A PERDA DA SUBJETIVIDADE EM KIERKEGAARD
 
A PERDA DA SUBJETIVIDADE EM KIERKEGAARD
 


Nesta pesquisa temos como objetivo principal mostrar que a demissão da subjetividade leva à perda do sentido da vida na perspectiva Kierkegaardiana. Essa defasagem é decorrente de três fatores: o primeiro fator é o contexto social, em que o homem era tratado como um objeto e o autor vê uma dissolução dos valores; o segundo fator é a influência do pensamento Hegeliano que quis enquadrar a existência em um sistema lógico; enquanto que o terceiro é a cristandade ao se centralizar na racionalidade, porque ela teria deturpado a fé e criado uma aridez espiritual e os valores eternos teriam sido esquecidos. Para Kierkegaard a subjetividade se reconstitui quando o indivíduo se põe diante de Deus e aí tem-se o princípio do cristianismo. É esse princípio precisamente que torna a existência autêntica, pois quando o ser humano se coloca diante do ser Absoluto não há mais espaço para fingimentos e ilusões.

 
Download do artigo
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Raimundo Carlos Souza Lima
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Sou Licenciado em Filosofia, em 2008, pela Pontifícia Universidade Catolíca do Paraná.
Membro desde junho de 2006
Facebook
Mais comentados
 
Mais lidos
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: