A Pedagogia Histórico-Crítica
 
A Pedagogia Histórico-Crítica
 


SAVIANE, Dermeval, Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 9. ed. Campinas, SP: Autores associados, 2005. (Coleção educação contemporânea).

 

Dermeval Saviani educador formado em filosofia pela PUC-SP (1966), é doutor em filosofia da educação (PUC-SP, 1971) e livre-docente em história da educação (UNICAMP, 1986), tendo realizado estágio sênior na Itália em 1994-1995. De 1967 a 1970, lecionou nos cursos colegial e normal. E tido como um dos mais ferrenhos defensores da escola pública. No texto extraído de sua obra A Pedagogia Histórico-Crítica e a Educação Escolar capítulo 4. Trata das transformações pedagógicas ocorridas na escola, vistos pelo âmbito histórico-crítico. Dentro desta visão o autor inicia esclarecendo a nomenclatura do termo Pedagogia histórico-crítica, e sua sinonímia com o termo pedagogia dialética. Deixando claro que a sinonímia escolhida é a dialética como teoria do movimento da realidade. Transposta para educação essa teoria inseri a pedagogia no materialismo histórico, portanto compreendendo a educação a partir da condições materiais da época em questão.

 Para isso são analisadas as várias correntes educacionais desde a pedagogia tradicional católica trazida pelos jesuítas, que influenciaram a educação brasileira até 1759 quando são expulsos pelo marquês de Pombal. Que pretendia modernizar o Brasil através de uma educação laica comprometida com os ideais iluministas. Até o século XX com a Escola Nova, e sua posterior crise na década de 60 com a pedagogia tecnicista e reprodutivista. Que atendia aos ditames de uma educação voltada para situação política do regime militar, de formar cidadãos para o mercado de trabalho e totalmente acriticos frente às relações sociais.

Superando todas estas tendências que se propunham a rejeitar toda é qualquer forma de mudanças nas relações sociais o autor demonstra o caráter paradoxal da educação que pela classe dominante hora é vista como secundária é desnecessária, hora como algo fundamental monopolizado por esta mesma classe. Como bem explicado no texto pela evolução da propriedade coletiva dos meios de produção, para o modo escravista, feudal. Até o advento do capitalismo e ascensão da classe burguesa.

Com estas reflexões o autor propõe uma compreensão histórica da escola em sua especificidade como agente das transformações culturais e sociais. Como base de todo o desenvolvimento humano e da realidade história construída pelos próprios homens através dos tempos.

A obra de Saviani é consistente e bem fundamentada nos princípios do materialismo histórico. É antes de tudo uma denúncia do caráter educacional de reprodução da exploração do homem pelo homem e dos problemas educacionais decorrentes dela. É valida para todos os profissionais da área educacional: pedagogos, historiadores e filósofos, por analisar um tema de grande valia como a educação e seus métodos epistemológicos.

 

 
Avalie este artigo:
1 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Andreia Lemes
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Professora de História,Sociologia e Filosofia
Membro desde julho de 2009
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: