Por: Maria Severiana de Albuquerque

Lourdiana Clécia Leite da Silva Ferreira

Maria Aparecida Mendes de Araújo

Este presente trabalho tem por finalidade mostrar através de seminário a discussão do tema Bullying na educação infantil. Esse termo tem origem na linguagem inglesa que significa agressividade repetitiva, causando ao sujeito vítima desse ato a baixa auto-estima que pode ter graves consequências para a formação da criança. Para Telma Vinha, doutora em Psicologia Educacional e professora da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), para ser dada como Bullying, a agressão física ou moral deve apresentar quatro características: a intenção do autor em ferir o alvo, a repetição da agressão, a presença de um público espectador e a concordância do alvo com relação à ofensa. ''Quando o alvo supera o motivo da agressão, ele reage ou ignora, desmotivando a ação do autor'', explica à especialista.
A proposta trazida para essa discussão é chamar a atenção de que esse assunto também é um fator preocupante nas series iniciais é que os profissionais da área de educação infantil precisam fica ciente e saber criar estratégia para que esse fato não se torne frequente.
Atualmente vivenciamos no nosso cotidiano uma series de ações voltadas para a violência, esse fato ou fenômenos já se tornou rotineiro na realidade da sociedade em que vivemos e atuamos. O terno Bullying que é o foco principal desse estudo direcionado para o ensino infantil não está ausente, ele está cada vez mais adentrando nos ambientes educacionais, e gradualmente esse fenômeno está tomando proporções em várias áreas tanto púbicas ou privadas o fato é que esse tipo de violência gera graves consequências para a formação do sujeito. Segundo Adriana Ramos, pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), entrevistada pela revista Nova Escola, que publicou matéria sobre o tema, existem situações que saem da curva do que faz parte do desenvolvimento infantil. São posturas agressivas e humilhantes com relação ao outro. Um exemplo: a criança de quatro anos, vez ou outra, faz xixi na calça porque não consegue segurar. Alguns coleguinhas dão um apelido vexatório para ela, riem quando o problema acontece, apontam e chamam a atenção dos demais para o fato. Isto é Bullying.
Mediante a essa situação exemplificada pela pesquisadora Ramos fica presente a situação de que é possível analisar na postura do professor de que essa situação é normal que é apena a fase de criança, essa atitude pejorativa e humilhante é interpretada pelo docente como mera brincadeira de criança. Por entender que essa atitude é algo habitual ou natural para essa fase, por normalizar todos os tipos de brincadeira realizada pelas crianças com essa postura sem fazer se quer uma intervenção a fim de modificar as atitudes que possa inferiorizar o outro causando danos psicológicos graves.
É pensando nesse direcionamento que propomos nesse trabalho buscar a maneira de intervir/combater esse tipo de violências na educação infantil, deixando claro que os docentes devem ficar atentos e cientes para que quando situações similares que envolva este ou qualquer tipo de violências nas series iniciais os mesmos devem criar e estabelecer estratégias eficazes para que esse fenômeno não se prolifere dentro do ambiente escolar principalmente na educação infantil. Como afirma Telma Vinha, Doutora em psicologia e professora da faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) “Muitas vezes, o professor, em vez de mostrar como resolver à briga com uma conversa, incentiva a paz sem o senso de injustiça, pois o submisso não dá trabalho” (Fonte. Revista Nova Escola). Na concepção de Cléo Fante, educadora. Concretiza da seguinte maneira o crescimento desse tipo de violência na escola voltado para a educação infantil. “É uma das formas de violência que mais cresce no mundo”.
Esse estudo tem como objetividade bordar a atemática desde o seu panorama histórico/cultural, a fim de mostrar que esse tipo de violência não é de hoje, mas que sempre esteve presente na vida da sociedade. E que desde então vem crescendo gradativamente invadindo o ambiente escolar, destacando o papel da escola e a postura do docente diante de situações que envolva esse fenômeno chamado de Bullying suas consequências, colocando em ênfase as causas e quais possíveis estratégias o professor pode tomar para evitar quaisquer tipos de humilhação.

Revisado por Editor do Webartigos.com