A REALIDADE DA BOLSA DE VALORES
 
A REALIDADE DA BOLSA DE VALORES
 


Caro leitor, se você chegou até este texto, é porque realmente tem interesse no assunto aqui tratado, tentei resumir em poucas palavras meu ponto de vista em relação à decisão de muitas pessoas de ingressar no mercado de ações com a esperança de obter lucro rápido negociando no pregão, intencionado a viver dessa atividade, talvez como uma forma de renda paralela a alguma atividade atualmente exercida e até somente como um investimento de longo prazo. Aconselho antes de tomar qualquer atitude, que leia e reflita sobre este artigo, pois ao contrário do que vê e escuta todos os dias, neste texto contém as verdades.

A análise de mercado é o estudo da movimentação de capital de uma Sociedade Anônima (S.A.) no mercado de ações, com a finalidade de determinar o momento mais apropriado para comprar e vender cotas, visando lucro na maior parte possível das operações efetuadas. No capitalismo, se alguém obteve lucro, é porque alguém levou prejuízo, ou seja, só se ganha, se alguém perde. E nenhum exemplo de capitalismo selvagem é melhor do que o próprio mercado de ações por natureza. A análise de mercado não é simples tampouco exata, porém, aumenta muito a probabilidade de acerto em cada operação a ser realizada, podendo assim maximizar os lucros e evitar maiores prejuízos.

Nos dias de hoje, a facilidade de acesso à tecnologia, levou grande público face a face com mercado de ações, e com a ajuda da publicidade indutiva e manipuladora pelos principais canais de comunicação, que cativam um público fiel às sessões de esportes e policiais, distorcendo importantes informações sobre economia e política para o benefício de poucos, mais sugestões bancárias que fazem parecer ser um negócio tão simples, fácil e extremamente lucrativo, que alegam que é só depositar, mas para obter lucro deve-se investir uma boa quantidade e de longo prazo, e na verdade pegam o dinheiro de todos os investidores para formar acumulação, seguram o capital até a euforia, faturam bilhões e daqui um ano te devolvem o dinheiro com uma mixaria de juros, somado ainda, ao incentivo pessoal que cresce cada vez mais em cada um de nós, diante da dificuldade econômica e desânimo do pequeno empresário diante de um comércio enforcado por impostos e burocracia, tudo isso leva o público a literalmente a mergulhar de cabeça no mercado de ações, ou melhor, mar dos tubarões.

Como já disse que neste negócio só se ganha se alguém perde, por que acham que existem tubarões (pequeno grupo de altíssimo capital e sabedores de informações privilegiadas, que você só tem idéia porque assistiu num plantão entre o intervalo do futebol ou da novela, e se foi no noticiário, pode ter certeza que nem um terço do fato foi reportado ao público)? Exatamente, para devorar os peixinhos (representados pela massa mal informada, aventureira e especuladora, que entra neste mercado achando ser um cassino). Eis aí o porquê da análise de mercado! Os analistas se encontram no meio campo entre os tubarões e os peixinhos, porque também como os tubarões, eles possuem a ciência, o conhecimento, as ferramentas para prever a movimentação do mercado de ações. Mesmo assim, nem videntes sabem com exatidão a hora H das inversões (pois se soubessem, não estariam lendo mãos).

Outro obstáculo para os iniciantes (que por ironia lembra muito um cassino), é que quanto maior o investimento realizado, maior é a probabilidade tanto do lucro quanto da perda, aí é onde o fator medo entra em campo (lembre-se que o dinheiro a ser investido deve ser 100% descomprometido, trocando em miúdos: desnecessário), que se superado pode levar a dois caminhos, o primeiro no caso do lucro, à auto-estima elevada, que o encorajará a jogar novamente, o segundo no caso da perda, ao desespero, que o levará a fazer alguma loucura (é no intento de evitar o segundo que repito: o capital deve estar sobrando). Logo, não é nenhum pouco aconselhável para iniciantes aplicar um capital alto, onde neste caso, com certeza é aconselhável a partir para o mercado imobiliário, que é sólido, só pecando no fato de não possuir liquidez (se quiser o capital para um investimento maior, não conseguirá vende-lo pelo preço que gostaria da noite para o dia). E no caso de um investimento baixo, é como remar contra a maré, pois toda operação realizada é taxada, tanto na compra como na venda de cotas e o imposto de renda é declarado mensalmente pelas corretoras e debitado diretamente da conta do investidor, neste caso, como resultado de uma aventura bem sucedida, o pouco lucro adquirido com um capital baixo, não retorna ao bolso do investidor, sendo o lado positivo disso, a perda de capital, onde o consolo é a frase: ainda bem que não investi muito. E aí? O que fazer? Minha sugestão: PokerStars!!! (Com as cartas na mão ao menos você sabe o que pode fazer).

Então, este é um ramo atrativo somente para quem tem um bom capital para investir, porém, para quem tem tempo e disposição para estudar o mercado de ações e começar investindo aos poucos enquanto se acostuma com o novo negócio, até saber com segurança como injetar e controlar seu capital de acordo com o comportamento do mercado. Lógico que se a intenção é somente investimento de longo prazo por uns trocados a mais, nada disso é preciso. Basta jogar no time dos tubarões e se deslocar até qualquer agência bancária e solicitar a um gerente que invista seu dinheiro em blue chips, isso pouparia muito incômodo e tempo gasto com aquisição de conhecimento necessário para obter sucesso neste ramo. Fica a pergunta de um milhão de um milhão de dólares: O que é melhor, ser a cabeça de um rato ou o rabo de um leão?.

A análise de mercado é dividida em duas categorias, a análise fundamental ou fundamentalista como também é conhecida e a análise técnica, ficando a critério do analista por qual optar (pois são totalmente diferentes uma da outra), ou optar pelas duas que seria melhor ainda. A análise fundamental baseia-se na realidade das empresas, e na economia nacional e global, ou seja, se baseia em informações concretas para apurar o valor real das cotas das empresas, desconsiderando o valor de especulação, levando este analista a executar a compra de ações por um preço justo ou barato e vende-las quando atingirem um determinado preço, provindo dos mesmos fatores que o levaram a comprar ou de especulação, que dará o lucro da operação. Já a análise técnica parece simples por se ater somente a gráficos e desconsiderar qualquer outro tipo de informação, mas não é. Mesmo baseada em números, o que poderia fazer da análise técnica uma ciência exata, os números que formam os gráficos são produtos diretos de atos já realizados por humanos, logo, eu defino a análise técnica um pouco diferente dos outros autores, defino como sendo na verdade o estudo da reação da massa diante as diferentes formas de apresentação do mercado, com o objetivo de prever com quase exatidão o momento do próximo movimento da mesma. E tenham certeza, o pensamento da maioria dos leigos, é como o instinto animal, quando ele tem certeza, avança, quando desconfia, recua, e apesar de estarem jogando contra macacos velhos, aqui não é a selva e esse instinto de nada serve, pois o objetivo dos conhecedores do mercado de ação é justamente a manipulação da massa, fazê-la subir bem alto no momento da euforia enquanto a análise técnica se encarrega de descobrir a hora certa de chutar a escada para vermos o estrago do tombo, que trará nosso lucro, pois só se ganha se outro perde! Por onde começar? A análise fundamental requer tempo para a coleta de informações necessária, conhecimentos gerais de economia, direito, política externa e administração, e se possível, fontes de informações privilegiadas, já a análise técnica, depende unicamente do seu conhecimento, que requer muito estudo inicial e muita prática futura, depois que se começa, o aprendizado nunca mais para, cada acerto ou erro transmite uma informação.

Resumindo, a verdade é que a massa alimenta o mercado de ações! Os tubarões se alimentam de peixinhos, nós pescadores (analistas) sabemos disso, aí ficamos no barco para não sermos mordidos e para cercar o cardume, esperando pela hora de lançar a rede para pegarmos alguns peixinhos também. Dinheiro compra dinheiro, este é o caso dos tubas, analista que ficou rico com bolsa de valores, é que como jogador de futebol, um em um milhão, muitos já eram ricos antes de entrar neste negócio e não vale contar os que se aproveitam deste momento mais que especial para vender cursinhos fajutos de análise de mercado, vocês irão pagar uma nota por apostilas desenvolvidas por profissionais da área e que estão à disposição gratuitamente na internet, para assistir datashows que já estão no youtube e fazer perguntas que podem obter as respostas em qualquer fórum sobre o tema. Isso explica toda a publicidade que gira em torno do pregão, é como propaganda de alistamento militar! Veja que a mídia é como o Ministério das Forças Armadas mostrando os aviões, os navios e os tanques de guerra, já os funcionários dos bancos, corretoras e cursinhos, como oficiais militares de baixo escalão, limpinhos, barbeados e sorridentes, distribuindo panfleto nos centros das cidades e batendo continência em propaganda de televisão (com uma musiquinha chata que após uma semana se torna infernal), e sua vontade de entrar neste negócio por diversos fatores que o levaram a achar ser uma boa idéia, como a necessidade do cidadão brasileiro desempregado, desesperado, que acredita que se dará bem trabalhando como um cavalo para comer e pagar sua farda!

Dicas para quem realmente quer começar são poucas, mas seus conteúdos... Teoria de DOW (se utilizada em conjunto com a Teoria de Elliot já começara chutando com os dois pés), domínio total de pelo menos cinco indicadores (suas decisões já serão bem fundamentadas), uma boa estratégia (saiba que se for para não segui-la ao pé da letra, é melhor não ter nenhuma), um alto capital para investimento (comece aos pouco até atingir uma margem de acertos de pelo menos 30%, de 45 a 60% já estará na média dos bons investidores, melhor que isso, pode considerar-se uma máquina de fazer dinheiro) e total atenção ao capital investido (como em uma fazenda, o olho do dono engorda o gado).

Espero que este artigo ajude muitos que realmente queiram entrar neste ramo e evite que muitos façam besteira.

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também