A importância dos jogos na sala de aula
 
A importância dos jogos na sala de aula
 


A importância dos jogos na sala de aula e na escola, pode ser uma alternativa para a inclusão.
Essa prática pode ser comprovada ao retornarmos e analisarmos nossas fases da vida. Eu por exemplo quando era criança, o que eu mais gostava de fazer, era ir para a escola, porque na escola que eu estudava tinha campeonatos de jogos: jogos de queimada, handebol e vôlei, para as meninas e futebol para os meninos. Eu adorava a hora do intervalo, porque era um dos poucos lugares que eu tinha para interagir com outras crianças nas brincadeiras, pois meus pais não deixavam eu e meus irmãos brincarmos com outras crianças, nos tínhamos de brincar com os irmãos e isso só acontecia às vezes, porque ou estávamos cuidando dos irmãos mais novos, que eram muitos, ou estávamos estudando.
Naquela época, não tínhamos brinquedos industrializados, os meus brinquedos e dos meus irmãos eram: carrinho de caixa de fósforos, carrinhos de madeira, boneca de milho ou de tecido, bola de meia e peteca. As brincadeiras eram: brincar de casinha, fazer roupas para as bonecas, brincar de médico, fazer panelada e brincar de roda. Meus irmão homens jogavam bolinha de gude, brincavam de pega- pega, jogar futebol, peteca, etc. Não era permitido brincar com bonecas, fazer comidinha. E os meninos eram os médicos nas brincadeiras e as meninas eram sempre as donas de casa.
Mas, apesar das divisões de atuação, nas brincadeiras, eram brincadeiras mais práticas e com maior contato com a natureza e interagia-se mais com o outro, diferente das de hoje que são individuais e algumas incentivam muito o egoísmo e a violência.
Considerando a importância do brincar, na infância e a prática dessas brincadeiras percebe-se que elas podem gerar caminhos para que possamos nos desenvolver no coletivo e aprender a resolver conflitos.
Através do brincar, a criança reorganiza suas experiências, estimula sua criatividade, socializa-se, desenvolve sua percepção visual e motora, porque essas atividades favorecem a convivência com situações espontâneas nas quais, de forma autônoma, as crianças pesquisam, deduzem e concluem.
Contudo, os jogos e as brincadeiras, estimulam muito a autoestima, o interesse das crianças para aprender e também integram diversos saberes necessários para formação de um currículo integral para a cidadania. Pois através da interação nas brincadeiras e com os brinquedos, podemos mostrar para a criança a realidade de vivermos em um coletivo, como respeitar os outros para sermos respeitados, a necessidade de ter limites e respeitar os limites e as diversas diferenças sociais, culturais e socioeconômicas existentes na esfera educacional.
Acredito também que os projetos envolvendo os jogos e brincadeiras são, principalmente, uma forma de inclusão social para diversas crianças, porque há possibilidade de intervenção no sentido de desmistificar padrões já estabelecidos pela sociedade e formar cidadãos críticos e conscientes, que questionam verdades já estabelecidas e buscam novas formas de superar os conflitos sociais, respeitam o outro nas suas divergências, sendo ético e solidário.
Carmelita O. Itacaramby

 
Avalie este artigo:
(4 de 5)
27 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Carmelita O. Itacaramby
Talvez você goste destes artigos também