A LINGUAGEM E CÓDIGOS, GÍRIAS UM CONJUNTO DE UNIDADES LINGUISTICAS DE VOCÁBULOS COM EMPREGOS E ...
 
A LINGUAGEM E CÓDIGOS, GÍRIAS UM CONJUNTO DE UNIDADES LINGUISTICAS DE VOCÁBULOS COM EMPREGOS E VALORES DIVERSOS
 



A LINGUAGEM EM CÓDIGOS, GIRIA UMA LINGUAGEM EM CÓDIGO COM VOCÁBULOS COM EMPREGOS E VALORES DIVERSOS

La palabra portuguesa está llena de posibilidades que nos da un código de idioma para las opciones de comunicación diferentes se encuentran bajo personal o profesional, en el que hay muchas diversidad lingüística y abre un abanico de posibilidades que deben ser aceptados y respetados, para que cada uno tiene la libertad de utilizarlos de maneras que sirven para facilitar la comunicación entre todos los que han de interpretarse en su sentido real en el momento y el medio ambiente apropiado, en este artículo se señala como la jerga, un conjunto de unidades lingüísticas de uso común a la que se habla en esta sociedad, con puestos de trabajo y diferentes valores de un lenguaje codificado y fácil de manejar.


Palabras claves: La palabra. Lingüística. Comunicación. Argot. Sociedad. Código.




1.INTRODUÇÃO:

O presente artigo será abordado mediante o tema "Linguagens e códigos, gírias um conjunto de unidades lingüísticas de vocábulos com empregos e valores diversos" onde as gírias serão abordadas em seus valores específicas.
Serão abordadas como um conjunto de unidades lingüísticas de vocabulários com empregos e valores de forma que abordaremos os tipos de linguagens sendo utilizada de formas diversos.
Este artigo tem o objetivo de mostrar as variedades lingüísticas do vocábulo português no qual tratará de enfatizar a historicidade das gírias, tendo como fonte de pesquisa as diversas formas de informações entre muitas foi utilizada a internet, foi usado também livros, contextos e exemplos citados na mesma, será usado como fonte de estudo o meio em que vivemos onde podemos observar o uso das gírias que é um instrumento lingüístico comum que passa por variações no decorrer dos tempos muito empregada no âmbito social com uma perspectiva lingüística importante sendo fundamental em relações humanas, em um sistema literário e cultural muito usada por jovens que buscam uma melhor facilidade de comunicação em um meio social ou individual.
O artigo tratará de abordar as gírias como código de linguagem são fundamentais na vida de alguns jovens. A problemática das gírias sendo usada de forma desordenada.
Mediante a abordagem em que as gírias serão especificadas como um conjunto de unidades lingüísticas caracterizadas por determinado grupo social com itens lexicais simples ou complexos formadas também por frases e interjeições utilizado como meio de comunicação que é mais comum entre os jovens e a importância de não interferir no uso das gírias na vida dos jovens, pois é onde muitos sentem se mais á vontade para se expressarem.
Sendo que os itens abordados neste artigo seguirão a seguinte ordem, conforme as parte intituladas que daremos ênfase a importância dos códigos de linguagens, historicidade das gírias, também abordaremos as gírias como códigos de linguagens, abordando as gírias na antiguidade,as gírias na idade média e na idade moderna, os códigos e os signos na teoria triádica e diótica segundo autores, abordaremos as linguagens, tipos de linguagens e as linguagens a partir do uso das gírias

2.A IMPORTÂNCIA DOS CÓDIGOS DE LINGUAGEM NO AMBITO SOCIAL

Os códigos de linguagem são importantes na comunicação é onde o sujeito encontra formas mais propícias á comunicação, podendo ser em grau de dificuldade de comunicação ou apenas para a interação em grupo.
Estes códigos lingüísticos existem para facilitar a comunicação podendo ser entre pessoas especiais como surdos e mudos ou pessoas comuns como exemplo temos o uso de gírias, códigos de trânsito entre outras utilizadas por jovens em grupo ou individualmente ou libras entre muitas outras formas de comunicação que é utilizado por pessoas especiais com dificuldade de comunicação devido a certo grau de deficiência ou por ocupação.
Os códigos de linguagem são importantes também quando são usados como marca de comunicação que os jovens utilizam muito sendo que os pais e educadores devem contribuir nessa diversidade lingüística que envolve a vida dos jovens, contribuir de maneira que possibilitem que jovens adquiram formas de estudo podendo ser com livros e bons professores para que esse vocábulo tão amplo seja usado de forma favorável sendo que criando seus próprios códigos as pessoas fazem o uso das possibilidades que a língua oferece, mas de forma certa.
Códigos de linguagem nada mas é que uma diversidade de maneiras de se expressar de formas diferentes com significado e verdades iguais.
Tendo em vista a variabilidade e a invariabilidade da língua para segundo Mattosso (1970 p. 22 (...) A descrição lingüística assenta necessariamente numa analise ou de composição do que é enunciado ou escrito, para fazer tal analise os gramáticos gregos e romanos partiam da unidade do vocábulo.
Para ser uma unidade lingüística é necessário somente ter um entendimento do que é dito ou descrito não sendo necessários regras ou valores por isso considera-se gírias como uma unidade lingüística neste sentido as gírias como método de comunicação tem seu valor lingüístico sendo que são métodos e regras adotadas para uma comunicação diferenciada com uso de palavras rápidas.
É através das gírias que muitas pessoas se comunicam ao tratar de culturas valores ou personalidades que tendem a adotar esse método de modificar a fala,mediante LUFT.


Gíria é um sentido lato dado a uma linguagem especial de um grupo social ou classe profissional; em sentido restrito é uma linguagem particular de um grupo caracterizada por deformações intencionais criações anômalas, transformações semânticas de caráter burlesco, jocoso ou depreciativo.(1973. Pág. 91)

Entretanto as gírias não é um vocábulo utilizado somente em grupos marginalizados como era vista antigamente mais é usada também por grupos sociais ou por classes profissionais é de linguagem particular e com sentidos generalizados, de acordo com o ambiente e lugar ela pode ser entendida de formas diferenciadas.
As gírias têm sentidos diferentes de acordo com a região ou estado sendo que além dos sotaques e das diversas formas de se falar o português as gírias tem sentidos figurados tendo essa particularidade de serem regionalizadas ou seja elas vão modificando os seus sentidos e significados as gírias são temporárias morrem com o tempo ou seja fica em desuso esquecida com o tempo.
Um linguajar que pode ser regionalizado utilizado também em grandes lugares como uma maneira de ver o mundo em uma demonstração de mundo feito por eles gírias também podem ser usadas por políticos para causar uma questão de impressionismo onde o político usa em propagandas eleitorais causando uma impressão de que vive no mundo de seus eleitores onde são usadas para facilitar o entendimento é de caráter sócio-cultural.
As gírias são criadas geralmente por jovens ou grupos e surgem a partir da vontade de expressão precisa,rápida e de fácil entendimento através de neologismo ou seja formação de novas palavras, pode se criar gírias também através de simples gritos ,gritos de guerra,comemorações, chingamentos, ou modismos.
Em um contexto metodológico as gírias são regionalistas ou caipiristas, são palavras inventadas têm duplo significado, na etimologia uma coisa e na gíria outra têm inclusão ou supressão de letras e sílabas.
As gírias também podem surgir apenas por preguiça de se pronunciar a palavra por inteiro é onde acontece uma simplificação da língua.ha relatos de que a gíria antigamente era usada em navios militares para decifrar códigos ou como lingüística adotada entre eles para identificação.
2.1 HISTORICIDADE DAS GÍRIAS
A formação de uma gíria segue o mesmo padrão da formação do português sendo que ela é um vocábulo, com grande fonte de formação de gírias é as mudanças de significado para significantes.
As gírias passam na sociedade em velocidade de mudanças e abandono de tradição uma verdadeira linguagem codificada em que sua formação pode indicar fatores importantes e que muitas vezes devem ser trabalhadas como a dificuldade de se comunicar fazendo com que surja essa necessidade de facilitar a comunicação, as gírias podem sair dos grupos e se tornarem parte do vocabulário popular.
A gíria é uma transição na vida da palavra: sai do vocabulário comum, vai para a linguagem do grupo, depois se desgasta e volta para linguagem comum ou muitas vezes desaparece.

2.2 AS GÍRIAS COMO CODIGOS DE LINGUAGEM
As gírias por muitas vezes são usadas como códigos de linguagem, mais específico quando utilizadas no grupo podem ser empregadas um valor léxico único ou diferenciado de caráter especifico na comunicação, para (COUNIN 1993,)(...) A gíria é um sentido técnico que esta ligado á um grupo social ou a uma vida fechada ou porque o indivíduo elaborou uma língua secreta que no seu ver o protege.
Neste sentido podemos observar que a gíria torna-se comum ou em grupo podendo ser de forma restrita ou não utilizada como código de linguagem ou em muitos casos como os jovens fazem as gírias virarem parte de seus vocábulos.
As gírias de grupo é usado por grupos sociais fechadas ou amplos de comportamentos diferenciados de caráter criptográfico é uma linguagem codificada tornando a compreensão um tanto difícil principalmente por quem não pertence ao grupo dando ao falante um sentimento de superioridade que acaba fazendo parte de um processo de auto afirmação do indivíduo do grupo no qual expressa oposições e valores na sociedade preservando para eles a segurança do grupo sendo que em determinadas situações a comunicação se torna nula á quem não pertence ao grupo,sendo que quando as gírias saem de circulação entrando em desuso então novos termos são criados para manter aquele costume grupal por isso a gíria é considerada algo que esta em constante formulação,para Celso Cunha a gíria é utilizada:
Em todos os grupos humanos organizados, desde o momento em que adquirem a consciência de sua unidade, os que não pertencem ao círculo, os não iniciados, passam a ser vistos como profanos. é justamente daí que decorre o antagonismo entre a ação uniformizadora da sociedade geral, procurando estagnar a língua, pela resistência da inércia coletiva a toda invenção lingüística, e a ação dos grupos particulares tentando diferenciá-la, principalmente quando se trata de um grupo mais ou menos fechado e autônomo. (apud, 2004. pág. 244)

Daí pode observar a necessidade de vivermos em grupo sendo que individualmente muitas coisas tornam-se mais dificultosas sendo que desde o momento que adquirimos a consciência sentimos a vontade de socializar é o que acontece com esses grupos que definem as gírias como instrumento de identificação grupal, sendo que as gírias são criadas quase sempre em cima dos vocábulos com alterações e mudanças gramaticais relevantes suas expressões e visões são restritas ao grupo tornando o lúdico num jogo de adivinhações para os fora do grupo as gírias de grupo também foram fontes de estudos para sociólogos e historiadores lingüistas no século xx. O que os levou a perceberem esse momento lúdico do jovem que não faz mal nenhum e torna ate mais sociável a convivência. possibilitando conhecimentos mais amplos sobre um novo método de fala adotado por todos e que vem se expandindo cada dia mais.

2.3 AS GIRIAS NA ANTIGUIDADE

Algumas gírias antigas ainda existem até os dias de hoje são as mais faladas e que não caíram em desuso elas tem sua época, mas existe muitas gírias antigas que acabam voltando um dos motivos de muitas gírias voltarem as atualidades e que muitas gírias facilitam nossa comunicação.
Sendo que a forma culta sendo dotada por regras e dialetos á serem seguidos as vezes um tanto complica, muitas gírias claro foram esquecidas mas que ganharam substitutas no decorrer dos tempos.Por volta de 1960 e 1970 as gírias eram descriminadas e conhecidas como usada por grupos marginalizados ou seja existia um preconceito lingüístico muito grande quando se tratava de gírias era pouco valorizadas e mal se via alguém falar e se alguém falava em público era descriminada como alguém fora de uma sociedade culta sendo tido como pessoas marginalizadas.
2.4 AS GÍRIAS NA IDADE MÉDIA
Aqui se entende as gírias como um conjunto de códigos verbais especial que eram derivados da língua comum a rica realidade lingüística de nada servia nessa época tendo caráter pouco conhecido era usada, mas tão pouco reconhecida.
2.5 AS GÍRIAS NA IDADE MODERNA
Na idade moderna as gírias começam a ganhar seu lugar tendo êxodo em comunicações tornando um entendimento mais amplo de caráter cultural sendo utilizadas por muitos jovens e se expandindo rapidamente começando a ser usada por todos os povos também em peças teatrais, histórias,piadas,musicas como exemplo : Trecho da música do Mc X e Cássia Eller (Acústico MTV)
"? não curto isso aí, mas to ligado na parada que domina por aqui, fumando um baseado, curtindo de leve, no pagode lá na área to esperto, no movimento que se segue, segue e vai. Eu vou levando eu vou curtindo até não dar mais. Tudo prossegue normal até onde eu sei, enquanto isso é melhor cerveja que vem, leva essa traz mais uma põe na conta, to sem dinheiro ta valendo to à pampa. "(2010)
As gírias tomam assim uma grande diversidade de significados sendo modificadas com o passar dos tempos e transformadas ganhando novos dialetos de acordo com a época. É aí que as gírias começam a se tornarem importantes para a nossa comunicação enriquecendo conversas cotidianas tornando essas conversas um tanto divertidas.
E necessário lembrar que primeiro as gírias são contextualizadas, ou seja, para se expandirem tanto entes elas ocorrem em determinado lugar podendo ser com determinado grupo de pessoas ou por determinadas músicas assim alguém ouve acha diferente e emprega em seu vocábulo e assim vai se expandindo de forma extraordinária.
Os adolescentes têm linguagem própria usam gírias diferente dos adultos,os internautas também tem linguagens próprio tornando a internet numa linguagem simplificada.
3 CÒDIGOS
Como podemos observar anteriormente as gírias por muitas vezes são usadas como códigos de linguagem é onde jovens utilizam-se desse método para a comunicação de forma que seja entendida somente em seu meio que vive usando as gírias também em redes de comunicação como internet e até em celulares é onde encontram uma forma de fácil entendimento e desenvolvem assim uma gramática diferenciada.
3.1 SIGNOS
Tendo como base a teoria do signo lingüístico de Saussure pode-se observar que as palavras possuem um significante ou significado.
Sendo que o significado de uma palavra não é absoluto ou único podendo mudar de acordo com o texto e a fala sendo que a mesma palavra pode assumir diferentes significados definido mediante situação de comunicação para Castelar (2003, p.36). "Toda palavra é sempre motivada em sua origem e ela conserva tal motivação, por maior ou menor tempo, segundo os casos, até o momento em que acaba por cair no arbitrário, quando a motivação deixa de ser percebida".
Entretanto a partir do momento que tal palavra entra em desuso então ela deixa de ser percebida, mas o seu significado continuara sendo empregadas em palavras atuais. Na fala a interação entre o ouvinte e o falante deve ser compreendida e interpretadas de forma que os sentido não fujam da realidade identificando os significados pretendidos por um falante sendo que uma mesma palavra pode assumir significados diferentes de acordo com a situação sendo necessário uma analise da palavra para que não se entenda de forma incorreta.

3.2. TEORIA TRIÁDICA DAS GÍRIAS
Um conceito mais amplo sobre gíria é que a gíria é uma linguagem de grupo em sentido restrito ou linguagem particular caracterizada por deformações intencionais criadas anômalas transformadas semanticamente de caráter burlesco, jocoso ou depreciativo.
A gíria representa exclusivamente uma forma de língua na qual o léxico está ligado de forma exclusiva ligado a um grupo social ou por grupo de vida fechada de uma gíria politécnica ou acreditando ser uma forma secreta de proteção. Pierce chama essa possibilidade lingüística de interpretante em e para Saussure cada língua possui expressões e gírias próprias que são muitas vezes intraduzíveis
3.3. TEORIA DIÓTICA DAS GÍRIAS
Vistas como meio mais fácil a ágil de comunicação usada em uma linguagem não verbal, não culta, sem normas e regras pré estabelecida é organizada pela formação de novos vocábulos a partir da língua comum sofre alterações podendo haver uma troca de classes gramaticais na qual não existam regras sendo incorporados por eventuais modificações.
A gíria é, portanto, derivada de várias contribuições da língua comum, Saussure estudava a possibilidade de se estudar os idiomas sob forma genérica. Sendo que para ele cada língua possui formas diferentes de comunicação.
4 LINGUAGENS
A linguagem é necessariamente uma análise de composição do que é enunciado ou do que é escrito, por isso a lingüística é baseada no vocábulo sendo que a lingüísticas baseiam-se em grupos de vocábulos onde vocábulo são regras e conceitos empregados as línguas no mundo.
A língua é uma realidade formada de significados constituída em um sistema de signos e a língua como acervo lingüístico é um conjunto de hábitos lingüísticos que permitem uma pessoa compreenderem e ser compreendido as diversidades de linguagem existentes é o que nos possibilita uma infinidade de maneiras de comunicação entre outras pessoas. A linguagem também acompanha o curso do tempo; é interessante apresentar um aspecto teórico no qual faz parte de um dos conceitos sobre linguagem.
A língua quanto acervo guarda consigo toda a experiência histórica acumulada por um povo durante a sua existência. Também o português acumulou em seu rico e notável acervo lingüístico o literário, importante língua de cultura que constitui tesouro comum dos povos irmanados pela lusofonia. (CARVALHO, 2003. pág. 58)
Portanto a língua e lingüística estão em um todas associadas conforme significado e significante sendo que devem ter relevância á assuntos que estão envolvidos na fala para que tenha coerência no que esta sendo dito, por isso a necessidade de sabermos os diversos empregos de nossa língua e seus significados.
4.1 TIPOS DE LINGUAGENS
Existem na gramática diversos tipos de linguagens nas quais todas tornam possível uma comunicação, entre os tipos de linguagem temos a linguagem coloquial onde não há uma preocupação quanto ao falar certo ou errado sendo que não nos sentimos pressionados pela necessidade usar regras, damos prioridade á expressividade muitas vezes dita como força de expressão.
As gírias estão inseridas em uma modalidade da língua popular ou linguagem comum que é aquela onde os princípios da norma compõem uma verdadeira gramática popular que constitui uma simplificação da gramática culta linguagem não formal, não culta uma linguagem na qual pode ser codificada espontaneamente sendo muito fluente, podendo ser de palavrões vulgares, rebeldes ou vícios de linguagem que revelam uma menor dose de reflexão na escolha das formas lingüísticas usada pelo usuário, a gíria é mais um tipo de linguagem gramatical que no entanto não é preferível adotá-la como modalidade lingüística, temos também a linguagem literária aquela que é utilizada por poetas que compõem uma literatura que muitas vezes seguem um padrão de norma culta.
Entre muitas linguagens destacam se a linguagem oral onde pode ser transmitida em uma situação de comunicação onde o emissor e o receptor devem conhecer bem a situação com a presença de um ouvinte podendo interromper a conversa e participar da comunicação sendo composta por frases simples, espontâneas e livres que enfatizam os significados das frases ditas e a linguagem escrita onde a mensagem é escrita de forma não imediata onde são empregadas construções mais completas, mais elaboradas e por isso é comum o uso de orações mais complexas que exige mais esforço de memória e raciocínio é comum também o emprego de sinais de pontuação de acordo com a gramática da língua portuguesa de (MESQUITA. 2007, p.20)
Para abranger todas as relações cotidianas do homem, a língua precisa de certos cuidados para que desempenhe o importante papel da comunicação. Convém por isso notar que entre a língua oral ou fala e a escrita há diferenças bens acentuadas. Escrever uma história por mais simples que ela seja, é diferente do fato de contá-la oralmente. Cada modalidade de expressão tem suas características, seus fundamentos, suas modalidades e suas realizações.
Entretanto, podemos enfatizar a importância do uso do nosso rico vocábulo da maneira em que nos é mais propícia, que nos faça sentir á vontade e sabermos diferenciar cada modalidade podendo assim distingui uma forma gramatical da outra, dando ênfase a importância de cada uma.
4.2 A LINGUA Á PARTIR DO USO DAS GÍRIAS
As gírias podem ser empregadas na nossa linguagem em relações grupais ou comum, ou seja, pode ser usada em um grupo ou restritamente sendo que, deve ter um cuidado com relação ao ambiente e a forma que será utilizada sendo que não ficaria bem usar as gírias em ambientes formais ou em ocasiões formalizadas não cairia bem pelo fato de que em um ambiente desse provavelmente não será utilizada.
Então a gíria tem um valor nato mais que deve ser empregado somente em algumas ocasiões. Por mais que hoje seja vista de forma comum ainda existem ambientes que não se torna propício o uso de gírias.
5. HISTORICIDADE DA LINGUA
Língua é um código no qual há um conjunto de elementos com regras obrigatórias ou não que permitem a troca de uma infinidade de informações conhecida e utilizada pó uma pessoa ou grupo social a todo o momento, a língua constitui um sistema praticamente fechado, mas que possibilita a transmissão de qualquer mensagem, portanto seu emprego é ilimitado, é uma concepção que só se emprega corretamente em um momento de comunicação.
Para comunicarem-se cada indivíduo utiliza o código lingüístico da forma que acha mais apropriada e para que a comunicação seja de maneira bem sucedida é necessário que a língua seja respeitada.
Portanto devemos respeitar as variedades lingüística de cada um podendo ser gírias, sotaques regionais ou vícios de linguagem, se uma língua é uma criação social então existe vários falantes com modalidades lingüísticas diferenciadas.
Assim como a vida humana e as culturas sofrem transformações podemos observar que a língua esta repleta de inovações.
5.1 A LÍNGUA NA VISÃO DE SAUSSURE
Na visão Saussuriana a língua é uma concepção abstrata que só se realiza quando é empregada concretamente em um momento de comunicação Saussure considera a língua como um sistema de signos formados pela união do sentido e de linguagens acústica em um estudo mais amplo para Saussure a língua é formada de elementos básicos como a linguagem, onde envolve a língua e a fala evolvidas pela sincronia, ou seja, por um amplo entendimento do que é transmitido em relações associativas e sintagmáticas envolvido pela teoria do signo lingüístico onde se contrapõem o significante e o significado sendo que existem princípios da arbitrariedade e da linearidade. (CARVALHO 2003, p.27).
2. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Ao termino deste artigo acredita-se que o vocábulo é repleto de muitas possibilidades sendo composta por códigos de linguagem bastante amplos com novos dialetos que precisam ser respeitados de forma que a cada momento surgem novos termos lingüísticos que por sua vez vão tomando espaço em nosso vocábulo.
Percebe-se perante o artigo elaborado que o nosso vocábulo é riquíssimo composto de um sistema lingüístico diferenciado, cheio de novas possibilidades e muito diversificado. Sendo que para possamos identificar os diferentes vocábulos é necessário analisar criteriosamente cada modalidade para que não possamos cometer fraudes ao descriminar certo dialeto.
Neste contexto cabe a cada um ter a consciência de que a língua passa por transformações, podendo ter mais de um significado e significante de acordo com o vocábulo podendo ser pronunciada de diversas maneiras.
Pode-se identificar neste artigo também que as gírias cada dia mais vão tomando o seu espaço perante a sociedade, não sendo mais discriminada como antes agora passa a fazer parte de vocábulos vistos freqüentemente.Portanto as gírias são apenas mais uma modalidade lingüística que precisa ser vista com outros olhos para que tenha seu real significado e não apenas como um vocábulo comum mais que tem um valor nato e que pode ser utilizada em suas diversas formas.
Analisa-se perante o artigo elaborado que o nosso vocábulo é riquíssimo composto de um sistema lingüístico diferenciado, cheio de novas possibilidades e muito diversificado.

3. REFERÊNCIAS
MESQUITA, Roberto Melo. Introdução a lingüística, Roberto Melo Mesquita. Gramática da língua portuguesa, 9ª Ed. São Paulo, Ed. Saraiva s.a, 2007 cap.1, pág. 1-736.
JR, Joaquim Mattosso Camara. Variabilidade e Invariabilidade da Língua, Joaquim Matosso Camara Junior Estrutura da Língua Portuguesa. 41ª Ed. Petrópolis Rio De Janeiro, Ed. Vozes, 1970, cap. 2, pág.7-124.
JR, Joaquim Mattosso Camara. A Técnica Da Descrição Lingüística, Joaquim Mattoso Camara Junior Estrutura da Língua Portuguesa. 41ª Ed. Petrópolis Rio De Janeiro, Ed. Vozes, 1970, cap. 3, pág.7-124.
CARVALHO De Castelar. A Lingüística pré Saussuriana, Castelar De Carvalho Para compreender Saussure. 15ª Ed. Petrópolis Rio De Janeiro, Ed. Vozes, 2003, cap. 1, pág.7-174.
CARVALHO De Castelar. A lingüística Saussuriana, Ferdinando De Saussure, Para compreender Saussure. 15ª Ed. Petrópolis Rio de Janeiro, Ed. Vozes, 2003, cap. 2, pág.7-174.
CARVALHO De Castelar. A Teoria do Signo Lingüístico, Castelar De Carvalho. Estrutura da Língua Portuguesa. 15ª Ed. Petrópolis Rio De Janeiro, Ed. Vozes, 2003, cap. 2, pág.7-174.
ANA, C. M. de ARAUJO. A Linguagem Dos Jovens Contexto e Significado, Disponível em: www.artigonal.com/linguas-artigos/alinguagemdosjovenscontextoesignificado-3261845.HTML. Acesso em: 02 de out.2010
WASHINGTON. Problemática das gírias, Disponível em: www.lampiãoatomico.blogspot.com/linguagensdosjovenscontextohtml Publicado em 30 de jun. 2010. Acesso em: 02 de out. 2010.
ALESSANDRA, F. Da SILVA. Linguagem ou Vocábulo, Disponível em: www.filosofia.org.br/gíriaslinguagemouvocábuloalessandrapbf. Acesso em: de out.2010
ANTONIO, B. C. Gírias e expressões palavra como identidade cultural. Disponível em: www.overmundo.com.br/8410overblog/gírias. Publicado em: 19 de out.2006. Acessado em: 03 de out.2010
SIMONE, N. R. A Língua do adolescente Linguagem Especial ou gíria, Disponível em: www.filosofia.org.br/ixcnlf/12/04.html Publicado em: 12 de abr.2010. Acessado em: 03 de out.2010
COELHO, Lucivanda Mira, Leitura e escrita práticas responsáveis pelo desenvolvimento do ensino-aprendizado. Artigo científico: Instituto Macapaense do melhor ensino superior: Macapá 2010.















 
Avalie este artigo:
3 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Clesiane Feitosa Pereira
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
acadêmica do curso de pedagogia da universidade vale do acaraú
Membro desde outubro de 2010
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: