DADOS, INFORMAÇÃO, CONHECIMENTO E COMPETÊNCIA
 
DADOS, INFORMAÇÃO, CONHECIMENTO E COMPETÊNCIA
 


Conceitua dados como elemento de caráter exclusivamente objetivo e capaz de ser decomposto em sistemas computadorizados. Define informação (atribuição de sentido aos dados) e conhecimento onde enfatiza a divergência ideológica entre esse binômio. Concluí com a significação de competência e sua interrelação com o conhecimento.1 INTRODUÇÃO

No mundo atual caracterizado por mudanças constantes e concorrência crescente, a disputa no mercado de trabalho está cada vez mais acirrada onde a sobrevivência depende da competência que o indivíduo possui para desenvolver alguma atividade profissional.

Mas como o indivíduo pode adquirir competência para realizar algo? Está relacionado com o conhecimento? E o conhecimento é o mesmo que informação na qual seria sinônimo de dado? Essas são questões levantadas sempre que paramos para analisar o objeto diferencial do mundo globalizado, a informação.

Atualmente ouvi-se muito a expressão sociedade da informação ou sociedade do conhecimento e é com a intenção de obter respostas a essas indagações que giram em torno do binômio informação e conhecimento, que passaremos a examinar neste artigo os termos dados, informação e conhecimento partindo de suas definições até chegarmos ao fundamento das competências.

2 DADOS

Os dadossão uma representação dos fatos, conceitos ou instruções de uma maneira normalizada que se adapte à comunicação, interpretação e processamento pelo ser humano ou através de computadores. Os dados são representados por símbolos como, por exemplo, as letras do alfabeto: a, b, c, etc, mas não são em si as informações desejadas.

As palavras informação e dados são intercambiáveis em muitos contextos. Todavia, não são sinônimos. Por exemplo, de acordo com a observação de Adam M. Gadomski (1993), dados é tudo que pode ser processado e as informações são dados que descrevem um domínio físico ou abstrato.

SegundoJayme Teixeira (2002), Para transformar dados em informações precisamos de ferramentas. Mas para transformar informação em conhecimento precisamos de tempo. Conhecimento não é nem dado nem informação, mas está relacionado a ambos. Como mostra o diagrama abaixo.

Trata-se de caminho que forma a ponte entre o empírico e o teórico, com o fenômeno gerando dados, os dados gerando informações, e as informações gerando ou confirmando um conhecimento abstrato.3 INFORMAÇÃO

Informação é um produto, uma substância ou matéria, pode ser também conhecimento inscrito sob forma escrita, oral ou audiovisual. A informação ao ser passada para o computador ou papel é reduzida para forma de dados, por estes, não possuírem discernimento para entender o significado contido na mensagem, depende então de cada leitor para que a mensagem volte a ser informação.

Segundo Renato Ortiz (1997), o fato de se possuir mais ou menos informações não implica necessariamente maior ou menor conhecimento das coisas. Diariamente somos receptores de muitas informações, mas como elas não são cumulativas selecionamos somente o que é interessante para nós, e em muitos casos depois que alcançamos nosso objetivo elas se tornam irrelevante.

4 CONHECIMENTO

O conhecimentoestá sempre sendo produzido na mente de indivíduos que usam seu potencial intelectual em processos, tendo em vista produzir algo de valor para os outros indivíduos. Através do andamento da informação, seja no campo da criatividade, do desenvolvimento ou da socialização, estamos usando, criando e disseminando conhecimento.

SETZER (1999) diz que: "Conhecimento é uma abstração interior, pessoal, de alguma coisa que foi experimentada por alguém".

Já Polanyi (1966 apud SILVA 2004) e Nonaka & Takeuchi, (1997 apud SILVA 2004) afirma que:

"Conhecimento é formado por informação, que pode ser expressa, verbalizada, e é relativamente estável ou estática, em completo relacionamento com uma característica mais subjetiva e não palpável, que está na mente das pessoas e é relativamente instável ou dinâmica, e que envolve experiência, contexto, interpretação e reflexão".

Quando o conhecimento é descrito ou repassado por alguém, passa a ser apenas informação, deste modo, nunca poderemos armazenar conhecimento em um computador.

5 COMPETÊNCIA

Considerando os conceitos e as relações sobre dados, informação e conhecimento já relatados anteriormente, bem como a distinção entre esses termos, seguimos para uma análise da significação de competência.

Competência segundo Setzer (1999, p.6) "é uma habilidade de produzir algo em certa área de conhecimento".

Um indivíduo pode ter diferentes graus de competência para cada habilidade que possui. O que define o grau de capacidade é a identificação, a facilidade, o conhecimento e agilidade que o profissional dispõe para executar uma determinada tarefa.

Um profissional em Biblioteconomia, por exemplo, possui várias habilidades como referenciar, catalogar, classificar e tornou-se competente, através da qualificação (aquisição de conhecimento), para desempenhar qualquer uma dessas atividades, no entanto, por identificação e especialização pode desenvolver graus diferenciados de competência para cada trabalho realizado.

A competência equivale ao fruto de conhecimento e aptidão para algo, sendo ela um intensificador da diferença entre o fator humano e a máquina. O conhecimento está relacionado com a prática, a vivência, a interação com o real e o natural sendo, portanto impossível infiltrar competência em um computador. Ela é produto da influência mútua da mente humana (fator interno) com o meio físico (fator externo).

A aplicação do conhecimento possibilita o desenvolvimento de competência e traz a construção de vantagens competitivas, por isso no cenário atual onde a competitividade é exasperada, segundo Soffner ([200_]) "o mandamento da sociedade do conhecimento é gerar, organizar e difundir conhecimento, com o propósito de transformá-lo em competências".

6 CONCLUSÃO

Nesse artigo foi realizada uma análise para dados, informação, conhecimento e competência, na intenção de compreender e obter respostas claras e objetivas para suas diferenças conceituais e práticas.

Observamos primeiramente a definição para dados como um caractere exclusivamente objetivo e sem atribuição de sentido que uma vez dotados de significado tornam-se informação, sendo essa relevante ou não dependendo de quem a recebe.

Vimos ainda o conhecimento como elemento de caráter cumulativo no qual cada indivíduo tem experiências de uma forma diferente (relativas ao seu "conhecimento de mundo"), ou seja, o conhecimento está presente no indivíduo e não nas informações que ele possui. Concluímos então, com a pesquisa das competências as quais exige conhecimento e habilidade pessoal. Ressaltamos que dados, informação, conhecimento e competência estão interligados entre si mas possuem definições completamente distintas.

REFERÊNCIAS

MATOS, Cleusa Maria Alves De. Conhecimento X Informação:. Disponível em:. Acesso em: 02 mar.2009.

OLIVEIRA, Leonardo. Dado, informação e conhecimento: uma reflexão. Disponível em: . Acesso em: 27 fev. 2009.

ORTIZ, Renato. Informação e conhecimento. OESP, [S.l.], 29 ago.1997.

ROSAS, Vanderlei de Barros. Afinal, o que Conhecimento? Disponível em: . Acesso em: 02 mar. 2009.

SETZER, Valdemar W. Dado, informação, conhecimento e competência. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/dez99/Art_01.htm>. Acesso em: 03 mar. 2009.

SOFFNER, Renato Kraide; SILVA FILHO, Cândido Ferreira da; BENEDICTO, Gideon Carvalho de. Transformando Conhecimento em Competências. Disponível em: . Acesso em: 02 mar. 2009.

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também