EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: UMA VISÃO SOBRE PLANEJAMENTO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM
 
EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: UMA VISÃO SOBRE PLANEJAMENTO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM
 


EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: UMA VISÃO SOBRE PLANEJAMENTO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM FLORES, DEISE ALINI GROSS ULBRA - UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. CACHOEIRA DO SUL - RS  BRASIL. Este estudo tem a intenção de apresentar como ocorre o planejamento do Plano de Ensino de Educação Física, quais são os responsáveis na elaboração, as estratégias, características e instrumentos utilizados neste planejamento no Ensino Fundamental e Médio, em Escolas Estaduais da cidade de Cachoeira do Sul. A amostra deste estudo foi constituída por 19 (dezenove) educadores físicos que ministram as aulas nas séries finais do ensino fundamental e ensino médio, em 08 (oito) escolas da rede stadual de Cachoeira do Sul. A pesquisa tem por objetivo identificar a importância, função e o papel do planejamento de acordo com os níveis de ensino para as aulas de educação física. Os resultados permitem concluir que a elaboração do plano de ensino nas escolas é realizada de forma independente, separadamente dos professores. No entanto constatou-se que na visão dos educadores e educandários sobre o planejamento do plano de ensino de Educação Física, ambos apresentaram a sua importância para traçar estratégias de ensino/aprendizagem que venha colaborar para a melhoria da qualidade das aulas de Educação Física. Unitermos: Planejamento, plano de ensino, educação física. 1 INTRODUÇÃO A educação desde muitos tempos sempre imperou como fonte propulsora de difusão cultural e transmissora de conhecimentos auxiliando os indivíduos no desenvolvimento de suas capacidades físicas e mentais, preparando-os na participação e transformação de seu meio social. Ela se faz necessária para existência humana e funcionamento de todas as sociedades. Dessa forma, surgem os personagens principais que são os educadores, responsáveis por todas estas transformações que são constantes e permanentes para uma formação cultural humana, através das suas ações pedagógicas no interior das escolas, como também, pelo planejamento dos conteúdos que serão ministrados em sala de aula. O planejamento escolar é uma orientação para a realização ato docente. Ele tem funções que apontam os princípios e diretrizes desta ação, certificando o dever da escola e suprindo as necessidades da comunidade qual esta incerida. Através dos objetivos planejados, mostra as ações docentes entre o vinculo de domínio de conteúdo (filosófico e político-pedagogico), nas formas organizadas de transmitir um ensino de qualidade, prevendo os objetivos dos conteúdos que tenham relação com a realidade social dos alunos, mas preparando-os individuais. Desta maneira estes constantes conteúdos aplicados, apresentam-se como forma de aperfeiçoar as técnicas e pontes para transmitir conhecimentos, tendo os recursos didáticos para a pratica educativa. Toda prática pedagógica esta ligada ao conhecimento este que é de fundamental importância para o convívio em sociedade desenvolvendo as relações humanas. Em sentido o conhecimento aqui referido é o formal este acontece nas escolas ou em outras instituições de ensino que são deliberadas e planejadas. Desde a fase da pedagogização (1945-1964), onde a Educação Física passou a ser vista como pratica educativa, o desenvolvimento da atividade é pautada em um currículo previamente estabelecido, cabendo ao profissional uma re-seleção de conteúdos conforme exigências de cada escola e características sócio-culturais e individuais dos alunos; apresentando-se o planejamento de ensino como uma proposta docente para o pleno desenvolvimento das atividades. O planejamento em Educação Física, vem sido debatido em muitos seminários de educação, atualmente da educação física escolar é uma forma eficaz para o bom desenvolvimento das aulas tendo de forma básica os objetivos da problemática trabalhada. Promovendo aos indivíduos inseridos no contexto um melhor aproveitamento das aulas, quebrando as suas indagações de especificas atividades aplicadas podendo desenvolver e aperfeiçoar suas habilidades ocultadas assim aflorando-as. Atualmente no cenário escolar a disciplina de Educação Física é desenvolvida em todos os níveis de ensino, cada um com sua forma de organização própria, bem como com seus conteúdos programáticos previamente elaborados. Cabendo as escolas adapta-los a sua realidade através de seu plano de ensino onde consta toda a base de trabalho e desenvolvimento que o professor deve empregar em sua ação pedagógica. Sendo assim este estudo tem a intenção de investigar a Educação Física nas escolas estaduais de ensino fundamental e médio na cidade de Cachoeira do Sul: uma analise do planejamento das aulas de Educação Física. MATERIAIS E MÉTODOS A amostra de estudo foi constituída por 19 (dezenove) profissionais da área do Magistério, professores de educação física que ministram as aulas nas series finais do ensino fundamental e ensino médio, em 08 (oito) Escolas da rede Estadual de Cachoeira do Sul. Para este estudo foi distribuído um questionário com 8 (oito) perguntas fechadas e abertas, (anexo) para os professores e educandários envolvidos no referido estudo. A solicitação e agendamento das datas e horários para a pesquisa nas escolas foram combinadas. Este trabalho buscou investigar o Plano de Ensino nas escolas, no que se refere ao ensino da Educação Física escolar nas séries finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio, nas escolas estaduais de Cachoeira do Sul. Para tanto, este trabalho caracterizou-se como uma pesquisa descritiva, com abordagem quantitativa (Barros & Lehfeld, 2000). Os dados foram analisados quantitativamente, objetivando responder os referidos objetivos do estudo A interpretação das informações foi realizada através da análise de conteúdo (Triviños, 1987). RESULTADOS E DISCUSSÃO A análise das informações obtidas pelos instrumentos de pesquisa será apresentada a seguir. As entrevistas foram realizadas com professores e escolas de Ensino Fundamental e Ensino Médio nos educandários estaduais de Cachoeira do Sul, bem como os resultados que seguem em forma de tabela, logo transcritos em respectiva ordem e os dados referidos foram discutidos com base nas fontes bibliografias pesquisadas. Tabela 1  Respostas dos professores referente à questão: Nível de Ensino que trabalha? Categorias Fundamental Médio Numero de Professores 9 10 Na tabela 1, pode-se observar que um número significativo de professores do Ensino Fundamental e Ensino Médio foram investigados quanto ao seu conhecimento e envolvimento na construção e aperfeiçoamento do Plano de Ensino de educação física. Tendo desta maneira 9 (nove) professores da área do Ensino Fundamental e 10 (dez) do Ensino Médio, obtendo no seu total 19 (dezenove) indivíduos pesquisados. Tabela 2  Freqüência das respostas dos professores referente à questão: Você tem conhecimento sobre o Plano de Ensino de Educação Física na Escola? Categorias Fundamental Médio Sim 6 6 Não 3 4 Conforme apresenta os dados da tabela 2, verifica-se que os profissionais entrevistados, do ensino fundamental 6 (seis) professores tem conhecimento sobre o plano de ensino já os demais 3 (três), não tem conhecimento sobre esta base de ensino. No entanto no ensino médio 4 (quatro) professores responderam que não conheciam e os outros 6 (seis) educadores responderam que têm conhecimento sobre o plano de ensino de seu educandário. Com base nos resultados pode se verificar que tanto os educadores do ensino fundamental como os professores do ensino médio, conhecem o plano de ensino de suas escolas, isto vem ao encontro dos estudos de Castellani Filho (1994), qual expõem que a instituição de ensino tem como responsabilidade de contextualizar e definir o papel da educação física que esta em todas as instituições de ensino diante do projeto político pedagógico. Desta maneira oferecendo acuidade ao educador que deve participar e saber dialogar com a escola de modo geral para redimensionar o desígnio que norteiam as suas ações pedagógicas na área da educação física enquanto disciplina curricular. Entende-se então que a escola tem por dever oferecer uma proposta política pedagógica que conduza o desenvolvimento do aluno através da seleção de seus conteúdos que são seus objetivos as idéias, conceitos, regras, realidade do meio cultural, costumes, pesquisas e sentimentos. Tendo assim o educador uma grande responsabilidade de selecionar estes conteúdos para aplicação, que através de seu planejamento possa fornecer de forma adequada estes conteúdos, sabendo organizar, programar as ações docentes na transformação deste meio. Tabela 3  Freqüência das respostas dos professores referente à questão: Quais os responsáveis pelo planejamento do Plano de Ensino de Educação Física na escola? Categorias Fundamental Médio Professores da área 4 3 Coordenação Pedagógica 5 7 Direção - - Conforme os dados apurados da tabela 3, verifica-se que dos 19 (dezenove) profissionais entrevistados, 9 (nove) professores do ensino fundamental quando questionados sobre a construção do plano de ensino de educação física na escola 4 (quatro) responderam que foi feito por profissionais da área já 5 (cinco) deles responderam que apenas a coordenação pedagógica o planejaram. No ensino médio dos 10 (dez) professores entrevistados 3 (três), responderam que são os profissionais da área que ajudam na construção do plano de ensino e 7 (sete) destacaram que a formação deste plano é de responsabilidade da coordenação pedagógica. Desta forma se constatou que a construção do plano de ensino de educação física não é realizada em sua maioria pelos profissionais da área e sim pela coordenação pedagógica em ambos os níveis de ensino. Contrapondo desta maneira planejamento de ensino, de ensino-aprendizagem que apresenta Vasconcellos, (2008), ou planejamento escolar que destaca Libâneo, (1994) é o mais próximo da prática do professor e da sala de aula. Pois este planejamento de ensino propriamente é a base do saber transmitido que logo subtendido o educador transpassa para o seu plano de aula, onde se expressa na organização intencional para atender as necessidades do cotidiano escolar, desta forma se observa o grande valor na construção conjunta deste saber. Para então larguear este saber é de essencial importância do educador, este representante do movimento de mudança social que juntamente com a escola transmitem conhecimento cientifico aos seus. De tal importância, o planejamento é a única forma de o educador poder transmitir e vivenciar de forma a estabelecer o saber. O planejamento relaciona-se com a vida diária do homem. Vive-se planejando. De uma forma ou de outra, de uma maneira empírica ou científica, o homem planeja (Cardoso 1999). De acordo com Rocha,(1996), os principais requisitos para o planejamento são os objetivos e tarefas da escola democrática; as exigências dos planos e programas oficiais; as condições prévias dos alunos para a aprendizagem; e as condições do processo de transmissão e assimilação ativa dos conteúdos. Planejar de acordo com o dicionário significa fazer plano, tencionar, submeter a um plano, programar. A educação física é uma disciplina pedagogicamente da escola, que particularmente trata a expressão corporal como forma de linguagem. Tendo em vista o papel da Educação Física escolar que é propiciar oportunidades para aquisição de conhecimentos, habilidades e experiências despertando a possibilidade objetiva de avaliação de suas potencialidades e formação de hábitos de observação, reflexão, espírito crítico e análise sobre o seu próprio trabalho que lhe permitirá propor alternativas de soluções que possam ajudar no aprimoramento do processo ensino-aprendizagem. Tabela 4  Freqüência das respostas dos professores referente à questão: Você ajudou na construção do Plano de Ensino de Educação Física da escola? Categorias Fundamental Médio Sim 3 3 Não 6 7 De acordo com os dados obtidos na tabela 4, os 9 (nove) professores do ensino fundamental 6 (seis) deles não ajudaram na construção do plano de ensino já, 3 (três) auxiliaram na constituição do mesmo. Referente, ao ensino médio dos 10 (dez) professores pesquisados 3 (três) ajudaram na formação do plano de ensino e 7(sete) educadores não auxiliaram na construção do mesmo. Destarte, constatou que tanto os educadores do ensino fundamental quanto do ensino médio fazem referência em sua maioria que não á participação da área na construção do plano de ensino de educação física nos educandários. Desta maneira, conforme os dados apresentados, pode-se revelar que vão ao encontro de Padilha (2001), não é possível imaginar uma ação pedagógica sem planejamento. O ato de planejar é intrínseco à educação. Ter clareza em relação ao processo de construção do planejamento, dos meios para atingir os fins, da coerência com o projeto político pedagógico, do contexto sócio econômico, cultural, político e da participação coletiva nas tomadas de decisões. Desta maneira a construção do plano de ensino dá no sentido da flexibilidade de discutir as idéias de todos para a ação coletiva, a participação, que orientam a prática pedagógica. Planejar, dispor seus saberes de forma organizada manifestando suas técnicas, teorias e praticas nas relações sala de aula. Segundo Saviani (1987), o planejamento deve ser concebido, assumido, vivenciado no cotidiano da prática social escolar, como um processo de reflexão. Esta por sua vez que se faz presente na sala de aula em contato direto com o educador o qual pode vir a repensar a prática para teoricamente poder melhorá-la. Através do planejamento podendo estabelecer caminhos que norteiam mais apropriadamente a execução da ação educativa, podendo avaliar sua própria ação e evitando os improvisos. Desta maneira o processo de ensino e aprendizagem torna se valido e concreto. Tabela 5  Freqüência das respostas dos professores referente à questão: Quais são as estratégias utilizadas para fazer o planejamento do Plano de Ensino de Educação Física? Categorias Fundamental Médio Reuniões, pesquisas e comunidade escolar 3 3 Interesse dos alunos - 1 Conforme a tabela 5 foi possível verificar que dentre os entrevistados do ensino fundamental 8 (oito) professores, 3 (três) descreveram que as estratégias utilizadas para construir o plano de ensino de educação física em suas instituições de ensino são realizadas em reuniões, pesquisas em fontes bibliográficas e juntamente com a comunidade escolar. Já os outros 5 (cinco) professores não têm conhecimento sobre a construção do plano de ensino. No ensino médio dos 10 (dez) educadores responderam 4 (quatro), destacando que as estratégias utilizadas para constituição do plano de ensino como pode ser observado na tabela são reuniões, pesquisas e comunidade escolar e interesse dos alunos. Desta maneira vem ao encontro do acima referido Menegolla (1992), qual afirma que o ato educacional, o planejamento em si demanda uma idealização que não pode ser esquecida no seu contexto, pois os alunos estão inceridos na comunidade local, região, estado ou pais que esta instituição de ensino esta fixada. Seu trabalho deve ser desenvolvido de acordo com suas próprias vivências, a escola responsável por este ensino deve ter um andamento do planejamento especifico de ensino de todas as atividades que ela oferece. Segundo Mello (2008), o planejamento é um processo de organização do espaço real social da comunidade, racionalização e coordenação do ato docente. Ele é uma atividade de reflexão das opções e ações docentes, pois o meio social escolar, os funcionários, pais, alunos e professores estão rodeados pela política-escolar por influências culturais, políticas, econômicas e ideologias. Ele ainda coloca que se deve pensar sobre o rumo que se quer do trabalho para não ficar dominado pelo poder das classes que se sobrepõe nossa sociedade. O planejamento escolar deve ter referência permanente nas situações didáticas concretas, que integram o processo de ensino sociedade, alunos, professores, problemática social-política e cultural que diz respeito à escola. Menegolla (1992) afirma que o planejamento de ensino deve seguir alguns aspectos básicos, como tendo uma abordagem racional e cientifica dos problemas, conhecer o contexto escolar, bem como a realidade dos alunos, para assim poder desenvolver os planos de ensino buscando suprir as necessidades reais dos alunos as carências mais urgentes, buscando as possibilidades que o local disponibiliza para realizar o plano de ensino. Determinação dos objetivos e dos recursos, como acima referido este vem a ligar-se, pois estabelece que o educador conheça a realidade da instituição trabalhada, os recursos que tem a disposição, para adaptar quando houver necessidade e planejar os objetivos quais se quer almejar de acordo com a real forma de ensino. Ter uma análise das conseqüências que advirão das diversas atuações possíveis, a escolha entre essas possibilidades, o planejamento bem como os conteúdos trabalhados, deve ser feito um análise pois estes tem ações sobre o contexto escolar, podendo sempre trazer influências negativas para ações positivas. A determinação de metas específicas a atingir em prazos bem definidos, este trabalha com os objetivos e metas a serem atingidas de acordo com o tempo de trabalho, aí se destaca a importância do planejamento escolar, pois ele estabelece os objetivos urgentes a serem adquiridos fornecendo meios para suprir as necessidades dos alunos. Tabela 6  Freqüência das respostas dos professores referente à questão: Quais as características e instrumentos utilizados para a construção do Plano de Ensino da Escola? Categorias Fundamental Médio Comunidade escolar 3 3 Pesquisas, projeto pedagógico 2 1 Legislação vigente e Regimento 1 1 Mediante o exposto na tabela 6, verificou-se que os educadores do ensino fundamental 4 (quatro) deles responderam à indagação os quais, 3 (três) destacaram que foi utilizado como instrumento para construção do plano de ensino a participação da comunidade escolar, 2 (dois) o projeto pedagógico e 1 (um) deles apresentou como base para constituição o regimento. Os demais educadores responderam não ter conhecimento sobre a construção do plano de ensino. No ensino médio, 3 (três) responderam que o projeto pedagógico é fonte de instrumento para formatação, 1 (um) apresenta a legislação e o regimento e outro destaca que a comunidade local serve como fonte de base para o conhecimento e desenvolvimento do plano de ensino escolar de educação física. Os demais não responderam à questão. Desta forma verificou-se que a maioria dos professores quais responderam esta questão enfatizaram que a comunidade local é fonte participativa para construção do plano de ensino. Desta forma cabe destacar que no ensino médio ouve uma evasão de educadores os quais não tem conhecimento sobre o plano de ensino vigente. No que se refere então a importância da participação, pode-se observar que a preocupação com a melhoria da qualidade da educação levantou a necessidade de descentralização e democratização da gestão escolar e, consequentemente, participação tornou-se uma importante base do conhecimento transmitido. Como aponta Libâneo (2001), a participação é fundamental por garantir a gestão democrática da escola, pois é assim que todos os envolvidos no processo educacional da instituição estarão presentes, tanto nas decisões e construções de propostas nos planos, programas, projetos, ações, eventos como, no processo de implementação, acompanhamento e avaliação. Expõe Menegolla (1992), o ato educacional, o planejamento em si demanda uma idealização que não pode ser esquecida no seu contexto, pois os alunos estão inceridos na comunidade local, região, estado ou pais que esta instituição de ensino esta fixada. Seu trabalho deve ser desenvolvido de acordo com suas próprias vivências, a escola responsável por este ensino deve ter um andamento do planejamento especifico de ensino de todas as atividades que ela oferece. Dessa forma esclarece Cardoso (1999), que o planejamento é uma projeto que se faz para realização de um aspiração ele consiste em um ideal a se atingir, é a pratica de determinado tempo às ações não apenas técnicas, mas lá de sua raiz com as decisões políticas pensando nos interesses do coletivo, um conjunto de atos vinculados deste planejar, uma atividade-meio que orienta o individuo no caminho que vai percorrer para obtenção dos resultados. Tabela 7  Freqüência das respostas dos professores referente à questão: Você utiliza esses conteúdos no planejamento e desenvolvimento de suas aulas? Categorias Fundamental Médio Não utiliza 4 6 Integral - 4 Parcial 5 - Na tabela 7, pode-se constatar que 4 (quatro) professores não utilizam como base os conteúdos propostos no plano de ensino, já 5 (cinco) educadores empregam eu seu planos diários para o desenvolvimento de suas aulas parcialmente o que lhe é proposto. Conforme consta nos dados apresentados pelos professores do ensino médio 6 (seis), não seguem de forma organizada o conteúdo proposto para desenvolvimento de suas aulas o plano de ensino da escola já, 4 (quatro) apresentaram de forma integral o aproveitamento do teor do plano de ensino indicado. Neste contexto cabe destacar Libâneo (1994) os conteúdos retratam a experiência social da humanidade relacionada a conhecimentos e modos de ação que englobam entre conceitos, idéias, quais se apresentam como forma de organização da prática docente tornando esta ação um trabalho de convivência social cheia de valores e costumes transmitidos e trocados. De Acordo com Libaneo, 1994 o planejamento do trabalho docente é uma trajetória de métodos de vivência com o meio, organização e coordenação da ação pedagógica, que visa fornecer os meios de esclarecimento, princípios, diretrizes e procedimentos as técnicas de trabalho, expressam as conexões entre o posicionamento filosófico, político, pedagógico através das ações do educador, estas que certificam o preparo, organização e coordenação do trabalho, prever objetivos, conteúdos e técnicas, assegurando a integração e coerência do trabalho docente. Assim destaca Darido (2005), embora a educação física tenha seu reconhecimento legal pedagógico ela, para uma melhor formação do aluno deve entrar no enfoque do projeto político-pedagógico da instituição de ensino de forma para validar este processo de ensino-aprendizagem. O mesmo autor apresenta, que a prática da educação física escolar deve incidir com os objetivos expressos em cada proposta pedagógica. Desta forma não se perdendo sua real finalidade o currículo formal, proposta de ensino de cada conteúdo, bem como seus métodos, estratégias e técnicas do processo de ensino-aprendizagem para formação da cultura corporal de movimento. A educação física deve possibilitar em sua proposta pedagógica que os alunos tenham capacidade de transformar o meio onde estão inseridos expandindo assim seus conhecimentos de uma forma critica, mas construtiva, podendo reconhecer e valorizar a prática de exercícios físicos toda pratica corporal do movimento. Tabela 8  Freqüência das respostas dos professores referente à questão: Em sua opinião o Plano de Ensino de Educação Física é importante para o desenvolvimento de suas aulas? Categorias Fundamental Médio Sim 9 10 Não - - Face ao exposto na tabela 8, referente à importância do plano de ensino para o desenvolvimento das aulas, pode-se verificar que 9 (nove) professores do ensino fundamental acham de grande valor esta base de formação do ensino. Do mesmo modo os 10 (dez) professores do ensino médio enfatizaram que o plano de ensino é importante base para desenvolvimento de suas aulas. Analisando os resultados atestou-se que unissonamente os educadores físicos afirmaram importante o plano de ensino para desenvolvimento de suas aulas, estes resultados vão ao encontro de Libâneo (1994), qual destaca que o planejamento de ensino possui três fases: Plano da Escola, Plano de Ensino e Plano de aula. Plano da Escola é o plano pedagógico e administrativo da unidade escolar. Plano de Ensino é um roteiro organizado das unidades didáticas para um ano ou semestre. De maneira que sobrepor um ao outro, pode-se perder o eixo norteador do detalhamento dos passos ou fases de desenvolvimento de uma aula ou conjunto. No mesmo contexto Mattos, citado por Settineri, Ries e Targa (1979), apresenta que o planejamento de ensino é previsão inteligente e bem calculada de todas as etapas do trabalho escolar que envolve as atividades docentes e discentes, de modo que torna o ensino seguro, econômico e eficiente. Para Mello (2008), o planejamento deve ter uma ordem de seguimento servindo como guia de orientação ao ensino-aprendizagem, tendo objetivos as idealizações planejadas, seguindo uma lógica da mesma e tendo flexibilidade reflexão de mudança do proporcionado para um melhor ensino. Do mesmo modo apresenta a autora Madalena Freire (1997), planejamento organiza, sistematiza, disciplina a liberdade a nível individual e coletivo. Ele dá os paradigmas para o exercício da prática pedagógica. Através dele podemos agilizar respostas diante do inusitado para trabalhar a improvisação. Neste sentido, o planejamento alicerça a ação criadora. A autora ainda afirma que planejar é algo constante sem interrupções que a o maior repto é o planejar constante todos os dias. De acordo com Gomes (1997), aula de educação física possui especificidades desenvolvidas pelas atividades motoras proporcionadas, as ações individuais, conhecimentos apreendidos de maneira particular, que são reunidos confrontados em grupos. Assim ele sita que as aulas de educação física devem seguir alguns princípios para atender as seguintes exigências, como possuir objetivos instrutivos, educativos e saneadores do planejamento escolar o qual vai excitar os educandos para a prática da cultura corporal. Toda pratica de ensino-aprendizagem do educador deve seguir uma ordem hierárquica, de inicio, meio e fim que tem comprometimento de fornecer atividades as quais ampliem e aperfeiçoem suprindo as carências dos alunos, o qual forneça um desenvolvimento amplo de todas suas potencialidades, atingindo os objetivos planejados. Questionário das escolas pesquisadas. Tabela 1  Freqüência das respostas das escolas referente à questão: Como ocorre a construção do Plano de Ensino de Educação Física neste educandário? Categorias Fundamental Médio Professores da área 4 - 2 4 - 2 Coordenação Pedagógica 4 - 2 4 - 2 Direção - - De acordo com a tabela 1, qual apresenta como questionamento quais os responsáveis pela construção do plano de ensino de educação física. Nas 8 (oito) escolas pesquisadas no nível fundamental, 4 (quatro) educandários destacaram como responsáveis os professores da área e coordenação pedagógica e 2 (duas) escolas apresentaram à coordenação pedagógica, já em 2 (duas) outras, enfatizaram que são os construtores os próprios professores. No ensino médio como apresenta a tabela verificou-se os mesmos resultados. Desta maneira contrapondo com os dados apresentados na pesquisa realizada com os professores dos educandários, pode-se verificar nas tabelas de pesquisa anteriores que a maior parte dos educadores responderam não participarem da formulação do plano de ensino. Neste contexto expõe Menegolla (1992), que as instituições de ensino são elemento que o ser humano busca para realizar-se em suas idealizações de vida. Assim esta escola deve oferecer todos os meios para este aluno adquirir conhecimento a dar encaminhamento a seu projeto ajudando em suas idealizações, é através do plano de ensino que os professores juntamente com a comunidade escolar desenvolvem esta ação educativa de transformação do meio social. Segundo Teixeira (1956), a escola é o meio da construção social. Nela o ser humano cria consciência social. A escola tem por objetivo formar pessoas para conviver socialmente de o modo de vida democrático. Ela deve esclarecer que o que o indivíduo, individual e coletivamente, necessitam uns dos outros para o seu desenvolvimento e crescimento espiritual e físico, todo trabalho é em conjunto a transformação é em grupo um ajudando e dependendo do fazer-ação do outro, todos os conceitos seus saberes são em função das necessidades dos outros. De acordo com Libâneo (1993), a escola deve ser democrática onde permita que seus educandos assimilem o conhecimento cientifico desenvolvendo suas capacidades intelectuais, contribuindo para o meio do trabalho exercício da cidadania para um melhor convívio social, através da política e cultura. Desta maneira estes conhecimentos são adquiridos com valor quando seu planejamento e desenvolvimento ocorrem de forma conjunta, tendo assim grandes resultados no processo de ensino e aprendizagem. Tabela 2  Freqüência das respostas das escolas referente à questão: Estratégias utilizadas? Categorias Fundamental Médio Reuniões, pesquisas e comunidade escolar 8 8 Interesse dos alunos 8 -1 - Conforme dados obtidos na 2 tabela, referente às estratégias utilizadas para construir o plano de ensino, 8 (oito) escolas de ensino fundamental e médio apresentaram que as formas de elaboração é conjunta através de reuniões e pesquisas em fontes bibliográficas. Em 2 (duas) outras escolas citaram também que fazem entrevistas com a comunidade escolar. Desta maneira se destaca o planejamento escolar que de forma conjunta é uma orientação para a realização ato docente. Ele tem funções que apontam os princípios e diretrizes desta ação, certificando o dever da escola e suprindo as necessidades da comunidade qual esta incerida. Através dos objetivos planejados, mostra as ações docentes entre o vinculo de domínio de conteúdo (filosófico e político-pedagogico), nas formas organizadas de transmitir um ensino de qualidade, prevendo os objetivos dos conteúdos que tenham relação com a realidade social dos alunos, mas preparando-os individuais. Hodierno estes conteúdos para aplicação como forma de aperfeiçoar as técnicas e maneiras de transmitir estes conhecimentos, tendo recursos didáticos para a pratica educativa. Para Libâneo (1993), a forma de garantir um trabalho docente e a consistência do mesmo torna-se possível aplicar e formatar um plano de ensino desde que este tenha objetivo, para ensinar, os conteúdos, o que ensinar as possibilidades oferecidas e o que utilizar a quem ensinar os alunos, os métodos e técnicas como ensinar. Neste contexto Paes (2001) destaca que as escolas devem apresentar aos alunos amplos conhecimentos como desporto e outras áreas que a educação física engloba, mas, devem expor de forma planejada e organizada. Definindo desta forma a educação física como disciplina, pois em seu plano de ensino devem constar objetivos, conteúdos e procedimentos metodológicos. Portanto se destaca a importância da participação conjunta de professores e coordenação pedagógica, na articulação de estratégias didáticas quais serão implicadas, tendo assim um melhor desenvolvimento educacional. Tabela 3  Freqüência das respostas das escolas referente à questão: Características e instrumentos utilizados? Categorias Fundamental Médio Legislação, Projeto Pedagógico e regimento 8 8 Comunidade escolar 8 -1 8 -1 Na tabela 3, pode-se observar que das 8 (oito) escolas pesquisadas apresentaram como resposta referente às características e instrumentos utilizados para construção do plano de ensino a legislação vigente, o regimento e o projeto pedagógico, e 2 (duas) escolas enfatizaram também orientações técnicas e metodológicas. Neste contexto Mello (2008), afirma que o planejamento é um processo de organização do espaço real social da comunidade, racionalização e coordenação do ato docente. Ele é uma atividade de reflexão das opções e ações docentes, pois o meio social escolar, os funcionários, pais, alunos e professores estão rodeados pela política -escolar por influências culturais, políticas, econômicas e ideologias. A função social da escola é ordenar a reflexão pedagógica do aluno de forma a pensar na realidade social desenvolvendo determinada lógica. Para desenvolvê-la, apropriar-se do conhecimento cientifico, confrontando-o com o saber que o aluno traz do seu cotidiano e de outras referências do pensamento humano: a ideologia, as atividades dos alunos e as relações sociais (Soares, 1992). A escola deixou de ser a detentora e transmissora do conhecimento produzido e passou a ensinar a aprender a aprender, tornando o aluno independente com liberdade pela busca pelo conhecimento possibilitando o mesmo a ter papel dinâmico na vida escolar. A investigação e o enriquecimento deste saber se dão de forma espontânea progressivamente e socialmente, por meio do conhecimento do dia a dia conhecimento informal, (Svhimidt, 2008). Segundo Teixeira (1956), a escola é o meio da construção social. Nela o ser humano cria consciência social. A escola tem por objetivo formar pessoas para conviver socialmente de o modo de vida democrático. Ela deve esclarecer que o que o indivíduo, individual e coletivamente, necessitam uns dos outros para o seu desenvolvimento e crescimento espiritual e físico, todo trabalho é em conjunto a transformação é em grupo um ajudando e dependendo do fazer-ação do outro, todos os conceitos seus saberes são em função das necessidades dos outros. Neste sentido Libâneo, (1994) coloca que o planejamento de ensino é processual, são todas as decisões e ações do professor na interação com o contexto da comunidade escolar. Portanto desta forma, pode ser uma programação realizada pelo professor cotidianamente, constantemente avaliado como processo, e não somente em reuniões e períodos previamente estabelecidos para tal. Neste contexto, a escola deve ser democrática onde permita que seus educandos assimilem o conhecimento cientifico desenvolvendo suas capacidades intelectuais, contribuindo para o meio do trabalho exercício da cidadania para um melhor convívio social, através da política e cultura, Libâneo (1993). Tabela 4  Freqüência das respostas das escolas referente à questão: Em sua opinião, o Plano de Ensino é importante? Categorias Fundamental Médio Sim 8 8 Não - - Fase exposto na tabela 4, pode-se enfatizar que todas as escolas de ensino fundamental e ensino médio pesquisadas responderam que o plano de ensino é importante. Assim sendo, 3 (três) educandários destacaram que serve como embasamento e alicerce para os conteúdos trabalhados nas aulas. Já em 4 (quatro) outros educandários ressaltaram que o plano de ensino serve como importante e fundamental instrumento para o processo de ensino e aprendizagem sendo este a base de organização e desenvolvimento das aulas. E 1 (uma) escola apresenta como importante alicerce para elaboração dos critérios utilizados na orientação dos meios de acordo, com as fases de desenvolvimento no processo de ensino e aprendizagem no transcorrer das aulas. Desta maneira o acima exposto vem ao encontro de Mattos, citado por Settineri, Ries e Targa (1979), qual apresenta que o planejamento de ensino é previsão inteligente e bem calculada de todas as etapas do trabalho escolar que envolvem as atividades docentes e discentes, de modo que torna o ensino objetivo e significativo. Pois, o plano de ensino propõe metas específicas a atingir em prazos bem definidos, estabelecendo os conteúdos urgentes a serem trabalhados fornecendo experiências educacionais e meios para suprir as necessidades dos alunos. Neste contexto, o planejamento do plano de ensino é conexo aos conteúdos que são apresentados, após uma vasta pesquisa na seleção rigorosa destes. No processo de ensino e aprendizagem da educação física no ensino fundamental apresenta, como os objetivos através da expressão corporal, um ciclo de iniciação á sistematização do conhecimento de descobrir pelo meio motor, o aprimoramento de suas habilidades. Na educação física de ensino médio se estabelece um aprofundamento da sistematização do conhecimento, permitindo uma reflexão sobre o conhecido. Desta maneira pode-se apresentar, que a educação física inserida na escola é uma disciplina que tem por finalidade inserir e integrar o aluno na cultura corporal de movimento, formando o cidadão que vai produzi-la, reproduzi-la e transformá-la, instrumentalizando-o para usufruir do jogo, do esporte, da dança, e das ginásticas em benefício de sua qualidade de vida. Destacando assim a educação física escolar, bem como seu transmissor que de maneira autônoma conduz a prática pedagógica de modo objetivo e diversificado, de forma que o planejamento escolar da uma direção e instrução do conhecimento aos métodos, viabilizando os conteúdos teórico-práticos no seguimento do trabalho docente. O professor de educação física que vai atuar no ensino fundamental e médio, este deverá receber conhecimentos relacionados à motricidade humana aplicado ao fenômeno educativo, conhecer o papel da Educação Física no contexto curricular escolar, necessita pensar no papel da disciplina e na formação dos seus, devendo ter cautela na construção do planejamento escolar, (Betti 1995). 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS Diante da pesquisa realizada, e utilizando-se como base as respostas dos professores e educandários Estaduais de Ensino Fundamental e Médio de Cachoeira do Sul  RS pode-se destacar que os educadores não participaram da construção do Plano de Ensino de Educação Física, em ambos os níveis. Contradizendo desta forma as respostas apresentadas pelas escolas pesquisadas, quais destacaram que os professores juntamente com a coordenação pedagógica realizam este planejamento. Os resultados apresentados referentes às estratégias e instrumentos utilizados foram semelhantes os quais apontaram grande contentamento no planejamento escolar de forma que organiza, sistematiza, disciplina a liberdade a nível individual e coletivo. Ele dá os paradigmas para o exercício da prática pedagógica. Através dele podemos criar respostas diante do inusitado para trabalhar a improvisação. Neste sentido, o planejamento alicerça a ação criadora, (FREIRE, 1997). Percebe-se que embora tenha algumas opiniões bem diferenciadas não se encontrou professores e educandários com visão errônea do que seria o valor do planejamento de ensino para área da Educação Física. Entretanto pôde ser concluído que por mais distantes que os educadores estão no contexto planejamento geral, se observa que cada educador apresenta de sua maneira empenho no planejamento de em suas aulas. Considerando que o projeto pedagógico da escola deva preconizar a formação de sujeitos críticos, reflexivos e autônomos, o professor em suas práticas precisa abordar os conteúdos direcionando-os para as concepções transformadoras do ensino, entendendo-os enquanto produção histórica e cultural, possibilitando aos alunos participarem da construção do conhecimento. A Educação Física escolar é uma das mais eficientes formas para promover o ensino-aprendizagem de maneira completa, complexa e lúdica, além de ser capaz de através do próprio movimento, colocar em evidência as diferenças culturais, corporais e sociais da população envolvida. 4 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BETTI, Irene Conceição Rangel. Educação física escolar: a percepção discente. In: Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas, v. 16, n. 3, p. 158-167, 1995. BETTI, Mauro. Educação Física Escolar: uma proposta de diretrizes pedagógicas. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte  2002. Disponível em: www.mackenzie.com.br. Acessado em: 28 de maio de2008. BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais (ensino médio e ensino fundamental). Disponível em: portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/blegais.pdf. Acessado em: 07 de maio de 2008. CARDOSO, J. Jarbas. Planejamento na Escola: O Projeto Político Pedágogico. Revista de Administração Educacional. Recife: v. 1, n. 3, p. 27-36, jan./jun., 1999. CASTELLANI FILHO, Lino. Educação Física no Brasil: história que não se conta. 4 ed. Campinas, Papirus, 1994. COLL, C. et al. Os Conteúdos na Reforma. Porto Alegre: Artmed, 2000. DARIDO, Cristina, Suraya. Cultura Corporal e a formação do Cidadão Autônomo. Disponível em: www.se.df.gov.br/publicacoes/documentos/. Acessado em 01 de maio de 2008. DARIDO, C. S.; RANGEL, A. C. I. Educação Física na Escola: Implicação para a prática Pedagógica. Rio de Janeiro, 2005. ESTEVES, V. V.; Clandinin, J. (1986) Classroom Practice. A Pratica Pedagógica na Formação de Professores. Disponível em: www.educacaoonline.pro.br/. Acessado em: 25 de abril 2008. VALLE, Pilla do, Flavia. Por que educação em Dança? Disponível em: http://www.ulbra.br/danca/artigo3.doc. Acessado em: 29 de maio de 2008. VASCONCELLOS.C.S. Planejamento. Plano de Ensino - Aprendizagem e Projeto Educativo. Em: Cadernos Pedagógicos do Libertad - 1. 1995. FREIRE, João Batista. Educação de Corpo Inteiro: Teoria e Prática da Educação Física. São Paulo: 1997. FREIRE Madalena, et al. Avaliação e Planejamento, Prática educativa em Questão, Instrumentos Metodológicos. São Paulo Pedagógico,1997. GIFFONI, M. A. C. Danças folclóricas brasileiras e suas aplicações educativas. Edição 2. São Paulo: 1973. HOLF, A. C. O; SILVA, E. O. & ZENI, L. K. Contribuições da Educação Física percebidas pela sociedade. In: Educação Física Identidade e Sociedade. Santa Maria. Editora : JTC,2000. KOLYNIAK C O. O objeto de estudo da Educação Física. Corpo Consciência 5. 2000. KRAMER, S. Educação e Sociedade. n. 60, 1997. KREBS, R. J. Educação Física Escolar. In: Curso de Pós-graduação da ESEF/UFPEL. Pelotas, 2000. LIBÂNEO, José Carlos. O ato pedagógico em questão: O que é preciso saber. Revista Estudos, Goiânia-GO, v. 17, n. 1-2, p. 111-125, 1993. ___________________. Síntese do Livro a Didática, ed. Cortez, 1994. ___________________. Organização e gestão escolar: teoria e prática. 4. ed. Goiânia: Editora alternativa, 2001. LUCKESI, C.C. Filosofia da Educação. São Paulo:Cortéz, 1990. ____________. Planejamento e Avaliação na Escola: Articulação e necessária determinação Ideológica. Em: O Diretor - articulador do projeto da escola. Série Idéias, n° 15, são Paulo, F.D.E., p. 115 - 125, 1992. ____________. Planejamento, Execução e Avaliação do Ensino - a busca de um Desejo. Em: Revista da FAEEBA, ano 2, n° 2, p. 137 -152, 1993. MARQUES, I.A. Dançando na escola. São Paulo: Cortez, 2003.p.19-32. MARINHO, Inezil Penna. História da Educação Física e dos desportos no Brasil. Ed. 2, 1952. MATTOS, M. G. & NEIRA, M. G. Educação Física na adolescência: construindo o conhecimento na escola. São Paulo: Editora Phorte, 2000. MENEGOLLA, M. & SANT´ANA, M. I. Por que Planejar? Como Planejar? Rio de Janeiro: Editora Vozes,1992. MELLO, M. Rosângela. Organização do Trabalho Pedagógico. Planejamento Escolar. Disponível em: www.estagiocewk.pbwiki.com/. Acessado em: 19 de abril 2008. NASCIMENTO T A. A importância da Educação Física para o jovem adolescente entre 15 e 17 anos no Ensino Médio. In: Anais do Simpósio Metropolitano de Atividade Física. São Paulo, 1998. PAES, Roberto Rodrigues. Educação física escolar. O esporte como conteúdo pedagógico fundamental. Canoas: ed. Ulbra, 2001. PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: EDUCAÇÃO FÍSICA/MINISTERIO DA EDUCAÇÂO. SECRETARIA DA EDUCAÇÂO FUNDAMENTAL.  3ª EDIÇÂO. Brasília: A Secretaria, 2001. PALAFOX, Gabriel Humberto Muñoz. et al. Educação Física Escolar: Conceito e Fundamentos filosóficos. Disponível em: www.mestreclaudio.pro.br/up/arquivos/ Acessado em: 09 maio de 2008. PICCOLO, V. L. Educação Física Escolar: ser... ou não ser? Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp, 1995. PIAGET, J. & GRECO, P. Aprendizagem e conhecimento. São Paulo: Freitas Bastos, 1974. PILETTI, N. Estrutura e funcionamento do ensino de segundo grau. São Paulo, Ática, 1990. RANGEL, Nilda Barbosa Cavalcante. Dança, educação, educação física: Propostas de ensino da dança e o universo da educação física. Jundiaí, São Paulo: Fontoura, 2002. ROCHA, Ruth. Minidicionário Ruth Rocha. São Paulo: Editora Scipione, 1996. SACRISTÁN, J. Gimeno. Poderes instáveis em educação. Porto Alegre: Artmed,1999. SANTIN, S. Educação Física: Temas Pedagógicos. Porto Alegre, RS, Edições EST, 1992. SALLES, L.M.F. & MAZZA, D. A organização do trabalho na escola: a prática do planejamento. Revista Educação: Teoria e Prática, v. 3, n.5, julho-dezembro, 1995 e v.4, n.6, SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. São Paulo: Cortez/ Autores Associados, 1987. SETTINERI, Luiz; RIES, Bruno E.; TARGA, Facinto F. Educação psicocinética: considerações bio-pisico-didáticas para a Educação Física. Porto Alegre: Sulina, 1979. SILVA, Teresinha Maria Nelli. A construção do currículo na sala de aula: O professor como pesquisador. São Paulo: EPU, 1990. SCHIMIDT, Augusta. Planejamento Escolar. Objetivos. Disponível em: www.educar.com.br/arquivos/s3. Acessado em: 14 de abril 2008. SETTINERI, Luiz; RIES, Bruno E.; TARGA, Facinto F. Educação psicocinética: considerações bio-pisico-didáticas para a Educação Física. Porto Alegre: Sulina, 1979. SOARES, Lùcia Carmen et al. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo: Cortez, 1992. SOARES, Lúcia Carmen. Educação Física Escolar: Conhecimento e Especificidade. Revista Paulista de Educação Física. Disponível em: www.usp.br/eef/rpef/supl2/supln2p6.pdf . Acessado em: 07 de maio de 2008. São Paulo, 1996. TEIXEIRA, Anísio: Pequena introdução à filosofia da educação: escola progressiva ou a transformação da escola. São Paulo: Melhoramentos, 1968. TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987. VÀZQUEZ, A. Sánchez. Filosofia da Práxis. 2ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra,1977. VASCONCELOS, Cláudia. Reflexão: um Elemento Estruturador da Formação de Professores. . Disponível em: www.ipv.pt/millenium. Acessado em 25 de abril 2008. ZABALLA A. Introdução. In: Como trabalhar os conteúdos procedimentais em aula. 2º ed. Porto Alegre: Artes Médicas Sul Ltda; 1999.
 
Avalie este artigo:
1 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Deise Gross Flores
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
A osteoporose é a diminuição da massa óssea. O osso é um tecido vivo que se renova com mais intensidade nas primeiras décadas da vida, sendo que, a partir dos 30 anos, o quadro se inverte e a absorção de osso passa a ser maior que a formação.As mulheres chegam a perder 50% de toda a sua massa óssea,...
Membro desde janeiro de 2009
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: