A Relevância de Distinguir a Pessoa Física da Jurídica na Hora de Elaborar o Planejamento Finan...
 
A Relevância de Distinguir a Pessoa Física da Jurídica na Hora de Elaborar o Planejamento Financeiro
 


A criatividade dos Brasileiros torna o Brasil um país empreendedor, no entanto são muitos os casos de empreendimento que não deram certos.
E os motivos pelos quais, têm sido uma gama de fatores, entre eles o mais relevante é o financeiro.
A situação financeira de uma empresa esta diretamente ligada ao seu planejamento. São duas premissas relevantes: cortar custos e maximizar os lucros sem perder a qualidade do produto ou serviço.
Entretanto, o que acontece é que neste contexto do planejamento, muitos empreendedores esquecem-se de separar a pessoa física da pessoa jurídica, alocando assim despesas pessoais no empreendimento e vice versa.
O que temos que entender é que a pessoa jurídica difere totalmente do pessoa física, ou seja, são duas vidas literalmente distintas uma da outra, embora o empreendedor necessite dos recursos financeiros da empresa para sua vida pessoal.
O que deve ser feito então?
Separar as despesas pessoais das despesas da empresa. Efetuando planejamentos distintos para os dois.
O pró-labore retirado todo mês não é entendido por muitos empresários. Estes retiram quanto quer e na hora que achar conveniente. Assim devemos entender que o pró-labore é o salário do empresário e este deve ser respeitado em seu significado, respeitando também a realidade da empresa.
Os possíveis lucros têm que ser bem calculado, não deixando de contabilizar todas as despesas inclusive o pró-labore como despesas.
Devemos documentar a receita e as despesas não só para ter um cálculo efetivo, mas sim também para criar relatórios administrativos que servirão de estudos diversos como, por exemplo, despesas sobressalentes, preços equitativos, sazonidade do mercado, e outros. Criando assim historicidade da empresa.
Desta forma é possível encontrar o ponto de equilíbrio e planejar o capital de giro equivalente há um mês ou mais, efetuando desta forma um planejamento financeiro eficaz.
Porém o primordial como já foi falado antes é distinguir a pessoa física da jurídica. Desta forma será fácil a administração dos dois e mais saudável caminhar nesta estrada complexa e fascinante do mercado.
 
Avalie este artigo:
4 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Geraldo Junior
Talvez você goste destes artigos também