ALFABETIZAÇÃO DE ADULTOS
 
ALFABETIZAÇÃO DE ADULTOS
 


Camila Arndt 2

RESUMO: O trabalho, aqui exposto, disserta sobre a problemática da educação de jovens e adultos, os conceitos e métodos utilizados em sua prática na cidade de Caçador. O letramento, fenômeno que consiste na concepção de leitura e escrita como parte da vida social do indivíduo, atribuindo-lhe práticas sociais, também foi objeto de estudo da presente pesquisa. Hoje vários trabalhos existem acerca da alfabetização de adultos e do letramento. Assim buscou-se detectar se o método utilizado pelas instituições que praticam essa modalidade de educação promove libertação e justiça social.

ABSTRACT: The report here described explains about Education of youths and adults, the concepts and methods that are used in its practice in the city of Caçador. The Literacy, which consists in a conception of reading and writing as a part of the social life of a person, giving them social practices, was also the subject of searching of the present report. Today there are many papers about alphabetization of adults and Literacy. For that education make people free is necessary to promote the Literacy, because the student needs to receive a direction to be able read the world, give his/her opinions and then change it.

UNITERMOS: Educação, Analfabetismo, leitura

(1) Artigo científico referente à pesquisa financiada pelo Fundo de Apoio à Pesquisa ? FAP, sob orientação da Prof. M. Sc. Ana Paula Carneiro Canalle Professora da UNC.

(2) Acadêmica do curso de Letras da Universidade do Contestado, Campus Caçador. E-mail: [email protected]

1 INTRODUÇÃO

Como a sociedade utiliza cada vez mais a linguagem escrita, adultos não alfabetizados, que muitas vezes se vêem à margem daquela, buscam novamente a escola. O que esta proporciona ao aluno é de suma importância para que não haja evasão nas classes. Em relação a essas proposições há uma preocupação em verificar como é trabalhada a alfabetização desses indivíduos não escolarizados. É também alvo desta pesquisa o fenômeno denominado Letramento. O conhecimento trazido por tal fenômeno às classes de alfabetização é de suma importância para a elaboração de novos e mais eficientes projetos.
A abordagem do letramento, nesse contexto, contribui para um ensino mais proveitoso para o grupo de educandos já mencionado, ao passo que trabalha a leitura e a escrita numa perspectiva social.
O foco principal de análise concentrou-se no Letramento e nas razões de tantos adultos buscarem novamente a escola em um certo período de sua vida.

2 MÉTODOS

Num primeiro momento deste trabalho, realizou-se, juntamente com os alunos do programa "Brasil Alfabetizado" da comunidade COHAB II e da unidade do CEJA desta cidade.questionários e atividades com o objetivo de verificar as razões do abandono e da volta à escola, bem como a influência do letramento no aprendizado dos alunos adultos. Os educandos com os quais se trabalhou tinham idade entre 20 e 45 anos, sendo homens e mulheres. Estas últimas com maior expressividade numérica.
Mesmo não estando previsto no projeto, uma etapa deste contou com a colaboração da unidade do Sesc em Caçador. Com o objetivo de dar mais credibilidade à pesquisa.
Foi avaliado, também, se nas aulas do CEJA, bem como nas da unidade do Sesc, o letramento e o conhecimento prévio dos alunos estão sendo levados em consideração. Para esta avaliação fez-se o acompanhamento direto das aulas.

3 ANÁLISE DOS RESULTADOS

Dentre as razões que levam jovens e adultos novamente aos bancos escolares, destacam-se, a independência pessoal (46,2%) (Figura 1); a seguir aparecem oportunidades de um emprego e a realização pessoal com 26,9% cada. A independência, para quem não sabe ler e escrever, é muito mais do que pegar um ônibus sozinho, é a libertação de um estigma imposto pela sociedade.


Alternativas Respostas\1 %
Realização pessoal 7 26,9
Para ter mais independência 12 46,2
Para conseguir um emprego 7 26,9
Outro 0 0
Total 26 100
Figura 1. Motivos que trazem jovens e adultos novamente aos bancos escolares.

A maioria dos entrevistados respondeu que o conhecimento prévio dos alunos está sendo levado em consideração, cerca de 95,4% (Figura 2). O que significa que a proposta de educação libertadora, de Paulo Freire, está sendo praticada pelas instituições que realizam esse tipo de educação na cidade.

Alternativas Respostas %
Sim 21 95,4
Não 0 0
Um pouco 1 4,5
Total 22 100
Figura 2. Consideração do conhecimento prévio dos alunos nas aulas de alfabetização de jovens e adultos pelos educadores.

Os alunos foram questionados a respeito dos objetivos que orientam suas produções, se estes apresentam claramente uma utilidade para a comunidade que tivesse acesso a elas. A grande maioria assinalou a opção sim (Figura 3). Sendo que a opção apresentou somente 9,5%.
Alternativas Respostas\1 %
Sim 19 90,5
Não 2 9,5
Total 21 100

Tabela 3. A função dos textos produzidos pelos alunos dos referidos cursos.

4 DISCUSSÃO

Através de dados obtidos com a aplicação de questionários a alunos de turmas de alfabetização do CEJA (Centro de educação de jovens e adultos) da cidade de Caçador percebeu-se que a freqüência de mulheres é expressivamente maior que a dos homens, representando mais da metade, cerca de 70% das entrevistas realizadas. Esse fato corrobora com os estudos de Stromquist (2001) e Kleiman (2001). Analisando esses dados, observa-se mais intensamente a necessidade de programas específicos para mulheres, programas que atendam às suas necessidades particulares de dona-de-casa, de mãe e de trabalhadora.
As aulas ministradas na cidade de Caçador pelas duas instituições existentes: CEJA e SESC LER, responsáveis por cursos de Alfabetização de Jovens e Adultos, aplicam em suas práticas pedagógicas os princípios do Letramento e da Educação Libertadora de Paulo Freire.
Para se evitar a evasão dos alunos em série escolar é preciso que o governo crie condições de manter os alunos nas escolas. O panorama, nesse contexto, mudou muito nos últimos anos. Há transporte, programas de trabalho para alunos e diversas medidas contra a dificuldade de aprendizagem. Mas ainda há muito por fazer para evitar que os educandos de hoje se transformem em adultos analfabetos.
Os dados a que se referem à Figura 4 correspondem a questão através da qual procurou-se verificar a presença do conhecimento prévio dos alunos nas aulas.O resultado foi, sem dúvida, o melhor possível, pois um grande número dos entrevistados respondeu que sim. O que significa que a proposta de educação libertadora, de Paulo Freire, está sendo praticada pelas instituições que realizam esse tipo de educação na cidade.
A questão que mais definiria a presença do letramento nas classes de alfabetização, corresponde à Figura 9.
Os alunos foram questionados a respeito dos objetivos que orientam suas produções, se estes apresentam claramente uma utilidade para a comunidade que tivesse acesso a elas. A grande maioria assinalou a opção sim. Se os alunos perceberem a função da linguagem escrita eles permanecerão nos cursos, evitando assim a evasão por desmotivação.

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Conforme o objetivo geral exposto no projeto, percebeu-se que nas instituições responsáveis pela alfabetização de adultos todo o possível é feito para que não haja evasão nas classes. E principalmente que a educação transmitida aos alunos seja de qualidade, ou seja, voltada para uma leitura critica do mundo, para uma educação libertadora, onde os princípios do letramento são visíveis na prática de educadores e demais funcionários.
O motivo de retorno à escola mais apontado pelos entrevistados diz respeito ao competitivo mercado de trabalho atualmente.
No andamento das atividades, foi percebido o grande numero de mulheres nas classes, o que demonstra a necessidade de um programa específico, que atenda a sua realidade.
Para a erradicação do analfabetismo no Brasil, é necessário que se criem políticas públicas voltadas para essa questão. A educação precisa ser vista como meio de libertação para um povo que vive às margens do conhecimento e da cultura socialmente aceita pela comunidade.


BIBLIOGRAFIA
FREIRE, Paulo.: Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001. 30ed.

FREIRE, Paulo: Educação de Adultos: Algumas Reflexões. In: GADOTTI, M.; ROMÃO, J.E.(Orgs.) Educação de jovens e adultos: teoria, prática, e proposta. São Paulo: Cortez, 2001. 3ed.,cap.1, p.15-17.

GADOTTI, M. Educação de jovens e adultos: correntes e tendências In: GADOTTI, M.; ROMÃO, J.E.(Orgs.) Educação de jovens e adultos: teoria, prática, e proposta. São Paulo: Cortez, 2001. 3ed.,cap.3, p.29-39.

KLEIMAN, Angela B. Programas de educação de jovens e adultos e pesquisa acadêmica: a contribuição dos estudos do letramento, Educação e pesquisa, São Paulo, v. 27, n 2, p.267-281, 2001

ROMÃO J.E.Compromissos do Educador de jovens e adultos. In: GADOTTI, M.; ROMÃO, J.E.(Orgs.) Educação de jovens e adultos: teoria, prática, e proposta. São Paulo: Cortez, 2001. 3ed.,cap.5, p.61-78.

SOARES, M. Letramento em texto didático: O que é letramento e alfabetização. Belo Horizonte: CAPE, ?.p.29-60. (Texto Didático)

STROMQUIST, N,P. Convergência e divergência na conexão entre gênero e letramento: novos avanços . Educação e pesquisa, São Paulo, v.27, n.2, p.301-320, . 2001 .
1
18/08/2010 I00001.DOC
Adaptações: Prof. Antonio Eckel

 
Avalie este artigo:
2 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também