Citação No Procedimento Sumaríssimo
 
Citação No Procedimento Sumaríssimo
 


CITAÇÃO NO PROCEDIMENTO SUMARÍSSIMO

O art. 852-B da CLT, acrescido pela Lei nº 9.957 de 2000, que institui o procedimento sumaríssimo no processo do trabalho, estabelece que:

"Art. 852-B. Nas reclamações enquadradas no procedimento sumaríssimo:

(...)

II  não se fará citação por edital, incumbindo ao autor a correta indicação do nome e endereço do reclamado;"

Ou seja, o autor deverá informar na petição inicial o nome e o endereço correto do reclamado. E caso essa exigência não seja cumprida, o juiz deverá arquivar a reclamação, consoante estabelece o §1º do referido artigo, sendo vedada a citação por edital. Cumpre por bem observar que, após a citação, no que se refere às intimações aplicar-se-á o disposto no art. 852-B, §2º, da CLT.

A citação, portanto, só poderá ser realizada pelo correio ou por meio de oficial de justiça. Conseqüentemente inaplicável o disposto no art. 841, §1º, da CLT, que permite a citação por edital quando o reclamado não for encontrado ou criar embaraços para o recebimento da carta de citação.

Ocorre que a citação por edital é imprescindível, nos termos do art. 231 do CPC, quando: o réu for desconhecido ou incerto; ignorado, incerto ou inacessível o lugar em que se encontrar; e nos demais casos previstos em lei.

A questão tem gerado controvérsias na doutrina e na jurisprudência, posto que a citação é um ato fundamental do processo. A regularidade da citação é um pressuposto de validade que permite o desenvolvimento válido e regular da relação processual.

Para Sérgio Pinto Martins, através deste dispositivo "objetiva-se certeza no procedimento". [i] Roberto Norris, por sua vez, sustenta que,

[...] se o legislador, por um lado, acertou ao não admitir a citação por edital  já que a forma editalícia, é sempre bom que se lembre, representa uma funesta maneira de se dar ciência a alguém da existência de uma ação ajuizada em face dele, para que, assim desejando, apresente resposta, pelo simples fato de que esse alguém, que esteja ocupado com seus afazeres, e desde que não milite no Poder Judiciário, não irá se dar ao luxo de ficar lendo editais -, por outro lado, não apresentou qualquer solução substitutiva para o edital, na hipótese, tão freqüente nos processos trabalhistas, em que a empresa encerra as suas atividades e os seus sócios simplesmente desaparecem sem quitar dívidas, inclusive e principalmente aquelas de natureza trabalhistas. [ii]

Já Manuel Teixeira Filho defende a inconstitucionalidade do dispositivo, posto que, caso o devedor desapareça, sem dar ciência de seu novo endereço ao trabalhador,

[...] como este irá exercer o seu direito de ação (Constituição Federal, art. 5º, inc. XXXV) se, a despeito de todas diligências efetuadas (às suas expensas), não conseguir obter o novo endereço do ex-empregador? Pela vontade malsã do legislador ordinário, esse direito não poderá ser exercido, em decorrência de um obstáculo perverso, por ele estabelecido de maneira arbitrária, qual seja, o veto da citação por edital. [iii]

A inconstitucionalidade, no entanto, depende da interpretação que é dada ao art. 582-A. Caso se entenda que a adoção do procedimento sumaríssimo é uma faculdade do autor, não sendo possível a citação por correio ou oficial de justiça, o Juiz poderá converter o procedimento para ordinário, de ofício ou a requerimento da parte, no qual é possível a citação por edital.

Por outro lado, se entender que o procedimento sumaríssimo é obrigatório para os dissídios individuais cujo valor não exceda 40 salários mínimos, o inciso II, do art. 582-B é inconstitucional por violar o direito constitucional de ação, previsto no art. 5º, inc. XXXV, da Constituição Federal.

Isto porque, caso o devedor desapareça, o trabalhador não poderá postular seus direitos trabalhistas em juízo, pois, com fulcro no §1º deste artigo, terá suas ações arquivadas, a não ser que, como observa Roberto Norris, "procure até mesmo inventar possíveis direitos de maneira ultrapassar os 40 salários mínimos e, com isto, poder postular a notificação inicial por edital". [iv]

Para Manuel Teixeira Filho, "o juiz poderá denunciar, no caso concreto, em caráter incidental, a contrariedade dessa norma infraconstitucional com a Suprema Carta do País e, em conseqüência, determinar, quando for o caso, a citação do réu por edital".[v]

Diante do exposto, a melhor solução prática para conciliar a regra do inc. II, do art. 852-B, da CLT e o direito constitucional de ação, se não for possível a citação por correio ou oficial de justiça, é a conversão do procedimento sumaríssimo em ordinário.

Assim, somente é cabível a extinção do processo, sem julgamento de mérito, nos termos do §1º do referido artigo, caso o autor não indique o nome e endereço do reclamado, não se justificando a extinção do processo se não houve inércia por parte do autor, razão pela qual devem ser aproveitados os atos processuais já praticados, em observância aos princípios da economia e celeridade processual.


[i] MARTINS, Sergio Pinto. Direito processual do trabalho: doutrina e prática; modelos de petições, recursos, sentenças e outros. 18ª ed. São Paulo: Atlas, 2002. p. 330.

[ii] NORRIS, Roberto; DALLEGRAVE, José Afonso Neto. Inovações no processo do trabalho: procedimento sumaríssimo (Lei nº 9.957/2000) e Comissões de Conciliação Prévia (Lei nº 9.958/2000). Rio de Janeiro: Forense, 2000. p.14.

[iii] TEIXEIRA, Manoel Antonio Filho. O procedimento sumaríssimo no processo do trabalho: comentários à lei nº 9.957/2000. São Paulo: LTr, 2000. p. 57.

[iv] NORRIS, Roberto; DALLEGRAVE, José Afonso Neto. Inovações no processo do trabalho: procedimento sumaríssimo (Lei nº 9.957/2000) e Comissões de Conciliação Prévia (Lei nº 9.958/2000). Rio de Janeiro: Forense, 2000. p.15.

[v] TEIXEIRA, Manoel Antonio Filho. O procedimento sumaríssimo no processo do trabalho: comentários à lei nº 9.957/2000. São Paulo: LTr, 2000. p 58.

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Estudante de direito da Unicuritiba.
Membro desde maio de 2008
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: