EDUCAÇÃO ATUAL: UM PASSADO TRANSFORMADO
 
EDUCAÇÃO ATUAL: UM PASSADO TRANSFORMADO
 


EDUCAÇÃO ATUAL: UM PASSADO TRANSFORMADO

A educação no contexto atual, ainda é um reflexo de fatos que aconteceram em outras épocas, mais que deixaram resquícios que perderam até hoje. E em se tratando do Brasil a realidade não é diferente, visto que faz parte do contexto global, sendo que esta, também guarda marcantes rastros da educação da educação do Período colonial ( 1500 a 1822), onde predominava o favorecimento da escola para as elites, através dos ensinamentos jesuíticos. Nossa educação ? brasileira ? tem marcas também do modelo francês, que passou a vigorar a partir de 1835, com a fundação da primeira escola normal do Brasil.
Além das características já mencionadas, foi no pós- independência do Brasil, que surgiram mudanças na educação, com as idéias iluministas trazidas da Europa por intelectuais e estudantes.
Posteriormente, no regime republicano, com a separação entre a igreja e o Estado, as escolas religiosas passaram a prestar serviços educacionais, instituições de ensino privadas e voltadas para o ensino e ingresso nas escolas superiores, sendo que essa prática ainda é vista em vários locais, porém, com menor freqüência que na quela época.
Foi após a Segunda Guerra Mundial (1935\49) que se passou no Brasil a pensar numa educação voltada á classe menos favorecida da sociedade, visto que até então a educação era privilégio de elites, surgindo neste contexto, o otimismo pedagógico preocupados com as mudanças nas práticas educacionais. Para SACRISTÁN,construir o futuro só é possível a partir das imagens que o passado e o presente nos oferecem. Por tanto, um aspecto essencial para ele é o vir a ser que nos leva a encontrar justificativas para projetar um futuro que transceda o presente.
Nessa perspectiva, toda a escola, necessita se modificar a partir das pegadas do passado, corresponder ás necessidades dos tempos pós- modernos e aos que ainda estão por vir. Assim sendo, é impossível avaliarmos a educação no contexto atual, sem fazer uma contextualização com a educação em tempos passados.
A modernidade trouxe á tona muitas críticas ao tradicionalismo, porém desorganizou bastante as inquietações responsáveis pela educação e a pós- modernidade pode, apoiando-se no fio da história, provocar reflexões para a organização da "outra escola," "escola do futuro" ou escola necessária".
A educação de concepção do que seja ensinar- aprender faz-se necessária para que todos possam aprender e para que todos possam realizar tarefas grupais, lúdicas e também individuais.
É crucial percebemos e concebermos que ensinar-aprender é muito mais do ensinar alguém a crescer sozinho e do que dar a mesma informação a uma porção de gente ao mesmo tempo.
Por esse e outros indicadores, acredito que "educar brincando" é um meio muito eficiente d desenvolvimento de habilidades cognitivas da criança, além de desenvolver nela o seu potencial de reflexão e de construção do conhecimento. É com o lúdico que a criança experimenta a vida, resolve problemas e desenvolve a sua socialização.
Partindo destes pressupostos, acredito que através de brincadeiras, desenvolve-se a capacidade criadora e desafiadora da criança, além de corporais, atitudes de respeito mútuo, trabalhando assim os conteúdos atitudinais da criança.
A educação no contexto atual precisa conquistar as crianças que motivadas pelo ambiente sócio-histórico-contemporâneo, só querem brincar, na maioria das vezes, com brinquedos virtuais ou eletrônicos. Assim, a educação atual precisa buscar metodologias diferenciadas, atrativas, onde a criança seja conquistada a perceber que as brincadeiras de outras épocas, o ludismo, são interessantes e são fundamentais no seu processo de desenvolvimento cognitivo.
Diante do exposto, é fundamental reconhecer que as dinâmicas, brincadeiras e atividades corporais são construtivas no processo educacional desde que sejam respeitadas as diferenças de ordem física e de desempenho, sem que haja quaisquer tipos de discriminação.
Portanto, ensinar-aprender é aprender a realidade e agir sobre ela, inspirados no passado, beneficiando o presente e projetando o futuro.

BIBLIOGRAFIA

BARBOSA, Laura M. S. PCN: Parâmetros Curriculares Nacionais. O papel da escola no século XXI. Curitiba: Bella escola, 2002.
CORALINA, Cora. Poemas dos Becos de Goiás e Estórias mais. São Paulo: Global, 2001.
FRIEDMAN, Adriana. A arte de Brincar: brincadeiras e jogos tradicionais. Rio de Janeiro: Vozes, 2004.
SACRISÁN, J. G. A educação que temos e a educação que queremos. In: IMBERNÓN, F. (org.). A educação do século XXI ? os desafios do future imediato. Porto Alegre: Artmed, 2000.
 
Avalie este artigo:
4 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Reinaldo Pacheco
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Pedagogo e Pós-Graduado em Gestão Escolar pela INTA (Instituto de Teologia Aplicada). Graduando em Matemática pela UPE (Universidade de Pernambuco).
Membro desde dezembro de 2010
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: