Religião é o ópio do Povo como diz Karl Marx ou deveria ser inventada como diz Voltaire? E o monoteísmo seria a melhor escolha ou não? Nerfetiti, rainha egípicia de 1380 a. C a 1345 a.C achava que não, pois com seu marido o faraó Akhenaton conseguiu transformar,isto é, mudar as crenças do seu povo para o monoteísmo levando-os ao invés de adorar a Lua e suas fases ( seriam 4 deuses) passarem a adorar apenas o Sol. E indo um pouco mais além nesta introdução o que dizer de Khadijah Bint Khuwaylid de 555 à 619 d.C.

Livro relacionado:

Além de ser a esposa do profeta Maomé ele a manteve como única esposa por vinte e quatro anos em um tempo onde o poligamia era permitida por lei e foi a primeira a se converter ao islamismo. Este artigo visa fornecer um singelo panorama das três principais religiões monoteístas trazendo a luz suas singularidades como suas histórias (origens), crenças, credos, dogmas, profetas principais, ritos, livros sagrados, símbolos, liturgias, festas, enfim... Seus costumes. Primeiramente explicarei o que vem a ser o monoteísmo. Abordarei em seguida cada religião isoladamente e depois farei uma comparação mostrando no que são semelhantes, no que diferenciam e suas relações para finalmente concluir o trabalho. Será uma pequena viagem a três cosmovisões diferentes e muito interessantes.

2- O que é o monoteísmo?

O monoteísmo vem do grego μόνος = mónos = únicoe θεός = théos = Deus, isto é , Deus único. É a crença na existência de apenas um só Deus onde este é onipotente, oniciente e onipresente. Ele é o modelo da qual todos devem seguir e adorar, pois sua conduta é perfeita.

3 - O Judaísmo

O Judaísmo é a mais antiga das três religiões monoteístas principais. Ela surgiu da religião mosaica e tem ramificações, porém defende um conjunto de doutrinas na qual sua principal característica é a crença no Deus únicoe criador chamado "Adonai" (YHWH) a qual elegeu Israel como povo para receber a revelação da Tora (os mandamentos de Deus).

Deus segundo os judeus influencia na sociedade humana e judeu é todo aquele que pertence a esta linhagem com um pacto eterno com o Deus Único.

A história de sua origem de acordo coma visão religiosa é de que Deus haveria feito um pacto eterno com o Patriarca Abraão e sua descendência, isto é, como o Criador ordenou esta seja uma religião criada pelo próprio Deus. Já os historiadores acreditam que o judaísmo possa ser uma evolução e junção de mitologias e costumes das tribos das regiões do Levante a qual foram unificadas após uma conscientização de um nacionalismo judaico depois do retorno do cativeiro destes na Babilônia.

Abraão, origiário de Ur (atual Iraque) dói defensor do monoteísmo e pela sua fidelidade seria recompensado por Deus com um filho, Isaac, do qual um povo heradria a terra prometida. Com Abraão inicia o pacto de obediência e assim todos que quisessem usufruir das bênçãos de Deus deveria segui-lo, afinal "YHWH" era Deus Uno e criador.

Alguns rituais são incorporados já com a família de Abraão e depois são incorporados à legislação religiosa judaica. Com a libertação dos descendentes de Israel por Moisés é quando Deus é visto como um Deus transcendente e realizado um culto a Ele. A Tora, que constituíam os mandamentos fica nas mãos das autoridades e no início da monarquia israelita é que o judaísmo amadurece e é dividido em dois reinos: Judá e Israel diferenciando os rituais do norte e do sul até hoje.

Havia também cultos á outros deuses como Baal, mas este era considerado não judeu e sim pagão.

Foi construído o templo de Jerusalém que substituiu o Tabernáculo portátil de Moisés e que serviu como centro da religião judaica onde foram eleboradas regras de sacerdócio e estabelecidos padrões de culto. E a criação das sinagogas também contribui para a unificação deste povo. Um dos elementos fortes no Judaísmo foi o surgimento dos profetas que pregavam as profecias da parte de Deus anunciando os castigos da desobediência para com este.

Depois do Exílio da Babilônia houve a unificação das doutrinas mosaicas, o estabelecimento de um cânon das escrituras, enfim o "povo judeu" foi crescendo na Judéia com uma autonomia sob o domínio persa que toma uma importância com a conquista da palestina por Alexandre Magno que assim que morreu foi dominada pelos ptolomeus e depois pelos seleucidas para depois serem libertados pelos Macabeus onde surgem as ramificações que conhecemos quando nascem o Cristianismo primitivo no caso os fariseus, os saduceus e os essênios.

No primeiro século depois de Cristo os fariseus controlavam as sinagogas e com eles surge o judaísmo rabínico que codificaram suas tradições orais nas obras que chamam Talmudes.

Os saduceus se dividiram em dois grupos e criaram a lei oral Mishná e Tanakh. São conhecidos como Judaísmo Caraíta na qual chamam os rabínicos de idólatras e estes chamam de Judeus errôneos e incompletos.

Na Idade Média os judeus era tão perseguidos quanto o cristianismo pelo Império Romano e após o Século IV na qual o cristianismo tronou-se a religião oficial do império era normal o choque com o judaísmo visto que eles eram vistos como os que desprezaram Cristo, assim como também houve guerras contra o paganismo, os mulçumanos e islamismo.

Em 1700 houve outra ramificação no judaísmo na qual uma iniciou na Europa, o Judaísmo Hasídico que acabou transformando o modo de vida de muitos judeus na Europa e acabou chegando aos Estados Unidos com a emigração judaica na década de 1880. E destes que se opunham aos Hasídico eram os "Minadgim" que reclamavam da ultra-ortodoxia da prece hasídica.

Nos finais do século XVIII, no Iluminismo o Judaísmo ainda se reamificou em três correntes: O reformista, o liberal e o conservador.

Hoje em dia no Judaísmo Reformista as orações em geral são feitas na língua vernácula e homens e mulheres estão em grau de igualdade nas funções.Já nos Estados Unidos, Inglaterra, Israel por razões de identidade se agarram mais às tradições. Na verdade a comunidade judaica dividiu-se numa série de denominações na qual cada qual resolveu sua maneira e visão sobre os princípios, porém certa unidade prevaleceu. O judaísmo rabínico que foi iniciado com os fariseus aceita a tradição oral da Tora e hoje em dia é o único reconhecido como judaísmo. Está dividido em:

Primeiramente no Judaísmo Ortodoxo na qual considera a Tora que é lei imutável escrita por Deus a Moisés. A compilação das leis do Talmude do século XVI pelo rabino Joseph Caro é a codificação correta e definitiva. Esta se subdivide em Moderno ortrodoxo e Haredi (ultraortodoxo).

Segundo segue o Judaísmo Conservador na qual possui mudanças iluministas. Há compromisso em seguir algumas leis e práticas tradicionais como o Shabat e o Cashrut, uma atitude positiva nos estudos das escrituras. Há adaptação as novas condições e vê a Tora como livro inspirado por Deus escrito por profetas.

Terceiro o Judaísmo Reformista na qual formado na Alemanha iluminista rejeita qualquer obrigação afiramando a soberania individual. A primeira pártica abolida foi a circuncisão. Deu valor á ética e orações na língua vernácula. Hoje se pode usar o hebraico, a Britmila é obrigatória e a Cashrut apenas estimulada.

E por último o Judaísmo Reconstrucionista que deu ênfase à uma reinterpretação do judaísmo ao século XX onde não considera a lei judaica suprema, porém as práticas individuais devem ser tomadas sob consenso contextual. E ainda há os laicos, judeus humanistas que valorizam apenas a cultura e história judaica mesmo não acreditando em Deus.

3. 1 . A Doutrina

MonoteísmoO princípio básico é afiramação da crença nesta profissão de fé judaica chamada como Shemá. Um só Deus uno, criador, onipresente, oniciente e onipotente que é ilimitado e influencia tudo no universo. A existência dos anjos ou corte espiritual era aceita pelos fariseus e assim os judeus rabínicos também acreditavam, pore´m os saduceus não acreditavam nisso.

Revelação -Há uma relação especial entre o povo judeu e Deus que se manifesta pela revelação de geração a geração. A Torá seria a prova disso. A história judaica também foi inspirada pelas profecias dos profetas e os conjuntos destas estão reunidas nas escrituras hebraicas conhecidas como Tanakh. A profeciaapenas anuncia a vontade divina dando advertência , esta não possui caráter advinhatório.

Messias - Há a crença na escatologia judaica e na vinda do Messias, embora o Messias não seja mensionado no Torá. A maioria dos judeus acreditam que o messias será um homem judeu , filho de um homem e de uma mulher da linhagem do Rei Davi e reinará Israel na Terra Santa sob o domínio de YHWH. Hoje em dia já pensam em um período de paz que eles nomeam como "tikkun olam", isto é, reparar o mundo, torná-lo mais socialmente justo.

Vida – Morte – Ressurreição e Além Morte - No Tanach não há uma distinção teológicados conceitos de corpo, alma e espírito. Alma geralmente se refere à vida e Espírito se refere à fôlego. Quanto á vida além morte os saduceus não se preocupavam com isso, porém depois do exílio da Babilônia os judeuse depois os fariseus tomavam como importante as questões para si como a imortalidade da alma, a ressureição e o juízo final. Hoje há correntes que acreditam na reencarnação.

Cabala- Há algumas correntes do judaísmo que defende a interpretação do universo, de Deus e das Escrituras através das naturezas divinas e a cabala é esse conhecimento esotérico e místico de algumas destas correntes judaicas.

3.2 Rituais judaicos

"Brit milá" são as boas-vindas dos bebés do sexo masculino à aliança através do ritual da circuncisão e "Zeved habat" são as boas vindas dos bebês do sexo feminino na tradição serfadita." B´nai Mitzvá" é a celebração da chegada de uma criança à maioridade assim esta seguirá uma vida judaica e seguirá a halakhá... Seria o "debutante judeu"...Há o casamento Judaico . E o " Shiv´á" que seria o luto e há várias etapas. A primeira possui duração de uma semana, a segunda um mês ( sheloshim) e para quem perdeu um dos pais há a terceira etapa que é observada por uma ano ( avelut yod bet chódesh). A família é o principal elemento do judaísmo.

3.3Comunidade, Costumes e Cultura.

Com a destruição do Templo de Jerusalém cada comunidade desencolveu seu local de reuniões e na construção do Segundo Templo , isto é, o centro, as Diásporas, havia as sinagogas onde se destacava o rabino que é o líder espiritual e o Chazan (cantor liturgico).

Os elementos da cultura judaica são ricos aos quais posso citas as vestimentas como por exemplo o "Kipá" é usado pelos judeus rabínicos como símbolo de temor à Deus, o idioma e a alimentação (Cashrut) .

[...]

Revisado por Editor do Webartigos.com