CUIDADOS IMEDIATOS NO PUERPÉRIO
 
CUIDADOS IMEDIATOS NO PUERPÉRIO
 


INTRODUÇÃO
O puerpério é um período em que se processam os fenômenos involutivos da gravidez. No puerpério imediato além da mulher sofrer mudanças fisiológicas tem sua atenção voltada para o recém nascido. Assim, não se permite cuidados essenciais, que podem facilitar em cuidados com o bebê.
Uma atenção puerperal de qualidade e humanizada é fundamental para a saúde materna e neonatal e, para sua humanização e qualificação. Faz-se necessário construir um novo olhar sobre o processo saúde/doença, que compreenda a pessoa em sua totalidade corpo/mente e considere o ambiente social, econômico, cultural e físico no qual visa estabelecer novas bases para o relacionamento dos diversos sujeitos envolvidos na produção de saúde, usuários e gestores, e a construção de uma cultura de respeitos aos direitos humanos, entre os quais estão incluídos os direitos usuais e os direitos reprodutivos, com a valorização dos aspectos subjetivos envolvidos na atenção.
Os objetivos desta pesquisa se baseiam em apontar os cuidados imediatos no puerpério e relatar os principais cuidados com a mulher nesta importante fase.
Busquei justificar na minha pesquisa que os cuidados imediatos no puerpério necessitam de atenção especial e qualificada para proporcionarmos um atendimento diferenciado às puérperas de parto normal ou parto cesáreo evitando complicações, infecções, hemorragias, entre outros.
Segundo o Ministério da Saúde, (2002) observou-se que a atenção puerperal não está consolidada nos serviços de saúde. Gostaria que o retorno da mulher no primeiro mês pós parto não fosse somente á preocupação com a avaliação e vacinação do recém-nascido.
Este trabalho trata-se de uma revisão bibliográfica, que visa explicar em determinado cuidado de acordo com o referencial teórico indexado, podendo ser feito de forma independente.
Para elaboração desta pesquisa, foi necessário consultar trabalhos publicados em livros, artigos científicos, revistas, de acordo com a proposta previamente selecionada.
Após a seleção dos materiais que era do interesse da pesquisa, realizou-se uma leitura minuciosa, a fim de não serem perdidos aspectos importantes para o enriquecimento do estudo e confecção do artigo.

DESENVOLVIMENTO
Segundo Freitas (2002) o puerpério imediato é um período variável durante o qual se desenrolam todas as manifestações involutivas e de recuperação da genitália materna acontecida após o parto. Este período é de grande importância, pois a mulher necessita de um momento de repouso e tranqüilidade direcionada somente para ela, é que sua situação é bastante delicada e necessita de muitos cuidados e atenção, sendo que por trás de tudo isto acontece situações de auto-risco, como o de hemorragia, causando o comprometimento sério de seu estado geral. A involução uterina, a loquiação, a lactação fica por conta da fase proliferativa estrogênica e da proliferação epitelial.
Os acontecimentos neste período são levados em conta de que se trata de processos biológicos e bastante desagradáveis, mas que são superáveis.
"A expulsão do feto e da placenta instaura importante variações hemodinâmicas. O diafragma desce imediatamente e o coração, que sofrera moderado descolamento horizontal, com certa torção do eixo, da esquerda para a direita, reassume a posição habitual. O ictus retorna à linha mamilar, desaparecem sopros e murmúrios acidentais, observados em 20% dos casos". (Rezende 2002, p. 384)

Segundo Freitas (2002) há um aumento significativo da resistência vascular periférica logo após o parto, devido a uma eliminação importante da circulação placentária
Os riscos de maiores complicações existem nas cardiopatas e hipertensas ou mesmo naquelas que a idade é superior a quarenta anos, pois sua idade não ajuda muito e seu metabolismo está totalmente modificado.
"As perturbações do sono são, porém, mais acentuadas e significativas nas primeiras semanas do pós-parto, e, sobretudo nas primíparas". (Rezende 2002, p. 386).

Segundo Ziegel, (1985) o sono e repouso são essenciais para a saúde física e mental da mãe.
Após ter passado por esforço muscular da fase expulsiva, a mãe precisa e necessita de descansar, pois este cansaço exige repouso, e o sono é impositivo.
"A suculência e o aspecto acetinado da pele, tão comuns na gravidez, regridem no decurso da primeira semana". (Rezende 2002, p. 386)

Segundo Neme, (2000) a pele torna-se menos acetinada com o desaparecimento da embebição gravídica, reaparecendo assim as rugas faciais.
Em algumas mulheres surgem determinados casos que as deixam bem preocupadas, pois a alopecia, unhas quebradiças e até mesmo acne, são percebidas, mas tratadas sem nenhuns problemas, mas que não se pode delir e também o aparecimento das estrias causam certo desconforto principalmente para as primigestas.
"A movimentação ativa a circulação e constitui a melhor profilaxia da síndrome tromboembólica, permitindo fácil escoamento dos lóquios". (Rezende 2002, p. 386)

Segundo Neme, (2000) previne dizendo que a puérpera deve ser encorajada a deambular para que se previna a profilático tromboembolismo e também a sua recuperação será mais rápida.
A puérpera após ter parido deverá se levantar, pois a mesa cirúrgica trás para ela dores nos membros inferiores, cãibras e muito desconforto, e com uma deambulação rápida, ela poderá manter assim uma boa circulação sangüínea e prevenir uma complicação cardiovascular tardia.
"Recomenda-se o uso de porta-seios apropriados. No terceiro dia do pós-parto, pelo comum, dá-se a apojadura, com desconforto considerável às pacientes. Ficam os peitos ingurgitados e dolorosos". (Rezende 2002, p. 386)

Segundo Neme, (2000) antes de cada mamada, os seios devem ser limpos com soro fisiológico ou água, e após devem ser mantido seco.
A puérpera deverá usar sutiã, para dar boa sustentação à mama, realizar massagem no bico, durante o banho, com movimentos circulares e suaves, não deve fazer uso de cremes, uma vez que o tecido absorverá as substâncias, podendo levar a uma ação benéfica, talvez mais por efeito placebo. O uso de protetores de mamilo não é também tão benéfico, o bom mesmo é promover uma boa limpeza com água e se fizer uso de sabonetes, que este seja em pequenas proporções para evitar o ressecamento e a fissura, e manter a mama sempre seca.
"No puerpério, a resposta sexual foi analisada, ainda com seis a oito semanas após o parto, é a congestação vascular lenta, em seguida ao estímulo e subordina-se à turgência da vulva e à lubrificação excessiva da vagina, com distensão concomitante do órgão desaparecidas as suas rugosidades, constricção muscular reduzida". (Rezende 2002, p. 386)

Segundo Neme, (2000) só será permitido o retorno à atividade sexual após os trigésimos dias após o parto, pois a vulva e o períneo estão sensíveis e traumatizados.
Após o parto, a mulher deve fazer um retorno ao seu ginecologista, para saber o período inicial de recuperação e também para uma iniciação de método contraceptivo que deverá usar. São poucas as mulheres que conhecem bem o uso de contraceptivos, o que pode levar o uso incorreto ao risco de uma gravidez indesejada por falta de orientação adequada, mas, devem-se reiniciar as atividades sexuais, após os trigésimos dias, devidos principalmente as condições cicatriciais do períneo, pela dor causada e também pelo desconforto.
Segundo o Ministério da Saúde (2002) o exame físico tem diretrizes a ser seguido, procurando identificar o aspecto geral, as condições de higiene da região examinada, a integridade da pele, e mucosa e a presença de anormalidades, sobretudo a puérpera deve-se sentir bem à vontade para que tenha um retorno satisfatório e uma vida sexual ativa.
Segundo o Ministério da Saúde (2002) devem ser tomados alguns cuidados com a mulher após o parto e uma boa assistência de enfermagem humanizada como a de controlar a temperatura a cada seis horas, pois a puérpera pode apresentar ligeiro aumento da temperatura axilar nas primeiras vinte e quatro horas, sem que isso esteja associado a um quadro infeccioso.
Segundo o Ministério da Saúde (2002) fazer controles de pressão arterial e de freqüência cardíaca a cada quatro horas, porque pode ocorrer uma diminuição do débito cardíaco levando a ela uma bradicardia, e é também necessário que faça repouso no leito por mais tempo, pois devido os edemas de membros inferiores e o aparecimento de varizes, isto possa lhe causar dores e uma grande indisposição e com o repouso ocorrerá uma diminuição destes edemas, vindo assim melhorar o retorno venoso.
Segundo o Ministério da Saúde (2006) uma assistência de enfermagem quanto aos cuidados da dieta e da deambulação, orientá-la a higiene íntima e sempre oferecer a ela um apoio psicológico e emocional. Fazem-se necessário o controle das eliminações dos lóquios, e orientá-la quanto às mudanças de cor e aspecto a este sangramento.
Segundo o Ministério da Saúde (2002) as complicações são evidentes, e as puérperas devem saber sobre as fissuras que ocorrem nos mamilos, deixando-os doloridos e com sangramento. A ingurgitação, que é o acúmulo de leite nas mamas, que provocam edemas e muitas dores e que a mastite é uma inflamação nas mamas, que ocorre por complicações dessas fissuras e ingurgitação e a principal infecção, originada do aparelho genital, seja na epsiotomia ou na cavidade uterina, é um quadro grave, podendo levar a septicemia.
Segundo o Ministério da Saúde (2006) orientar as mães sobre a importância do aleitamento materno, os cuidados a serem tomados e as vantagens que trás ao recém nascido, e de quais doenças que ele está se prevenindo, e sobre as posições que ela deve ficar ao amamentar seu filho.

CONCLUSÃO
Durante a elaboração desse artigo foi observado, a importância que os profissionais de saúde devem ter sobre os cuidados imediatos com as puérperas desenvolvendo ações preventivas na rede pública voltados não só a saúde da gestante, mas da mulher em geral, não somente durante o parto, mas, sobretudo dias após. É de fundamental importância também os cuidados que a mulher deve ter com seu corpo, com sua saúde e com seu recém nascido.
A mulher deve estimular a compreensão do companheiro em relação às fases críticas do puerpério imediato, bem como emoções e sentimentos provenientes deste período oferecendo a ela uma assistência humanizada, com muita segurança e respeito.
Neste período a mulher sente muitas dores e necessita de repouso, e se alimentar bem, amamentar seu filho no peito se sentir feliz e realizada; ter um bom relacionamento com seus familiares, ser sempre protegida por seu marido, porque em muitos casos ocorrem à carência afetiva que podem produzir sentimento de culpa e ciúmes.
Este trabalho foi de importância fundamental para que o desempenho do papel de cuidadosa, levando em consideração o lado preventivo, porque as puérperas necessitam de ajuda, carinho, paciência, que não tenham dores, nem do corpo e nem da alma.
Fazer continuamente visitas ao seu ginecologista e exames complementares para que continue a ter uma vida saudável.
Os objetivos foram apontar e relatar os principais cuidados imediatos com a mulher, pois o puerpério é muito importante e necessita sem dúvida de muitos cuidados e atenção.
As informações foram extraídas de contínuas pesquisas à biblioteca, com a utilização de livros, revistas e artigos científicos.

REFERÊNCIAS

Ø Barros, Sonia Maria Oliveira de Enfermagem obstétrica e ginecológica, 1. Ed. São Paulo, Roca Ltda., 2002.
Ø Erna E. Ziegel, R.N., M.A., 8. Ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan S.A., 1985.
Ø Ferreira, Aurélio Buarque de Holanda, 4.Ed. Rio de Janeiro, Nova Fronteira. S.A., 2000.
Ø Freitas, Fernando de Rotinas em Obstetrícia, 4. Ed. Porto Alegre, Artmed, 2001.
Ø Neme, Bussâmara de Obstetrícia Básica, 2. Ed. São Paulo, Sarvier, 2000.
Ø Rezende, Jorge de Obstetrícia, 9. Ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2002



 
Avalie este artigo:
1 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
ESCREVI MEU TCC E GOSTARIA QUE FOSSE PUBLICADO, FALA SOBRE UM ASSUNTO IMPORTANTE PARA AS MULHERES APÓS O PARTO.
Membro desde janeiro de 2011
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: