Construções Sustentáveis: Conceito e Importância da Sustentabilidade Social
 
Construções Sustentáveis: Conceito e Importância da Sustentabilidade Social
 


1. INTRODUÇÃO

Autora: Ádla Larissa Gomes Fiuza1

Atualmente, cada vez mais, têm-se uma preocupação com as questões ambientais. No ramo da Engenharia Civil, não é diferente. Sabe-se que de todas as atividades praticadas pelo homem, a construção civil é uma das que mais tem impacto no meio ambiente. Por isso, novas idéias e tecnologias estão sempre surgindo para evitar que as construções sejam o pilar de um caos ambiental.

Divulgações de pesquisas e informações, promovendo padrões consistentes e educativos, seja sobre desenvolvimento de matérias ecológicos, construções sustentáveis ou planejamento econômico ao espaço construído e aos materiais utilizados e descartados (resíduos), são alguns passos importantes para que se tenha futuramente uma sociedade mais consciente e com uma melhor qualidade de vida.

Desenvolvimento Sustentável é um tema muito importante no que diz respeito a Construções Sustentáveis. Desenvolvimento Sustentável é o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro. Construções Sustentáveis são construções que visam antes de qualquer coisa um planejamento da obra de forma que sejam seguidas diretrizes que envolvem a utilização consciente do meio ambiente, respeitando todas as normas éticas ambientais.

Sustentabilidade envolve diversos assuntos interessantes além da construção sustentável e que serão abordados nesse artigo, que tem como objetivo mostrar a preocupação da atual sociedade com a sua natureza e expor os novos, modernos e ecológicos métodos da construção civil.

1 Aluna do 4º semestre do Curso de Engenharia Civil da Universidade Estadual de Feira de Santana/BA.

2.DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Como foi mencionado anteriormente, Desenvolvimento Sustentável é o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. De acordo com o Programa Ambiental das Nações Unidas define  se Desenvolvimento Sustentável como desenvolvimento que garanta que nosso uso dos recursos e do meio ambiente não restrinja seu aproveitamento por futuras gerações.

O desenvolvimento sustentável depende de planejamento e do reconhecimento de que os recursos naturais são finitos. Sugere, de fato, qualidade em vez de quantidade, com a redução do uso de matérias-primas e produtos e o aumento da reutilização e da reciclagem.

A Declaração de Política de 2002 da Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável, realizada em Joanesburgo, afirma que o Desenvolvimento Sustentável é construído sobre "três pilares interdependentes e mutuamente sustentadores"  desenvolvimento econômico, desenvolvimento social e proteção ambiental. Esse paradigma reconhece a complexidade e o interrelacionamento de questões críticas como pobreza, desperdício, degradação ambiental, decadência urbana, crescimento populacional, igualdade de gêneros, saúde, conflito e violência aos direitos humanos.

Tendo todas esses conceitos como base, as Construções ecológicas, ou sustentáveis surgem principalmente em países desenvolvidos, contudo veremos que existem construções ecologicamente corretas para todos os tipos de ambientes e países, de forma que estudo seja abordado cada vez mais e seja também colocado em prática.

Em muitos países é possível encontrar conselhos para o desenvolvimento dos conceitos da construção sustentável, que orientam e discutem os padrões a serem seguido em cada lugar, como por exemplo, o USGBC (United States Green Building Council),CaGBC (Canadá Green Building Council), GBCA (Green Building Council Australia), Japan Sustainable Building Consortium. No caso do Brasil, foi criado recentemente, o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável, formado por acadêmicos, pessoas ligadas às áreas social e financeira, construtores e representantes de organizações não-governamentais [1].

A certificação para as construções sustentáveis pode ser obtida por meio de algumas entidades que criaram métodos e sistemas de base que estudam e avaliam o impacto de projeto, construção e operação dos edifícios, além de levar em conta a preservação ambiental, as construções sustentáveis prezam pela salubridade dos ambientes, sendo assim o que é sustentável é saudável, protegendo os seus habitantes das enfermidades que o contexto externo pode trazer para dentro das edificações. É possível estabelecer diretrizes para determinar uma construção sustentável, são elas:

Ï Pensar em longo prazo o planejamento da obra;

Ï Eficiência energética;

Ï Uso adequado da água e reaproveitamento;

Ï Uso de técnicas passivas das condições e dos recursos naturais;

Ï Uso de materiais e técnicas ambientalmente corretas;

Ï Gestão dos resíduos sólidos. Reciclar, reutilizar e reduzir;

Ï Conforto e qualidade interna dos ambientes;

Ï Permeabilidade do solo;

Ï Integrar transporte de massa e ou alternativos ao contexto do projeto.

Uma obra sustentável leva em conta o processo na qual o projeto é concebido, quem vai usar os ambientes, quanto tempo terá sua vida útil e se, depois desse tempo todo, ela poderá servir para outros propósitos ou não. Tudo o que diz respeito aos materiais empregados nela devem levar em conta a necessidade, o desperdício, a energia gasta no processo até ser implantado na construção e, depois, se esses materiais podem ser reaproveitados. Uma arquitetura sustentável deve, fundamentalmente, levar em conta o espaço na qual será implantada. Os aspectos naturais são de extrema importância para se projetar com estes fins. Se respeitadas, as condições geográficas, meteorológicas, topográficas, aliadas às questões sociais, econômicas e culturais do lugar é que definirão o quão sustentável a construção será.

Pode-se ter uma idéia desses tipos de construções em diversos ambientes e climas, sendo eles algumas das inúmeras possibilidades. Além disso, a forma, as técnicas e materiais podem e devem ser combinados da melhor maneira que convier. Por exemplo, nas regiões de clima tropical úmido, onde as chuvas e altas temperaturas são constantes durante o ano todo, podemos desenvolver ambientes com tetos altos e bem inclinados. As paredes devem ser finas para não reterem muita umidade, o piso, elevado para evitar a umidade do solo, e as janelas devem ser grandes para aproveitar a ventilação. (Figura1)

Figura 1: universoemequilibrio.blogspot.com/2008/07/cas...

Já nas regiões de clima temperado, o frio é mais intenso, por isso deve-se utilizar materiais que isolem o interior dos ambientes do frio externo. As paredes devem ser grossas para isolar termicamente o interior e a casa deve ser construída ou soerguida sobre pedras para proteger do frio que vem do solo. Uma boa lareira para aquecer o ambiente também é uma boa idéia. (Figura 2)

Figura 2: universoemequilibrio.blogspot.com/2008/07/cas...

Com relação ao clima tropical seco, compreendemos que os dias são quentes e as noites frias, e o ideal para isso é que as construções fiquem próximas umas das outras. As paredes devem ser grossas para proteger os ambientes das variações bruscas de temperatura. O piso deve ser apoiado sobre o solo para receber a temperatura mais amena de baixo para cima. As podem ser pequenas, diminuindo assim a entrada do sol e de poeira. Utilizar cores claras nesses ambientes também é muito recomendado, pois absorvem menos calor que cores escuras. (Figura 3)

Figura 3: universoemequilibrio.blogspot.com/2008/07/cas...

Aliando o uso de materiais adequados a uma boa combinação de técnicas e uso responsável do meio, obtemos uma arquitetura mais sustentável. Uma construção sustentável prevê que os materiais usados:

Ï Dêem preferência para os que venham de locais próximos;

Ï Sejam sintéticos, naturais e ou transformados, devem ser produzidos para ser usados até o fim da vida útil. Adequados para a reciclagem, reuso e reutilização;

Ï Prima por aquele material composto de substâncias não tóxicas, não nocivas e benéficas na decomposição;

Ï Tenham sido feitos sem agredir o meio e ou deturpar as ordens sócias e culturais. Economicamente vantajoso ao lugar e região na qual é produzido;

Ï Sejam materiais de ordem naturais, porém renováveis. Utilizados e mantidos para o uso das sociedades que ainda estão por vir;

Ï Criem condições para novos padrões sustentáveis de consumo e sejam eficientes;

Ï Não sejam transgênicos;

Ï Não poluam o meio na qual é utilizado;

Ï Se bem usados, colaborem para o fim das devastações ambientais.

Alguns materiais e produtos que podem ser empregados nas construções sustentáveis: fibras vegetais, óleos vegetais, solo cimento, concreto reciclado, madeiras alternativas, tintas naturais, telhas ecológicas, piso intertravado, lâmpadas fluorescentes compactas, pias e balcões reciclados, equipamentos sanitários de baixo consumo e automáticos, etc [3].

Além dos materiais, as técnicas utilizadas são também bastante importantes nessas construções, técnicas essas que utilizam a energia solar, eólica, o reuso da água, reciclagem, técnica essa muito utilizada não só no ramo da engenharia, mas em nosso cotidiano e que representa um dos métodos mais simples e eficazes de nós, colocarmos em prática ações cotidianas e de grande influência na natureza, como por exemplo, a reciclagem de materiais (embalagens) de diversos tipos em lixos adequados, reciclagem de pilhas e baterias, reciclagem de latas de alumínio, etc.

Com relação à construção civil, temos que, o desperdício na obra colabora com o aumento dos entulhos e lixões, muitas vezes localizados em espaços onde os ecossistemas são mais frágeis. Uma construção sustentável deve atender a um planejamento rigoroso sobre o manejo do que entra e sai em sua obra e, principalmente, do que entra e sai no cotidiano de seu funcionamento.Os materiais que entram e os resíduos que saem devem ser acompanhados desde o fornecedor até a entrega das sobras ao receptor. Deve-se certificar de onde vem o material, é estar ciente de não colaborar com fornecedores irresponsáveis ambientalmente, além disso, para destinar os resíduos é necessário estar ciente que aquilo que sobra não será despejado em alguma beira de córrego.

Os materiais de uma obra em demolição podem e devem ser reaproveitados. Felizmente, vários setores da construção civil já se organizam e sentem no bolso o valor da reciclagem. Uma forma racional e coerente de se construir é ter certeza da quantidade necessária de material. Se for muito, reduza. Se for pouco, reutilize. Se sobrar, recicle.

3. BIBLIOGRAFIA

1. Fernando Bussoloti.  "HowStuffWorks - Como funcionam as construções sustentáveis".  Publicado em 29 de novembro de 2007  (atualizado em 31 de janeiro de 2008) http://ambiente.hsw.uol.com.br/construcoes-ecologicas.htm  (28 de junho de 2008)2. Márcio Augusto Araújo (consultor do IDHEA - Instituto para o Desenvolvimento da Habitação Ecológica). "A moderna construção sustentável". Publicado em 11 de fevereiro de 2005.http:// www.idhea.com.br

3. Tiffany Connors.  "HowStuffWorks - Como funcionam os edifícios ecológicos".  Publicado em 30 de novembro de 2007  (atualizado em 16 de abril de 2008) http://ambiente.hsw.uol.com.br/edificio-ecologico.htm  (09 de julho de 2008)

4. Casas Sustentáveis.

Disponível em:
 
Avalie este artigo:
3 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Larissa Gomes
Talvez você goste destes artigos também