A RELAÇÃO INTERFUNCIONAL ENTRE PENSAMENTO E LINGUAGEM
 
A RELAÇÃO INTERFUNCIONAL ENTRE PENSAMENTO E LINGUAGEM
 


VYGOTSKY, L.S."Pensamento e Linguagem" São Paulo: Martins Fontes, 1991. Vygotsky foi professor e pesquisador, contemporâneo de Piaget, nasceu na Bielorussia em 1986. Viveu na Rússia e morreu de Tuberculose aos 37 anos. Foi pioneiro na noção de que o desenvolvimento intelectual das crianças ocorre em função das interações sociais e condições de vida. Publicado em 1934, Pensamento e Linguagem foi o último livro do autor. Nessa obra Vygotsky analisa de modo original as relações entre pensamente e linguagem.

O primeiro capítulo retrata o problema e a abordagem. Segundo Vygotsky (1934) é de suma importância ter a compreensão interfuncional entre Pensamento e Linguagem. O autor denuncia o estudo feito pela psicologia das funções isoladas. Para resolver essa problemática aponta dois métodos.No primeiro analisa a separação de um a um para estudo. Esse método não proporciona uma base adequada para estudo das relações concretas, leva as generalidades relativas a toda fala e pensamento.

O segundo método conserva todas as propriedades básicas do todo. Vygotsky enfoca que é no significado da palavra que o pensamento e a fala se unem em pensamento verbal. Para Vygotsky (1934, p. 5), "& uma vez que o significado da palavra é simultaneamente pensamento e fala, é nele que encontramos a unidade do pensamento verbal que procuramos.".

É importante mencionar também alguns problemas da linguagem, como relação entre o aspecto fonético da fala e o significado. Afirma que a separação enquanto objeto de estudo é uma das principais deficiências da psicologia. A análise em unidades indica o caminho para a solução dessa problemática. Segundo Vygotsky (1934, p. 7), "& o método utilizado neste estudo do pensamento e da linguagem é também um instrumento promissor para investigar a relação do pensamento verbal com a consciência com um todo".

A cerca dos estudos de Vygotsky na obra Pensamento e Linguagem é possível concluir que devemos nos atentar aos métodos para estudo das inter-relações. Percebendo a eficácia do método de análise em unidades, apresentado como a solução pelo autor, é possível relacionar e perceber a presença em vários processos ligados na rotina educacional.

Como futuras educadoras fazem-se necessário ter o domínio dessas relações, pois cada aluno apresenta uma necessidade diferente e conhecendo os métodos de Vygotsky é possível uma melhor construção de conhecimento de nossos futuros educandos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BAQUERO, Ricardo. Vygotsky e a aprendizagem escolar. Porto Alegre (RS): Artes Médicas, 1998

LA TAILLE, Yves de; KOHL, Marta O.; DANTAS, Heloysa. Piaget, Vigotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão.

OLIVEIRA, Marta Kohl. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento, um processo sóciohistórico (2a. ed.). São Paulo: Scipione, 1995.

OLIVEIRA, Marta Kohl de. Pensar a Educação: Contribuições de Vygotsky. In: Piaget-Vygotsky: novas contribuições para o debate. São Paulo: Ática, 1988. pp. 51-81

REGO, Teresa Cristina. Vygotsky - Uma Perspectiva Histórico-CulturaL da Educação. Petrópolis: Vozes, 2007.

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Camila Mendes Martins Tavares
Talvez você goste destes artigos também