A importância do trabalho interdisciplinar na Equipe de Saúde da Família na busca
 
A importância do trabalho interdisciplinar na Equipe de Saúde da Família na busca
 


RESUMO
Este estudo teve como objetivo avaliar a interdisciplinariedade na Equipe de Saúde da Família no município de Barreiras -Ba, e reconhecer a forma com que esta contribui para um atendimento integral. Tratase de um estudo exploratório, abordando aspectos qualitativos, desenvolvido em duas USF do município. Os dados foram coletados em dois momentos: no primeiro momento, uma entrevista individual do tipo semiestruturada, e no segundo momento constituiu-se na aplicação das dinâmicas de grupo. A estrutura analítica que orientou a análise deste estudo referenciou-se no conceito das Representações Sociais segundo a técnica de análise de conteúdo subsidiada em Minayo1. Os resultados foram organizados em categorias e distribuídas em subcategorias simbólicas, abordando as concepções e aspectos positivos e negativos. Os resultados inferiram haver pouca substancialidade no que condiz à prática de atividades interdisciplinares, e sugeriram que das diversas atividades desenvolvidas nas unidades, as que mais se destacaram dentro de um trabalho interdisciplinar foram as de cunho educativo, onde segundo os sujeitos investigados, estas, promovem uma maior iteração e inter-relação entre os membros da equipe, comunidade adscrita e sociedade civil.
Palavras-chave:
Interdisciplinaridade;
Equipe Saúde da Família.
The importance of the interdisciplinary work in the family health team searching a complete attendance ABSTRACT This study aimed to assess the interdisciplinarity in the Family Health Team in Barreiras-Ba and recognize how it contributes to a complete attendance. This is an exploratory study, addressing qualitative aspects, developed into two USF in Barreiras-Ba. The data were collected in two stages: At the first moment, an individual and semistructured interview, and in the second moment was applied dynamics of group.
The analytical framework, that guided the analysis of this study, was based in the concept of Social Representations according to the technical analysis of content subsidized by Minayo1. The results were organized into categories and distributed in symbolic subcategories, addressing concepts and the positive and negative aspects. The results showed a fairly substantiality about the practice of interdisciplinary activities and suggested, among a sort of activities in the units, the educative ones as the most successful in the interdisciplinary work, according to the responses, the educative activities promote more interaction and interrelationship among the members of the team, community and society.
Sip: Saúde A importância do trabalho interdisciplinar na Equipe de Saúde da Família na busca de um atendimento integral Silva, Cláudia Leila (FASB) Silva, Kátia Gabriela de Sales (FASB) Tenório, Nailton Jatobá (FASB) Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer Key-words:
Interdisciplinarity, Family Health Team.
1.0 INTRODUÇAO A interdisciplinaridade tem sido uma preocupação perene na história do ocidente, com raízes nas idéias de Platão e Aristóteles, na Grécia antiga. Nesse percurso, ora predomina a busca por um saber unitário, de visão global de universo, através de uma ciência unificadora, ora direciona-se a especialização do saber e fragmentação e compartimentização das disciplinas do conhecimento (SILVA FILHO)2.
A teoria da fragmentação de René Descartes no desenvolvimento da ciência moderna tornou-se lugar comum na historiografia da ciência.
A representação da natureza a partir da metáfora da máquina teve implicações filosóficas profundas tanto no que diz respeito à função do trabalho intelectual e científico, quanto na organização dos saberes.
Nas palavras de Fritjof Capra, "Descartes deu ao pensamento científico sua estrutura geral - a concepção da natureza como uma máquina perfeita, governadas por leis matemáticas exatas " (CAPRA, p.56)3. Segundo este autor, o paradigma cartesiano, suplantou a visão de mundo da Idade Média que compreendia a natureza como uma entidade orgânica, influindo radicalmente na maneira de pensar e agir das pessoas com relação ao meio ambiente natural.
A teoria Geral da Relatividade de Einstein, bem como as investigações experimentais dos átomos neste período, abalaram os alicerces da física clássica Newtoniana, que se mantinha viva já há três séculos. Capra3, ressalta que: "a nova física exigia profundas mudanças nos conceitos de espaço, tempo, matéria, objeto, causa e efeito" trazendo a tona, princípios como o de complementaridade da realidade (onde se observa dois fenômenos aparentemente paradoxais coexistindo em um mesmo objeto) e o princípio da relação ou interconexão (onde se observa que um sistema é constituído de partes diferentes, mas que e essas partes só fazem sentido quando vistas em relação) (BECK)4 Para Capra3, a visão de mundo apresentada pela nova física é sistêmica e dinâmica, portanto, transcende a metáfora mecanicista da realidade objetiva que Descartes almejou, e sobre esses princípios que a necessidade de um pensamento interdisciplinar holístico deve se impor.
2.0 OBJETIVO Avaliar a interdisciplinariedade na equipe de saúde da família e reconhecer a forma com que esta contribui para um atendimento integral e participação da comunidade.
3.0 MÉTODO A estrutura teórica que orientou a análise deste estudo refere-se ao conceito de Representações Sociais, fundamental para a compreensão das construções que fazem parte da realidade comum de nossos entrevistados.
A pesquisa qualitativa tem o propósito de classificar dados qualitativos para a análise de conteúdo. Este tipo de análise tem duas funções principais: uma refere-se à verificação de hipóteses e/ou questões, ou seja, através da análise de conteúdo, podemos encontrar respostas para as Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer questões formuladas e também podemos confirmar ou não as afirmações estabelecidas antes do trabalho de investigação. A outra função diz respeito à descoberta do que está por trás dos conteúdos manifestos, indo além das aparências do que está sendo comunicado.
A coleta dos dados foi realizada em dois momentos: primeiro, uma entrevista individual, do tipo semi-estruturada, cuja finalidade principal foi fazer uma avaliação diagnóstica sobre o que a equipe conhece sobre interdisciplinaridade e trabalho em equipe, essa entrevista teve como objetivo propiciar um momento de encontro e troca de informações, onde oportunizou fazermos o convite para participação na segunda etapa. Essa foi desenvolvida no segundo momento, com a participação das acadêmicas de psicologia do 8º semestre da FASB, onde estas desempenharam o papel de facilitadoras, na aplicação das dinâmicas de grupo, aqui empregadas, com o propósito de absorver dos sujeitos, suas respostas mediante situações abstratas, mas que fazem parte de suas práticas profissionais diária.
O desenvolvimento da análise se deu na seguinte ordem: Constituição dos corpos; Leitura flutuante;
Preparação do material;
Codificação;
Categorização; Inferência;
e Interpretação, sendo esses norteados pela Teoria da Representação Social.
(MOSCOVICI)5 Esse estudo foi realizado em duas Unidades de Saúde da Família (USF), escolhidas mediante sorteio entre as oito USF existentes no município de Barreiras - Ba. Aqui neste trabalho estas Unidades são referidas com os codinomes de "flores", denominadas:
"orquídea" e "tulipa".
De forma geral estas Unidades, possui mais de dois anos de funcionamento, e a equipe de profissionais atuante são: um enfermeiro, um médico, um dentista, uma média de dois técnicos de enfermagem a um auxiliar de enfermagem, um Assistente de Consultório Dentário (ACD), uma média de sete Agentes Comunitários de Saúde (ACS), um auxiliar de serviços gerais, uma recepcionista, um motorista (que fica a disposição da equipe apenas um dia da semana, ou em casos de
"força maior") e um vigilante. Totalizando em média 17 profissionais em cada USF.
As Unidades funcionam de segunda a sexta-feira, das 7:30 as 11:30 e das 13:30 as 17:30 horas. O número de famílias cadastradas é em média de 1058 famílias cadastradas no Sistema de Atenção Básica - SIAB.
Este estudo foi fundamentado em princípios da bioética, garantindo o anonimato e o acesso dos sujeitos a todas as informações e esclarecimentos solicitados, foi solicitada a prévia autorização dos participantes em documento próprios, ou seja, o termo de consentimento livre e esclarecido, que foi entregue ao participante antes do início da entrevista, para a autorização das respostas como dados para esse estudo. Esse foi obedecido e respeitado seguindo a Resolução nº 196/96 do Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde sobre diretrizes e normas regulamentares de pesquisa com Seres Humanos.
A coleta de dados através da entrevista teve como objetivo captar o conhecimento dos sujeitos, sobre a interdisciplinaridade, onde foi utilizada uma entrevista semi-estruturada com quatro questões. Esta foi realizada a cada membro da equipe de forma individual, onde foram realizadas Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer perguntas, que eram gravadas em um gravador (tipo cassete), dirigidas pelas seguintes falas:
1. Quando eu falo
"INTERDISCIPLI NARIEDADE", o que vem em sua mente?.
2. Quando eu falo
"Trabalho em Equipe", o que vem em sua mente?
3. Quais atividades locais vocês ja elaboraram com a participação da comunidade, para enfrentar os determinantes do processo saúde/doença?
4. Quais ações educativas e intersetoriais são desenvolvidas pela USF para enfrentar os problemas de saúde identificados? As dinâmicas de grupo forão desenvolvidas no segundo momento, e os sujeitos participantes foi toda equipe que compõe a USF, com excessão dos que faltaram e que estavam de férias. Estas foram aplicadas pelas facilitadoras. Os dados obtidos foram gravados em filmadora tipo VHS, em seguida foram transcritos em seus mínimos detalhes, todos os tipos de verbalização captadas nos sujeitos. Este teve o intuito de consubstanciar os dados obtidos no primeiro momento, o que propiciou uma melhor enfatização as discursões dos resultados da pesquisa.
4.0 RESULTADOS Os dados foram coletados a partir de um instrumento de pesquisa elaborado com quatro questões. A primeira contemplou dados referentes à Interdisciplinaridade, e a segunda ao que se refere a Trabalho em Equipe, a terceira questão investiga quais atividades foram elaboradas na unidade, com a participação da comunidade, e a quarta questão investiga quais ações educativas e intersetoriais são desenvolvidas na unidade para enfrentar os problemas saúde/doença da comunidade trabalhada.
Tais dados foram submetidos à técnica de análise de conteúdo temático, subsidiada em Minayo1.
Para configurar o significado das representações sobre Interdisciplinaridade e Trabalho em equipe, advindas dos instrumentos de coletas aplicados aos sujeitos da amostra, foram estruturadas subcategorias e categorias simbólicas, a partir das unidades temáticas, apresentadas a seguir:
A avaliação dos dados obtidos através do "teste de associação livre de palavras", sobre interdisciplinaridade, deram origem a duas categorias, sendo a primeira categoria:
"palavras relacionadas à interdisciplinaridade", representada pelo símbolo (CPRI), subsidiou o desenvolvimento de cinco subcategorias sendo elas, Subcategoria:
Compromisso, representada pelo código (SRIcm), Subcategoria:
Interação (SSRInt), Subcategoria:
Cooparticipação (SRIco).
A segunda categoria intitulada: Palavras não relacionadas a interdisciplinaridade, representada pelo código (CNRi), subsidiou a formação de duas subcategorias, sendo elas:
Desconhecimento, de código (SPNRid), e a subcategoria: Limitação, representada pelo código (SNRl).
Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer Quadro -01. Distribuição das categorias simbólicas, abstraídas a partir do Teste de Associação livre de palavras, sobre a palavra-estímulo "interdisciplinaridade".
A análise dos dados obtidos através do teste de associação livre de palavras, cuja palavra estímulo foi "Trabalho em equipe", subsidiou a formação do quadro 02, conforme visualizado abaixo: Categoria:
Palavras relacionadas a trabalho emequipe, representada pelo código (CRTeq), formando duas subcategorias:
Responsabilidade individual, representada pelo código (SRRind), e a subcategoria Responsabilidade comum (SRRcm).
Categoria: Interdisciplinaridade Subcategoria: Palavras relacionadas a interdisciplinaridade Código Unidade temática orquídea Unidade temática tulipa Subcategoria: Compromisso. SRIcm "Dedicação; paciência;
compreensão; amor; fazer um bom trabalho; carinho com as famílias;
vontade de fazer as coisas".
...União, grupo...
Subcategoria: Interação SRInt "Parceria; amizade; diálogo; a gente trás para a unidade; junto com a enfermeira;interação; tudo junto;
equipe; visão comum; trazendo os problemas; palestras".
...Trabalho em equipe, A pessoa trabalhar em conjunto com os colegas, Um ajudando o outro, Colaborando, Complementação, Abrangência...
Subcategoria: Cooparticipação SRIco "É tentando resolver na equipe;
união; multiprofissionalismo; ajuda um ao outro; cooperativismo; a gente procura ajudar as famílias;
acompanhamento das famílias".
...Eficiência, maior rendimento, tudo em forma horizontal....
Categoria: Palavras não relacionadas à interdisciplinaridade Subcategoria: Desconhecimento SNRid "não vou responder; não sei; não sei responder".
...Nada, passa para próxima, essa ai eu não vou responder...
Subcategoria: Limitação SNRi "disciplina; a equipe são os profissionais;trabalho sempre dentro do horário; competência;passa os problemas para o enfermeiro".
...Disciplina, agregação do conhecimento, cada um na sua atividade na sua especialidade...
Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer Quadro -02. Distribuição das categorias simbólicas, abstraídas a partir do Teste de Associação livre de palavras, sobre a palavra-estímulo "Trabalho em Equipe".
Categoria: Trabalho emEquipe Subcategoria: Código Unidade temática orquídea Unidade temática tulipa Subcategoria: Responsabilidade individual SRRind "Humildade; respeito; respeitosamente;
compreensão; amor; amizade; amor por aquilo que faz; honestidade;
complementação; ajudar o outro ;
cumplicidade; compartilhar;
aceitação".
...Fidelidade, Lealdade, amizade, complementação...
Subcategoria: Responsabilidade coletiva SRRcom
"Parceria; companheirismo; visitas;
reunião; compartilhar; resolver junto;
grupo; interação; trabalho em conjunto;bem estar comum;
coleguismo; confiança;trabalho junto;
discutir os problemas em equipe;
qualidade do trabalho".
...A pessoa trabalhar em conjunto, É participar junto com os outros membros da equipe, A união da equipe do grupo, É a compatibilidade de uma para o outro...
Através da entrevista semiestruturada onde foi questionado "Atividades locais elaboradas com a participação da comunidade para enfrentar os determinantes do processo saúde/doença", foram apreendidos os seguintes resultados nas falas dos sujeitos, que nos levou a formação de uma categoria intitulada
"Atividades desenvolvidas" subsidiando a formação de duas subcategorias:
subcategoria "aspectos positivos" e subcategoria
"aspectos negativos", sendo a subcategoria
"aspectos positivos" formada por cinco subcategorias nomeadas:
"prevenção /educação", representada pelo código (SRPe). A subcategoria
"integração da equipe e comunidade", representada pelo código (SRIec). A subcategoria
"integração da equipe", representada pelo código (SRIe). A subcategoria
"trabalhando com grupos", representada pelo código (SRTg). A subcategoria
"prognósticos", representada pelo código (SRP), a subcategoria
"aspectos negativos", contem duas subcategoria
"dificuldades apontadas" representada pelo código (SRDa) e subcategoria
"dicotomia" representada pelo código (SRDi) .
Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer Quadro 3.0. Distribuição das categorias simbólicas, abstraídas a partir da entrevista semi-estruturada, sobre "atividades desenvolvidas".
Categoria: Atividades desenvolvidas Subcategoria aspectos positivos Código Unidade temática orquídea Unidade temática tulipa Prevenção/Educação SRPe ...a gente faz a palestra com o dentista
... é a parte da intervenção que a gente passa de casa em casa explicando
...A gente sai com a lista, com o nome de quem o resultado já está aqui.
...Que além da prevenção ela faz o auto-exame da mama.
....A gente trabalha com escovação nas escolas
...Fazem caminhadas
...Palestras com orientações aos adolescentes sobre sexo, drogas...
...Palestras com os idosos, hipertensos, adolescentes, odontólogos, aleitamentos materno, gestantes...
...Orientações em combate à dengue...
Integração da Equipe e comunidade SRIec ....Uma vez a gente fez uma palestra lá e o pessoal falou, que a gente não podia cuidar só de saúde.
...O pessoal falou, porque vocês não conseguem trazer um posto.
...A gente faz essa reunião com a família
...Trabalha com crianças nas escolas
...Procurar fazer o entrosamento entre equipe de saúde e a comunidade...
...Então, nos procuramos interligar a saúde à vida da comunidade...
...Já, nesse tempo que a gente tem de PSF, sempre estamos reunindo com a comunidade para saber o que eles desejam...
Integração da Equipe SRIe ...E a coordenadora faz questão que toda a equipe trabalhe
...Eu participo.
...Fazendo cartazes
...Sempre a gente participa.
...A equipe faz a palestra...
...Quem faz a palestra é o grupo...
...Atividades educativas, assim, com o dentista, com a médica e com a enfermeira...
Trabalhando com grupos SRTg ...Eu acho que das gestantes.
....Que é o grupo de idosos, que inclui hipertensão, diabetes e os idosos.
...Grupos das mulheres na fase reprodutiva...Grupo de adolescentes.
...Adolescentes, idosos, hipertensos, diabéticos, gestantes, grupos especiais de varias idades...
Prognósticos SRP ...E ai diminuiu muito, as mulheres que perdem crianças que faz aborto.
...Que a questão do PSF faz com que a gente se possibilite em acreditar nisso.
...Não estão engravidando assim tanto por descuido.
...As gestantes estão fazendo mais planejamento, logo antes de completar o primeiro trimestre.
...Tinha muita gravidez na adolescência...
...Melhorou muito, porque tinha muita adolescente que ficava grávida...
Subcategoria aspectos negativos Dificuldades apontadas SRDA ...Agora nós estávamos tendo um probleminha, com pessoa acima de 50 e 60 anos que não quer fazer o preventivo.
...com os adolescentes o trabalho é mais intensivo, devido a resistência do grupo.
...na minha profissão esse problema vai ser constante, que é a cárie.
...os pontos críticos geralmente é a condição social e educação em saúde que precisava.
Dicotomia SRDi ...Então ai, a gente vai em busca do que a gente tem, do que a gente deve fazer para contornar...
...A equipe de saúde bucal ela fica um pouco mais restrita, o campo dela é mais restrito...
...Mas nos temos como membros principais da equipe a enfermeira, a médica e o dentista...
Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer O quadro 04 refere também a entrevista semiestruturada elaborada com os sujeitos da pesquisa em relação ao questionamento a respeito das ações desenvolvidas pela unidade no âmbito setorial e intersetorial, com relação à avaliação dos dados criouse a seguinte categoria:
"Ações educativas setoriais e intersetoriais" esta após análise subsidiou foi dividida em subcategoria "aspectos positivos" e subcategoria
"aspectos negativos", assim, a subcategoria
"aspectos positivos" deuse o desenvolvimento de cinco subcategorias, intituladas como:
subcategoria "Atividades educativas setoriais", representada pelo código (SRAes), subcategoria
"Atividades educativas intersetoriais", representada pelo código (SRAeis), a subcategoria
"Público alvo", representada pelo código (SRPa), a subcategoria
"Tipo de ação", representada pelo código (SRTp). Na subcategoria
"aspectos negativos" formou-se duas subcategorias: subcategoria
"Dificuldades" representada pelo código (SRDAp), e subcategoria
"problemas" representada pelo código (SRP).
Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer Quadro 4.0. Distribuição das categorias simbólicas, abstraídas a partir da entrevista semi-estruturada, sobre "ações desenvolvidas pela unidade no âmbito setorial e intersetorial".
Categoria: Ações educativas setoriais e intersetoriais Subcategoria aspectos positivos Código Unidade temática orquídea Unidade temática tulipa Atividades educativas setoriais SRAes ...palestras
...somos nós mesmos que fazemos as palestras
...e vou sempre na casa vê se está fazendo, se não estiver a gente chama a enfermeira e leva ela lá
...quando a gente chama as crianças, falamos sobre o dentista
... a gente faz junto com a enfermeira e médico, as palestras
...Quem realiza as palestras é a Dra. Enfermeira...
...Eu também já participei de palestras que eu mesma dei...
... A comunidade participa como convidados...
Atividades educativas intersetoriais SRAeis ...temos a psicóloga da casa da família
...quando temos problemas com pais que não cuida dos filhos, nos chamamos o sentinela
...pois é teve o pessoal da faculdade, foi muito bonito
...todos gostam quando aparece gente diferente com novidades
...a policia
...vereadores a depender do assunto
...a DIRES ajuda na educação e saúde, como a Dengue
... Os únicos que já fizeram palestras aqui foram às meninas da FASB de enfermagem...
... Nos sempre temos ajuda da Secretaria de Saúde...
... Convidamos os membros da comunidade...
Publico alvo SRPa ...pais
...gestantes
...idosos
...principalmente com os idosos, hipertensos e crianças
...grupo de adolescentes
...tuberculosos...
... Adolescentes, idosos, hipertensos, diabéticos, gestantes...
Tipos de ação SRTp ...palestras sobre doenças e higiene pessoal
...o PSF, trabalha mais educação em saúde
...com os idosos é mais socialização, para que eles tenha qualidade de vida
...todos participam, tanto os ACS como os funcionários internos
...de manhã fica a visita do médico e a tarde da enfermeira
... Fora isso as feiras de saúde...
... As caminhadas que a gente faz...
... Também fazemos visitas domiciliares toda semana...
Subcategoria aspectos negativos Dificuldades SRDap ...é difícil de trabalhar com o grupo dos adolescentes
...os vícios que os adultos tem já estão constituídos
...não estamos convidando mais outras profissionais, por estar quase no final do ano
...o médico participa quando a gente marca com antecedência, porque tem as visitas domiciliares
... Agora quando vem alguém assim que se interessa que quer vim o espaço estar aberto...
Problemas SRP ... Nos estamos identificando os setores que necessitam de uma maior atenção...
... Tipo os idosos, que as ações de saúde sobre o idoso ainda não estão muito eficientes em termos de municipais...
Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer 5.0 DISCUSSÃO Os dados aqui referidos foram obtidos através da entrevista semi-estruturada que comporta também o teste de associação livre de palavras e as dinâmicas de grupo.
Fluxograma 1. Teste de associação livre de palavras, segundo a palavra estímulo: Interdisciplinaridade.
Conforme dados obtidos a partir da entrevista semiestruturada, inferidas aqui neste trabalho como "teste de associação livre de palavras", quando se questionou o que os sujeitos concebiam como
"interdisciplinaridade", esta, foi representada como uma categoria e dividida em duas subcategorias, nomeadas como:
subcategoria "Palavras relacionadas à interdisciplinaridade" e subcategoria "Palavras não relacionadas à interdisciplinaridade".
Na subcategoria "palavras relacionadas à interdisciplinaridade", destacou-se a subcategoria:
"Interação", nas duas unidades em que se desenvolveu a pesquisa, aqui citada com os codinomes: (orquídea e tulipa), essa foi à subcategoria mais expressiva, constituída através de palavras e frases curtas como:
"... trabalho em equipe...,...
um ajudando o outro...,...
diálogo...,... parceria...".
Interação Limitação Teoria Prática - Dinâmica Processo de interação e reciprocidade Timidez, falta de comprometimento, Você não é sozinho, foi boa mas foi estranha.
Interdisciplinaridade Cada um na sua atividade na sua especialidade Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer Conforme Fazenda6, entendemos por atitude interdisciplinar, uma atitude diante de alternativas para conhecer mais e melhor; atitude de espera ante os atos consumados, atitude de reciprocidade que impele à troca, que impele ao diálogo - ao diálogo com pares idênticos, com pares anônimos ou consigo mesmo, nesta concepção, percebe-se que os sujeitos investigados concebem
"teoricamente" a interdisciplinaridade como um processo de interação e reciprocidade, o que, quando se partiu para a prática através da dinâmica de grupo, denominada
"continue a minha idéia 1", cujo objetivo foi de trabalhar a criatividade, a capacidade de sincronia, complementaridade grupal e fluência verbal.
Baseando-se em Fazenda6, essas atitudes são caracterizadas como interdisciplinaridade,
"atitude de envolvimento e comprometimento com os projetos e com as pessoas neles envolvidas, atitude, pois, de compromisso em construir sempre da melhor forma possível, atitude de responsabilidade, mas, sobretudo, de alegria, de revelação, de encontro, de vida". Nesta perspectiva, observou-se no desenvolvimento desta dinâmica todas atitudes acima citadas, acrescendose além destas, algumas atitudes como:
" ...medo de expressar..., timidez..., falta de comprometimento..., falta de criatividade...,hierarquizaç
ão..., disciplinaridade...".
Neste contexto Fazenda6, concebe a seguinte reflexão: "É necessário, num projeto interdisciplinar, compreender e respeitar o modo de ser peculiar de cada um, respeitar, também, o caminho que cada indivíduo empreendeu na busca de sua autonomia;
é necessário revelar a identidade, a marca teórica de cada um. É no ponto de confluência, e não na justaposição das diferentes identidades, contudo, que podemos captar a dimensão da interdisciplinaridade".
Sendo assim, essas atitudes que ora caracteriza-se como sendo aspectos "negativos", na visão da autora são pontos de divergências necessários para criação e efetivação de um projeto interdisciplinar.
Japiassú7, acrescenta ainda que, para se ter condições de adquirir novas formas de perceber, conhecer e agir em outras perspectivas é necessário que estes sujeitos tenham
"capacidade de conhecer uma prática em suas limitações e possibilidades, superem o conhecimento das intenções que determinaram ou direcionaram esse agir pessoal, particular, individual".
No final desta dinâmica, as facilitadoras perguntaram aos sujeitos, "qual foi o sentimento despertado quando você viu a sua história sendo modificada ao longo do processo?", eles então inferiram as seguintes falas:
"... foi boa...,... foi boa mais foi estranha...,... eu acho que ficou distorcida...,... importante para ver como a participação de tudo se complementa...,... você não é sozinho...,... agente tem um trabalho potente...,...
mesmo que agente não tenha todos os recursos, agente consegue alcançar os nossos objetivos e trazer mudanças para a nossa comunidade...".
Percebe-se nestas falas, que os sujeitos expões suas opiniões mediante o grupo de forma integralizada, usando na maioria das vezes, termos na terceira pessoa.
Referindo a subcategoria
"Palavras não relacionadas à interdisciplinaridade", nas duas equipes (orquídea e tulipa), a subcategoria de maior destaque foi
"Limitação", destacandose as seguintes falas:
Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer
"...Disciplina...,... trabalho sempre dentro do horário...,... passo os problemas sempre para o enfermeiro...,... cada um na sua atividade...,... na sua especialidade...".
Nomeou-se esta subcategoria como
"limitação", por entenderse que a prática dessas, limitam ou impedem o trabalho interdisciplinar, o que leva a reflexão de que, apesar dos sujeitos terem uma visão da interdisciplinaridade, ainda concebem em sua forma de trabalho, uma cultura disciplinar, em parte favorecida pelo modelo educacional existente, explicitado na fala de Gusdorf8, "As mentes formadas pelas disciplinas perdem suas aptidões naturais, tanto para contextualizar os saberes, quanto para integrá-los em seus conjuntos naturais".
Isso também vem demonstra que, mesmo sendo defendido a formação de profissionais com visão integral, no relatório final da 9º Conferência Nacional de Saúde em 1992, após passados mais de 15 anos, não se percebe essa efetivação de trabalho integral de forma consubstancial.
A concepção de trabalho em equipe está vinculada à de processo de trabalho e vem, portanto, sofrendo transformações ao longo do tempo, historicamente, surge da necessidade do homem de somar esforços para alcançar objetivos de forma mais fácil e de atender às exigências do processo de produção moderno (MATTOS)9.
Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer Fluxograma 2. Teste de associação livre de palavras, seguindo a palavra estímulo: Trabalho em equipe.
Os dados obtidos através da questão "o que é trabalho em equipe", na concepção dos sujeitos investigados, sugeriram a criação de uma categoria intitulada
"Trabalho em equipe", subdividida em duas subcategorias: subcategoria
"responsabilidade coletiva" e a subcategoria denominada
"responsabilidade individual".
Nas duas Unidades pesquisadas, sobressaiu a subcategoria
"responsabilidade coletiva", sendo que na Unidade (tulipa) essa subcategoria representou cerca 75% do total desta e na unidade orquídea o resultado, representou cerca de 50% do total, sendo aqui expressa nas seguintes falas:
"... a pessoa trabalhar em conjunto...,... bem estar comum...,... discutir os problemas em equipe...,... a união da equipe do grupo...,... é participar junto com os outros membros da equipe...".
As concepções dos sujeitos sobre trabalho em equipe estão relacionadas ao modelo de "grupo", deixando subtendido que os sujeitos concebem trabalho Trabalho em equipe Teoria Prática - Dinâmica Responsabilidade coletiva Responsabilidade Individual Trabalho em equipe como um conjunto ou grupo de pessoas com responsabilidades mais coletivas do que individual.
Individualismo, falta de interação e egoísmo.
Conforme Piancastelli (2000), "a dificuldade do trabalho em equipe está relacionada com as diferentes concepções sobre o conceito de equipe".
Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer em equipe como um conjunto ou grupo de pessoas com responsabilidades mais coletivas do que individual.
Ao estudar o trabalho em equipe é importante conhecer como cada profissional conjuga seu trabalho no âmbito individual e coletivo e identificar evidências de articulação das ações desenvolvidas pelos diferentes profissionais. Em uma equipe multiprofissional, a articulação refere-se à recomposição de processos de trabalhos distintos e, portanto, à consideração de conexões e interfaces existentes entre as intervenções técnicas peculiares de cada área profissional (CIAMPON E PEDUZZI)10.
Esses dados são reafirmados na aplicação e no desenvolvimento da dinâmica intitulada "jogo do quadrado", que teve o objetivo de revelar sentimentos e aprendizados na importância do trabalho em grupo. Nesta destacouse os seguintes comportamentos dos sujeitos: (equipe tulipa e equipe orquídea), respectivamente:
"... individualismo...,...
disciplina...,...
cooparticipação...,... falta de interação e egoísmo...".
"... interação...,...
limitações...,...
cooperativismo...,...
individualismo e falta de persuasão...".
Nota-se que, a maioria dos sentimentos revelados acima vão de encontro com as falas apreendidas na entrevista semiestruturada, onde na prática os sujeitos mostraram transparecer uma equipe, "como um grupo de pessoas que tem um objetivo comum, sendo nesse caso, fundamental que tenham o mesmo objetivo, não importando como cada um pretenda alcançá-lo" (PIANCASTELLI )11, e na teoria, "um grupo de pessoas com habilidades complementares, comprometidas umas com as outras e pelo objetivo comum, obtido através da negociação entre os atores sociais envolvidos no plano de trabalho" (PIANCASTELLI,).11 Conforme cita Piancastelli11, "a dificuldade do trabalho em equipe está relacionada com as diferentes concepções sobre o conceito de equipe. Dentre essas, se observam as definições: a equipe como um conjunto ou grupo de pessoas que desempenham uma tarefa ou trabalho não importando, nesse caso, os objetivos e as relações interpessoais; ou a equipe como um grupo de pessoas que tem um objetivo comum. Sendo, nesse caso, fundamental que tenham o mesmo objetivo, não importando como cada um pretenda alcançá-lo; ou a equipe como um conjunto de pessoas que além de um objetivo comum pretendem alcançá-lo de forma compartilhada; ou refere-se ainda à equipe como um conjunto ou grupo de pessoas cujo objetivo é resultante da negociação/discussão entre todos os membros do grupo e por fim com o conceito que considera equipe como um grupo de pessoas com habilidades complementares, comprometidas umas com as outras e pelo objetivo comum, obtido através da negociação entre os atores sociais envolvidos no plano de trabalho.
Mattos 9 infere que, o trabalho em equipe é uma forma eficiente de estruturação, organização e de aproveitamento das habilidades humanas.
Possibilita uma visão mais global e coletiva do trabalho, reforça o compartilhamento de tarefas e a necessidade de cooperação para alcançar objetivos comuns.
Este sentimento de trabalho em equipe de forma interdisciplinar deve ser Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer incentivado e fortalecido nas práticas diárias através da interação entre estes profissionais. Conforme cita Almeida et al12, se não houver interação entre os profissionais das equipes de Saúde da Família, corre-se o risco de repetir a prática fragmentada, desumana e centrada no enfoque biológico individual com diferente valoração social dos diversos trabalhos.
Seguindo a visão de Almeida et. al12, acima já citada, procuramos conhecer como se desenvolve as interações que ora foram concebidas pelos sujeitos, no conceito de interdisciplinaridade, bem como quais atividades esses sujeitos vêm desenvolvendo num contexto interdisciplinar profissional/comunidade, para enfrentar os determinantes do processo saúde/doença. O que segundo orientações do Ministério da Saúde, Brasil13, no PSF as ações são estruturadas no trabalho em equipe e buscam humanizar as práticas de saúde, com o objetivo de obter a satisfação do usuário através do estreito relacionamento dos profissionais com a comunidade.
Atividades desenvolvidas Palestras Trabalhos com grupos Dicotomia de atuação Condição social e educação Fluxograma 3. Entrevista semi-estruturada: Atividades desenvolvidas.
Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer Os dados referentes a este pressuposto, adquiridos através da entrevista semiestruturada, subsidiaram a formação da categoria
"Atividades desenvolvidas" subdividida em duas subcategorias "Aspectos positivos" e "Aspectos Negativos", sendo que as subcategorias geradas a partir destas, divergiram em alguns pontos entre as Unidades pesquisadas (orquídea e tulipa). Na unidade orquídea a subcategoria dos aspectos positivos em que sobressaiu foi intitulada
"prevenção/educação", assim respondendo a atividade que mais se sobressai no trabalho desta equipe, de forma interativa com a comunidade, conforme podemos observar nas falas apreendidas:
"... agente faz a palestra com o dentista...,... é à parte da intervenção que a gente passa de casa em casa explicando...,... que além da prevenção ela faz o auto-exame da mama...,...
há muitas atividades sociais que a equipe do PSF fez aqui na comunidade, são palestras...".
A maior expressividade desta subcategoria, revela que os sujeitos desta Unidade (orquídea) estão, não só preocupados em diminuir os determinantes do processo do adoecer, mais também demonstram compromisso com a comunidade, o fato desta subcategoria se sobressair leva-nos a reflexão que esses fazem dessas ações prioridades no seu trabalho diário, o que conforme o Ministério da Saúde15, o principal propósito do PSF é o de reorganizar a prática da atenção à saúde em novas bases e substituir o modelo tradicional, levando a saúde para mais perto da família e, com isso, melhorar a qualidade de vida dos brasileiros.
Prioriza as ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde das pessoas, de forma integral e contínua sendo o atendimento prestado, na Unidade Básica de Saúde (UBS) ou no domicílio, pelos profissionais que compõem as equipes de Saúde da Família (ESF).
Assim, esses profissionais e a comunidade criam vínculos de coresponsabilidade que facilita a identificação e o atendimento dos problemas de saúde da comunidade (BRASIL)14.
Já na Unidade representada pelo codinome (tulipa), a subcategoria dos aspectos positivos que mais se destacou foi "grupos trabalhados", conforme observamos abaixo:
"... adolescentes...,...
idosos...,... hipertensos...,...
diabéticos...,...
gestantes...,... grupos especiais de várias idades...".
Esses resultados obtidos demonstraram que nesta Unidade a equipe expressou uma maior enfatização aos grupos trabalhados, sendo que as principais responsabilidades atualizadas, de acordo com a NOAS/2001 (BRASIL)13, constituem: Saúde da Criança; Saúde da Mulher;
controle de Hipertensão;
controle de Diabetes Melittus; controle de Tuberculose; eliminação da Hanseníase; ações de Saúde Bucal. Soma-se a isso visitas domiciliares, reuniões entre os profissionais e a comunidade, atividades educativas com grupos definidos, ações administrativas de supervisão e educação continuada.
É importante colocar que as divergências de dados obtidos entre as duas Unidades, leva-nos a traçar um paralelo entre as mesmas, enquanto na Unidade (orquídea) a subcategoria Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer
"prevenção/educação", foi a mais expressiva dentre as demais, na Unidade (tulipa), esta mesma subcategoria ficou em segundo lugar, mas, a maior divergência entre estas duas Unidades foi a expressão da subcategoria
"integração da equipe e comunidade", que, enquanto na Unidade (orquídea) esta representou o segundo lugar, na Unidade (tulipa) situou-se no quinto lugar, de um total de seis subcategorias.
Enquanto de acordo com Campos15 as atividades da equipe seriam: conhecer a realidade das famílias;
identificar os problemas de saúde e situação de risco;
realizar o planejamento e programação local com a participação comunitária;
estabelecer vínculo de confiança com os usuários através de uma conduta ética; resolver os problemas de saúde em nível de atenção básica;
garantir o acesso à comunidade dentro de um tratamento de referência e contra-referência; prestar atendimento integral à demanda adscrita, respondendo à demanda de forma contínua e racionalizada; coordenar e/ou participar de grupos de educação em saúde, fomentar a participação popular, discutindo com a comunidade conceitos de cidadania, de direito à saúde e suas bases legais e incentivar a participação ativa da comunidade nos conselhos locais de saúde;
no conselho municipal de saúde e auxiliar na implantação do cartão nacional de saúde.
Em se tratado dos dados referentes à subcategoria
"aspectos negativos", os que mais se destacaram foram: na Unidade (orquídea) "dificuldades apontadas" e na Unidade (tulipa) "dicotomia", com as seguintes falas respectivamente:
"... agora nos estamos tendo um probleminha com pessoas acima de 50 e 60 anos que não fazem o preventivo...,... na minha profissão esse problema vai ser constante que é a cárie...,... os pontos críticos geralmente é a condição social e a educação em saúde que precisava...".
"... então, a gente vai em busca do que agente tem, do que a gente deve fazer para contornar...,... a equipe de saúde bucal ela fica um pouco mais restrita o campo dela é mais restrito..., ... mais nos temos como membros principais da equipe a enfermeira, a médica e o dentista..." Sendo assim, observa-se nessas colocações que os sujeitos visualizam as dificuldades encontradas na comunidade, mais, não as interagem no sentido de resolvê-las em equipe, pois as falas não inferem essa inter-relação de compromisso para que seja desenvolvido um trabalho interdisciplinar. O que conforme Ferreira et al16 o trabalho em equipe da saúde da família exige uma construção coletiva das ações em saúde, onde as dificuldades estão sempre presentes e precisam ser refletidas e superadas. A formação de uma equipe permite a troca de informações e a busca de um melhor plano terapêutico, colocando-se a cooperação como instrumento para enfrentar o fazer em grupo.
De acordo com Campos15 as atividades da equipe seriam o de prestar atendimento integral à demanda adscrita, respondendo à demanda de forma contínua e racionalizada; coordenar e/ou participar de grupos de educação em saúde;
promover ações intersetoriais e outras parcerias com organizações formais e informais existentes na comunidade para o enfrentamento conjunto dos problemas identificados.
Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer Fluxograma 4. Entrevista semi-estruturada: ações educativas setoriais e intersetoriais.
Neste contexto, no que se refere à categoria intitulada
"ações educativas setoriais e intersetoriais", dividida em duas subcategorias "aspectos positivos" e subcategoria
"aspectos negativos", foi evidenciado na subcategoria "aspectos positivos" que na Unidade (orquídea) a subcategoria
"atividades educativas setoriais", obteve uma maior expressividade, enquanto na Unidade (tulipa) a mesma subcategoria, classificou-se como a de menor expressividade de um total de quatro subcategorias, tendo esta Unidade uma maior expressividade na subcategoria " tipo de ação" , que na Unidade (orquídea) é a subcategoria de menor expressividade, sendo estes, o ponto de divergência entre as duas Unidades pesquisadas, que apesar de serem evidenciadas ações comuns, essas se divergem na importância ou formas com que são praticadas, mas diante disto, também percebe-se um ponto de convergência entre ambas, na subcategoria
"atividades educativas intersetoriais" que obteve a mesma expressividade.
As falas apreendidas através da entrevista semiestruturada, que subsidiaram a formação da subcategoria "aspectos positivos", subdividida em subcategoria "atividades educativas setoriais", subcategoria "tipo de ação" e subcategoria
"atividades educativas intersetoriais", são demonstradas abaixo, respectivamente seguindo a mesma ordem:
"... eu vou sempre na casa ver se estar fazendo, se não estiver à gente chama a enfermeira e leva ela lá...,... quem realiza as palestras é a doutora enfermeira...,... somos nós mesmos que fazemos as palestras...".
"... as caminhadas...,... o PSF, trabalha mais educação em saúde...,...
Ações educativas setoriais e intersetoriais Enfermeiro, odontólogo, técnico de enfermagem, Secretaria de Saúde, 25 DIRES, equipe DST/AIDS, CAM.
Aspectos positivos Dificuldades Maior número de adesão aos programas Falta de inter-relação na equipe, pouca disponibilidade de profissionais externos, pouco apoio municipal.
Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer palestras sobre doenças e higiene pessoal...,... feiras de saúde...".
"... nos sempre temos a ajuda da Secretaria de Saúde...,... a coordenadora do programa saúde do idoso...,... temos a psicóloga da casa da família...,... programa Saúde da Mulher do Centro de Atendimento a Mulher...,... a Diretoria Regional de Saúde ajuda na educação em saúde, como a dengue...".
No que condiz a subcategoria "aspectos negativos", da categoria
"ações educativas setoriais e intersetoriais", a Unidade (orquídea) destacou-se com a subcategoria
"dificuldades", e na Unidade (tulipa) destacou a subcategoria "problemas".
Como podemos visualizar nas seguintes falas respectivamente:
"... é difícil trabalhar com o grupo dos adolescentes...,... não estamos convidando mais outros profissionais por estar quase no final do ano...,... o médico participa quando a gente marca com antecedência...".
"... nós estamos identificando os setores que necessitam de uma maior atenção tipo os idosos...,... que as ações de saúde sobre o idoso não estão muito eficientes em termos municipais...".
Contextualizando estes dados, numa interface de trabalho em equipe multidisciplinar, trabalhando interdisciplinariamente através de ações setoriais e intersetoriais, na busca de amenizar e quiçá resolver os problemas de saúde/doença encontrados na comunidade, de forma preventiva através de atividades educativas, sejam estas para a equipe ou a comunidade adstrita, percebe-se, que as Unidades trabalham com as mesmas atividades, ou tipo de ações, mas cada uma dar
ênfase àquela que segundo as falas expressa maiores necessidades. Percebe-se também a interdisciplinaridade destas ações a partir das práticas intersetorias desenvolvidas nestas Unidades, quando são convidados profissionais de outras Unidades das mais diversas
áreas, sejam elas da saúde, educação, política, sociedade civil entre outros, para realizar atividades de cunho educativo à comunidade adstrita e aos membros da equipe.
Peduzzi17 enfatiza que, a multiprofissionalidade diz respeito à atuação conjunta de várias categorias profissionais. O trabalho em equipe na saúde da família requer a compreensão das várias disciplinas para lidar com a complexidade que é a atenção primária, a qual toma a saúde no seu contexto pessoal, familiar e social, bem como a promoção da saúde, e prevenção e reabilitação, trazendo a intersetorialidade como parceira na resolutividade dos problemas de saúde.
Conforme o Ministério da Saúde, quando consideramos que a unidade produtora dos serviços de saúde não é um profissional isoladamente, mas sim a equipe; que o foco central de atenção não é o indivíduo exclusivamente, mas a família e seu entorno; que as intervenções necessárias para proporcionar o cuidado à saúde devem se sustentar no conhecimento que contemple as determinações bio-psicosociais da saúde doença e cuidado e na autonomia e responsabilização dos profissionais com os usuários, famílias e comunidade; a assistência à saúde passa a ter a característica central de um trabalho coletivo e complexo, em que a interdisciplinariedade, bem como a multiprofissionalidade são necessárias (BRASIL)18.
Em relação aos aspectos negativos desta Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer subcategoria, estes enfatizam a necessidade de um trabalho interdisciplinar entre a equipe da Unidade, outros profissionais e a comunidade, que esta interrelação entre esses autores sejam de forma efetiva em prol de objetivos comuns, para uma melhor resolutividade desses aspectos negativos pontuados pelas falas dos sujeitos acima citadas. O que de acordo com Benito et al19, espera-se que os profissionais que trabalham com Saúde da Família estejam preparados para serem resolutivos diante dos problemas de saúde, organizados nas atividades de planejamento local quanto à assistência, vigilância e promoção à saúde e que trabalhem com espírito de equipe.
6.1 CONCLUSÃO Mediante dados levantados neste trabalho referente à interdisciplinaridade no Programa Saúde da Família de duas USF, do município de Barreiras - Ba, esses inferiram haver pouca substancialidade no que condiz á pratica de atividades interdisciplinares, apesar das respostas teóricas levarem ao entendimento de que os sujeitos em sua maioria compreendem a interdisciplinaridade como um processo de "interação, co-participação e compromisso", isto não se concebeu na prática que aconteceu mediante as dinâmicas de grupo.
O trabalho interdisciplinar das equipes ainda se encontra arraigado no modelo cartesiano, onde os membros da equipe em sua maioria, não conseguiram dissociar trabalho em equipe de trabalho interdisciplinar.
Acredita-se que, para melhor viabilização desses princípios na saúde como todo, e em especial na saúde pública, estes devam ser efetivados principalmente através da educação em saúde, com a intenção de promoção e prevenção, além de inserir a comunidade no processo saúde/doença como ser cooresponsável socialmente. Esta também promove uma maior integração e inter-relação da equipe e comunidade para sua efetivação promovendo assim uma ação interdisciplinar.
Segundo os sujeitos investigados estas atividades educativas têm contribuído de forma efetiva para as mudanças de melhoria da saúde da comunidade, acrescentando que, quando estas atividades são aplicadas por outros profissionais que não seja os da Unidade, que segundo os mesmos trazem sempre novidades, e o público fica mais desperto e motivados a estar participando, isto também revela a importância dos vínculos itersetóriais que devem ser praticados nas USF, com o intuito de complementação, integração e inter-relação, característica da proposta inovadora de se promover saúde, no que refere a Estratégia de Saúde da Família.
7.0 CONSIDERAÇÕES FINAIS Acreditamos que o mundo não se constitui de fenômenos isolados, mais complementares entre si, é seguindo este raciocínio que concebemos a interdisciplinaridade, como meio fundamental para o exercício do promover e cuidar em saúde, na busca de um atendimento integral.
As reflexões sobre os comportamentos acontecidos, a partir das dinâmicas de grupo, utilizadas com o propósito de abstrair de forma subjetiva e prática, as ações que evidenciam a interdisciplinaridade, mostrou-se ser um meio adequado para a reflexão das equipes. O fato de pensar e analisar as suas próprias ações levaram estes sujeitos ao questionamento e reflexão, mediante o objetivo de cada dinâmica.
Enfatizamos que os dados aqui demonstrados não podem ser concebidos como visão geral do Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer trabalho desenvolvido nas Unidades de Saúde da Família do município de Barreiras - Ba, por este ter sido investigado em apenas duas Unidades no universo de oito Unidades existentes na cidade.
Por fim, acreditamos que apesar dos dados obtidos estarem dentro do esperado, ainda não é o almejado dentro da proposta de interdisciplinaridade e que essa, apesar de ser sinônimo de complexidade na teoria, na prática é uma questão de atitude, atitude esta, que deve ser seguida não só por profissionais atuantes na Equipe Saúde da Família, mais também por todos sujeitos envolvidos e comprometidos no processo saúde/doença.
BIBLIOGRAFIA 1.MINAYO; MCS. Desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde.
Hucitec-Abrasco, São Paulo Rio de Janeiro, 1999.2.
2.SILVA FILHO, J. C. A Interdisciplinaridade na Universidade: perspectiva histórica. Ver Educ Brás, nº 21, v. 43, pg. 11-41, 1999.
3.CAPRA, Fritjof. O ponto de mutação. São Paulo, Culturix,, 1995.
4. BECK, Ulrich. Risk Society. London, Sage publications, 1992.
5.MOSCOVICI, S. A Representação Social da Psicanálise. Rio de janeiro:
Zahar editors, 1978.
6.FAZENDA; I. C.
Interdisciplinaridade:
história, teoria e prática da pesquisa. Campinas (SP):Papirus;1994.
7.JAPIASSU; H.
Interdisciplinaridade e Patologia do Saber. Rio e Janeiro: Imago, 1976.
8.GUSDORF, George.
"Prefácio". In: JAPIASSU, Hilton. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro, Imago Editora, 1976.
9.MATTOS RA. Os sentidos da integralidade: algumas reflexões acerca dos valores que merecem ser defendidos. In: Pinheiro R, Mattos RA, organizadores. Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde. Rio de Janeiro: IMSUERJ/ ABRASCO; 2001. p.
39-64.
10. PEDUZZI,M. Equipe multiprofissional de saúde: a interface entre o trabalho e interação. [Tese] Campinas/SP - Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas, 1998.
11.PIANCASTELLI, CH;
FARIA, HP; SILVEIRA, MR.
O Trabalho em Equipe In:
SANTANA, JP (Org.).
Organização do cuidado a partir de problemas: uma alternativa metodológica para a atuação da equipe de saúde da família. UFMG/NESCON, Faculdade deMedicina e Escola de Enfermagem.
Brasília: OPAS/Representação do Brasil, pg. 45-50, 2000.
12. ALMEIDA,MCP;
MISHIMA, SM. O desafio do trabalho em equipe na atenção à Saúde da Família:
construindo "novas autonomias" no trabalho.
Interface - comunicação, saúde, educação n. 9, pg. 150 153, 2001.
13. BRASIL,Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia prático do programa de Saúde da Família. Brasília, DF. 2001.
14. BRASIL, Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Programa de saúde da família. Brasília;
1994.
15.CAMPOS, GWS.
Considerações sobre a arte da ciência da mudança:
revolução de coisas e reforma das pessoas. O caso da saúde. In: CECÍLIO, LCO (Org.). Inventando a mudança na saúde. São Paulo: Hucitec, , pg. 29-87, 1994.
16.FERREIRA, R.C, VARGA, C.R.R. SILVA, R.F.
Trabalho em Equipe Multiprofissional: A Perspectiva dos Residentes Médicos em Saúde da Família Revista Ciência
& Saúde Coletiva da Associação Brasileira de Pós Graduação em Saúde Coletiva. Disponível em:
www.Revista Ciência & Saúde Coletiva 2.htm, acessado em: 14/08/2007.
17. PEDUZZI, M. Equipe multiprofissional de saúde: a interface entre o trabalho e interação. [Tese] Campinas/SP - Faculdade de Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas, 1998.
18. BRASIL,Ministério da Saúde. Saúde da família:
uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial. Brasília:
Secretaria de Políticas de Saúde, Departamento de Atenção Básica, 1998.
19. BENITO, A.V.B.; SILVA, L.L.; MEIRELLES, S.B.C.;
FELIPPETTO, S.
Interdisciplinaridade no Cuidado às Famílias:
Repensando a Prática em Saúde. Fam. Saúde Desenv., Curitiba, v.5, n.1, p.66-72, jan./abr. 2003. Disponível em:
:http://calvados.c3sl.ufpr.br/oj s2/index.php/refased/article/vi ewFile/5075/3838, Acesso em: 12/10/2006.
Artigo desenvolvido do trabalho de conclusão de curso das Enfermeiras tendo como orientador o professor mestre em gastroenterologia cirúrgica da Escola Paulisata deMedicina, Universidade Federal de São Paulo.
 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Claudia Leila Silva
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
sou enfermeira pos graduada em saude publica, e trabalho com a área hospitalar e a área de educaçao.
Membro desde janeiro de 2011
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: