Dar Um Tempo No Relacionamento?
 
Dar Um Tempo No Relacionamento?
 


Dar um tempo no relacionamento?

Visto por alguns como uma tentativa de acertar o passo e por outros como uma desculpa esfarrapada para terminar um relacionamento, essa tática sempre funciona. Não importa se o casal reata ou rompe, o fato é que ambos estarão conscientes de que fizeram a escolha correta.

PARA QUEM OUVE esta frase fatídica, o primeiro sentimento é o de que se está partindo para a separação.

Alguns pedem calma, alegando que não há motivo para desespero, considerando-se que se trata de um momento para ambos reverem seus sentimentos.

Alguns afirmam que, muitas vezes, essa atitude tem como princípio básico  conseguir um período a sós para pensar, refletir e evitar errar em tomar uma decisão precipitada, que poderá causar danos irrecuperáveis no relacionamento e, conseqüentemente, a um grande arrependimento. Assim, pedir um tempo torna-se uma saída estratégica para colocar a cabeça no lugar, avaliar os próprios sentimentos e decidir o que se quer da vida, pois longe da pressão do parceiro, os dois podem refletir melhor.

Apesar destas opiniões e de já possuir opinião formada sobre esse tipo de situação, perguntei a algumas pessoas de minhas relações, o que elas pensavam sobre o tema e, as respostas que vieram solidificaram ainda mais minhas convicções, salvo raras exceções.

Da mesma forma, verifiquei que se formos pesquisar o assunto na Internet, as respostas não serão diferentes. Quase todas as opiniões publicadas convergirão para o mesmo resultado ou seja: que esse tipo de pedido é uma forma sutil e até elegante, senão a menos traumática para dizermos que não queremos mais; que queremos terminar; que queremos por o fim num relacionamento. Geralmente esse pedido é usado quando uma das partes envolvidas não sente segura, não tem coragem pra dizer à outra que não está "mais afim",... que acabou. Também, afirmam alguns, que é uma forma de acabar um relacionamento gradativamente, em doses homeopáticas, para amenizar os efeitos do golpe fatal. Quem age assim aposta na situação de que o afastamento gerará esquecimento e, assim, não precisará dar o golpe traumatizante. Pensa que com o tempo o outro parceiro também poderá perceber que separar era a coisa mais certa a fazer.

Pedir um tempo é a forma de fazer o outro perceber que quem o pediu entrou em dúvida quanto ao seu próprio sentimento em relação ao outro, ou ainda, já não sabe se vale à pena continuar. Mesmo amando a outra parte, prefere não correr o risco, pois pode haver muitas coisas envolvidas, principalmente o interesse de outras pessoas.

Quando não temos coragem de terminar abruptamente, até para não magoar a outra parte que sabemos estar realmente apaixonada por nós, pedimos um tempo e fazemos isso por que sabemos que a outra parte ficará aflita, poderá perder o rumo por nós termos pedido esse tempo de afastamento. Agimos assim até por não querermos nos sentir culpados mais tarde por alguma coisa que venha acontecer com o outro pela perda do seu grande amor.

Outro ponto a ser analisado é quanto vai durar esse tempo. Geralmente só quem o pede o tempo é que sabe o quanto vai durar, ou até mesmo, na sua cabeça, esse tempo já acabou. Nestes casos podemos dizer que "pedir um tempo" não foi mais que uma colocação poética. Uma coisa é certa: demore o tempo que demorar, uma semana, um mês, meses, quanto mais demorar, virá o momento em que a outra parte nos dirá que pensou, pensou, que pensou bem e chegou à conclusão que é melhor acabar mesmo, pois "já era visto" que não daria certo.

Outro fato a se considerar é que, quem pede tempo não tem noção do que possa ocorrer com a outra parte. A grande verdade é que quem pede tempo está preocupado consigo mesmo e não com a relação, com o outro. É por isso que, quando um dos envolvidos "pedir tempo", preparem-se os dois, pois, talvez, tenha chegado o momento de ambos buscarem novos rumos, já que nesta hora ficou mais evidente que a paixão acabou; que acabou o encantamento e assim não existe motivos para se continuar.

Por tudo que já vivi, li, escutei, pesquisei, afirmo tudo isso com cátedra, pois quem ama quer "juntidade" (verbete criado por mim); Quer estar junto do outro sempre, custe o que custar, e faz tudo pra isso; Quer solucionar e afastar tudo e até todos que possam estar interferindo no relacionamento.

Se forem problemas de comportamento individuais, um ajudará ao outro no sentindo de corrigi-los e ajudará com carinho, dedicação, com amor. Se forem problemas materiais, ambos buscarão a melhor solução e sempre encontrarão a que cause menos perdas. Se forem problemas com pessoas da família que é contra, por exemplo, a parte interessada fará de tudo para convencê-los sempre enfatizando as qualidades da parte que não é aceita. Enfim, num relacionamento desejado, nenhum dos dois perderá tempo em tentar achar um melhor caminho para a sua própria vida. Pelo contrário, aliar-se-á ao outro. Pedirá e também dará ajuda. Unir-se-á ao outro com todas as forças do corpo e da alma, como se fosse uma batalha para remover os obstáculos existentes, pois é certo que ninguém resolverá, sozinho, problemas de relacionamentos. Não é à-toa que chamamos de relacionamento, senão, poderíamos chamar de qualquer outra coisa, menos disso.

Quando amamos de verdade, incondicionalmente, se o namoro ou o casamento estão com algum problema, sentam-se os dois e discutem o que ambos poderiam (se relacionando e não se afastando) fazer, caso à caso, para que o que possa estar ocorrendo seja resolvido, afastado ou, ainda, eliminado. Os dois tentarão juntos descobrir a melhor forma de equalizar o que não está bom para um dos dois ou para ambos.

A experiência nos mostra que não é dando ou pedindo tempo que as coisas irão melhorar. Pelo contrário! Quando voltarmos (e se voltarmos) veremos que o tempo dado não adiantou nada! Podemos dar o tempo que for e o problema ainda estará lá do mesmo jeito que o deixamos, tudo por que ele não foi resolvido ou afastado. As mesmas dificuldades continuarão tão vivas quanto os próprios envolvidos.

Resumindo: Ouvir um pedido tempo é o prenúncio delicado de um aviso de "adeus", mesmo que a parte que o pediu não o tenha pedido como uma forma de mascarar que não quer mais. Que acabou!

Passado um tempo, quem pediu não resolveu nada e quem concedeu, ficou frustrado.

Qualquer comportamento contrário à tantas evidências, poder-se-á considerar como um milagre, pois afastamento gerará mais afastamento em se falando de relacionamentos.

Por isso, se você receber um pedido de tempo, não se iluda. Pare de sonhar com aquele homem ou com aquela mulher que embalava seus sonhos, a menos que você goste de sofrer. A menos que você queira guardar esse amor para o resto de sua vida, sozinho, ou mesmo com outra pessoa, que já não será a mesma coisa. Até dê o tempo pedido, pois milagres podem acontecer, mas não conte muito com isso. Prepare-se para o fim real e, se ele ou ela "voltarem", o que vier será lucro.

Estejam certos também de que não será um recomeço. Os dois terão que começar quase tudo do zero, caso contrário, não durará muito e outro pedido de tempo virá.

Luiz Antonio Schimanski

Curitiba/Paraná 31/08/2008

 
Avalie este artigo:
(4 de 5)
26 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Luiz Antonio Schimanski
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Luiz Antonio Schimanski, nascido em Curitiba, Estado do Paraná, aos dias 2 de março de 1954. Bel. em Contabeis, Analista de sistemas e Advogado
Membro desde setembro de 2008
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: