ASPECTOS, DIAGNÓSTICO, TRATAMENTO E EVOLUÇÃO CLÍNICA DE UM PACIENTE COM SÍNDROME DE BRUGADA
 
ASPECTOS, DIAGNÓSTICO, TRATAMENTO E EVOLUÇÃO CLÍNICA DE UM PACIENTE COM SÍNDROME DE BRUGADA
 


Aspectos, diagnóstico, tratamento e evolução clínica de um paciente com Síndrome de Brugada1
Aspects, diagnosis, treatment and outcome of a patient with Brugada Syndrome 1
Ana Claudia Costa Macedo Aquino1, Danillo Montalvão Sofiatti1, Doralice Lima de Freitas 1, Gleidy Caldeira da Silva1, Xisto Sena Passos2, Fabiana Fagundes de Carvalho Fernandes Silveira3.



1Discentes do Curso de Enfermagem da Universidade Paulista (UNIP) ? Campus Flamboyant, Goiânia, GO.
Av T27, número 227, apto 1403, Ed. Zeneida Rezende. Setor Bueno CEP 74210-030 Goiânia ? GO E-mail: [email protected] (62)9994-9494
2Professor Doutor em Medicina Tropical. Professor Titular da Universidade Paulista, Campus Flamboyant, Goiânia ? GO.
3Professora Especialista, Campus Flamboyant, Goiânia GO.


Resumo
Introdução: A Síndrome de Brugada foi descrita pelos irmãos Pedro e Josep Brugada em 1991-1992, baseada na função de seu caráter mutante, podendo assim ser de difícil diagnóstico. É caracterizada por elevação do segmento ST, que corresponde ao período de repolarização ventricular, nas derivações precordiais direitas acompanhadas por um distúrbio de condução pelo ramo direito. Destacaremos quanto aos aspectos, diagnóstico, tratamento e evolução clínica de um paciente com Síndrome de Brugada. Métodos: Trata-se de um relato de caso onde descreve-se em primeiro momento a questão teórica, seguindo posteriormente de um relato de caso vivenciados pelos autores. Resultados: Através dos dados encontrados na literatura pesquisada, percebe-se através do ECG os sinais que apontam o diagnóstico Síndrome de Brugada, sendo que o tratamento para o paciente é a implantação do cardioversor desfibrilador. Considerações Finais: A Síndrome de Brugada é considerada uma patologia grave e com consequencias fatais, mas identificando os sintomas precocemente, poderá haver um aumento na sobrevida de indivíduos suscetíveis a desencadear esta Síndrome. Pacientes com os achados caracteristicos deverão procurar ajuda médica para esclarecer e se identificado, implantar imediatamente o CDI.
Descritores: síndrome, brugada, ECG, CDI, genética.
Abstract
Introduction: Brugada syndrome was described by brothers Pedro and Josep Brugada in 1991-1992, based on the function of its changing character and can therefore be difficult to diagnose. It is characterized by ST segment elevation, which corresponds to the period of repolarization in right precordial leads accompanied by a conduction disturbance in right branch. To emphasize on the aspects, diagnosis, treatment and outcome of a patient with Brugada syndrome. Methodos: This is a descriptive, exploratory study. We describe the first time in a theoretical issue, then followed a case report experienced by academics. Results: Using data reported in the literature, it is perceived by the ECG signals which indicate the diagnosis of Brugada syndrome, and treatment for patients is the implantation of cardioverter defibrillator. Conclusion: The Brugada syndrome is considered a severe disease with fatal consequences, but identifying symptoms early, there may be an increase in survival of individuals sussetiveis to trigger this syndrome. Patients with characteristic findings, should seek medical help and makes clear is identified, immediately implement the Code.
Descriptors: syndrome, Brugada ECG, CDI, genetics.
Introdução
Síndrome de Brugada é a mais comum causa de morte súbita em indivíduos sem alterações cardíacas estruturais. Esta síndrome é uma arritmia hereditária que faz com os ventrículos batam tão rapidamente que podem impedir que o sangue circule eficientemente no corpo1. Quando esta situação ocorre o indivíduo desmaia e pode morrer em alguns minutos se o ritmo do coração não for restabelecido. Esta doença tem maior incidência em indivíduos adultos do sexo masculino, pois estudos recentes sugeriram que a testosterona pode ter um papel importante nessa síndrome2. Apresenta aos portadores desta síndrome um coração estruturalmente normal, mas, no entanto, com freqüentes episódios sincopais e/ou morte súbita, sendo que os casos de óbito aparecem por volta dos 40 anos, mas têm sido diagnosticada em todas as idades3. De todos os sistemas orgânicos, o coração e a circulação representam o enigma mais difícil de ser decifrado4. A condição é geneticamente transmissível com um padrão autossômico dominante.
Estudos apontam que atualmente o número de óbitos devido à falta de socorro imediata ainda é considerável, visto que, um indivíduo em crise o socorrista deve-se imediatamente não percebendo pulso iniciar massagem cardíaca até o encontro com a equipe médica para que o paciente se reestabeleça e sejam tomadas as devidas providencias para seu tratamento.
Este estudo contribuirá com novos conhecimentos sobre esta patologia, auxiliando possíveis socorristas que poderão contribuir para sobrevida de pacientes em crise. O interesse em pesquisar a respeito da Síndrome de Brugada surgiu ao vivenciar e acompanhar um caso raro de sobrevivência e sua evolução em campo de estágio, onde será destacado quanto aos aspectos, diagnóstico, tratamento e evolução clínica de um paciente com Síndrome de Brugada.
Metodologia
Trata-se de um relato de caso onde descreve-se em primeiro momento a questão teórica, seguindo posteriormente de um relato de caso vivenciados pelos autores.
Relato do caso
Durante a vivência acadêmica, foi realizado um estudo de caso do paciente A.F.A.O, sexo masculino, cor branca, 25 anos, motorista, solteiro, sedentário e de baixo poder aquisitivo. O paciente apresentou crise convulsiva e sequentemente uma parada cardiorrespiratória, o socorrista não percebendo pulso, iniciou imediatamente a massagem cardíaca no aguardo da equipe médica, tendo êxito na reanimação. De acordo com o paciente, ele apresenta otite direita frequentemente, epigastralgia ocasionalmente, síncope há 12 anos e ausência de doença de chagas, diabetes, febre reumática, dislipidemia, alergia, hemotransfusão e vícios, nega estar fazendo uso de medicações. Foi submetido a uma cirurgia da mastóide direita há alguns anos. Paciente pode apresentar predisposição à Síndrome de Brugada por possuir antecedentes familiares com histórico relacionado à morte súbita.
Em sua última crise, no mês 07/2010, após reanimação caseira foi conduzido ao hospital, sendo submetido a uma Tomografia Computadorizada do crânio, cuja conclusão apresentou um hematoma subgaleal em região frontal direita devido à queda. O hemograma teve como resultado, alteração no número de leucócitos. No eletrocardiograma (figura 1), o sinal patognomônico apontou para a Síndrome de Brugada, sendo então orientado e encaminhado à hemodinâmica para a implantação do cardioversor desfibrilador implantável (CDI). Após o procedimento, será observado em cada crise que possa ocorrer, as arritmias ventriculares, onde desfibrilador irá detectar batimentos rápidos e irregulares, liberando uma carga eléctrica diretamente no coração.
O paciente ficou internado por 48h e, após sua alta agregou-se à rotina medicamentosa, Amiodarona 200mg por via oral 1X ao dia, mantendo suas atividades normais. Devido à gravidade do problema em estudo, aposentou-se e necessita de companhia constante. A figura 1 mostra o complexo ORS apresentando uma elevação do segmento ST nas derivações V1-V3, acompanhada de um distúrbio de condução pelo ramo direito. A onda T é negativa, com um intervalo QT normal ou curto.
Discussão
A síndrome apresenta uma elevada incidência em algumas regiões do continente asiático, como no Laos e na Tailândia, sendo nesses países os maiores responsáveis pelas mortes súbitas ocorridas em indivíduos abaixo dos 30 anos, estima-se que produza 10 mortes súbitas por 10.000 habitantes/ano9. Embora já tenha sido descrita na América do Sul, do Norte e Europa sua real incidência nessas regiões é ignorada5. A suspeita diagnóstica inicial ocorre a partir do registro de um eletrocardiograma como o padrão mostrado na figura 1, com alterações grosseiras da repolarização ventricular em derivações precordiais direita. Esse padrão anormal, embora possível de ocorrer, é extremamente raro no clássico bloqueio de ramo direito6, nunca tendo sido descrito como forma de manifestação de um distúrbio eletrolítico, levantando a possibilidade de tratar-se da síndrome de Brugada. Como as alterações de J-ST observadas nessa síndrome são descritas como mutantes, podendo inclusive ocorrer formas ocultas com o eletrocardiograma aparentemente normal, nesse caso o diagnóstico somente será estabelecido através de teste farmacológico com o uso de ajmalina ou procainamida7.
A morte noturna é tão freqüente em determinadas regiões da Tailândia que os indígenas locais a atribuem a fantasmas de viúvas que levam os jovens à noite, para despistar, dormem vestidos com roupas femininas3.
Mesmo nos pacientes assintomáticos, estima-se que pelo menos um terço irá desenvolver taquicardia ventricular ou fibrilação ventricular nos 24 meses que seguem o diagnóstico inicial3. O controle das taquiarritmias ventriculares com o uso de drogas antiarrítmicas não tem sido uma opção viável. O implante de um cardioversor desfibrilador é a conduta mais adequada, pois modifica favoravelmente a evolução do paciente com esta grave e curiosa síndrome8.
Observando o caso acima, avalia-se que ouve uma falha do paciente, onde mesmo com o histórico de síncopes e mortes súbitas na família, não procurou ajuda médica. Pois poderia tem evitado a parada cardiorrespiratória que por sorte não teve um fim trágico como ocorre nesta síndrome.
Considerações Finais
A Síndrome de Brugada trata-se de uma patologia grave e com consequencias fatais, mas identificando os sintomas precocemente, poderá haver um aumento na sobrevida de pacientes suscetiveis a desencadear esta Síndrome. Pacientes com os achados caracteristicos deverão procurar ajuda médica para exclarecer, sendo identificado, implantar imediatamente o CDI.
Médicos emergenciais devem estar cientes do padrão eletrocardiográfico de Brugada, pois esta Síndrome ainda é pouco divulgada e estima-se através de uma pesquisa informal do grupo em postos de urgência, que muitos da área de saúde ainda não conhecem ou nunca ouviram falar. Portanto acreditamos que este estudo estará contibuindo com a divulgação desta patologia.
O estudo teve a sua relevância para a enfermagem como verificou-se na apresentação do caso, o acentuado sombrio prognóstico da condição, onde não se valoriza devidamente sua importância. Neste contexto, transmitimos a necessidade da intervenção precoce.
Referências
1 Altzelevitch C; Brugada P; Brugada J. Brugada Syndrome. From cell to bedside. Curr Probl Cardiol. 2005; 30:9-54.
2 Matsuo K; Akahoshi M; Seto S. et al. Disapperance of Brugada-type Eletrocardiogram after surgical castration: a role for testosterone and na explanation for the male predominance. PACE. 2003; 26(1):1551-1553.
3 Brugada P; Brugada J. Right bundle branch block, persistent ST segment elevation and sudden cardiac death: a distinct clinical and electrocardiographic syndrome. J Am Coll Cardiol 1992; 20(2):1391-1395.
4 Porth Carol Mattson. Fisiopatologia. Rio de Janeiro: Copyright, 2002; 6 ed, p.381.
5 Antzelevitch C, Brugada P, Brugada J, et al. The Brugada syndrome. In: Camm AJ. Ed. Clinical Approaches to Tachyarrhythmias (vol 10).Armonk: Futura, 1999.
6 Tohyou JA, Nakazawa K, Ozawa A, et al. A survey in the incidence of right bundle branch block with ST segment elevation among normal population. Jpn J Electrocardiol 1995; 15(1):223-227.
7 Gussak I, Antzelevitch C, Bjerregaard P, et al. The Brugada syndrome: clinical, electrophysiologic and genetic aspects. J Am Coll Cardiol 1999; 33(4):5-11.
8 Brugada J, Brugada R. Right bundle-branch block and ST-segment elevation in leads V1 through V3. A marker for sudden death in patients without demonstra? ble strutural heart disease. Circulation 1998; 97(3):457-500.
9 Fonseca MAS, Belo LG, Carvalho H, et al. Acompanhamento Clínico de pacientes portadores de cardioversor desfibrilador implantável. Arq. Bras. Cardiol. São Paulo, 2007; 88(1):272-279.
 
Avalie este artigo:
(3 de 5)
10 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Bacharel em Enfermagem
Membro desde novembro de 2010
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: