por tecnologias, principalmente as telemáticas, como a Internet. Mas também podem ser utilizados o correio, o rádio, a televisão, o vídeo, o CD-ROM, o telefone, o fax e tecnologias semelhantes.

Na expressão "ensino a distância" a ênfase é dada ao papel do professor (como alguém que ensina a distância). Preferimos a palavra "educação" que é mais abrangente, embora nenhuma das expressões seja perfeitamente adequada.

Hoje temos a educação presencial, semi-presencial (parte presencial/parte virtual ou a distância) e educação a distância (ou virtual). A presencial é a dos cursos regulares, em qualquer nível, onde professores e alunos se encontram sempre num local físico, chamado sala de aula. É o ensino convencional. A semi-presencial acontece em parte na sala de aula e outra parte a distância, através de tecnologias. A educação a distância pode ter ou não momentos presenciais, mas acontece fundamentalmente com professores e alunos separados fisicamente no espaço e ou no tempo, mas podendo estar juntos através de tecnologias de comunicação.

 

 

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

 

Lei de diretrizes e bases da Educação Nacional – www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/l9394.htm - 17 set 2011.

Educação à Distância vale a pena? – http://revista.abril.com.br/formacao -continuada/discurso-educador-alunos-eja-512102.shtml – 17 set 2011

CORRAGIO, José L. Propostas do Banco Mundial para a Educação: sentido oculto ou problema de concepção? In: TOMMAZI, L de;  WARDE, M. J., HADDAD, S.  (org.) O Banco Mundial e as Políticas Educacionais. São Paulo: Cortez Puc-SP: ação educativa, 1996.

CURY, C. R. Jamil.  A Nova L.D.B. e suas implicações nos Estados e Municípios: o Sistema Nacional de Educação, In Educação e Sociedade, N° 41, pp. 186-201, abril 1992.

LANDIM, Claudia Maria Ferreira. Educação a distância: algumas considerações. Rio de Janeiro, s/n, 1997.

LUCENA, Marisa. Um modelo de escola aberta na Internet: kidlink no Brasil. Rio de Janeiro: Brasport, 1997.

NISKIER, Arnaldo. Educação a distância: a tecnologia da esperança; políticas e estratégias a implantação de um sistema nacional de educação aberta e a distância. São Paulo: Loyola, 1999.

 

 
Download do artigo
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Josiane Gloria De Moraes Alt
Talvez você goste destes artigos também