EDUCAÇÃO ATUAL: UM PASSADO TRANSFORMADO
 
EDUCAÇÃO ATUAL: UM PASSADO TRANSFORMADO
 


EDUCAÇÃO ATUAL: UM PASSADO TRANSFORMADO

A educação no contexto atual, ainda é um reflexo de fatos que aconteceram em outras épocas, mais que deixaram resquícios que perderam até hoje. E em se tratando do Brasil a realidade não é diferente, visto que faz parte do contexto global, sendo que esta, também guarda marcantes rastros da educação da educação do Período colonial ( 1500 a 1822), onde predominava o favorecimento da escola para as elites, através dos ensinamentos jesuíticos. Nossa educação ? brasileira ? tem marcas também do modelo francês, que passou a vigorar a partir de 1835, com a fundação da primeira escola normal do Brasil.
Além das características já mencionadas, foi no pós- independência do Brasil, que surgiram mudanças na educação, com as idéias iluministas trazidas da Europa por intelectuais e estudantes.
Posteriormente, no regime republicano, com a separação entre a igreja e o Estado, as escolas religiosas passaram a prestar serviços educacionais, instituições de ensino privadas e voltadas para o ensino e ingresso nas escolas superiores, sendo que essa prática ainda é vista em vários locais, porém, com menor freqüência que na quela época.
Foi após a Segunda Guerra Mundial (1935\49) que se passou no Brasil a pensar numa educação voltada á classe menos favorecida da sociedade, visto que até então a educação era privilégio de elites, surgindo neste contexto, o otimismo pedagógico preocupados com as mudanças nas práticas educacionais. Para SACRISTÁN,construir o futuro só é possível a partir das imagens que o passado e o presente nos oferecem. Por tanto, um aspecto essencial para ele é o vir a ser que nos leva a encontrar justificativas para projetar um futuro que transceda o presente.
Nessa perspectiva, toda a escola, necessita se modificar a partir das pegadas do passado, corresponder ás necessidades dos tempos pós- modernos e aos que ainda estão por vir. Assim sendo, é impossível avaliarmos a educação no contexto atual, sem fazer uma contextualização com a educação em tempos passados.
A modernidade trouxe á tona muitas críticas ao tradicionalismo, porém desorganizou bastante as inquietações responsáveis pela educação e a pós- modernidade pode, apoiando-se no fio da história, provocar reflexões para a organização da "outra escola," "escola do futuro" ou escola necessária".
A educação de concepção do que seja ensinar- aprender faz-se necessária para que todos possam aprender e para que todos possam realizar tarefas grupais, lúdicas e também individuais.
É crucial percebemos e concebermos que ensinar-aprender é muito mais do ensinar alguém a crescer sozinho e do que dar a mesma informação a uma porção de gente ao mesmo tempo.
Por esse e outros indicadores, acredito que "educar brincando" é um meio muito eficiente d desenvolvimento de habilidades cognitivas da criança, além de desenvolver nela o seu potencial de reflexão e de construção do conhecimento. É com o lúdico que a criança experimenta a vida, resolve problemas e desenvolve a sua socialização.
Partindo destes pressupostos, acredito que através de brincadeiras, desenvolve-se a capacidade criadora e desafiadora da criança, além de corporais, atitudes de respeito mútuo, trabalhando assim os conteúdos atitudinais da criança.
A educação no contexto atual precisa conquistar as crianças que motivadas pelo ambiente sócio-histórico-contemporâneo, só querem brincar, na maioria das vezes, com brinquedos virtuais ou eletrônicos. Assim, a educação atual precisa buscar metodologias diferenciadas, atrativas, onde a criança seja conquistada a perceber que as brincadeiras de outras épocas, o ludismo, são interessantes e são fundamentais no seu processo de desenvolvimento cognitivo.
Diante do exposto, é fundamental reconhecer que as dinâmicas, brincadeiras e atividades corporais são construtivas no processo educacional desde que sejam respeitadas as diferenças de ordem física e de desempenho, sem que haja quaisquer tipos de discriminação.
Portanto, ensinar-aprender é aprender a realidade e agir sobre ela, inspirados no passado, beneficiando o presente e projetando o futuro.

BIBLIOGRAFIA

BARBOSA, Laura M. S. PCN: Parâmetros Curriculares Nacionais. O papel da escola no século XXI. Curitiba: Bella escola, 2002.
CORALINA, Cora. Poemas dos Becos de Goiás e Estórias mais. São Paulo: Global, 2001.
FRIEDMAN, Adriana. A arte de Brincar: brincadeiras e jogos tradicionais. Rio de Janeiro: Vozes, 2004.
SACRISÁN, J. G. A educação que temos e a educação que queremos. In: IMBERNÓN, F. (org.). A educação do século XXI ? os desafios do future imediato. Porto Alegre: Artmed, 2000.
 
Avalie este artigo:
4 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Reinaldo Pacheco
Talvez você goste destes artigos também