Discurso de formatura
 
Discurso de formatura
 

Senhora gestora, caríssimos colegas, pais, familiares e em especial nossos formandos,

 

Com muita honra e alegria, recebi o convite para ser o paraninfo da 3ª série do ensino médio do Colégio Bom Jesus Santo Antônio do Pari.

Mais do que nunca, este é um momento especial. Mais especial ainda, é claro, para cada um que hoje se despede da escola. Mas, também especial pelo tempo em que convivemos, diante de uma série de obstáculos que foram sendo ultrapassados pouco a pouco. Foram tempos difíceis, foram muitas as dificuldades. Depois de alguns anos de convívio, enfim, vencemos, chegamos a este momento importante. Mas e agora? O que esperar do futuro? 

O futuro depende de cada um de vocês. Vocês são responsáveis diretos pelos seus destinos. Cabe a cada um de vocês tomar as decisões, escolher o caminho a seguir. Somos sujeitos ativos de nossos destinos. Tudo depende de você.

Por isso, eu gostaria de deixar aqui uma mensagem muito especial de um jovem aluno, como vocês, que cursava o 3º ano do ensino médio. Prestem atenção no depoimento desse jovem:

 

Tínhamos uma aula de Filosofia logo após um feriado prolongado. Como a maioria dos alunos havia viajado, todos estavam ansiosos para contar as novidades aos colegas e a excitação era geral. Um velho professor entrou na sala e imediatamente percebeu que iria ter trabalho para conseguir silêncio. Com grande dose de paciência, tentou começar a aula, mas minha turma não correspondeu. Com um certo constrangimento, o professor tornou a pedir silêncio educadamente. Não adiantou, ignoramos a solicitação e continuamos firmes na conversa. Foi aí que o velho professor perdeu a paciência e deu a maior bronca que eu já presenciei. Ele gritou: "Prestem atenção porque eu vou falar isso uma única vez", um silêncio carregado de culpa se instalou em toda a sala e o professor continuou. "Desde que comecei a lecionar, isso já faz muito anos, descobri que nós, professores, trabalhamos apenas 5% dos alunos de uma turma. Em todos esses anos observei que de cada cem alunos, apenas cinco são realmente aqueles que fazem alguma diferença no futuro; apenas cinco se tornam profissionais brilhantes e contribuem de forma significativa para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Os outros 95% servem apenas para fazer volume; passam pela vida sem deixar nada de útil. O interessante é que essa percentagem vale para todo o mundo. Se vocês prestarem atenção, notarão que de cem professores, apenas cinco são aqueles que fazem a diferença; de cem líderes, apenas cinco mudam o mundo; de cem motoristas de táxi, apenas cinco são verdadeiros profissionais; e podemos generalizar ainda mais: de cem pessoas, apenas cinco são verdadeiramente especiais. É uma pena muito grande não termos como separar estes 5% do resto, pois se isso fosse possível, eu deixaria apenas os alunos especiais nesta sala e colocaria os demais para fora, então teria o silêncio necessário para dar uma boa aula e dormiria tranquilo sabendo ter investido nos melhores. Mas, infelizmente, não há como saber quais de vocês são esses alunos. Só o tempo é capaz de mostrar isso. Portanto, terei de me conformar e tentar dar uma aula para os alunos especiais, apesar da confusão que estará sendo feita pelo resto. Claro que cada um de vocês sempre pode escolher a qual grupo pertencerá. Obrigado pela atenção e vamos à aula de hoje". Nem preciso dizer o silêncio que ficou na sala e o nível de atenção que o professor conseguiu após aquele discurso. Aliás, a bronca tocou fundo em todos nós, pois minha turma teve um comportamento exemplar em todas as aulas de Filosofia durante todo o ano; afinal quem gostaria de espontaneamente ser classificado como fazendo parte do resto? Hoje não me lembro muita coisa das aulas de Filosofia, mas a bronca do professor eu nunca mais esqueci.  Para mim, aquele professor foi um dos 5% que fizeram a diferença em minha vida. De fato, percebi que ele tinha razão e, desde então, tenho feito de tudo para ficar sempre no grupo dos 5%, mas, como ele disse, não há como saber se estamos indo bem ou não; só o tempo dirá a que grupo pertencemos. Contudo, uma coisa é certa: se não tentarmos ser especiais em tudo o que fazemos, se não tentarmos fazer sempre o melhor possível, seguramente sobraremos na turma do resto."

Fica a pergunta: E você, a qual grupo deseja pertencer? É você que escolhe.

Enfim meus caros, gostaria de finalizar, citando o escritor Antoine de Saint-Exupéry, autor do livro O pequeno príncipe, que afirmou que “cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, pois cada pessoa é única e nenhuma substitui outra. Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, mas não vai só, nem nos deixa sós; leva um pouco de nós mesmos, deixa um pouco de si mesmo. Há os que levam muito, mas há os que não levam nada; há os que deixam muito, mas há os que não deixam nada. Esta é a maior responsabilidade de nossa vida e prova evidente de que duas almas não se encontram por acaso.”

Obrigado pelo nosso encontro! Que a virtude, a ética e o amor sejam suas eternas companheiras!

Obrigado

 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Wagner Torlezi
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Professor Especialista de Língua Portuguesa, Literatura e Redação para o Ensino Médio e para cursos preparatórios para a carreira militar. Pós-graduado em Língua Portuguesa pelo Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio, em Itu e em Gestão Escolar pela FAE, de Curitiba.. No twitter: @wagnerto...
Membro desde maio de 2008
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: