CONHECIMENTO DOS ENFERMEIROS ACERCA DA ABORDAGEM SINDRÔMICA
 
CONHECIMENTO DOS ENFERMEIROS ACERCA DA ABORDAGEM SINDRÔMICA
 


INSTITUTO AVANÇADO DE ENSINO SUPERIOR DE BARREIRAS
FASB – FACULDADE SÃO FRANCISCO DE BARREIRAS
CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM
COLEGIADO DO CURSO DE ENFERMAGEM

 

 

 

PATRICIA BATISTA DE MORAES
RAYSA PABLINNE DA SILVA RIBEIRO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conhecimento dos enfermeiros acerca da Abordagem Sindrômica

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BARREIRAS – BA
2013

PATRICIA BATISTA DE MORAES
RAYSA PABLINNE DA SILVA RIBEIRO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conhecimento dos enfermeiros acerca da Abordagem Sindrômica

 

 

 

 

 

 

 

Projeto de Monografia elaborado para apresentação à Comissão de Ética em Pesquisa, do curso de Graduação em Enfermagem, Faculdade São Francisco de Barreiras, como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Enfermagem.

Orientadora: Prof.ª Luciana Ângelo Leal Campos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BARREIRAS – BA
2013

 

 

SUMÁRIO

 

 

1.  RESUMO.. 6

2.  Introdução.. 7

4.  Justificativa.. 8

5.  PROBLEMÁTICA.. 9

6.  HIPÓTESES.. 10

7.  METODOLOGIA.. 10

7.1. TIPO DE ESTUDO.. 10

7.2. DESCRIÇÃO DO LOCAL DA PESQUISA.. 11

7.3. POPULAÇÃO.. 12

7.4. INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS.. 12

7.5. DESCRIÇÃO DA COLETA DE DADOS.. 12

7.6. DESCRIÇÃO DA ANÁLISE DOS DADOS.. 13

7.7. CRITÉRIOS PARA INCLUSÃO DOS SUJEITOS.. 13

7.8. CRITÉRIOS DE EXCLUSÃO DOS SUJEITOS.. 13

7.9. ANÁLISE DE RISCOS E BENEFÍCIOS PARA A POPULAÇÃO ESTUDADA.. 13

7.10. RETORNO DOS BENEFÍCIOS PARA A POPULAÇÃO.. 14

7.11. EXPLICITAÇÃO DOS CRITÉRIOS PARA SUSPENDER OU ENCERRAR A PESQUISA   14

7.12. DECLARAÇÃO DE PUBLICIDADE DOS DADOS DA PESQUISA.. 14

7.13. ÉTICA EM PESQUISA COM SERES HUMANOS.. 15

8.  RESULTADOS ESPERADOS.. 15

9.  CRONOGRAMA.. 16

10.  ORÇAMENTO.. 17

11.  REFERÊNCIAS.. 18

APÊNDICE A: 20

ANEXO A.. 22

 

1.    RESUMO

 

Nos últimos anos, principalmente após o início da epidemia de AIDS, as DST readquiriram importância para saúde pública. Em 1999 a OMS estimou que havia 340 milhões de casos por ano, de DST curáveis no mundo.

Devido esse aumento nos casos de DST, em 1991 a OMS introduziu o conceito em Abordagem Sindrômica para o portador de DST, é um método eficaz, que possui baixo custo no controle e tratamento das DST.

Sabendo que os profissionais de enfermagem são responsáveis pela realização da abordagem sindrômica, sendo essa realizada no posto de saúde da família. Para tanto de formula a pergunta de investigação: Qual o nível do conhecimento de enfermeiros que atuam na Saúde Pública do município de Barreiras acerca da Abordagem Sindrômica aos sinais sugestivos de DST?

Para isso, este estudo tem como objetivo principal analisar o nível do conhecimento de enfermeiros que atuam na Saúde Pública do município de Barreiras, quanto a Abordagem Sindrômica dos sinais sugestivos de DST, no período de 2013 e como objetivos secundários: Verificar se o enfermeiro recebeu capacitação para realizar a abordagem sindrômica de acordo com o que é preconizado pelo Ministério da Saúde, identificar o perfil sócio-demográfico dos enfermeiros que atuam nos PSF’s de Barreiras, identificar a conduta do enfermeiro frente aos sinais sugestivos de DST e analisar as principais orientações oferecidas ao cliente portador dos sintomas de DST.

Este estudo constará de pesquisa de campo, descritiva, de abordagem quantitativa, de caráter exploratório, a fim de investigar o nível de conhecimento dos profissionais de enfermagem acerca da Abordagem Sindrômica.

É esperado que os profissionais de enfermagem adquiram maior conhecimento sobre a importância da realização do Tratamento Clínico frente aos sinais sugestivos de DST, que percebam a importância da prevenção dessas doenças, para que assim seja possível minimizar a ocorrência delas.

 

 

 

2.    Introdução

 

As Infecções Sexualmente Transmitidas (DST) se caracterizam como um enorme problema na saúde pública de diversos países, tantos os desenvolvidos quanto os que estão em processo de desenvolvimento (CABO VERDE, 2004).

Nos últimos anos, principalmente após o início da epidemia de AIDS, as DST readquiriram importância para saúde pública. Estudos indicam que pessoas que são acometidas por infecção no trato reprodutivo e/ou DST possuem risco aumentado de 3 a 10 vezes para se infectar pelo HIV (Brasil, 2006).

Um dos principais motivos pela alta prevalência de DST é a dificuldade em diagnosticar as doenças, pois muitas delas se apresentam assintomáticas, dificultando o tratamento (Carret et al., 2003). O diagnóstico clínico também nem sempre é fidedigno e a confirmação laboratorial nem sempre é possível, assim, o tempo para encontrar um diagnóstico é demorado, o que pode levar o doente a não retomar o tratamento, o que acaba por disseminar a doença (Evangelista et al., 2011). 

Devido esse aumento nos casos de DST, em 1991 a OMS introduziu o conceito em abordagem sindrômica para o portador de DST em países em desenvolvimento. Consiste em incluir as doenças em grupos de síndromes pré-estabelecidas, baseadas nos sintomas e sinais e iniciar o tratamento imediato, sem esperar resultados de exames que confirmem o quadro (Cordeiro, 2008 apud Nadal e Carvalho, 2004). No Brasil essa abordagem foi implantada desde 1993 (Cavalcante, 2010 apud MOHERDAUI; VUYLSTEKE et al., 1998; MENEZES, 2005).

De acordo com Cordeiro (2008):

A assistência às DST deve ser realizada de forma integrada pelas Unidades de Saúde da Família, Unidades Básicas de Saúde e serviços de referência regionalizados. O primeiro, pelas suas características, pode facilitar o acesso ao cuidado e a busca de parceiros sexuais, enquanto as UBS e os últimos devem exercer um papel fundamental no tratamento adequado e seguimento clínico (CORDEIRO, 2008, p. 21).

 

A abordagem sindrômica é um método eficaz, que possui baixo custo no controle e tratamento das DST. Na prática há dificuldades em implementar a abordagem sindrômica, seja pela falta de qualificação dos profissionais seja por problemas organizacionais nos serviços de Saúde (Cavalcante, 2010).

A incidência das DST vem aumentando nos últimos anos, sendo considerada como um problema de Saúde Pública (GOES et al, 2009), dessa forma surgiu o interesse e necessidade de proporcionar aos profissionais de saúde maior conhecimento sobre a importância e aplicabilidade da Abordagem Sindrômica quanto principal e eficiente método de controle e tratamento de DST.

Sabe-se que os profissionais de enfermagem são responsáveis pela realização da abordagem sindrômica, sendo essa, realizada no posto de saúde da família.  Para tanto se formula a pergunta de investigação: Qual o nível do conhecimento de enfermeiros que atuam na Saúde Pública do município de Barreiras acerca da Abordagem Sindrômica aos sinais sugestivos de DST?

 

 

  1. 3.    OBJETIVOS

 

3.1. GERAL

 

Analisar o conhecimento de enfermeiros quanto a Abordagem Sindrômica dos sinais sugestivos de DST.

 

3.2.  ESPECÍFICOS

 

  • Verificar se o enfermeiro recebeu capacitação para realizar a abordagem sindrômica de acordo com o que é preconizado pelo Ministério da Saúde;
  • Identificar a conduta do enfermeiro frente aos sinais sugestivos de DST;
  • Analisar as principais orientações oferecidas ao cliente portador dos sintomas de DST.

 

 

4.    Justificativa

 

As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são um dos principais problemas de saúde no mundo. Porém, existe uma certa carência em encontrar dados epidemiológicos relativos às DST, apenas a AIDS e a sífilis na gestação ou congênita são de notificação compulsória. Essa situação contribui para a falta de conhecimento quanto a sua relevância (GOES et al, 2009).

Em 1999, a OMS estimou que 340 milhões de casos por ano, de DST’s curáveis no mundo, sendo que a faixa etária mais acometida foi de 15 a 49 anos, deste número 10 a 12 milhões de casos estão no Brasil (BRASIL, 2006).

A abordagem sindrômica foi instituída para um maior apoio ao diagnóstico das DST’s, que muitas vezes se encontram em formas assintomáticas. A literatura mostra que os fluxogramas são bastante eficazes em quadros de corrimentos uretrais e úlceras genitais, portanto não apresenta a mesma especificidade para corrimentos vaginal e cervical (CAVALCANTE, 2010).

No Brasil apesar da abordagem sindrômica ter sido instituída desde 1993, ainda há estudos escassos quanto à sua aplicabilidade, há também dificuldade de integração à rede de atendimento, pois existe a questões como a falta de estrutura para o atendimento, medicamentos incluindo até a falta de capacitação para os profissionais e pouca adesão ao método (ZAMPIER, 2008).

A proposta em pesquisar sobre essa temática surgiu junto à inquietação das pesquisadoras em conhecer mais sobre a utilização da Abordagem Sindrômica pelos profissionais que atuam na saúde pública frente aos sinais e sintomas sugestivos de DST.

Manifestou-se a curiosidade em saber se abordagem realizada é condizente com o que preconiza o Ministério da Saúde, como são notificados os casos de DST, qual o perfil sócio-demográfico dos enfermeiros que são responsáveis por Postos de Saúde da Família. Através de estágios em saúde pública, foi possível perceber que estes profissionais tem dificuldade em realizar a abordagem sindrômica, estas observações nos conduziram a proposta de um estudo mais concreto e aprofundado sobre o assunto.

 

 

5.    PROBLEMÁTICA

 

Qual o conhecimento de enfermeiros quanto a Abordagem Sindrômica dos sinais sugestivos de DST?

 

 

6.    HIPÓTESES

 

A falta de capacitação dos profissionais de enfermagem além, da dificuldade em distinguir os sintomas das DST, acabam por dificultar a realização eficaz da Abordagem Sindrômica, fazendo com que o tratamento adequado não seja iniciado, o que leva a um agravamento da doença.

 

 

7.    METODOLOGIA

 

Para que se alcance um melhor resultado dos objetivos propostos, este estudo constará de pesquisa de campo nos 19 PSF’s do município de Barreiras-Bahia, fundamentada também a partir de matéria já publicada, constituído principalmente de periódicos, livros e material disponibilizado pela internet.

De acordo com Gil (2002, pag. 53):

Tipicamente, o estudo de campo focaliza uma comunidade, que não é necessariamente geográfica, já que pode ser uma comunidade de trabalho, de estudo, de lazer ou voltada para qualquer outra atividade humana. Basicamente, a pesquisa é desenvolvida por meio da observação direta das atividades do grupo estudado e de entrevistas com informantes para captar suas explicações e interpretações do que ocorre no grupo. Esses procedimentos são geralmente conjugados com muitos outros, tais como a análise de documentos, filmagem e fotografias.

 

 

7.1. TIPO DE ESTUDO

 

Pretende-se realizar pesquisa de campo, descritiva, de abordagem quantitativa, de caráter exploratório, a fim de investigar o nível de conhecimento dos profissionais de enfermagem acerca da Abordagem Sindrômica.

Andrade (2003, p.123), relata que a pesquisa descritiva consiste em:

 

Os fatos são observados, registrados, analisados, classificados e interpretados, sem que o pesquisador interfira neles. Isto significa que os fenômenos do mundo físico e humano são estudados, mas não manipulados pelo pesquisador.

 

De acordo com Marconi e Lakatos (2003, p.186) a pesquisa quantitativa:

 

Consiste em investigações de pesquisa empírica cuja principal finalidade é o delineamento ou análise das características de fatos ou fenômenos, a avaliação de programas, ou o isolamento de variáveis principais ou chave.

 

 

7.2. DESCRIÇÃO DO LOCAL DA PESQUISA

 

A pesquisa deverá ser realizada nos 19 (dezenove) Postos de Saúde da Família do município de Barreiras, situada no Oeste Baiano, distante 800 Km da capital do Estado.

Nome da Unidade

PSF Drº José Maria de Magalhães Neto – Equipe 01

PSF Drº José Maria de Magalhães Neto – Equipe 01

PSF Profª Alda Barros de Lacerda – Equipe 03

PSF do CAIC – Equipe 04

PSF do CAIC – Equipe 05

PSF João Gualberto de Almeida – Equipe 06

PSF XII

PSF XIII

PSF Almiro Vieira de Melo

PSF D. Crispiniana Ferreira de Souza

PSF Luci Rosemberg de Araújo

PSF Antonio Lúcio Peixoto

PSF Clara Cecília Fernandes

PSF Gileno de Sá Oliveira

PSF XIV

PSF XV

PSF XVI

PSF XVII

PSF XVIII

PSF XIX Romualdo Albernaz

 

7.3. POPULAÇÃO

 

Farão parte da pesquisa os 19 (dezenove) enfermeiros responsáveis pelos Postos de Saúde da Família do município de Barreiras. Sendo que o período da coleta será no segundo semestre de 2013, não será feito cálculo amostral desde que a intenção das pesquisadoras é de utilizar 100% da população, perfazendo um total de aproximadamente 19 enfermeiros.

 

 

7.4. INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS

 

Para o processo de coleta de dados será utilizado com o propósito de alcançar os objetivos da pesquisa, um questionário, com 14 questões, formulado semi-aberto (Anexo), que de acordo com os estudos de Markoni e Lakkatos (2003), é um instrumento de coleta de dados, constituído por uma série ordenada de perguntas, que devem ser respondidas por escrito e sem a presença do entrevistador.

 

7.5. DESCRIÇÃO DA COLETA DE DADOS

 

Os dados serão coletados através de um questionário semi-aberto, entregues aos enfermeiros, será concedido um tempo de 60 minutos para que possam respondê-los. Para facilitar a análise dos dados o questionário será organizado da seguinte forma:

  1. Perfil dos enfermeiros: dados socioeconômicos (faixa etária, especialização, tempo de atuação em saúde pública).
  2. Perfil da consulta ginecológica: realiza abordagem sindrômica, conduta frente casos sugestivos de DST, orientações aos pacientes.

 

7.6. DESCRIÇÃO DA ANÁLISE DOS DADOS

 

Os dados coletados serão processados, analisados e dispostos em tabelas através de estatística descritiva.

 

 

7.7. CRITÉRIOS PARA INCLUSÃO DOS SUJEITOS

 

Serão incluídos na pesquisa todos os enfermeiros que assinarem o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, responsáveis por Postos de Saúde da Família do município de Barreiras.

 

 

7.8. CRITÉRIOS DE EXCLUSÃO DOS SUJEITOS

 

Serão excluídos da pesquisa aqueles que se negarem a participar da pesquisa e a assinar o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e aqueles que por algum motivo não estiverem em suas Unidades no momento da coleta dos dados.

 

 

7.9. ANÁLISE DE RISCOS E BENEFÍCIOS PARA A POPULAÇÃO ESTUDADA

 

            A pesquisa será realizada em consonância com o disposto na Resolução Nº 196, de 10 de Outubro de 1996, que regulamenta os estudos envolvendo seres humanos, individual ou coletivamente, de forma direta ou indireta, em sua totalidade ou partes dele, incluindo o manejo de informações ou materiais, com vistas a eliminar qualquer possibilidade de danos à dimensão física, psíquica, moral, intelectual, social, cultural ou espiritual dos sujeitos eleitos para esta pesquisa.

Não existem riscos primários, mas ainda assim a pesquisa será realizada à luz das normas da resolução 196/96 que preconiza a ética em pesquisa com seres humanos, o pesquisador deve assumir a responsabilidade de dar assistência integral às complicações e danos decorrentes dos riscos previstos, os sujeitos da pesquisa que vierem a sofrer qualquer tipo de dano previsto ou não no termo de consentimento e resultante de sua participação tem direito à assistência integral, o que inclui acompanhamento pelo psicólogo da instituição.

Quanto aos benefícios, toda informação concedida poderá promover uma melhor visão das ações do enfermeiro e conseqüentemente aprimorar o seu trabalho e atendimento prestado aos portadores de DST.

 

 

7.10.   RETORNO DOS BENEFÍCIOS PARA A POPULAÇÃO

 

Após a conclusão do estudo proposto, os resultados do mesmo serão apresentados aos profissionais de enfermagem participantes da pesquisa, a fim de propor medidas que possam contribuir para melhoria da prevenção das DST na saúde pública, avaliando e informando a prevalência do conhecimento de enfermagem junto à abordagem sindrômica. Além disso, pretende-se divulgar os resultados em publicação de artigos, para que toda a população de profissionais de saúde esteja ciente da importância da abordagem clínica dos sinais de DST de pacientes atendidas em Unidades de Saúde da Família.

 

 

7.11.   EXPLICITAÇÃO DOS CRITÉRIOS PARA SUSPENDER OU ENCERRAR A PESQUISA

 

A pesquisa será suspensa caso haja paralisação, ou greve nas instituições pesquisadas.

 

 

7.12.   DECLARAÇÃO DE PUBLICIDADE DOS DADOS DA PESQUISA

 

Os dados serão divulgados por meio da publicação de artigos originários da pesquisa e encaminhados à instituição para divulgação dos resultados encontrados.

 

 

7.13.   ÉTICA EM PESQUISA COM SERES HUMANOS

 

Dado que os sujeitos do estudo são seres humanos, obedeceremos ao previsto na Resolução 196/96 do Ministério da Saúde do Brasil, submetendo-o à análise e julgamento do Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Faculdade São Francisco de Barreiras – FASB/BA, que é reconhecido pelo Conselho Nacional de Pesquisa com Seres Humanos (CONEP) sendo apresentado por meio de seu envio e de carta de encaminhamento à presidência juntamente com Folha de Rosto gerada pela Plataforma Brasil. O presente estudo será também encaminhado para o consentimento da Coordenação de Atenção Básica.

 

 

8.    RESULTADOS ESPERADOS

 

É esperado que os profissionais de enfermagem adquiram maior conhecimento sobre a importância da realização do Tratamento Clínico frente aos sinais sugestivos de DST, que percebam a importância da prevenção dessas doenças, para que assim seja possível minimizar a ocorrência delas.

Espera-se também que seja visto tanto pelos enfermeiros, quanto pelas autoridades competentes a necessidade da realização de capacitações sobre abordagem sindrômica, para todos os profissionais de enfermagem que atuam na saúde pública, para que estes possam atuar de maneira compatível com as exigências cabíveis do Ministério da Saúde.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

9.    CRONOGRAMA

 

A pesquisa será realizada no ano de 2013.

Atividades / Ano 2013

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Revisão de Literatura

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

Contato e Aceite Instituição Co-participante

 

 

 

X

 

 

 

 

 

 

Submissão e apreciação do Comitê de Ética

 

 

 

 

 

 

 

X

 

 

Coleta de dados

 

 

 

 

 

 

 

X

X

 

Análise de dados

 

 

 

 

 

 

 

X

X

 

Resultados e Discussão

 

 

 

 

 

 

 

 

X

 

Redação Final

 

 

 

 

 

 

 

 

X

X

Entrega da Monografia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

X

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

10. ORÇAMENTO

 

Esta pesquisa é um pré-requisito para graduação em enfermagem na Faculdade são Francisco de Barreiras – FASB, não havendo contribuição financeira de nenhuma ordem sendo que todos os custos com despesas dela advindas serão arcados pelos próprios pesquisadores.

 

Quadro 1 – Materiais de consumo

Especificação

Quantidade

Valor unitário(R$)

Valor(R$)

Caneta azul

03 unidades

0,50

R$ 1,50

Lápis                 

02 unidades

0,25

R$ 0,50

Borracha

01 unidade

0,30

R$ 0,30

Papel A4(resma)

01 unidade

12,00

R$ 12,00

Cartucho preto

01 unidade

40,00

R$ 40,00

Gasolina

20 litros

2,94

R$ 58,80

Subtotal

 

 

R$ 113,10

Quadro 2 – Materiais permanentes

Especificação

Quantidade

Valor unitário(R$)

            Valor(R$)

Pen Drive

01 unidade

30,00

R$ 30,00

Computador

01 unidade

1.600,00

R$ 1.600,00

Subtotal

 

 

R$ 1.630,00

Quadro 3 - Serviços

Especificação

Quantidade

Valor unitário(R$)

Valor(R$)

Cópias

200 cópias

0,10

 R$ 20,00

Encadernação

04 unidades

2,50

R$ 10,00

Subtotal

 

 

R$ 30,00

Quadro 4 - Resumo

Especificação

Valor (R$)

Material de consumo

R$ 113,10

Material permanente

R$ 1.630,00

Serviços terceirizados

R$ 30,00

Total

R$ 1.773,10

 

 

 

11. REFERÊNCIAS

 

 

ANDRADE, M.M. Introdução á Metodologia do Trabalho Científico. 7. Ed. São Paulo: Atlas, 2005.

 

 

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de DST e AIDS. Manual de Controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis. Brasília: Ministério da Saúde. 2005.

 

CABO VERDE, Ministério da Saúde. Direção Geral da Saúde. Programa Nacional de Saúde Reprodutiva. Programa de Luta Contra a SIDA/IST do Ministério da Saúde. Guião de Abordagem Sindrômica das Infecções Sexualmente Transmissíveis. Cabo Verde: Ministério da Saúde. 2004.

 

CARRET, M. L. V. et al. Sintomas de doenças sexualmente transmissíveis em adultos: prevalência e fatores de risco. Rev. Saúde Pública 2004;38(1):76-84.

 

CAVALCANTE, E. G. F. Análise do atendimento pela abordagem sindrômica das doenças sexualmente transmissíveis em Fortaleza, Ceará, Brasil. 2011. 62 f. Dissertação (mestrado) – Universidade de Fortaleza, 2011.

 

CORDEIRO, T. M. O. Avaliação da Organização da Assistência às Doenças Sexualmente Transmissíveis na Rede Básica de Saúde do município de Ilhéus/BA. 2008. 111 f. Dissertação (mestrado) – Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca.

 

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas. São Paulo, 1991.

 

GOES, J. T.; MAIERON, D.; FORTES, F. S.; ASSMANN, L. L. Doenças Sexualmente Transmissíveis: Incidência em Mulheres de um Centro de Especialidade em 2009. Revista Científica Maternidade, Infância e Ginecologia, 2010; 19(1): 21-36.

 

JUNIOR, W. B.; SHIRATSU, R.; PINTO, V.; Abordagem nas doenças sexualmente transmissíveis. Anais Brasileiros de Dermatologia. Vol.84, nº.2.  Rio de Janeiro Mar./Abr. 2009.

 

LAKKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. - São Paulo: Atlas 2003, pag. 186.

 

 

NADAL S.R.; CARVALHO J.J.M.; Abordagem Sindrômica das Doenças Sexualmente Transmitidas. Revista Brasileira de Coloproctologia, 2004; nº24, pag. 70-72.

 

ROMANELLI, R. M. C.; LIMA S. S. S.; VIOTI, L. V.; CLEMENTE W. T.; AGUIAR, R. A. L. P.; SILVA, F. A. L. Doenças Sexualmente Transmissíveis na mulher: como abordar? Revista Femina. Setembro, 2010, vol. 38, nº 9.

 

ZAMPIER, V. S. B. Abordagem das DST: consulta de enfermagem em pré-natal: consulta de enfermagem em pré-natal estratégia saúde da família Juiz de Fora. 2008. 112 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Universidade Federal do Rio de Janeiro. 2008.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

INSTITUTO AVANÇADO DE ENSINO SUPERIOR DE BARREIRAS

FASB – FACULDADE SÃO FRANCISCO DE BARREIRAS

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

COLEGIADO DO CURSO DE ENFERMAGEM DO TRABALHO

 

APÊNDICE A:

 

Instrumento para análise do conhecimento dos enfermeiros que atuam na saúde pública no município de Barreiras – Oeste da Bahia, acerca da abordagem sindrômica.

 

  1. Idade:

_____________________

 

  1. Escolaridade:

 

(  ) Graduação

(  ) Pós-Graduação

(  ) Mestrado

(  ) Doutorado

 

  1. Há quanto tempo possui essa formação acadêmica?

_____________________________

 

  1. Há quantos anos atua em Saúde Pública?

____________________________

 

  1. Você recebeu capacitação para realizar abordagem sindrômica, de acordo com o que é preconizado pelo Ministério da Saúde?

(  ) Sim

(  ) Não

 

  1. Em 1991, a Organização Mundial de Saúde (OMS) introduziu o conceito de

Abordagem Sindrômica – AbS - para atendimento do portador de IST em países em desenvolvimento, qual o objetivo da abordagem sindrômica, segundo a OMS?

 

  1. Você realiza a abordagem sindrômica frente aos sinais e sintomas sugestivos de DST’s?

(  )Sim

(  )Não

 

  1. Quais orientações você oferece aos portadores de DST’s?

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

  1. Qual sua conduta frente casos de Corrimento Vaginal?

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

  1. O que você faz quando encontra casos de Corrimento Uretral?

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

  1. Qual sua conduta frente casos de Corrimento Cervical?

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

  1. Quais os procedimentos adotados por você, frente casos de Úlcera Genital?

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

  1. Cite alguns dos sintomas da DIP (Doença Inflamatória Pélvica) e a sua conduta frente os casos dessa doença.

___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

  1.  Você notifica as DST?

(    ) Sim

(    ) Não

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Download do artigo
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Raysa Pablinne Da Silva Ribeiro
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: